quinta-feira, 18 de outubro de 2018

À PROVA DE ERROS.
Por Fernando Calmon*


Um estudo acaba de ser publicado pela organização não governamental (ONG) Nossa São Paulo sobre o tempo médio de deslocamento na capital paulista: caiu em torno de 10 minutos entre 2015 e 2018. Não representa muito, mas se trata de algum avanço. O dado reflete uma modificação nos hábitos trazida pelos aplicativos de mobilidade como Uber, 99 e Cabify. Esses serviços já se estendem a mais de 100 cidades brasileiras.

Os meios de transporte usados pelos paulistanos mudaram em três anos. Ônibus caíram de 47% para 43%, metrô de 8% para 7%. Carros particulares subiram de 22% para 24%; aplicativos e táxis de 2% para 5%. Bicicletas de 1% para 2%. Esse fenômeno tem sido detectado em outras grandes cidades no mundo e começa a preocupar os administradores públicos. Uso menor do transporte coletivo tende a torná-lo mais caro e desestimula investimentos na sua melhoria.

Não à toa a prefeitura da cidade de Nova York entrou em conflito com Uber e seu concorrente principal Lyft para limitar o número de automóveis. Quer poder avaliar melhor o impacto no trânsito e nos custos de transporte público. Essa discussão ainda continua por lá.

No Brasil, Uber está introduzindo uma versão mais simples (desenvolvida na Índia) de seu aplicativo, para celulares de poucos recursos, a fim de alavancar a modalidade Pool onde mais de uma pessoa é transportada por veículo. Por outro lado, São Paulo foi a primeira cidade do mundo a lançar o serviço do Waze de carona paga, desde agosto passado. Ideia é oferecer e pedir carona a um preço entre R$ 4 e R$ 25. A empresa destaca se tratar de algo diferente, focado em serviço solidário: motorista só pode oferecer duas caronas por dia. Como se trata de experiência nova, não objetiva retorno financeiro no momento. A checar, no futuro.

No levantamento da ONG citada não há referência sobre os aplicativos de rotas alternativas como fator de melhor uso da malha viária e, por consequência, tempos menores de deslocamentos. De fato, é difícil avaliar esse impacto. No entanto, São Paulo é a cidade com o maior número de usuários do Waze no mundo e o Brasil, como um todo, só perde para os EUA, na mesma comparação.

Mas o aplicativo também falha. Há pouco mais de um ano houve um grande engarrafamento em São Paulo porque os usuários foram canalizados, erroneamente, para algumas avenidas. Mais recentemente houve queixas de voltas desnecessárias e roteiros que levavam ao destino informado, porém do lado oposto da rua ou avenida, causando transtorno e tempo maior de viagem. Outro aplicativo, o Google Maps (Google é dona do Waze, embora sem interação), às vezes indica rotas mais longas em dias e horários sabidamente sem problemas de trânsito.

A exemplo de grandes empresas de TI, Google é refratária a dar muitas explicações e Waze, pior ainda. Basta algo de errado acontecer. A Coluna tentou, por dois meses, saber se houve disfunções temporárias, relatadas por uso próprio e leitores, nos famosos algoritmos de roteamento. Google Maps negou qualquer problema e se prontificou a checar o percurso errado. Waze nem ao menos respondeu: deve se considerar à prova de erros.

ALTA RODA


NOVA família de motores de três cilindros virá com os novos Onix e sua versão sedã, Prisma, entre o final de 2019 e o começo de 2020. Conhecida como CSS (sigla em inglês para Estratégia de Conjunto de Cilindros), incluirá versões de 1.000 e 1.200 cm³ tanto de aspiração natural quanto com turbocompressor. Consumo e desempenho surpreenderão o mercado.

EMPRESA inglesa, Camcon Automotive, promete para os primeiros anos 2020 um revolucionário avanço para motores de combustão interna (MCI) em termos de consumo e emissões. Micromotores elétricos comandarão digitalmente abertura e fechamento de válvulas, eliminado atuais árvores, balancins, molas e correias. Espera-se sobrevida, antes inimaginável, para os MCI.

APESAR de preço nada camarada na faixa de R$ 400 mil, BMW X3 M40i montado em Araquari (SC) garante fortes emoções. Começa pelo seis-cilindros em linha de 360 cv e 51 kgfm: acelera com grande vigor para um SUV desse porte. Volante de ótima pegada, suspensão bem firme e tração 4x4 complementam-se. Espaço atrás meio acanhado, mas porta-malas é bom.

ESTUDOS da Empresa de Pesquisas Energética (EPE) apontam um fosso abissal entre os hemisférios Norte e Sul em termos de veículos elétricos e híbridos. Por seu alto preço, EPE estima que os dois somados representem apenas 2,5% das vendas em 2026, no Brasil (hoje, 0,2%). Os mais otimistas, no entanto, acreditam em participação de 30% em 2030. Haja otimismo!

PRIMEIRAS revisões gratuitas eram comuns nos primórdios da produção nacional de veículos, nos anos 1960. Carros menos confiáveis levavam a indústria a estimular passagem pelas oficinas. Depois, caiu em desuso. Essa estratégia tem voltado pontualmente, dessa vez como alternativa aos tradicionais descontos que acabam por desvalorizar, mais adiante, um modelo no mercado de usados..






* Fernando Calmon - fernando@calmon.jor.br - é jornalista especializado desde 1967. Engenheiro, palestrante e consultor em assuntos técnicos e de mercado nas áreas automobilística e de comunicação. Sua coluna Alta Roda começou em 1999. É publicada em O Brasil Sobre Rodas, WebMotors, Gazeta Mercantil e também em uma rede nacional de 52 jornais, sites e revistas. É, ainda, correspondente para a América do Sul do site Just-auto (Inglaterra).Siga: www.twitter.com/fernandocalmon  - www.facebook.com/fernando.calmon2.

RUBENS BARRICHELLO CHEGA A LONDRINA EM NOVO ESTILO.


Piloto da Mobil Super Full Time mostra novo design do #111 na décima etapa da Stock Car


Na reta final da temporada 2018 da Stock Car, Rubens Barrichello que segura a quinta posição na tabela geral do campeonato, com 161 pontos, apresenta o novo visual do #111. O autódromo Internacional Ayrton Senna recebe a principal categoria de automobilismo nacional pela segunda vez neste ano. O piloto marcou a pole na pista com 3.156 metros de extensão na etapa de maio.

Mas neste final de semana em especial, o carro do piloto de 46 anos estará diferente. É a primeira parte de uma ação elaborada pela Mobil junto á equipe e o piloto. A iniciativa é um segredo e será revelado apenas na próxima etapa, que acontece em Goiânia no próximo dia 04 de novembro. Mas os fãs da categoria já podem ter uma ideia de como ficará o carro novo.

O novo ‘layout’ já divulgado nas redes sociais da Mobil, da equipe e do próprio Rubens Barrichello recebeu inúmeros elogios pelo público. Diferente da edição normal que é na cor preta, traz o azul e o vermelho no carro. A  partir de sexta-feira, pilotos e equipes irão para a pista realizar os primeiros treinos livres do final de semana. No sábado, além de mais uma sessão de treino livre, acontece a classificação. Ambas as corridas da rodada dupla estão marcadas para domingo (dia 21) com transmissão da SporTV.

“Eu adoro Londrina! Este ano, nossa pole lá foi redondinha. Um prazer voltar esse final de semana e fazer o que mais gosto nessa vida, acelerar! Temos surpresas no carro, e adoramos novidades né?” – comentou Barrichello. 

Barrichello concorre ao “fun push” nesta em Londrina, que dá a ele o direito de entrar na disputa mesmo sem participado da última etapa, como foi o caso. Os fãs do piloto podem votar para que ele tenha um dispositivo de velocidade a mais pelo site da categoria, basta se conectar usando o Facebook. 

Para seguir no Instagram: @mobilbrasil @rubarrichello @fulltimesports 

Para seguir no Facebook: @cosan.mobil @fulltime

Programação para a etapa de Londrina 

Sexta-feira, 19 de outubro

10h00 – 10h35: 1º Treino Livre (Stock Car – Grupo 1)
10h45 – 11h20: 1º Treino Livre (Stock Car – Grupo 2)
13h20 – 13h55: 2º Treino Livre (Stock Car – Grupo 1)
14h05 – 14h40: 2º Treino Livre (Stock Car – Grupo 2)

Sábado, 20 de outubro

09h40 – 10h15: 3º Treino Livre (Stock Car – Grupo 1)
10h25 – 11h00: 3º Treino Livre (Stock Car – Grupo 2)
13h00 – 14h00: Classificação Stock Car

Domingo, 21 de outubro

10h00 – 11h00: Visitação aos Boxes
12h00: Largada Stock Car – Corrida 1
13h05: Largada Stock Car – Corrida 2

Os 10 primeiros na classificação do campeonato

  1º Daniel Serra - 234 pontos
  2º Felipe Fraga - 217
  3º Cacá Bueno - 163
  4º Marcos Gomes - 161 
  5º Rubens Barrichello - 161
  6º Max Wilson - 159
  7º Julio Campos - 157
  8º Átila Abreu - 141
  9º Ricardo Zonta - 122
10º Lucas di Grassi - 115

TRATON PERMANECE NO CAMINHO DE CRESCIMENTO DURANTE OS NOVE PRIMEIROS MESES DE 2018.


A TRATON AG atingiu um aumento expressivo na entrega de veículos comerciais nos primeiros três trimestres de 2018. Entre janeiro e setembro, o Grupo entregou cerca de 15% mais veículos do que no mesmo período do ano anterior. A soma total foi de 166.330 caminhões e ônibus das marcas MAN Truck & Bus, Scania e Volkswagen Caminhões e Ônibus. “Toda a nossa equipe fez um excelente trabalho nos primeiros nove meses”, diz Andreas Renschler, CEO da TRATON AG e membro da Diretoria da Volkswagen AG. “No entanto, o desempenho em vendas fortíssimo alcançado no primeiro semestre caiu um pouco no terceiro trimestre”.

Todas as três marcas contribuíram para esse desenvolvimento. O número de veículos entregues aos clientes pela MAN Truck & Bus aumentou em 15%, com 72.040 unidades. O número caminhões e ônibus vendidos pela Scania subiu para 68.640 veículos, cerca de 7% a mais que no ano anterior. Impulsionada pela melhora na economia brasileira, a demanda de veículos da Volkswagen Caminhões e Ônibus observou um aumento expressivo de aproximadamente 43%, totalizando 27.360 unidades. No total, a TRATON vendeu 145.070 caminhões (+12%) e 16.390 ônibus (+22%).

Crescimento no mercado de caminhões em quase todas as regiões


O desempenho econômico cada vez mais positivo em quase todos os mercados mais importantes do mundo impulsionaram os negócios nos primeiros nove meses.

Com uma participação de quase 31% no mercado durante os primeiros nove meses de 2018, a TRATON segue líder no mercado da região UE28+2 (União Europeia, Noruega e Suíça). Aproveitando a continuidade do bom desempenho do mercado europeu de veículos comerciais, o Grupo entregou 83.030 caminhões, o que representa um aumento de aproximadamente 9% em relação ao ano anterior.

Na América do Sul, as marcas venderam 29.630 caminhões, aumentando o número de veículos entregues em cerca de 40% em comparação ao mesmo período no ano anterior. O crescimento foi especialmente beneficiado pelo aumento da demanda brasileira, seguindo a contínua recuperação econômica do país. A TRATON permanece líder absoluta no mercado brasileiro de caminhões, respondendo por cerca de 40%.

Como resultado de uma recuperação sustentada da economia russa, o número de veículos entregues aos clientes no país aumentou expressivamente, em cerca de 17%, para 8.000 unidades.

Na região Ásia-Pacífico, devido a fatores como uma menor demanda da China, o número de veículos vendidos caiu cerca de 6% em relação a 2017, totalizando 10.530 caminhões. 

Na África, o número de unidades vendidas ficou estabilizado no nível do ano anterior, em 5.320 caminhões.

Na região do Oriente Médio, foram vendidos 5.220 caminhões, o que representa uma queda de 10%.

Parcerias inteligentes impulsionam a presença regional e a digitalização


A TRATON também expandiu sua presença na Ásia firmando parcerias: o grupo fez um acordo com a Sinotruk, para estabelecer uma joint venture para o desenvolvimento de um caminhão MAN pesado para o mercado chinês. Já com a japonesa Hino Motors, a TRATON vai cooperar futuramente nos campos de compras e e-mobilidade. Além disso, a TRATON iniciou uma parceria com a Solera, especialista em softwares norte-americana, para o desenvolvimento de soluções conjuntas, como gerenciamento de frotas, serviços para os motoristas e soluções digitais em vendas. “Os serviços digitais estão entre as chaves para o crescimento no futuro”, diz Andreas Renschler. “Nós já ocupamos uma posição de destaque no ambiente digital, e continuaremos neste caminho de forma consistente – usando nossos próprios recursos e os dos nossos parceiros”.

Soluções e projetos inovadores focados em formas alternativas de direção e soluções digitais também moldaram nossas outras atividades no último trimestre.

MAN lança projeto inovador para a direção autônoma


Na IAA, a MAN foi uma das primeiras fabricantes a apresentar soluções 100% elétricas para toda a gama da logística urbana para caminhões de 3 a 26 toneladas. Destaque: o MAN CitE, um caminhão elétrico. O veículo de 15 toneladas para distribuição em ambientes urbanos foi desenvolvido dentro do tempo recorde de 18 meses. E o eTGM, primeiro caminhão elétrico da MAN, já está rodando, com nove diferentes clientes submetendo os veículos aos mais rigorosos testes. A MAN também adicionou CNG e variáveis elétricas à sua família de ônibus municipais.

Um projeto de direção autônoma foi lançado no início de outubro: a MAN Truck & Bus e Hamburger Hafen und Logistik AG se juntaram para testar, na estrada A7, caminhões cuja direção será 100% autônoma, e que serão carregados e descarregados automaticamente no porto. Os testes estão previstos para começar já no início de 2019 na MAN, em Munique, e a partir da metade de 2020 na estrada A7.

Scania sai na frente com sistemas de direção alternativa – sucesso no projeto platooning com a MAN


Na IAA em Hannover, a Scania apresentou uma solução digital na qual o planejador de rotas considera as zonas que apresentam restrições de circulação – por exemplo, áreas sujeitas a restrições específicas de emissões, ruído ou velocidade.
Na feira, a empresa expôs exclusivamente veículos cujos trens de força foram projetados para combustíveis renováveis e soluções alternativas - incluindo o primeiro ônibus no mundo movido a GNL (gás natural liquefeito), um caminhão híbrido plug-in e ônibus urbanos 100% elétricos. 

A estreita colaboração entre as marcas da TRATON continuam a render frutos: em Hannover, Scania e MAN revelaram os resultados de seu desenvolvimento conjunto, que consiste em um platoon composto pelas duas marcas – ou seja, um comboio de veículos de marcas diferentes. O platooning reduz o consumo de combustível e as emissões de CO2 – e, ao mesmo tempo, aumenta expressivamente a segurança. Além disso, o platooning geralmente é considerado a primeira etapa da direção autônoma.

Volkswagen Caminhões e Ônibus deixa o Brasil elétrico


No último trimestre, a Volkswagen Caminhões e Ônibus anunciou um acordo de intenção de compra para a maior entrega de caminhões elétricos do mundo até agora. A empresa deve fornecer um total de 1.600 caminhões elétricos para a frota à serviço da Ambev até 2023. Como resultado, cerca de 35% dessa frota circulará livre de emissões, deixando de emitir mais de 30.000 toneladas de CO2 por ano. O primeiro caminhão a integrar essa frota é o VW e-Delivery, que deve chegar às ruas no fim deste ano, entrando na primeira fase de testes. É o primeiro caminhão leve 100% elétrico na América Latina.

RIO se expande com novos serviços e parceiros


Como um ecossistema de logística aberto com base em nuvem, o RIO oferece serviços digitais independentes para a rede de fornecimento global, e a sua base para uma grande expansão no futuro está pronta: seguindo o caminho da MAN, a VW Caminhões e Ônibus também vai começar a usar a RIO Box a partir de 2019 como equipamento padrão nos novos caminhões para transferir dados entre os caminhões e a nuvem. Como ecossistema aberto, o RIO conta com cada vez mais novos parceiros – incluindo, mais recentemente, a MAN Digital Services os Serviços Digitais da MAN e ofertas da VDO e Wabco. No total, o RIO é usado por mais de 2.700 operadores de frota, e 450.000 veículos do Grupo TRATON já fazem parte de uma rede global. 

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

IVECO MOSTRA A SUA FORÇA NO AGRONEGÓCIO NA REGIÃO SUL.


Extrapesado Hi-Way é destaque da marca na Fetranslog em Chapecó - Santa Catarina


A cidade catarinense de Chapecó sedia a Feira do Transporte e Logística de Santa Catarina (Fetranslog), que acontece de 17 a 19 de outubro. Modelos como o Hi-Way, caminhão que proporciona conforto e potência, com baixo custo operacional, Daily e Tectror, são os representantes da marca, e estarão expostos no estande da Carboni, concessionário IVECO na região. 

Ricardo Barion, diretor de Marketing e Vendas da IVECO para a América Latina, destaca que essa é mais uma oportunidade de apresentar aos transportadores e caminhoneiros locais, que têm como principal atividade o transporte frigorífico de aves e suínos, os diferenciais dos produtos da montadora. "70% do movimento de cargas frigorificadas no Brasil está na região de Chapecó." 

O financiamento pelo Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (PRONAMP), do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), é feito por meio do Banco CNH Industrial. "Para facilitar a compra dos caminhões, temos uma linha de crédito com juros de 6% ao ano, menor que a média do mercado, para a aquisição de veículos IVECO.", completa o executivo. 

O evento será realizado no Parque de Exposições da EFAPI (Av. Senador Atílio Fontana), das 14h às 22h, e tem o apoio do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas da Região de Chapecó (SITRAN), que tem 109 transportadoras filiadas. 

O agronegócio é uma das principais fontes de renda de Chapecó, capital da agroindústria e principal polo de desenvolvimento econômico no oeste de Santa Catarina. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade tem cerca de 216 mil habitantes. 

Portfólio 


A Daily começa na faixa das 3,5 toneladas, também com opções nas categorias de 4,5, 5,5 e 7 toneladas. O veículo funciona perfeitamente como VUC (Veículo Urbano de Carga) e é capaz de circular dentro de zonas de restrição nos grandes centros urbanos a qualquer hora do dia, o que facilita as operações dos clientes que trabalham no varejo e dependem de uma distribuição eficaz. Destaque para a nova Daily City 30S13. Pensado para o transporte de cargas fracionadas, o veículo tem PBT Técnico de 3,5 toneladas e livre circulação em grandes cidades por estar na categoria comercial leve, que permite ao motorista a utilização de carteira de habilitação B. 

O Tector, que circula entre os médios e semipesados, é indicado para aqueles que buscam o que há de mais moderno e eficiente em transporte. O caminhão oferece conforto, economia, potência, durabilidade e produtividade. Os diversos modelos podem dar conta de vários tipos de demanda, desde entregas comerciais menores até transporte de grãos. Com duas opções de câmbio e quatro opções diferentes de entre-eixos que permitem um total de 16 versões, o Iveco Tector se destaca pela versatilidade. O destaque fica por conta do modelo Auto-Shift, com câmbio automatizado de dez velocidades, que se destaca ao proporcionar conforto ao motorista e economia no consumo de combustível, por conta do premiado motor NEF6, da FPT Industrial. 

O Hi-Way é projetado para percorrer médias e longas distâncias, e ainda assim proporcionar economia na manutenção, na operação e no consumo de combustível. Com equipamentos de última geração, itens de longa durabilidade e recursos exclusivos, o modelo garante uma direção segura e confortável. Além da tecnologia, o veículo também se destaca pelo conforto. Com banco do passageiro e do motorista pneumático, de alto conforto, geladeira de 24 litros, cortina frontal elétrica, basculamento elétrico da cabine, e cama High Comfort, com 2 m de comprimento e 80 cm de largura, e, ainda, equipada com colchão de espuma viscoelástica, o motorista se sente em casa e no seu escritório quando está utilizando o caminhão.  

Banco CNH Industrial – Financiamento PRONAMP 


Com o Banco CNH Industrial, produtores rurais (pessoa física ou jurídica), com ROB de até R$ 2 milhões e que explorem a terra na condição de proprietário, posseiro, arrendatário ou parceiro, podem adquirir caminhões IVECO com taxa de juros de 6% a.a. em até oito anos, com carência de até 18 meses e periodicidade de pagamento do principal semestral ou anual. As condições são válidas na linha PRONAMP, para financiamento de até 90% do valor do caminhão, limitado a R$ 430 mil por beneficiário, por ano agrícola. 

Visite

CUMMINS COMEMORA MÊS DA DIVERSIDADE E AMPLIA ATUAÇÃO DE SUAS AÇÕES.


Companhia promove atividades de conscientização e inclusão e anuncia ampliação do Comitê de Diversidade agora com abrangência em toda América Latina.


A Cummins Brasil comemora em outubro o mês da Diversidade & Inclusão com ações desenvolvidas e dedicadas aos seus colaboradores, além de anunciar a ampliação do Comitê de Diversidade agora com abrangência em toda América Latina. A desenvolvedora de powertrain ainda celebra resultados práticos dos trabalhos de conscientização cultural desenvolvidos ao longo da história da Cummins no País. 

“Nosso objetivo é avançar em representatividade, remover barreiras por meio de processos flexíveis em busca diferentes estilos de vida e conhecimentos que geram percepções distintas e, como consequência, a inovação”, diz Luis Pasquotto, presidente da Cummins Brasil e vice-presidente da Cummins Inc. Os dados apontam crescimento da população Diversa nos últimos anos que hoje representa mais de 50% da base de funcionários da companhia.

A temática Diversidade & Inclusão, um dos valores da Cummins, é trabalhada por meio de grupos de recursos de colaboradores que inclui mulheres, afrodescendentes, deficientes físicos, geração Y e lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e transexuais e queer (LGBTQ+). Todas as ações são engajadas por colaboradores voluntários que atuam diariamente na empresa.

De acordo com Adriano Rishi, diretor de Engenharia da Cummins para América Latina e líder do Conselho de Diversidade da Cummins para América Latina “queremos enaltecer não só as afinidades, mas dar voz para aquelas pessoas que se sentem sub-representadas e consideram que todo o seu potencial não está sendo aproveitado na companhia. Acreditamos que a integração dos grupos e treinamentos para a liderança sobre o diálogo de inclusão sejam alguns passos iniciais para o reconhecimento dos perfis e seus respectivos impactos positivos”, afirma. 

Além das iniciativas específicas de cada grupo, todo o trabalho de Diversidade conta com um comitê que promove ações gerais para a evolução dos trabalhos. Toda temática está sendo promovida pela Cummins durante esse mês por meio de atividades estendidas também nas demais unidades da companhia, como a Cummins Filtration, o Centro Logístico e a Cummins Vendas e Serviços (CVS).

RUMO AUMENTA EM 10% O VOLUME TOTAL TRANSPORTADO EM SETEMBRO.


Mais de 5 milhões de toneladas de produtos agrícolas e industriais foram escoados pelos trilhos da Companhia no mês passado.


A Rumo encerrou setembro com novos aumentos de eficiência no transporte de cargas agrícolas e industriais. No mês passado, a operadora ferroviária transportou um total de 5,1 milhões de toneladas, 10% a mais do que o obtido em setembro de 2017, quando fechou o período com 4,6 milhões de toneladas.

O bom desempenho operacional da Rumo se manteve em suas duas operações instaladas no País, especialmente no que diz respeito ao transporte de grãos. Na Norte, onde fica o principal corredor de exportação de commodities agrícolas, conectando Rondonópolis (MT) ao Porto de Santos (SP), foram escoados 2 milhões de toneladas, quantidade 19% acima do mesmo período de 2017. Na Operação Sul, o crescimento foi de 5,9%, com 1,08 milhão de toneladas passando pelas ferrovias dos três estados da Região Sul e em parte de Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Loures.

Leia> Coisas de Agora.

TRANSMISSÃO ALLISON PROPORCIONA DESEMPENHO MAIS SUAVE PARA O PRIMEIRO CAMINHÃO CANAVIEIRO AUTOMÁTICO.


A mais recente parceria firmada com a MAN resultou em um VW Constellation com características ideais para acompanhar as colheitadeiras de cana-de-açúcar nos terrenos desafiadores.


Permitindo uma manobrabilidade precisa para andar em solo macio e trafegar por espaços reduzidos, o novo Volkswagen Constellation 31.280 Canavieiro virá de fábrica com uma transmissão totalmente automática Allison da Série 3000™.

Ideal para operações fora de estrada, o caminhão agrega, entre outros atributos, peso bruto total (PBT) técnico de 30,5 toneladas para permitir alta produtividade. Traz também eixo traseiro com bloqueio transversal e longitudinal para distribuir melhor a força nas rodas em terrenos difíceis ou em casos de atolamento.

Caio Milani, consultor comercial da MAN Latin America, diz que há algum tempo foi detectada a necessidade dos clientes por um caminhão que tivesse maior disponibilidade e melhor performance para o trabalho nos canaviais. “Pesquisas internas nos mostraram que para uma aplicação off-road severa, com grande número de troca de marchas, com muito anda e para, e ainda transportando um grande volume de carga, a transmissão automática Allison seria mais indicada do que uma transmissão automatizada, explica Milani.

“Apesar de ter um custo inicial um pouco mais alto, em médio prazo a automática justifica plenamente a sua compra se comparada a uma automatizada, que pode ter maiores gastos de manutenção nessa atividade.”

Além da alta resistência, baixa manutenção, e maior disponibilidade do veículo, as automáticas Allison são ideais na colheita da cana porque os caminhões têm que andar lado a lado com a colheitadeira com uma velocidade constante entre 5 km e 10 km/h. Isso é difícil de ser realizado por um caminhão manual sem causar grandes problemas para seu sistema de embreagem.

A transmissão Allison 3500 que equipa o Constellation também vem com uma Tomada de Força (PTO) padrão para permitir que ele opere equipamentos auxiliares de energia, como bombas d’água e ferramentas hidráulicas, em uma grande variedade de aplicações vocacionais.

Outra característica do VW Constellation equipado com uma transmissão Allison é a excelente capacidade de arrancadas e a proteção contra recuo na partida em rampas íngremes. A parceria da Allison com a MAN já vem de longa data, com o desenvolvimento dos compactadores de resíduos, bombeiros autobomba e com a betoneira para o segmento da construção.

O Constellation 31.280 vem equipado com um motor de 280 cv com tecnologia EGR, que não requer injeção de uréia para reduzir as emissões de NOx. A combinação das seis marchas da transmissão Allison 3500 com a relação de diferencial que foi definida conjuntamente pelas engenharias das empresas, entrega um torque final na roda similar ao de um caminhão de maior potência, com transmissão manual.

Press Consultoria.

Leia> Coisas de Agora.

CONCESSIONÁRIA VW CAMINHÕES E ÔNIBUS INVESTE R$ 5 MILHÕES NA NOVA CASA.


Revenda Cotave em Votuporanga atende 47 municípios do Noroeste paulista.


A rede de concessionárias VW Caminhões e Ônibus conta com uma nova casa. Com investimento de R$ 5 milhões, a Cotave Votuporanga atende a 47 municípios no Noroeste paulista. O aporte contempla adequação de prédio, compra de equipamentos e gama de produtos das linhas VW Caminhões e Ônibus e MAN.

A região tem como principais atividades as culturas de cana de açúcar e psicultura, além de construção, mineração e serviços de grandes transportadoras nos arredores.

A casa fica às margens da Rodovia Euclides da Cunha, conta com 18 mil m², com dez pontos de atendimento mecânico. “Acreditamos nas oportunidades da economia do país e na importância do transporte rodoviário, por isso mantivemos nosso investimento ao longo do período de retomada de mercado”, comenta Ivo Gazon, diretor da revenda.

“A parceria com o cliente e a excelência no atendimento são características marcantes da rede de concessionárias VW Caminhões e Ônibus e MAN Latin America. E investimentos como este corroboram nossos esforços para oferecer sempre a melhor estrutura de pós-vendas e serviços”, afirma Sérgio Pugliese, gerente executivo de Operações de Campo – Região São Paulo da VW Caminhões e Ônibus.

Sobre a Cotave
Com uma história de pioneirismo de mais de 35 anos, a Cotave Caminhões e Ônibus atua nas unidades de São José do Rio Preto, Catanduva e agora em Votuporanga, todas no Noroeste Paulista.

Com mais de 22 mil atendimentos realizados apenas nos últimos três anos, tem trajetória marcada pelo compromisso, qualidade e tradição na venda e pós-vendas dos caminhões Volkswagen e, desde 2012, MAN.

Volkswagen Caminhões e Ônibus.

Leia> Coisas de Agora.

terça-feira, 16 de outubro de 2018

BNDES APROVA R$ 6,7 MILHÕES PARA ESTAÇÕES DE RECARGA DE VEÍCULOS ELÉTRICOS.


Apoio não reembolsável tem como foco projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) de modelos de estações residenciais e comerciais de diferentes velocidades de recarga.


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou apoio de R$ 3,4 milhões e R$ 3,3 milhões para dois projetos de redes de recarga de veículos elétricos. Os recursos serão provenientes do BNDES Funtec, fundo não reembolsável voltado a projetos de pesquisa aplicada, desenvolvimento tecnológico e inovação. As iniciativas foram selecionadas em uma chamada pública realizada em 2016 e serão desenvolvidas por duas unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii):  Fundação CPqD - Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações e a Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (CERTI). 

O projeto do CPqD conta com investimento total de R$ 5 milhões e tem como interveniente a PHB Eletrônica Limitada, empresa brasileira com mais de 30 anos de experiência em projetos de inovação na área de eletrônica de potência aplicada a sistemas de energia. A iniciativa da CERTI prevê investimento de R$ 7,5 milhões e conta com a WEG, fabricante nacional de eletroeletrônicos de uso industrial com mais de 50 anos de mercado e que já atua no setor de redes inteligentes e mobilidade elétrica. Os projetos dispõem também de apoio financeiro não reembolsável da Embrapii, no valor total de R$ 2,9 milhões. 

As instituições desenvolverão modelos de eletropostos de recarga lenta (8 a 16 horas), semirrápida (2 a 4 horas) e rápida (até 1 hora). As estações poderão ser instaladas em residências, shoppings, estacionamentos, postos de gasolinas e estradas. 

BNDES e Embrapii – O apoio aos dois projetos ocorre no âmbito dos objetivos do Acordo de Cooperação entre o BNDES e a Embrapii, estabelecido em setembro de 2017. Seus principais objetivos são realizar o apoio a projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação de empresas em colaboração com institutos de pesquisas e universidades, bem como promover a integração dos modelos de fomento à inovação. 

Mercado – O segmento de veículos elétricos apresenta rápido crescimento no mundo, tendo superado a marca de três milhões de unidades em 2017, aumento de 50% em relação a 2016. Apesar da grande quantidade, o montante representa apenas 0,2% do total da frota mundial e está concentrado em poucos países. A disponibilidade de uma infraestrutura de recarga é um dos principais gargalos para o desenvolvimento do setor. Nesse sentido, as operações do BNDES representam uma oportunidade para ampliação da frota de veículos elétricos no país. 

Impacto ambiental – As políticas públicas e as metas de redução de emissões de gases poluentes adotadas pelos países tendem a acelerar o processo de ampliação da frota de veículos elétricos. 

Perspectiva – O setor de veículos elétricos apresenta uma série de oportunidades de aprimoramento, tais como o desenvolvimento de equipamentos mais compactos, de menor custo ou com maior capacidade de armazenamento. Outras possibilidades são a geração de energia fotovoltaica, troca de energia e programação de carregamento para horários de menor demanda e, consequentemente, menor custo. 

RANDON IMPLEMENTOS LANÇA NOVA FAMÍLIA DE SEMIRREBOQUES FRIGORÍFICOS.

Novidade que tem o menor peso do mercado será apresentada também na Fetranslog 2018. Foto: CGI Signia.

O semirreboque frigorífico mais leve do mercado brasileiro será apresentado pela Randon Implementos em Chapecó (SC). E com direito a dois lançamentos simultâneos nesta quarta-feira (17): na Feira de Transporte e Logística de Santa Catarina (Fetranslog), que ocorre até sexta-feira (19), e na própria unidade da Randon em Chapecó, onde a empresa receberá seus clientes. A escolha da empresa se deve ao caráter estratégico da região  para o transporte rodoviário de cargas, particularmente o frigorífico, e também comemora os sete anos de operação no Oeste catarinense.

O novo produto chega carregado de novidades. Com um novo conceito de projeto e a utilização de materiais de alta tecnologia, foi possível reduzir a tara, tornando a frigorífica ainda mais leve do que o  modelo anterior - e consolidando-se como a mais leve do mercado. Além disso, o investimento de mais de R$ 5 milhões em P&D e novos  processos produtivos também contribuíram para ampliar a durabilidade e a capacidade de isolamento térmico, tradicionais atributos dos frigoríficos Randon. Para completar, a combinação do novo chassi e suspensão, ambos de bitola larga, oferece ainda maior estabilidade. “É um lançamento que traz muita tecnologia embarcada e mantém todos os benefícios já consagrados da frigorífica Randon linha R, com excelente desempenho operacional para o cliente. A nova linha, que chegará ao mercado por Chapecó, é o principal lançamento da Randon em 2018”, destaca o diretor corporativo da Divisão Montadoras, Alexandre Gazzi.

Quando a empresa afirma que a novidade começará a rodar nas estradas do Brasil pelo Oeste catarinense, é literalmente isto, porque o primeiro equipamento tem o timbre da Transportadora Marvel, que adquiriu a primeira unidade de série da nova frigorífica Randon. A cerimônia de entrega ocorrerá na planta da Randon Chapecó, que comemora sete anos de operação. Para marcar a data, também será feita a entrega solene da frigorífica de número 5 mil fabricada ali, adquirida pela  Transportes Framento. “É uma ocasião de grande orgulho para a Randon, pela prosperidade que encontrou na região e pelo reconhecimento dos clientes”, afirma o presidente das Empresas Randon, David Randon, que participará dos eventos, ao lado  da Diretoria da Randon Implementos e Rede de Distribuidores Randon.

Outras novidades 


Em paralelo, o produto estará em exibição e pronto para comercialização no estande da empresa, que conta com estruturas de operação do Banco Randon e da Randon Consórcios, na Fetranslog, no parque da Exposição-Feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Chapecó (Efapi).  

A nova frigorífica não será o único lançamento das Empresas Randon nos eventos. A Suspensys leva sua nova suspensão pneumática para toda linha de implementos, a TAS (Trailer Air Suspension) desenvolvida pela própria empresa. É um produto mais leve, que oferece maior capacidade de carga transportada e menor custo de manutenção. Esta nova linha de suspensões foi desenvolvida para suprir uma nova demanda de mercado que contemple redução de peso, alta durabilidade e projeto compacto. Disponível nas versões Light, Standard e Heavy Duty para aplicações on-road e off-road com sistema de montagem clamp (sem solda) – Sistema WeldFree®, patente da Suspensys.

Durante a Fetranslog, pela Randon Implementos, também serão apresentados  o semirreboque graneleiro linha R, carro-chefe da empresa e que possui entre suas principais características a reconhecida lateral Ecoplate2, que traz uma combinação de leveza, resistência e durabilidade ao produto. Também estará exposta a carroceria furgão carga geral, produzida em Chapecó e disponível para montagem em toda a Rede Randon.

No mesmo espaço, a JOST mostrará sua 5ª Roda JSK 37CW, que dispensa do uso de graxa na superfície do bloco (Lubfree) e Pino Rei. A graxa é substituída por placas poliméricas de desgaste entre a região de contato e atrito com o semirreboque, evitando a contaminação no momento de carga e descarga, em especial de alimentos e grãos. Além disso, outro importante benefício é a redução nos tempos de paradas e custos de manutenção. Recicláveis, as placas são substituídas ao final da vida útil, contribuindo para a preservação do meio ambiente.