sábado, 23 de março de 2019

BSS BLINDA SUPER SUV LAMBORGHINI URUS


A Via italia, importadora oficial da marca, lançou o Lamborghini Urus, primeiro Super Sport Utility Vehicle, segundo definição da própria Automobili Lamborghini, em novembro do ano passado, durante a 30ª edição do Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, para atuar no segmento de luxo com potência de benchmarking, desempenho, dinâmica de direção, design incomparável, luxo e usabilidade. Portanto, trata-se de um modelo muito recente em comercialização no mercado brasileiro. Ainda assim, a BSS já blindou duas unidades no primeiro bimestre do ano.

"Já temos os menores prazos de entrega de carros blindados porque a BSS trabalha com estoque de vidros balísticos e de mantas. Com a chegada do Lamborghini Urus no final do ano passado, lançamos o desafio também de desenvolver, com os nossos fornecedores, moldes de vidros e programa de corte CNC com ultra-frequência de mantas de Aramida e NeopreneR em tempo recorde, com peso da blindagem de 180kg", explica Mário Brandizzi Neto, CEO da BSS Blindagens.

O Lamborghini Urus possui um motor biturbo V8 de 4.0 litros que oferece 650 cv (478 kW) a 6.000 rpm, máximo de 6.800 rpm e 850 Nm de torque máximo já a 2.250 rpm. Com 162,7 hp/litro, a Urus apresenta uma das mais altas potências específicas de sua classe e a melhor relação peso/potência a 3,38 kg/hp.

O SUV acelera de 0-100 km/h em 3,6 segundos, 0-200 km / h em 12,8 segundos e com uma velocidade máxima de 305 km/h. É o SUV mais rápido disponível no mercado.

Fundada em junho de 2007, a BSS Blindagens já blindou mais de 10 mil unidades. Com esse número, a BSS é a maior blindadora do país, com cerca de 11% de marketshare. No segmento de automóveis Premium, a empresa detém mais de 30% de participação. A empresa produz, atualmente, tem capacidade produtiva de 220 veículos por mês. Emprega cerca de 200 colaboradores diretos e outros 200 indiretos.  

sexta-feira, 22 de março de 2019

BRASIL SEDIA SEMINÁRIO CONTINENTAL DE SERVIÇOS DA KIA MOTORS


A Kia Motors do Brasil sediará a edição de 2019 do “Central & South America Service Seminar”, evento anual que reúne as melhores práticas de serviços de pós-venda da Kia Motors nas Américas Central e do Sul. O seminário, que a cada edição acontece em um país diferente, será realizado nos dias 27 e 28 de março, em Foz do Iguaçu (PR).

O encontro reunirá mais de 40 diretores e gerentes de Serviços de diferentes distribuidores da Kia. Na programação do primeiro dia, representantes do Brasil, Chile, Colômbia, El Salvador, Equador, Guatemala, Honduras, Panamá, Paraguai, Peru e Porto Rico apresentarão cases de sucesso em satisfação e retenção de clientes, sempre alinhados à identidade de Serviços “Promise To Care”, aplicada pela Kia em todo o mundo. “É uma oportunidade valiosa para o compartilhamento de experiências. É muito interessante ter esse contato com práticas bem-sucedidas em outros países, inclusive para aperfeiçoarmos nossa atuação no mercado brasileiro”, destaca José Luiz Gandini, presidente da Kia Motors do Brasil. 

Kia Link


No segundo dia de programação, os participantes visitarão a concessionária Kia em Foz do Iguaçu, representada pelo Grupo Carelli. Na ocasião ocorrerá o lançamento e a demonstração prática do “Kia Link”, sendo o Brasil o primeiro país da América Latina a contar com a tecnologia, que atende às premissas de Conectividade e Digitalização do “Promise to Care” e que estará à disposição dos clientes brasileiros entre abril e maio deste ano.

Com o aplicativo “Kia Link”, compatível com os sistemas operacionais Android e iOS, os proprietários poderão consultar o histórico de revisões do veículo e programar agendamentos futuros pelos smartphones, garantindo o plano de manutenção periódica. Além disso, a tecnologia funcionará como um novo canal de comunicação entre clientes, concessionárias e Kia Motors, possibilitando a divulgação de ofertas especiais e ações de pós-venda.

Outro diferencial do “Kia Link” é que, por meio de um plugue conectado à porta OBD, o aplicativo ainda funcionará como um scanner, conectando-se à central de gerenciamento eletrônico do veículo e tendo acesso ao diagnóstico de vários componentes, como estado da bateria, do alternador, do sistema de escapamento e do nível dos pneus. Todas essas informações serão transmitidas ao smartphone via conexão Bluetooth e permitirão, por exemplo, que os concessionários sejam notificados em caso de verificação de códigos de falhas ou colisões.

Intercâmbio de conhecimento


A programação do seminário será finalizada com um passeio turístico às Cataratas do Iguaçu, um dos principais cartões-postais do Brasil, declarado Patrimônio Natural da Humanidade e uma das Sete Novas Maravilhas da Natureza. “É um privilégio poder receber em nosso país representantes da Kia de diversas nacionalidades. Trata-se de um intercâmbio de conhecimento, pois, além das informações técnicas, compartilharemos nossos valores culturais”, ressalta Gandini.

Além de contar com a presença da diretoria e da presidência da Kia Motors do Brasil, o seminário será prestigiado por executivos do alto escalão da Kia Motors Corporation, incluindo o presidente da sede regional da Kia nas Américas Central e do Sul, Mr. Kevin Kim.

IVECO PRONTA PARA ACELERAR FORTE NA COPA TRUCK 2019


Os brutos da IVECO, marca da CNH Industrial, já estão prontos para o início da Copa Truck 2019, que terá Goiânia (GO) como palco inicial da competição, em 24 de março. Os quatro caminhões da montadora, divididos em três equipes, serão comandados por pilotos experientes: Djalma Pivetta #21, Luiz Lopes #99, Jaidson Zini #25 e Felipe Giaffone #04, piloto com mais conquistas na categoria. 

Destaque para a nova equipe Usual IVECO Racing, formada por Djalma Pivetta e Felipe Giaffone, que estreia na Copa Truck 2019 com 1.200 cv de potência, por meio do motor Cursor 13 da FPT Industrial, para buscar o título. 

Ricardo Barion, diretor de Vendas e Marketing da IVECO para a América do Sul, ressalta que a Copa Truck, e outras competições automotores como o rali Dakar, são importantes laboratórios para a marca testar componentes dos caminhões pesados em alto desempenho. 

"Nosso cliente sabe que está dirigindo um caminhão que passou por uma série de avaliações, no Campo de Provas da IVECO, antes de o produto ser lançado no mercado. Na Copa Truck, temos a chance de colocar a prova futuros desenvolvimentos da marca", finaliza Barion.
   
Calendário da Copa Truck 2019 
1ª Etapa - 24/03 - Goiânia/GO 
2ª Etapa - 14/04 - Campo Grande/MS 
3ª Etapa - 02/06 - Londrina/PR 
4ª Etapa - 14/07 - Curvelo/MG 
5ª Etapa - 18/08 - Santa Cruz do Sul 
6ª Etapa - 01/09 - Rivera/Uruguai 
7ª Etapa - 06/10 - Tarumã* 
8ª Etapa - 27/10 - Curitiba/PR* 
9ª Etapa - 08/12 - São Paulo/SP* 
*Sujeito a confirmação.

Foto: Vinícius Silva.

IVECO

quinta-feira, 21 de março de 2019

VOLKSWAGEN DO BRASIL CELEBRA O DIA MUNDIAL DA ÁGUA

Estação de Tratamento de Efluentes da fábrica Anchieta
No mês em que é celebrado o Dia Mundial da Água, esta sexta-feira 22 de março, a Volkswagen do Brasil tem uma ótima conquista! A novidade é a estreia do Projeto de Reúso de Água Industrial na fábrica Anchieta, localizada em São Bernardo do Campo (SP), que prevê reutilizar mais de 20 milhões de litros de água industrial por mês.

Toda essa água, que seria descartada, agora é filtrada por membranas de osmose reversa, um processo que permite a separação e retirada das substâncias químicas. Em seguida, a água retorna para o processo produtivo.

“Pretendemos reutilizar 65% da água industrial que seria descartada. A filtragem proporciona água com qualidade excelente para abastecer a produção. Estamos aliando tecnologia, inovação e sustentabilidade”, disse o Plant Manager da fábrica Anchieta da Volkswagen do Brasil, Mario Rodrigues.

Fábrica de Taubaté já economizou 160 milhões de litros


Na fábrica da Volkswagen do Brasil em Taubaté (SP), o projeto de Água de Reúso já é um sucesso: economizou mais de 160 milhões de litros de água desde a sua implementação, em 2017. O processo de filtragem é semelhante ao da fábrica Anchieta.

Com ele, toda água usada na área de Pintura (banhos de pré-tratamento e limpeza das carrocerias) segue para a Estação de Tratamento da fábrica e retorna para os processos industriais da Pintura e sanitários.

“Adaptamos as instalações com tecnologias que nos permitem oferecer água tratada nos parâmetros de qualidade exigidos pela Pintura, a área que mais utiliza o insumo”, destacou o Plant Manager da Volkswagen do Brasil em Taubaté, Vilque Rojas.

Programa de sustentabilidade


A Volkswagen do Brasil reduziu em 30,44% o consumo de água por veículo produzido, comparando fevereiro de 2019 com a média mensal de 2010, ano de início do programa global de sustentabilidade da Marca Volkswagen “Think Blue. Factory.”

Alguns projetos de economia de água na VW do Brasil


Ação na Pintura economiza 845 mil litros 
Em uma ação inovadora, a Pintura da Anchieta implementou uma tecnologia no sistema de pré-tratamento de carrocerias que utiliza novos produtos na lavagem, eliminando a necessidade de um dos estágios. Essa mudança economiza 845 mil litros de água por ano, além de reduzir a quantidade de produtos no processo e o consumo de energia.

Com água reciclada e de chuva, fábrica de motores reduz consumo em 10% 
A fábrica de motores da Volkswagen do Brasil, em São Carlos (SP), ampliou em 3,2 milhões de litros sua capacidade de armazenagem de água de chuva e de água reciclada para o processo produtivo, possibilitando à unidade reduzir em 10% seu consumo de água por motor fabricado.

A melhoria ambiental ocorreu assim: o prédio onde são produzidos os motores da família EA111 teve sua capacidade de captação de água de chuva duplicada, para 20 mil litros. Com esse reaproveitamento, a fábrica de São Carlos tem a capacidade de economizar 2 milhões de litros de água por ano.

Já no prédio dos motores da família EA211 foram instalados dois reservatórios com capacidade de armazenamento de 20 mil litros cada, que possibilitam o reúso de toda água de dreno das torres de resfriamento, resultando no reaproveitamento de 1,2 milhão de litros ao ano.

Poços artesianos ajudam a economizar 
A fábrica da Volkswagen do Brasil em São José dos Pinhais (PR) conta com três poços artesianos para captar águas profundas e reduzir o consumo de água proveniente da rede pública. Esses três poços abastecem a fábrica com cerca de 7.000 m³ por mês, o que equivale a cerca de 46% do consumo da fábrica.

Pintura ecológica de Taubaté 
A Pintura da fábrica de Taubaté estabeleceu padrões inovadores de tecnologia e proteção ambiental, se tornando referência na indústria automobilística brasileira. As inovações da área tornaram o processo de pintura ecológico, reduzindo em cerca de 20% o consumo de água por veículo produzido e em 30% o consumo de energia, em comparação a uma pintura convencional. Aliada a equipamentos e processos de alto rendimento e baixo consumo energético, a unidade também utiliza tinta ecológica à base d'água.

Reúso de água nos testes das bombas de incêndio 
Na fábrica de São José dos Pinhais, a água utilizada para verificar preventivamente o funcionamento das bombas da rede de incêndio é reutilizada para resfriar equipamentos de áreas produtivas como alicates de solda e solda a laser, na Armação, e compressores no setor de Utilidades. A medida economiza aproximadamente 10 milhões de litros ao ano.  

Volkswagen do Brasil
Assuntos Corporativos e Relações com a Imprensa.

Leia> Coisas de Agora.  

EQUILÍBRIO ALCANÇADO.
Por Fernando Calmon*

O programa IncentivAuto do governo de São Paulo para estimular a produção de veículos no Estado pode parecer que se trata de uma guerra fiscal, mas não é. Afinal, além das contrapartidas obrigatórias, a intenção foi apenas se aproximar – não superá-las – das condições já oferecidas por outros Estados. Até o momento, infraestrutura de transporte e logística, mão de obra especializada e grande parque de fornecedores em São Paulo haviam sido suficientes para dispensar a renúncia de impostos.

Na grande maioria dos países, investimentos da indústria automobilística são altamente disputados. Quando marcas japonesas se instalaram nos EUA há mais de 30 anos, Estados do Centro e do Sul do país ofereceram vantagens financeiras fabulosas. Isso ajudou a desequilibrar a concorrência com as Três Grandes de Detroit (GM, Chrysler e Ford). Foi um dos motivos para as duas primeiras quebrarem financeiramente, na crise bancária de 2008/2009.

No Brasil, o cenário se repetiu. Nos anos 1970, sem o investimento do governo de Minas Gerais, a Fiat nunca teria vindo. Outros exemplos: GM, em Gravataí (RS), Ford, em Camaçari (BA) e FCA, em Goiana (PE). Estado do Rio de Janeiro também atraiu PSA Peugeot Citroën, Nissan e VW Caminhões. Goiás, a CAOA Hyundai e Mitsubishi. Paraná, a Volvo Caminhões, Renault e VW. Em todos os casos incluíram-se robustos incentivos fiscais. 

A GM foi a primeira a se enquadrar nas novas regras no programa paulista. Este exige criar um mínimo de 400 empregos diretos e 800 indiretos (pode parecer pouco, mas não é, porque automação da produção tornou-se irreversível no mundo todo) e em troca entra um desconto de 2,5% do ICMS para cada R$ 1 bilhão investido. Como a empresa desembolsará R$ 10 bilhões, terá direito ao crédito máximo de 25% de ICMS.

Outros Estados oferecem ou ofereceram descontos de até 100% do ICMS. Era o que tinham disponível para atrair empresas e mudar seu raquitismo econômico.

Sem dúvida, a marca americana agiu rapidamente, incluindo todos os envolvidos: concessionárias (menos 1 ponto percentual da margem líquida de venda), fornecedores (concordaram com reduções de preços e/ou sua manutenção pelos próximos dois anos) e o sindicato de São José dos Campos (SP) abriu mão de parte de vantagens salariais.

O governo paulista ficou por último nessa pretensa guerra fiscal, mas mostrou uma posição pragmática. Se nada fizesse, investimentos não viriam e muito menos os impostos. Quem iria piscar primeiro, olho no olho? Assim é no mundo todo: de pouco adianta espernear.

São Paulo, no entanto, abusou no capítulo dos impostos não compensados sobre veículos vendidos ao exterior. Exportar impostos é uma brincadeira que só existe aqui. Agora, promete equacionar o problema, como o Paraná já o fez.

Outro fato importante, Brasil e México concordaram em estabelecer livre comércio de veículos, sem taxas ou cotas, a partir deste mês. Mexicanos aceitaram aumentar o conteúdo de peças locais para 40% e vão incluir caminhões no acordo. Fabricantes aqui instalados temem perder investimentos – além do que já perderam.

Mas o jogo é assim mesmo: não dá para ganhar sempre, nem perder sempre. Há de existir um equilíbrio.

ALTA RODA

DOR DE CABEÇA com nova versão do sistema operacional Android 9 Pie para smartphones. Aplicativo Android Auto passa a não se comunicar com as centrais multimídia, mesmo as mais modernas, como a Ford Sync 3. Não é possível usar nem Waze e nem Google Maps. Recomendável procurar concessionárias de veículos para atualização ou desinstalar o Android Auto.

BMW SÉRIE 3, sétima geração, oferece mais espaço interno, em especial no banco traseiro, sem perder o mínimo de esportividade. Externamente conservou a tradição da grade do radiador (ligeiramente maior) e a elegância do desenho (evoluído) das colunas traseiras. Mantém pneus que rodam vazios por 80 km, mas há estepe temporário: menos 155 litros no porta-malas.

MOTOR 4-cilindros de 2 litros continua ponto alto do Série 3, agora com 258 cv e 40,8 kgfm, sendo este mais bem distribuído. O sedã ficou 60 kg mais leve; 0 a 100 km/h, 5,8 s. Sistema a bordo de inteligência artificial aprende com hábitos do motorista. Tela multimídia de 10,25 pol. e total de sete câmeras (externas e interna). Preços de R$ 219.950 (330i Sport) a R$ 269.950 (330i M Sport).

NOVO Chevrolet Camaro teve preço anunciado este mês. Cupê por R$ 315.000, cerca de 5% mais caro que o Mustang. Principais destaques, suavidade do motor, apesar do torque brutal de 62,9 kgfm, e câmbio automático de 10 marchas. Rodas de 20 pol. (pneus run flat) são bastante sensíveis a buracos. Visibilidade periférica exige adaptação cuidadosa do motorista.

MAU USO das redes sociais leva às falsas dicas, impulsionadas pela boa fé das pessoas. Faz quase um ano que se encaminha “recomendação” para utilizar óculos escuros em noites chuvosas para melhorar visibilidade noturna. Além de afrontar o bom senso, pode levar a uma situação de alto risco. Nunca deve se reenviar e, além disso, avisar ao remetente a falsidade.






* Fernando Calmon - fernando@calmon.jor.br - é jornalista especializado desde 1967. Engenheiro, palestrante e consultor em assuntos técnicos e de mercado nas áreas automobilística e de comunicação. Sua coluna Alta Roda começou em 1999. É publicada em O Brasil Sobre Rodas, WebMotors, Gazeta Mercantil e também em uma rede nacional de 52 jornais, sites e revistas. É, ainda, correspondente para a América do Sul do site Just-auto (Inglaterra).Siga: www.twitter.com/fernandocalmon  - www.facebook.com/fernando.calmon2.

EXÉRCITO BRASILEIRO PROSSEGUE COM OPERAÇÃO DE DUPLICAÇÃO DE MAIS DE 50 KM DA BR 116 NO RIO GRANDE DO SUL


Iniciada em 7 de janeiro de 2019, com a mobilização da 1ª Companhia de Engenharia de Construção, subunidade do 1º Batalhão Ferroviário (1º B Fv), para a região de Guaíba (RS), os trabalhos tiveram início, efetivamente, em 27 de fevereiro de 2019, com uma pista-escola de concreto asfáltico usinado a quente (CAUQ), para o adestramento dos quadros e ajuste de equipamentos.

A obra de duplicação da Rodovia BR 116, entre os municípios de Guaíba e Tapes, no Rio Grande do Sul, compreende um trecho de 50,8 quilômetros, com serviços de terraplenagem, pavimentação asfáltica, construção de obras de arte especiais, drenagem e sinalização.


Atualmente, estão sendo executados serviços de pavimentação entre os quilômetros 314 e 319, lote 1 da obra, que compreende uma plataforma de 10,7 metros de largura que receberá o concreto asfáltico usinado a quente. Estão em andamento, também, serviços de terraplenagem no lote 2 (km 325 a 351), com a remoção de solo mole, cortes e aterros e regularização da plataforma.


A duplicação da BR 116, representa, atualmente, a maior operação de Engenharia de Construção em andamento, executada pelo Exército Brasileiro, com um orçamento de 207 milhões, sendo de grande importância não só para a Engenharia Militar, que adestra seus quadros, mas também, para o Estado do Rio Grande do Sul, que se beneficiará com o incremento do escoamento de sua produção agrícola, até o porto de Rio Grande.

Fotos: Capitão Flavio Monteiro


FEIRÃO AUTO SHOW PROMOVE EVENTO GRATUITO DE CLÁSSICOS VW.


O Feirão Auto Show, maior evento do varejo automotivo do país, retoma sua programação mensal de encontros para fãs de carros antigos. Antecipando o lançamento da temporada 2019 do Auto Show Collection, o Feirão recebe no último domingo de março, 31, o Encontro de Clássicos Volkswagen, no estacionamento do Anhembi.

Realizado em uma área reservada dentro do Feirão e com acesso totalmente gratuito, o evento reunirá modelos clássicos com, no mínimo, 30 anos de fabricação. Estes modelos estarão equipados com motor refrigerado a ar, como o Fusca, Brasília, Kombi, Karman Ghia, Variant e SP2, e também motores refrigerados a água, como o Passat e o Santana, além de modelos importados.

“Este evento mensal abre espaço aos fãs de carros antigos da linha Volkswagen e traz para o universo do Feirão o conceito do Fun Car: um mercado constituído por apaixonados por carro que agora integramos ao nosso evento de domingo, retomando uma tradição lançada ainda na década de 1980” explica Eduardo Ribeiro dos Santos, diretor da Matel Produções.

O evento será realizado das 6h às 13h no estacionamento do Anhembi com acesso pelo portão 1. A entrada de veículos antigos com mais de 30 anos de fabricação da linha Volkswagen será gratuita. Para participar, deverá ser feito um cadastro do veículo no website do evento www.autoshowcollection.com.br.

quarta-feira, 20 de março de 2019

MARCOPOLO LANÇA A MARCOPOLO RAIL, MARCA FOCADA NO SEGMENTO METROFERROVIÁRIO.


Alinhada com a sua estratégia de atuar para prover soluções de mobilidade de forma sustentável, a Marcopolo lança, na NTExpo 2019, a Marcopolo Rail, sua nova marca para atuação no segmento metroferroviário. O objetivo é agregar o know-how adquirido nas soluções para o transporte de massa, como os sistemas BRT, aos modais de vias elevadas (People Movers e Similares) e Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs). 


Segundo Petras Amaral, Head de Inovação da Marcopolo S.A., a criação da Marcopolo Rail teve como base o desenvolvimento, desde 2015, de soluções para People Movers (Parceria com a Aeromovel Brasil no segmento), tanto para o mercado nacional como internacional. “Nosso foco nos últimos anos tem sido inovar em diferentes segmentos de transporte e mobilidade nos quais o know-how da fabricante possa agregar valor ao produto, a chamada diversificação relacionada”, explica o executivo.

Essa experiência foi fundamental para o desenvolvimento das soluções e tecnologias para as cabines, o que incluiu inovações em sistemas de aberturas, climatização, layout, assentos, materiais e design relacionado ao setor. “O foco inicial da Marcopolo Rail inclui o fornecimento de soluções para modais ferroviários de até 25 mil passageiros/hora/sentido, que operem com velocidade máxima de 70 km/hora e possam atender tanto o segmento urbano, como intermunicipal, mostrando-se ótimas soluções aos atuais problemas de mobilidade em cidades acima de 300 mil habitantes”, comenta.

A Marcopolo tem investido de forma relevante no desenvolvimento de parcerias e produtos para esses segmentos, sendo que a criação da Marcopolo Rail teria como objetivo posicionar a marca de forma mais forte no segmento metroferroviário, não somente por intermédio de projetos isolados ou pontuais, mas com visão de negócio. Entre as principais vantagens competitivas estariam a utilização de alto conteúdo local, a capacidade de escala e sinergia com as atuais plantas fabris, além da presença global e de ampla rede de pós-vendas no Brasil e América Latina.

“Escolhemos a NTExpo para lançar a Marcopolo Rail porque é o principal evento da América do Sul voltado para a cadeia do setor metroferroviário e para enfatizar a nossa capacidade de fornecimento para o segmento dos trilhos, ampliando a possibilidade de negócios na região”, analisa Petras Amaral.



A Marcopolo Rail tem, como universo de atuação, segmentos que são essenciais para a mobilidade dos brasileiros e grande potencial de expansão. O setor metroferroviário brasileiro transporta cerca de 10 milhões de pessoas/dia e tem registrado crescimento ao redor de 10% ao ano no número de passageiros.

Atualmente, os sistemas metroferroviários brasileiros estão restritos a apenas 12 regiões metropolitanas, respondendo por um percentual de viagens muito baixo, com exceção dos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro, que assumem uma maior participação na matriz modal. A malha metroferroviária das cinco principais operadoras do País, se somadas, não atinge 750 km, sendo que 330 km estão instaladas no estado de São Paulo.

Segundo estudos da ANPTrilhos, os déficits atuais e futuros de mobilidade urbana no Brasil sob trilhos, apresentam oportunidades para novos produtos, além da criação de infraestrutura adequada.

Petras Amaral explica que, quanto à escolha e preferência das cidades por modais metroferroviários ou rodoviários (ônibus), depende muito do plano de mobilidade de cada cidade. Estes modais tendem a conviver em complementariedade, como no caso dos veículos projetados para vias troncais e alimentadoras, por exemplo.

Dê dois cliques na telinha e assista o vídeo



Marcopolo
Secco Consultoria de Comunicação

Leia> Coisas de Agora

METRA COLOCA EM OPERAÇÃO 25 NOVOS ÔNIBUS ARTICULADOS NO CORREDOR DIADEMA-BROOKLIN.


A Metra, operadora exclusiva do corredor metropolitano ABD (São Mateus-Jabaquara) e a sua extensão (Diadema-Brooklin), em São Paulo, coloca em operação, a partir de março, 25 novos ônibus articulados. Com capacidade para 154 pessoas, os novos veículos, vão garantir mais conforto e agilidade, e substituem ônibus convencionais.

“O objetivo é aumentar a capacidade de transporte de passageiros no corredor Diadema-Brooklin, e garantir, nesta extensão do Corredor ABD que é compartilhada e não tem gestão exclusiva da Metra, um serviço com o nosso padrão de qualidade, já reconhecido como o melhor do transporte coletivo urbano de todo o Estado de São Paulo, conforme a mais recente pesquisa IQC – Índice de Qualidade pelo Cliente”, explica Maria Beatriz Setti Braga, diretora da Metra.

Os novos ônibus articulados Volvo são totalmente acessíveis e têm carroceria Caio Millenium BRT, chassi articulado Volvo B340M 6X2 de 20,55 metros, com motor eletrônico Volvo DH12E de 340 cv de potência. Possuiu os mais modernos e sofisticados equipamentos, internet, Wi-Fi, tomadas com entrada USB 12 Volts para recarga e, para maior conforto dos usuários do transporte coletivo urbano, vidros colados e sistema de ar-condicionado.

A Metra, empresa responsável por um dos mais avançados serviços de transporte de passageiros do mundo, tem como uma das principais preocupações manter o respeito ao meio ambiente, por isso investe em veículos modernos e com ZERO ou baixa emissão de CO2. Também mantém o Corredor ABD totalmente arborizado, com árvores, como o manacá da serra, que são reconhecidas por sequestrar o gás carbônico da atmosfera.

Frota verde


Além dos novos ônibus articulados, a frota da Metra Transportes é composta por mais de 110 trólebus, híbridos e elétricos puro (veículos híbridos BR12 metros; trólebus BR 12 metros; trólebus BRT, 18 metros; superarticulado BRT 23 metros e Dual Bus, elétrico movido a baterias ou pela rede aérea), além de diesel com comprimento de 15 e 21 metros.

A Metra Transportes é uma empresa privada, concessionária do Governo do Estado de São Paulo desde maio de 1997. Com serviço diferenciado, de padrão de qualidade entre os melhores do mundo, atua com foco na sustentabilidade e na preservação ambiental com diferentes ações como o plantio de árvores ao longo dos 33 quilômetros do corredor ABD. Com esse projeto, chamado de Corredor Verde, de 2008 até hoje, os colaboradores voluntários já plantaram mais de 10.000 árvores, que neutralizam a emissão de CO2 lançado na atmosfera pelos ônibus e outros veículos.

MECÂNICA ONLINE®.
Por Tarcisio Dias*

Tecnologia digital, conectividade, dados na nuvem, Big Data e Internet das Coisas: os pilares da Indústria 4.0 na prática.


Continuamos o assunto iniciado na coluna passada sobre a Indústria 4.0 e a relação entre o trabalho das máquinas e os seres humanos, na busca por soluções colaborativas. Foram duas visitas que permitiram conhecer “in-loco” a evolução da indústria brasileira no tocante a produção de veículos e caminhões.

Estive em Betim, Minas Gerais, para conhecer a evolução dos processos na busca pelo aumento da qualidade e competitividade no Polo Automotivo Fiat, destacados na coluna do dia 10 de março.

Depois foi a vez da fábrica da Mercedes-Benz para conhecer na prática a tecnologia digital, conectividade, dados na nuvem, Big Data e Internet das Coisas que já estão presentes na Linha de Cabinas na fábrica de São Bernardo do Campo, em São Paulo, que vamos abordar com mais detalhes agora.

A Indústria 4.0 nada mais é que a 4ª Revolução Industrial.

Temos um conjunto de tecnologias que se beneficiam da redução dos limites ou barreiras entre as pessoas e os mundos digital e físico, permitindo que as máquinas e os seres humanos trabalhem e se comuniquem de maneira colaborativa, o que promove a eficiência, minimiza a ociosidade e o desperdício, além de possibilitar a criação de processos e mercados.

Ela chegou para ficar. Essas mudanças foram impulsionadas pelo acesso maciço da sociedade ao mundo digital, que passou a influenciar todos os mercados.

No contexto da Indústria 4.0, esse conjunto de tecnologias, chamadas habilitadoras, possibilita que as linhas de produção sejam ágeis e atendam o consumidor final de maneira personalizada, sem prejudicar sua produtividade.

Do ponto de vista do consumidor, a Indústria 4.0 adequa sua linha de produção para a customização em massa com bens ou produtos que atendam aos desejos e necessidades de cada consumidor, com custos semelhantes aos dos produtos não customizados e com prazo de entrega relativamente curto.

É uma nova indústria automotiva que nasce conectada a sistemas como Internet das Coisas, Realidade Aumentada, Big Data, entre outras soluções.

Outro diferencial desse modelo, agora do ponto de vista da empresa, é a rastreabilidade que possibilita acompanhar um produto, desde a fabricação até a entrega ao consumidor.
Permite, ainda, que a empresa analise o comportamento dos produtos durante o uso pelo consumidor e implemente, automaticamente, melhorias decorrentes desta análise, por meio de um processo ágil.

Os pilares da quarta revolução industrial já estão presentes na Linha de Cabinas de caminhões da fábrica da Mercedes-Benz de São Bernardo do Campo (SP).

“Há pouco menos de um ano, inauguramos nesta planta a nova Linha de Montagem de Caminhões, trazendo grande impacto para o setor de veículos comerciais no País, com a implantação pioneira e efetiva de conceitos da Indústria 4.0”, ressalta Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina.

“Agora, com a Linha de Cabinas, estamos dando mais um passo histórico e decisivo, que terá continuidade, porque iremos avançar para a produção de agregados, como motores, câmbios e eixos, e também de chassis de ônibus”.

Com um novo ambiente de trabalho na produção de cabinas, a Mercedes-Benz projeta ganhos de 15% em eficiência e 20% em logística em relação a processos anteriores. Para tanto, além de tecnologias, processos e recursos avançados, a nova Indústria 4.0 que cresce cada vez mais dentro na Empresa também dedica atenção muito especial aos colaboradores.

A nova Linha de Cabinas 4.0 vem desenvolvendo e testando, por exemplo, o uso de avançadas soluções – inéditas na Empresa, na Daimler Trucks e em veículos comerciais no País – como óculos de realidade aumentada, robô colaborativo e exoesqueleto, ferramentas inovadoras para uma nova realidade nas linhas de produção. Essas tecnologias trazem ganhos importantes de ergonomia, qualidade de vida e segurança no ambiente de trabalho para os colaboradores.

“Com a nova Linha de Cabinas, seguimos entregando investimentos no Brasil, dentro do aporte de R$ 2,4 bilhões programado entre 2018 e 2022”, informa Philipp Schiemer. “Ou seja, a Mercedes-Benz segue confiando no potencial do mercado brasileiro”.

Uma nova era da interação entre homens e a tecnologia - A nova Linha de Montagem de Caminhões da Mercedes-Benz inicia uma nova era da interação entre homens e tecnologia.

Os colaboradores estão no seu comando na Indústria 4.0, assegurando altos padrões de qualidade, produtividade e flexibilidade para atendimento aos clientes.

“A Linha de Cabinas também é resultado do aprimoramento do processo ergonômico nas células de trabalho e do investimento contínuo na qualidade de vida dos colaboradores, com participação da área de Medicina e Segurança do Trabalho”, diz Carlos Santiago, vice-presidente de Operações da Mercedes-Benz do Brasil.

“Nosso foco é a evolução do ambiente de trabalho, contribuindo para o desenvolvimento das equipes”.

O diversificado universo de equipamentos, ferramentas e tecnologias de última geração está totalmente conectado na atual Linha de Cabinas. A alta tecnologia aplicada por toda linha permite disponibilizar dados em tempo real para diversas áreas da fábrica.

Um App permite acompanhar 100% da produção pelo celular e de qualquer lugar. Essa ferramenta tem interface com a planta de Juiz de Fora (MG), em que ocorre a pintura das cabinas, e com diversas áreas de São Bernardo do Campo.

Dados gerados por equipamentos como as apertadeiras eletrônicas, robôs e AGVs (Automatic Guided Vehicle ou Veículo Guiado Automaticamente) são armazenados em um Data Lake e alimentam sistemas de inteligência artificial e Big Data.

Utilizando recursos de Analytics, pode-se monitorar a qualidade de todos os produtos, detectar falhas e até fazer uma correlação com as informações de Vendas, flexibilizando o mix de produção.

Realidade aumentada é pioneira na produção de caminhões - O uso da realidade aumentada é uma iniciativa pioneira na Mercedes-Benz do Brasil e na Daimler Trucks.

Com testes ao longo de 2018, está sendo utilizada, a partir deste ano, no início do processo de montagem inferior da cabina para manutenção preventiva.

O óculos de Realidade Aumentada possibilita visualizar imagens com parâmetros e informações dos sensores de um determinado equipamento ou do processo produtivo.

Permite ao operador ou inspetor que atue de forma rápida e com as mãos livres, tendo o suporte de áudio, vídeo e outros documentos que auxiliam o processo de manutenção, garantindo redução no tempo de atendimento e qualidade na execução da tarefa.

Robô auxilia os operadores em ações repetitivas - O robô colaborativo trabalha em total sintonia com os operadores, aliviando esforços em atividades repetitivas, contribuindo para maior assertividade e qualidade. Na Mercedes-Benz do Brasil, o primeiro robô colaborativo atua na montagem da chave geral do caminhão.

De braço duplo e mãos flexíveis, o robô colaborativo manuseia qualquer objeto, com alto nível de precisão. Graças a seu design compacto e ao controle preciso, não exige barreiras, gaiolas ou grades para utilização, nem zonas restritas de uso, garantindo a segurança dos colaboradores e das pessoas à sua volta.

Exoesqueleto, novidade que privilegia a ergonomia dos colaboradores - Agregando mais novidades à Linha de Cabinas, o exoesqueleto é uma evolução do posto de trabalho com foco na ergonomia, saúde ocupacional e segurança para os colaboradores.

Já são mais de três meses de estudos e testes, realizados em parceria com a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – Poli-USP em um laboratório montado dentro da própria Empresa. Esta solução moderna e avançada é inédita na montagem de cabinas no País e na Mercedes-Benz do Brasil.

O exoesqueleto é uma estrutura de suporte ao colaborador projetada ergonomicamente para ajudar nas realizações de movimentos repetitivos. Conforme o modelo, pode diminuir esforços nos ombros, coluna, quadril e pernas. Não aumenta a força do colaborador, mas reduz a fadiga muscular e o risco de lesões.


Tecnologias avançadas ganham evidência na nova Linha de Cabinas
· AGV (Automatic Guided Vehicle ou Veículo Guiado Automaticamente)
· AIV (Autonomous Intelligent Vehicle ou Veículo Autônomo Inteligente)
· Transelevadores
· EOM (Electrical Overhead Monorail), sistema de transporte aéreo
· Elevadores automáticos
· Célula robotizada
· Novas botoeiras
· Monitores touch screen de tela ampla.




* Tarcisio Dias é profissional e técnico em Mecânica, além de Engenheiro Mecânico com habilitação em Mecatrônica e Radialista, desenvolve o site Mecânica Online®  www.mecanicaonline.com.br que apresenta o único centro de treinamento online sobre mecânica na internet www.cursosmecanicaonline.com.br, uma oportunidade para entender como as novas tecnologias são úteis para os automóveis cada vez mais eficientes. 


Leia> Coisas de Agora.