quarta-feira, 19 de junho de 2019

KPS CAPITAL PARTNERS VENDE CHASSIS BRAKES INTERNATIONAL PARA HITACHI AUTOMOTIVE SYSTEMS

A KPS Capital Partners ("KPS") anunciou nesta quarta-feira (19) que assinou um contrato de opção para vender a empresa de seu portfólio Chassis Brakes International Group ("Chassis Brakes") para a Hitachi Automotive Systems, Ltd. ("Hitachi Automotive"), uma subsidiária integral da Hitachi, Ltd. (TSE/TYO: 6501). Consultas com o conselho de fábrica serão realizadas, e a conclusão da transação, esperada para 2019, está sujeita às condições costumeiras de fechamento de negócio.

A Chassis Brakes é líder em soluções de segurança automotiva e é uma das três maiores fabricantes de freios de roda automotivos e componentes de freios de roda. Com sede em Eindhoven, na Holanda, os principais produtos da empresa incluem pinças de freio, freios a disco, freios de tambor e freios de mão. 

A Empresa se concentra em desenvolver soluções mais seguras, limpas e inteligentes que prestarão suporte a mega tendências que impactam o setor automotivo, tais como conectividade, eletrificação e direção autônoma. A Chassis Brakes opera 12 instalações de fabricação modernas de nível internacional, bem como 11 centros de engenharia e escritórios de vendas na Europa, Ásia, Índia, América do Norte e América do Sul, e tem aproximadamente 5.500 funcionários em todo o mundo.

A KPS criou a Chassis Brakes em 2012 para adquirir o negócio de freios de roda global da Robert Bosch GmbH em uma transação corporativa global esforçada e altamente complexa. Sob o controle da KPS, a Chassis Brakes foi transformada em um negócio global inovador, independente e de rápido crescimento, e alavancou seu portfólio tecnológico líder do setor de produtos e capacidades em relações de suprimentos com praticamente todas as empresas automotivas globais do mundo.

A KPS fez da Chassis Brakes um melhor negócio ao montar uma equipe administrativa de nível internacional liderada pelo diretor executivo, Dr. Thomas Wünsche, construindo quatro novas e modernas instalações de montagem de freios de roda (na Polônia, China, Índia e México), construindo quatro novos centros modernos de engenharia e P&D (na Alemanha, Índia, Holanda e China) e expandindo-se com sucesso para o mercado automotivo da América do Norte.

Sob o controle da KPS, a Chassis Brakes investiu um total de ? 230 milhões em P&D e engenharia aplicada, o que resultou na comercialização de três produtos que transformaram o mercado: a pinça de freio "ZOHe", o freio de mão automatizado integrado ao disco ("APB-Mi") e o freio de mão automatizado integrado ao tambor ("APB-Di").

A Chassis Brakes também investiu um capital significativo em P&D e em engenharia afim de desenvolver seu Smart Brake e o primeiro carro de demonstração do mundo a operar exclusivamente com esses atuadores de freio eletromecânicos (ao contrário dos atuadores de freio hidráulico tradicionais) nas quatro rodas, o que foi revelado no Teste de Inverno de 2019 na Suécia.

Michael Psaros, cofundador e sócio administrativo da KPS, declarou: "A Chassis Brakes exemplifica a estratégia de investimento da KPS de ver valor onde outros não veem, comprar de maneira correta e fazer melhores negócios, no transcorrer de décadas, ciclos econômicos e de negócios, geografias e indústrias.

"Estamos orgulhosos da transformação extraordinária da Chassis Brakes sob nosso controle. A Chassis Brakes demonstra nossa capacidade de desenvolver empresas de produção líderes do setor em nível global. O sucesso da Empresa é um resultado do investimento da KPS em P&D, engenharia aplicada, novas tecnologias e produtos inovadores, novas instalações de produção e nossos funcionários. Nós parabenizamos e agradecemos o Dr. Thomas Wünsche, diretor executivo da Chassis Brakes, e a equipe de administração sênior da Empresa por sua visão estratégica e execução brilhante, bem como nossos funcionários em todo o mundo por sua paixão pela excelência."

"Ao trabalhar em parceria com a KPS, a Chassis Brakes se tornou um negócio muito melhor por investir significativamente em nossas operações, produtos, tecnologia e funcionários. Nós agradecemos a KPS por proporcionar a nossa equipe a expertise, o capital e os recursos necessários para fazer nosso negócio crescer e aprofundar nossa cultura de inovação e melhoria contínua. Estamos muito animados quanto ao futuro da Chassis Brakes sob o controle da Hitachi Automotive. A Chassis Brakes permanecerá comprometida com nossos valores estratégicos essenciais de proporcionar aos clientes os mais altos níveis de qualidade de produto, inovação e atendimento ao cliente. Nós agradecemos aos nossos clientes, fornecedores e funcionários pela contribuição que fizeram ao nosso sucesso", acrescentou Dr. Wünsche

Paul, Weiss, Rifkind, Wharton & Garrison LLP atuaram como assessores jurídicos, e o Citigroup Global Markets, Inc. atuou como consultor financeiros para a KPS e a Chassis Brakes com relação a essa transação.

A Chassis Brakes International Group é uma das três maiores fabricantes de freios de roda automotivos e componentes de freios de roda. Com sede em Eindhoven, na Holanda, os principais produtos da Empresa, que incluem pinças de freio essenciais à segurança, freios a disco, freios de tambor e freios de mão, são vendidos diretamente a praticamente todas as principais empresas automotivas do mundo e por meio de canais de reposição de peças. A Chassis Brakes opera 12 instalações de fabricação modernas de nível internacional, bem como 11 centros de engenharia e escritórios de vendas na Europa, Ásia, Índia, América do Norte e América do Sul, e tem aproximadamente 5.500 funcionários em todo o mundo.

KPS Capital Partners, por meio de suas entidades administrativas afiliadas, é a gestora dos KPS Special Situations Funds, uma família de fundos de investimento com aproximadamente US$ 5 bilhões de ativos sob gerenciamento (até 31 de março de 2019). Por mais de duas décadas, os sócios da KPS têm trabalhado exclusivamente para obter uma significativa valorização de capital, investindo em controle de patrimônio de empresas de fabricação e industriais, em uma série diversificada de setores, incluindo materiais básicos, produtos de marcas de consumo, cuidados com a saúde e luxo, peças automotivas, equipamentos essenciais e fabricação em geral. A KPS cria valor para seus investidores, trabalhando construtivamente com talentosas equipes de gestão para melhorar as empresas e gerar retornos de investimento enquanto melho ra estruturalmente a posição estratégica, competitividade e lucratividade das empresas de seu portfólio, em vez de primordialmente apostar na alavancagem financeira. As empresas do portfólio da KPS Funds atualmente agregam receitas anuais de aproximadamente US$ 5.8 bilhões, operam 100 unidades de fabricação em 27 países e têm mais de 22.000 funcionários diretos e através de empreendimentos conjuntos em todo o mundo. A estratégia de investimentos e o portfólio de empresas da KPS estão descritos em detalhes no endereço www.kpsfund.com.

VOLKSWAGEN DELIVERY 4.160: NOVO MODELO CHEGA AO MÉXICO


Na esteira da internacionalização da Volkswagen Caminhões e Ônibus, a linha Delivery estreia no México uma nova versão do modelo de quatro toneladas: o Delivery 4.160. O veículo preserva seus diferenciais, ao mesmo tempo em que traz algumas novas configurações em linha com a preferência do mercado mexicano.

Com capacidade de carga útil de 1.835 kg, entrega 156 cavalos de potência, equipado com motor Cummins ISF de 2,8 litros e tecnologia SCR, além da transmissão Eaton ESO 4206 de seis velocidades.

Desenvolvida e produzida na América Latina, a família VW Delivery nasceu para atender a padrões internacionais dos mercados mais exigentes. Com uma plataforma altamente flexível, foi concebida a partir da receita de sucesso da primeira linha e da experiência dos clientes das mais de 100 mil unidades produzidas.

O espaço interno é um marco em sua categoria, baseado nos padrões e dimensões mais atuais, para diminuir o desgaste do motorista. Logo, todas as peças interiores e as dimensões da cabine foram aperfeiçoadas para as melhores soluções. A manobrabilidade também se destaca como a melhor do mercado na categoria, graças ao maior ângulo de esterçamento e ganho na capacidade de realizar as manobras em vias estreitas.

Dirigibilidade e conforto de automóvel com robustez de caminhão: eis o segredo do Novo Delivery, sob medida para a operação nas cidades. Ao entrar no caminhão o motorista já poderá sentir que o modelo é feito sob medida, volante de múltiplas regulagens e menor diâmetro. A coluna de direção é ajustável em altura e profundidade, o que facilita a operação e proporciona ergonomia de carro de passeio.

Seu trem de força se caracteriza pelas vantagens que a linha oferece: o Delivery 4.160 entrega a melhor potência e torque de sua categoria para maior produtividade no dia a dia. Assim como o chassi, que alia robustez e leveza: com novos materiais, une redução de massa a ganho de capacidade de carga.

“A nova família Delivery chega para ter o melhor custo total de operação do segmento. Os caminhões foram construídos procurando otimizar ao máximo sua carga útil, além de proporcionar maior economia de combustível e menor desgaste de componentes”, destaca Leandro Radomile, diretor da operação mexicana da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

Volkswagen Caminhões e Ônibus
Comunicação Corporativa

Leia> Coisas de Agora

SBCTRANS CRIA NOVO CANAL DE INFORMAÇÃO EM TEMPO REAL


A SBCTrans, empresa eleita como a de melhor serviço de transporte coletivo urbanos do Estado de São Paulo, aderiu a um novo meio de comunicação online através do Twitter, plataforma de informação instantânea, para se aproximar dos clientes e oferecer um atendimento com padrão ainda mais elevado aos passageiros de São Bernardo do Campo.

“Escolhemos o Twitter porque é um canal de comunicação instantâneo, ideal para informar rapidamente os nossos clientes sobre o trânsito e as linhas e serviços dos ônibus”, destaca Milena Braga Romano, diretora da SBCTrans. “O objetivo é passar informações imediatas e úteis para os usuários do transporte público municipal, como fizemos no episódio da última sexta-feira, durante o movimento de greve que ocorreu em todo o País”, enfatiza a executiva.

“Quer saber tudo sobre o seu ônibus ou sua linha, siga @SBCTransoficial”, salienta Milena. O Twitter é um novo serviço com a vantagem da informação rápida. “Alcançamos grande sucesso com o Partiu SBC, que informa em tempo real a localização dos coletivos, as linhas, itinerários e a previsão de passagem pelos pontos de cada uma dessas linhas. Com o Twitter, os nossos clientes terão acesso rápido a informações sobre alterações de rota, itinerários e linhas”, finaliza Milena.

Além disso, a SBCTrans também está online no Facebook e Instagram, onde compartilha diariamente conteúdos de interesse entre os munícipes e promoções que promovem a proximidade com seus clientes.

Acesse: @SBCTransoficial

A SBCTrans, fundada em 1998 na cidade de São Bernardo do Campo, conta hoje com uma frota com mais de 400 veículos, a fim de garantir conforto e segurança aos seus clientes. Com pouco mais de 20 anos de atuação, hoje, a companhia é considerada a melhor empresa de transporte público do Estado de São Paulo e segue com a missão de oferecer proximidade, facilidade e qualidade nos serviços prestados ao cliente, visando enriquecer toda experiência e trabalho oferecido em ritmo elevado de inovação.

CONVERSA DE PISTA.
Por Wagner Gonzalez*

UM NOVO ELDORADO PARA OS PILOTOS BRASILEIROS



Título mundial de Negrão e segunda vitória de Serra em Le Mans consolidam mercado


Negrão, segundo brasileiro a conquistar o título mundial da categoria LMP2. Primeiro foi Bruno Senna. Foto: ACO.


A Fórmula 1 continua sendo a meca de 11 entre 10 jovens que dão seus primeiros passos no kart, não raramente por desejo maior dos pais do que dos próprios neófitos no esporte. Em tempos de ruptura com padrões pré-millenials esse objetivo vem sendo desconstruído e ganhando adeptos em ritmo de Q-3, a fase decisiva dos treinos de classificação e que define quem vai largar na pole position. A conquista do título de Campeão Mundial de Resistência na categoria LMP2 por André Negrão e a segunda vitória de Daniel Serra nas 24 Horas de Le Mans, na categoria GTE Pro, certamente darão um novo estímulo ao automobilismo brasileiro, ausente da F-1 e com perspectiva de um retorno próximo pouco animadora. Esse estímulo se materializa tanto no mercado de pilotos quanto no crescimento da categoria Endurance em pistas nacionais e o resultado de tudo isso são boas possibilidades de profissionalização para os pilotos.

Para amantes de tabela Excel e chegados a analisar tudo por números frios em um esporte onde a paixão e o inesperado têm maior valor que os cálculos de engenharia tão essenciais, essa análise desemboca no tamanho do mercado de pilotos entre as duas modalidades. Some-se a isso o interesse cada vez maior das grandes fábricas de automóveis, ávidas de lucros em nichos outrora avaliados com parcimônia. Produzir e desenvolver carros de competição derivados de modelos de rua vai muito além de ganhos intangíveis com construção e consolidação da imagem de marca e passa pelos lucros puros e simples da venda e manutenção desses carros. A Lamborghini, por exemplo, já faz até leasingde carros de corrida.

As grandes marcas têm envolvimento com as corridas de resistência com equipes privadas ou semi-oficiais. Foto: ACO.

Para os entusiastas de plantão, a chance de ver carros de marcas diferentes, e bastante semelhantes ao que se pode ver nas ruas em fins de semana ensolarados, justifica o interesse por corridas que reúnem Aston Martin, BMW, Corvette, Lamborghini, Mercedes, Porsche e outros dividindo pistas mundo afora com protótipos de várias cores e raças. O último fim de semana reforçou esse novo panorama em frentes tão diferentes quanto a maior prova de resistência do mundo, as 24 Horas de Le Mans, e mais uma etapa do Endurance Brasil, torneio que replica esse universo na terra brasilis e que vive uma nova fase de crescimento. Tanto um quanto outro desses dois planetas são personagens dessa fase, o primeiro por pressões políticas advindas da F-1 e o segundo pelo formato adotado e a perene instabilidade econômica do País.

Após tentar carrreira nos monopostos André Negrão se consagra nas provas de Endurance. Foto: Alpine.

Em Le Mans André Deco Negrão (filho do ex-piloto Guto Negrão) terminou a prova em sexto lugar na classificação geral e primeiro na categoria LMP2 conduzindo um Alpine,  o que garantiu a ele e aos franceses Nicolas Lapierre e Pierre Thiriet o título mundial mais disputado do campeonato. Os carros da LMP1 são mais rápidos e dominem a classificação geral, mas a Toyota corre praticamente sozinha em termos ao equipamento e orçamento: somou 216 pontos contra 134 da Rebellion Racing, onde corre Bruno Senna. A equipe de Negrão chegou ao título após aculular 181 pontos, contra 166 e 138 dos seus adversários mais diretos (dois carros da equipe Jackie Chan DC Racing) e 117 da Dragon Speed.

"Foi uma temporada e, principalmente, uma corrida muito dura. Nossos adversários não deram folga e não podíamos cometer nenhum erro durante as 24 horas da prova e durante a noite o carro de segurança ficou entre nós e o protótipo da equipe G-Drive. Cheguei a pensar que isso definiria o resultado, mas conseguimos recuperar a liderança na re-largada."

Espécie de patinho feio da família Endurance, a LMP2 deve ser suplantada em importância pelos carros das categorias GT tanto na Europa quanto na América do Norte e na Ásia, onde proliferam campeonatos e torneios que servem de eliminatórias para uma vaga em Le Mans, o Santo Graal dessa religião de pneus largos e motores a combustão. Motores híbridos, por enquanto, apenas na LMP1 e, em breve na categoria Hyper cars. É na categoria GT que mais brasileiros brilharam no circuito de Sarthe, região situada a oeste de Paris. Daniel Serra foi o vencedor entre os belos GT da classe Pro e Felipe Fraga conseguiu resultado semelhante na classe AM. Uma não-conformidade na capacidade do tanque de gasolina, porém, causou a desclassificação dos Ford GT da equipe do brasileiro (Keating Motorsports) e da Chip Ganassi.

Daniel Serra conseguiu sua segunda vitória em Le Mans com este Ferrari da equipe semi-oficial. Foto: ACO.

Daniel Serra venceu na categoria LM GTE Pro a bordo de um Aston Martin Vantage em 2017 e agora repete o feito a bordo de um Ferrari. Atual bi-campeão da Stock Car brasileiro, onde seu pai Chico Serra foi tri-campeão em 1999/200/2001, ele não esconde que o resultado deste ano teve sabor especial: "A primeira vitória é realmente uma conquista inesquecível, mas vencer a bordo de um carro vermelho tem um significado diferente, marcante."

Fraga venceu com este Ford GT à vitória na classe GTE AM, mas tanque irregular causou desclassificação. Foto: ACO.

Além de André Negrão, Bruno Senna (4o colocado na geral e na categoria LMP1), Daniel Serra e Felipe Fraga também participaram das 24 Horas de Le Mans deste ano Augusto Farfus (BMW M8 GTE, ficou em 31o), Pipo Derani (Ferrari 488 GTE, 42o) e Rodrigo Baptista (Ferrari 488 GTE, 34o). Derani é o líder da categoria principal no campeonato IMSA, disputado na América do Norte, onde faz dupla com outro brasileiro, Felipe Nasr e Hélio Castro Neves defende a equipe Honda; Bia Figueiredo, Oswaldo Negri e Victor Franzoni também participam esporadicamente. No Japão João Paulo de Oliveria disputa a categoria Super GT com um Aston Martin e ainda na Europa vários brasileiros participam de séries como a Blancpain GT, entre eles Felipe Fraga, enquanto Allam Khodair e Marcelo Hahn disputam o Europeu de GT.

MRX-Lamborghini (E), Ginetta e AJR são os bichos papões da Endurance brasileira. Foto: Bruno Terena.

No Brasil o Endurance vive uma nova fase de bonança graças ao entusiasmo de pilotos, equipes e construtores. Formada em torno da cena gaúcha da categoria, a lista de inscritos é dominada pelo piloto e construtor Juliano Moro com seus protótipos AJR, de conceito similar ao usado nos Estados Unidos, e já provocou o interesse da Ginetta, construtor ingles que tem no brasileiro Adolpho Rossi seu maior representantes nas Américas: foi ele quem lançou e consolidou a marca nos Estados Unidos. Há também propostas desenvolvidas por Luiz Fernando Cruz (MRX Lamborghini) e pelos engenheiros Evandro Flesch e Pedro Fetter (Sigma-Audi). O mecânico Adilson Asa Ayres também desenvolve uma nova proposta para a categoria. Entre os GTs as marcas Audi, Ferrari, Lamborghini, Mercedes e Porsche também participam com destaque.

* Wagner Gonzalez é jornalista especializado em automobilismo de competição, acompanhou mais de 350 grandes prêmios de F-1 em quase duas décadas vivendo na Europa. Lá, trabalhou para a BBC World Service, O Estado de S. Paulo, Sport Nippon, Telefe TV, Zero Hora, além de ter atuado na Comissão de Imprensa da FIA. Atualmente é diretor de redação do site Motores ClássicosTwitter: @motclassicosFale com o Wagner Gonzalez: wagner@beepress.com.br.

Leia> Coisas de Agora

terça-feira, 18 de junho de 2019

430 ÔNIBUS VOLKSWAGEN DEDICADOS À ASSISTÊNCIA SOCIAL CHEGAM ÀS RUAS NO BRASIL


Os primeiros 430 micro-ônibus Volkswagen já foram vendidos e entregues a mais de 350 municípios em todo o Brasil. Os veículos fazem parte da licitação de 500 micro-ônibus conquistada pela VW Caminhões e Ônibus para a entrega ao Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), agora Ministério da Cidadania. O prazo para novas encomendas vai até o segundo semestre deste ano, mas o volume de Volksbus vendidos já se aproxima desse total.

Os ônibus Volkswagen entram em ação para apoiar a promoção de ações de assistência à população em todo o  Brasil: desde o município de Cruzeiro do Sul, no Acre, Norte do país, até as cidades da região Sul.

“A ação de assistência promovida pelos ônibus do Ministério da Cidadania é fundamental em nosso país. Há uma série de municípios ligados por estradas de terra e em algumas localidades o acesso a algumas cidades só é possível por meio de balsas. Precisamos de veículos robustos para o atendimento à população”, conta Adriana Cecconello, supervisora de Vendas Especiais de Ônibus da VW Caminhões e Ônibus.

O ônibus disponível para a compra na licitação é o micro Volkswagen configurado para atender às regiões rurais do Brasil, o Volksbus 8.160 ODR, o mesmo do programa federal Caminho da Escola. Os modelos podem ser adquiridos por prefeituras de todo o país, além do Distrito Federal, até outubro deste ano, período de vigência da licitação.

O Volksbus 8.160 ODR conta com carroceria Neobus, oferece acessibilidade via DPM (Dispositivo de Poltrona Móvel) e tem capacidade para transportar 25 pessoas, com a finalidade de viabilizar a realização das ações da assistência social, beneficiando os usuários e as equipes multidisciplinares referenciadas à rede de proteção social básica e especial integrantes do Sistema Único de Assistência Social (SUAS).

O objetivo dessa rede socioassistencial é identificar e direcionar programas e benefícios a pessoas e famílias em situação de vulnerabilidade. Os modelos vendidos são entregues nas concessionárias Volkswagen Caminhões e Ônibus das diferentes regiões e podem contar com assistência pós-vendas tanto nessas casas quanto nos mais de 150 pontos em todo o Brasil.

PACCAR FINANCIAL ANUNCIA CHEGADA AO BRASIL


A PACCAR Financial, instituição financeira do grupo PACCAR, que detém as marcas DAF, Kenworth e Peterbilt, anuncia sua chegada ao Brasil. As operações tiveram início em 10 de junho com as modalidades de CDC para os clientes finais, e linhas de financiamento de estoque para os revendedores DAF (Floor Plan). O FINAME estará disponível ainda no segundo semestre de 2019. As opções de Leasing para cliente final, e Capital de Giro para concessionárias chegam a partir de 2020.

Com investimento inicial de R$ 100 milhões, a PACCAR Financial passa a ser a mais nova opção de crédito para os clientes DAF na aquisição de caminhões novos da marca. Entre os diferenciais estão atendimento especializado e altamente qualificado, com ampla experiência no segmento.

"A nossa expectativa é de que a chegada da PACCAR Financial contribua para o aumento no volume de vendas da DAF. Vamos utilizar toda a expertise do grupo PACCAR no segmento de financiamentos para oferecer serviços de qualidade, com foco nas necessidades específicas de nossos clientes. Dessa forma, esperamos que, em 2019, nossos negócios representem 20% do total de vendas da DAF no País”, afirma João Petry, Diretor Geral da PACCAR Financial.

A implementação da PACCAR Financial no Brasil teve início em 2017, e a empresa possui sua sede em Ponta Grossa (PR). Fundada em 1960, atualmente com mais de 1.000 funcionários globalmente, a instituição está presente em 24 países apoiando os negócios do grupo PACCAR.

A PACCAR Financial financiou, em 2018, 24% das vendas de todas as marcas do grupo no mundo, consolidando um portfólio de mais de 198 mil caminhões e trailers e ativos totais de US$ 14,4 bilhões.

A PACCAR é líder global em tecnologia, design, produção e atendimento ao cliente para caminhões leves, médios e pesados, de alta qualidade, sob as marcas Kenworth, Peterbilt e DAF. A PACCAR também projeta e produz motores avançados a diesel, fornece serviços financeiros e de tecnologia da informação, e distribui peças para caminhões relacionadas a seus principais negócios. As ações da PACCAR são negociadas no mercado Nasdaq GlobalSelect, com o símbolo PCAR.

PACCAR  

NEOBUS AMPLIA PRESENÇA NA REGIÃO NORTE COM FORNECIMENTO PARA RIO BRANCO, NO ACRE


A Auto Viação Floresta cidade do Rio Branco Ltda. adquiriu cinco unidades do ônibus urbano NEOBUS New Mega. Os novos veículos, entregues recentemente, serão incorporados à frota da empresa e utilizados no transporte urbano de passageiros da capital do Estado do Acre.

“Esta é a primeira aquisição da Auto Viação Floresta e demonstra a excelente aceitação dos produtos NEOBUS em todo o País, sobretudo no segmento de Urbanos. Diversas empresas de transporte em diferentes cidades brasileiras têm escolhido o modelo em seus programas de renovação de frota”, destaca João Paulo Ledur, diretor da NEOBUS.

Os ônibus New Mega adquiridos pela Auto Viação Floresta cidade do Rio Branco têm chassi Mercedes-Benz OF’1519, com 11.250mm de comprimento, três portas e capacidade de transportar 45 passageiros (33 sentados em poltronas City). Contam com sistema de ar-condicionado, plataforma elevatória na porta central para acessibilidade de cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida, iluminação interna e externa em LED e itinerário frontal eletrônico.

O modelo NEOBUS New Mega se destaca pela sua extrema robustez, além de ser espaçoso, econômico e esteticamente atrativo, o veículo foi projetado para atender às necessidades dos operadores de transportes de todo o País, aliando conforto e ótimo desempenho.

Foto: Amauri Mendes

ALLISON FORTALECE PRESENÇA NO SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO NA COLÔMBIA E EQUIPA ÔNIBUS BIARTICULADO


Sistema de Transporte Público na Colômbia conta com 569 ônibus biarticulados automáticos Allison


O primeiro ônibus biarticulado Scania do mundo equipado com uma transmissão automática foi desenvolvido no Brasil, em uma parceria firmada entre a montadora e a Allison Transmission. Seis deles já circulam no sistema BRT da cidade de Curitiba, mas sua grande aceitação vem se consolidando nos demais países da América do Sul.

A Colômbia, que recebeu as primeiras unidades automáticas na década de 2000, vem confirmando sua preferência por esses modelos para o transporte público de passageiros, já que perto de 1.200 veículos automáticos atendem a população das principais cidades do país. Além disso, uma nova licitação já confirmou a chegada de 569 modelos biarticulados Scania ꟷ modelo F340HA movidos a CNG (Compressed Natural Gas – Gás Natural Comprimido) todos equipados com transmissões Allison B516R .

Para Gaston Brunicardi, gerente de vendas da Allison Transmission da Colômbia, “A combinação do chassis Scania equipado com uma transmissão Allison foi a escolhida pelo Sistema Integrado de Transporte Publico (SITP) / Transmilênio em função dos excelentes resultados obtidos nas avaliações dos ônibus automáticos movido a gás, que foram desenvolvidos pelas empresas no Brasil. Outro fator que pesou para a conquista da licitação foi a confiança de se ter uma estrutura Allison em Bogotá, o que assegura suporte técnico e pós-vendas para os frotistas que operarão esses veículos”.

“Acreditamos que provavelmente esta venha a ser a maior frota do mundo de ônibus biarticulados com transmissões totalmente automáticas Allison, alcançando 60% de participação no mercado colombiano”, complementa Brunicardi.

Mas os planos de expansão para o transporte público de passageiros são bastante ambiciosos. Até 2020 o sistema SITP Bogotá espera implementar em torno de 14 novas linhas, o que significaria a aquisição de aproximadamente mais mil ônibus biarticulados . E também se espera implantar sistemas BRT em ao menos quatro novas cidades antes de 2022.

O biarticulado Scania adota arquitetura de propulsor dianteiro e uma transmissão de seis marchas totalmente automática B516R que foi personalizada pelos engenheiros da Allison para integrar o trem-de-força do veículo. "Nesse esforço conjunto com a Scania, nosso processo de customização para este biarticulado partiu de uma transmissão com relações de marchas mais reduzidas. Incorporando um trocador de calor de alta capacidade e softwares operacionais exclusivos, a transmissão B 516R é um projeto exclusivo para os modelos biarticulados da marca.", afirmou Celso A. João, gerente de engenharia de aplicação da Allison para a América do Sul.

segunda-feira, 17 de junho de 2019

VOLKSWAGEN CAMINHÕES E ÔNIBUS ERGUE TROFÉU DO PRÊMIO AEA POR RESPONSABILIDADE AMBIENTAL

A Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA) premiou a Volkswagen Caminhões e Ônibus por estudo pioneiro, elaborado em parceria com fornecedores e laboratórios de pesquisa, que comprova a relevância da logística reversa do filtro separador de água e óleo em veículos comerciais, minimizando seu impacto no meio ambiente. 

Reconhecido na categoria responsabilidade ambiental, o trabalho constata que, desde a introdução do biodiesel no mercado brasileiro, o consumo desse filtro aumentou significativamente, chegando a ser nove vezes superior ao uso com o óleo diesel convencional.

“Temos um time de engenharia dedicado a pesquisar e desenvolver novas soluções para levar a nossa indústria à próxima geração, seja com biodiesel, mobilidade elétrica ou mesmo GNV, pensando também em como mitigar todos os impactos. Nós buscamos estar sempre na vanguarda dessa transformação do mercado. Reconhecimentos como esse nos apontam que estamos cumprindo nossa missão e engajando toda a cadeia, com fornecedores e laboratórios nesse caminho também”, afirma Rodrigo Chaves, vice-presidente de Engenharia e CTO da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

A montadora recebeu ainda menção honrosa pela tecnologia de seu ônibus Volksbus e-Flex com uma solução exclusiva de arquitetura flexível para eletrificação, cujo conceito pode ser aplicado em praticamente qualquer veículo da marca. A montadora desenvolveu o mais abrangente e inovador conceito de flexibilidade e modularidade a ser aplicado em veículos comerciais: em um único modelo é possível contemplar todas as variantes da mobilidade elétrica.

Inovação à toda prova


Primeira indústria automotiva a se estabelecer no Sul Fluminense, a montadora aposta em inovação, sendo a precursora da formação desse novo polo automotivo do país, atraindo diversos fornecedores para a região. Desde sua inauguração em 1996, estreou o conceito de Consórcio Modular, único no mundo, em que sete fornecedores dividem com a Volkswagen Caminhões e Ônibus a responsabilidade pela montagem tanto de caminhões quanto de chassis de ônibus.

Em Resende, a VWCO concentra seu centro mundial de pesquisa e desenvolvimento, com uma engenharia 100% brasileira. A partir de suas instalações no interior do Estado do Rio de Janeiro, a empresa conceitua todos os caminhões e ônibus Volkswagen que chegarão a mais de 30 países pelo mundo. São 600 engenheiros dedicados a desenvolver veículos sob medida para mercados emergentes.

Volkswagen Caminhões e Ônibus
Comunicação Corporativa

Leia> Coisas de Agora

EXPRESSO GUANABARA ADQUIRE PRIMEIROS ÔNIBUS MARCOPOLO PARADISO 1800 DOUBLE DECKER DE 15 METROS


A Expresso Guanabara, empresa de transporte interestadual e intermunicipal de passageiros com sede em Fortaleza (CE), acaba de adquirir os seus primeiros ônibus rodoviários Paradiso 1800 Double Decker (dois pisos), com 15 metros de comprimento.

“A Expresso Guanabara sempre investiu em novas tecnologias para atender seus clientes com o máximo de conforto e segurança. Os ônibus Paradiso 1800 DD de 15 metros oferecerem uma fileira de poltronas a mais no salão superior e mais espaço no salão inferior, o que acaba se transformando em benefícios e vantagens para o operador e os passageiros”, explica Rodrigo Pikussa, diretor do Negócio Ônibus da Marcopolo.

A Expresso Guanabara, em razão de estratégia de renovação constante, tem uma das frotas mais novas do mercado brasileiro, com idade média de apenas dois anos. As unidades adquiridas possuem chassi Mercedes-Benz O500 RSDD 2741 Euro 5 e são equipados com 12 poltronas leito no piso inferior, sendo quatro do modelo Next, com bolsa de ar e sistema de massagem, e 52 poltronas semileito, no piso superior, além de geladeira, sistemas de ar-condicionado e toalete. Os ônibus contam ainda com tomadas de força com entrada USB em todas as poltronas, microfone e internet sem fio (Wi-Fi). Também contribuem para maior segurança os sistemas de monitoramento e de auxílio de estacionamento, com sensores de distância.

Expresso Guanabara

A Expresso Guanabara é uma empresa de transporte interestadual e intermunicipal de passageiros com sede em Fortaleza (CE). Entrou em operação em 1º de agosto de 1992 e hoje atua em 12 estados brasileiros e no Distrito Federal, atendendo a mais de mil localidades das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil com cerca de 200 linhas. Realiza em torno de 400 viagens por dia e transporta, em média, 500 mil passageiros por mês, percorrendo quase 7 milhões de quilômetros.

Foto: Douglas de Souza Melo.

OPERAÇÃO COM VAGÕES DOUBLE-STACK DA BRADO AUMENTA EM 40% CAPACIDADE DE TRANSPORTE POR FERROVIA


Com mais de 60 tipos de produtos transportados diariamente por ferrovia entre Sumaré (SP) e Rondonópolis (MT), a Brado estruturou uma nova operação para expandir as operações do mercado interno brasileiro. Com a utilização de vagões double-stack, com contêineres empilhados em dois níveis, a empresa de inteligência logística projeta um ganho de 40% na capacidade de transporte dos trens de carga.

Modelo de referência nos Estados Unidos, esse tipo de operação será utilizado pela primeira vez em trajetos de longa distância no Brasil. Os trens são formados com vagões que podem carregar até três contêineres empilhados (um de 40 pés e dois de 20 pés).

“É uma operação que atende as necessidades de um mercado em expansão, percorrendo um trajeto de aproximadamente 1.400 quilômetros entre as regiões Sudeste e Centro-Oeste do país”, afirma Marcelo Saraiva, Diretor Comercial e de Operações da Brado. “O double-stack é um sistema eficiente que dobra a capacidade em relação ao vagão convencional, além de outros benefícios, como redução no consumo de combustível e segurança operacional.”

Evento de exibição

Na próxima quarta-feira (19), às 10h, a Brado realiza uma exibição das novas operações no terminal ferroviário de Sumaré, em São Paulo. Um trem composto por 68 vagões double-stack, totalizando 136 contêineres, partirá do terminal no interior paulista com destino a Rondonópolis (MT).

Com investimento de R$ 30 milhões no projeto, a Brado estima um crescimento superior a 20% no volume de cargas transportado em 2019, atingindo a marca de 330 mil TEU’s no ano.

A Brado é referência nacional em serviços de logística multimodal. Possui estrutura própria composta por 16 locomotivas, mais de 3 mil contêineres e 2,4 mil vagões, equipamentos, armazéns e terminais. Seu leque de serviços especializados e customizados envolve diversos produtos e clientes nos segmentos reefer (com refrigeração para perecíveis) e dry (cargas em geral). A Companhia está presente nas cidades de Cuiabá (MT), Rondonópolis (MT), Curitiba (PR), São Paulo (SP), Santos (SP), Cubatão (SP), Bauru (SP), Araraquara (SP), Sumaré (SP), Cambé (PR), Cascavel (PR), Guarapuava (PR), Ponta Grossa (PR) e Paranaguá (PR).

Brado
Loures Comunicação e Relações Corporativas

Leia> Coisas de Agora

AEA DEBATE A IMPORTÂNCIA DO BIOCOMBUSTÍVEL NA MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA


Associação de Engenharia Automotiva promoveu no Millenium Centro de Convenções, em São Paulo (SP), o Simpósio de Eficiência Energética e Emissões, em sua 5ª edição, com a temática “Desafios da harmonização: matriz energética, tecnologia de motores e legislação brasileira”. O evento viabilizou um fórum de discussões por meio de palestras e debates sobre os caminhos necessários para a implantação das tecnologias globais e da matriz energética brasileira, com participação cada vez maior de biocombustíveis.

A entidade contribui para que a indústria faça sua parte ao investir em inovação, tecnologia e infraestrutura de laboratórios. Para Edson Orikassa, vice-presidente da entidade, “os automóveis brasileiros já deram um salto de qualidade e vamos progredir ainda mais com a cadeia de fornecedores”.

E uma das grandes preocupações, de acordo com Joseph Henry Jr., diretor técnico da Anfavea, é elevar o nível de qualidade e tecnologia dos produtos fabricados no Brasil, já que temos a capacidade de produção significativa de veículos, com cadeia de fornecedores bastante apta. “Somos grandes players em termos de produção e não podemos ficar restrito ao mercado local”. 

O diretor técnico da Anfavea em palestra de abertura ‘Mercado e Expectativas’, ainda reforçou sobre os principais objetivos da política industrial para o setor automotivo Rota 2030, como o estimulo à geração de inovação por meio de pesquisa e desenvolvimento, melhorias da sustentabilidade veicular com redução das emissões de CO2 e do consumo de combustível, valorização dos biocombustíveis dentro da matriz energética brasileira, continua evolução da segurança veicular, além da contribuição do aumento da competitividade. De acordo com as projeções da Anfavea, em 2019 teremos um aumento de vendas de 11,4% quando comparado com 2018.

O Painel 1 do simpósio da AEA teve início com a apresentação “A importância atual e futura dos biocombustíveis na matriz energética brasileira”, ministrada por José Mauro Ferreira, diretor de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Para Ferreira, a matriz energética brasileira vem recebendo mudanças significativas com novas fontes de energia, sendo que a previsão é crescer mais de 30% até 2040. Ainda de acordo com os dados da EPE, cerca de 20% do consumo de transportes é por meio de combustíveis renováveis.

Nas metas de emissões de CO2 da matriz de combustíveis, há a previsão de queda 95,9% em 2029, segundo Ricardo Gomide, coordenador Geral do Ministério de Minas e Energia. Em palestra ‘Atualização Renovabio’, Gomide afirmou que política de descarbonização da matriz brasileira de combustíveis que visa o aumento da energia e redução de emissões de CO2 deve ser atendida por biocombustíveis.

O projeto de um complex industrial, a ser localizado perto de Assunção, no Paraguai, totalmente dedicado a produção de Diesel Renovado, com início de produção previsto para 2022, foi apresentado por Julio César Minelli, diretor executivo da Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (Aprobio) em palestra ‘Projeto HVO’. “O biocombustível avançado, a partir do óleo vegetal, gorduras e resíduos, pode ser usado em motores Diesel, sem a necessidade de modificações ou adaptações”, disse Minelli.

As atividades do Painel 1 foram encerradas após amplo debate com o público presente e mediado pelo jornalista e colunista automotivo Fernando Calmon.

Não é procedente o receio de que o biodiesel seja incompatível com níveis de emissões mais restritivos. Para Vicente Pimenta, consultor técnico da Abiove, as principais fabricantes de veículos e motores já garantem seus produtos para uso com percentuais ainda maiores do que os que serão aplicados em horizonte próximo no Brasil.

“Os elementos normalmente apontados como contaminantes dos sistemas estão bem especificados na norma brasileira , com valores iguais aos praticados no mercado europeu. O biodiesel produzido no Brasil contém esses elementos em níveis baixíssimos”, informou Pimenta durante apresentação ‘Desafios na fase P8 com o aumento do teor de Biodiesel’.

Em defesa da Inspeção Técnica Veicular e Renovação de Frotas, Gabor Deák, diretor de Tecnologia do Sindipeças, apontou alguns benefícios destas ações, tais como: redução das mortes e dos feridos em acidentes com caminhões velhos e inseguros (10% envolvem caminhões acima de 10 anos); redução dos gastos (saúde e previdência social) referentes a acidentes com caminhões, de cerca de R$ 5 bilhões /ano; redução da emissão de poluentes atmosféricos e de gases de efeito estufa de aproximadamente 2.000.000 t de CO2 / no período, além da economia de R$ 3,5 bilhões / ano no consumo de óleo diesel.

A apresentação ‘Características da gasolina brasileira e sua influência na eficiência energética’, ministrada por Frederico Kremer, gerente de Soluções Comerciais da Petrobras inaugurou as atividades do Painel II do Simpósio de Eficiência Energética e Emissões promovido pela AEA. Na oportunidade, Kremer apresentou o Programa de Testes de companhia para avaliação de desempenho, consumo e detonação e fez sugestões de alteração de algumas especificações da gasolina.

Em ‘Vantagens dos motores com ignição por centelha com alta taxa de compressão’, o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Mahle, Ricardo Abreu, comentou sobre alto poder de octana do etanol, considerado o melhor aditivo para elevar o número de octanas da gasolina. “Permite taxas de compressão cada vez maiores, sendo que um dos grandes desafios é aumentar a quantidade de ar”.

O Painel II foi encerrado com palestra ‘Revisão de especificação da gasolina, Resolução 40 de 2013’, ministrada por Ednéia Caliman, especialista em Regulamentação da ANP.

As apresentações ‘Necessidades de adaptação dos laboratórios para atendimento ao L7, L8 e P8’ e ‘Necessidades de adaptação dos veículos leves e pesados para atender P8 e L8’, foram exibidas por Jorge Yonezawa, Technical Sales da AVL, e Edilson Pacheco, gerente de Economia de Combustível e Emissão de Gases de Efeito Estufa da FCA América Latina, respectivamente.

Em ‘Programa brasileiro de ensaios de proficiência de emissões : metodologia e resultados para veículos leves, pesados, motocicletas e motores diesel e ciclo Otto, o diretor de Metrologia Científica e Tecnologia do Inmetro, Marcelo Lima Alves, reforçou sobre o uso de métodos estatísticos apropriados como contribuição para o aprimoramento dos ensaios de proficiência e dos processos de análise dos laboratórios de emissão. O Painel III teve debate entre os palestrantes e foi ministrado por Wagner Oliveira, jornalista e sócio diretor da Future Transport.

A AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva é uma entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo ser um fórum neutro de discussão sobre questões estratégicas relativas à engenharia automotiva nacional com envolvimento direto da indústria automotiva, de órgãos governamentais, instituições de ensino e de pesquisa, entidades internacionais e a sociedade em geral. A entidade conta com um sólido histórico de mais de 30 anos de grandes contribuições para o desenvolvimento da engenharia automotiva e das políticas públicas do setor, com a ação sustentada em pilares como conhecimento científico, tecnologia, competitividade, qualidade, autonomia e sustentabilidade. Única associação 100% nacional no segmento, hoje a AEA está consolidada no setor automotivo como um centro catalisador de soluções. Atualmente, a entidade conta com mais de 70 empresas associadas, provenientes de diversos segmentos do setor automotivo que participam ativamente de comissões técnicas, grupos de trabalho, workshops, eventos, cursos e projetos voltados para o desenvolvimento da engenharia automotiva nacional. Para mais informações, acesse o site www.aea.org.br.


VIAÇÃO CARAVELAS ADQUIRE DEZ MINIONIBUS VOLARE ATTACK 8


A Viação Caravelas, de Manaus, no Estado do Amazonas, adquiriu em operação administrada pela concessionária Macrobus, dez novos miniônibus Volare Attack 8 que serão utilizados em serviços de fretamento.  Os veículos, equipados com Dispositivo de Transposição Acessível (DTA), oferecem total acessibilidade, que permite o embarque/desembarque pela mesma porta de serviço e atendendo à Norma de Acessibilidade ABNT NBR 15320.

O Volare Attack 8 proporciona mais conforto, rapidez e principalmente segurança para os passageiros. Os veículos, desenvolvidos para a Viação Caravelas, têm capacidade para transportar 31 passageiros sentados, são equipados com motorização Cummins ISF 3.8, de 152 cv de potência e contam com sistema de freio eletropneumático, condensador no teto e ar-condicionado Valeo CC165 WCT. Possuem poltronas reclináveis de 875mm, cortinas, itinerário, preparação para sistema de áudio e piso taraflex para maior resistência na aplicação.

A Viação Caravelas é uma das principais operadoras de transporte do Amazonas e atende diversos clientes. A empresa possui frota com 110 veículos Volare de diferentes modelos, como Fly 9, entre outros.

Foto: Ariane Araújo

VOLARE

sexta-feira, 14 de junho de 2019

ALUNOS DE ENGENHARIA MECÂNICA DA FEI DESENVOLVEM PROJETOS COM FOCO EM SEGURANÇA VEICULAR


Segundo dados divulgados em dezembro de 2018 no relatório global da Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 1,35 milhão de pessoas morrem por ano vítimas de acidentes veiculares. Esse número, como comparação, é equivalente ao total da população de Copenhague, a capital da Dinamarca. No Brasil, os acidentes automobilísticos aparecem como a maior causa de mortes para pessoas entre 5 e 29 anos.

Atentos a essas estatísticas alarmantes, os formandos em Engenharia Mecânica Automobilística do Centro Universitário FEI apresentaram soluções que visam trazer maior segurança aos veículos e seus condutores, entre eles o BIENENSTOCK, um projeto que propõe maior segurança veicular em casos de impactos laterais. A solução consiste em uma barra acoplada entre a lataria e o forro do automóvel, capaz de absorver os impactos e proteger os usuários do veículo.

A estrutura é feita de materiais compósitos (união de dois ou mais produtos para a obtenção de um material de maior qualidade) em geometria honeycomb, que possui a aparência similar a um favo de mel e permite maior resistência à compressão.

A segurança dos motociclistas também contou com a atenção dos alunos, que desenvolveram uma válvula, denominada Spring Brakes, controladora de força de frenagem, que, quando instalada em motocicletas, pode impedir o travamento da roda dianteira em casos de frenagens emergenciais e salvar, assim, a vida do motociclista.

Inovações para a mobilidade na cidade e no campo


CTLight: carcaça veicular feita de compósito de poliamida e fibra de vidro, que tem como objetivo reduzir a massa de veículos elétricos e aumentar, assim, a sua eficiência energética.

DAT: dispositivos auxiliares de tração que, ao serem instalados em caminhões 6x2, ampliam a área de contato dos pneus com o solo e possibilitam o ganho de tração pelo veículo.

Voltch: sistema de recuperação de energia dos gases de escape de motores à combustão interna. O dispositivo oferece uma solução pouco explorada no ramo de veículos leves e possibilita a redução de carga do alternador.

B-GAS: kit de conversão para motores à combustão interna (sobretudo para os utilizados em máquinas agrícolas), que permite o uso de biogás como combustível alternativo e sustentável. O projeto pode tornar o agronegócio autossuficiente em combustível e reduzir o custo da energia consumida no motor, sem perda em performance.

Quattuor: propõe a substituição do compartimento de carga habitual dos caminhões graneleiros por um compartimento que garanta a contenção da carga, independentemente da qualidade das rodovias.

FEI
Com 78 anos de tradição, o Centro Universitário FEI é referência entre as instituições universitárias no Brasil, nas áreas de Administração, Ciência da Computação e Engenharia. A Instituição, com campus em São Bernardo do Campo e na capital paulista, já formou mais de 50 mil profissionais, entre engenheiros, administradores de empresas e profissionais da área de Ciência da Computação, muitos ocupando posições de liderança nas principais empresas do País.

Mantido pela Fundação Educacional Inaciana Pe. Sabóia de Medeiros, o Centro Universitário FEI integra a Rede Jesuíta de Educação e agrega marcas históricas de instituições de ensino de São Paulo: Faculdade de Engenharia Industrial, Escola Superior de Administração de Negócios e Faculdade de Informática.

Os cursos oferecidos são Administração, Ciência da Computação e Engenharia – habilitações em Engenharia Civil; Engenharia de Automação e Controle; Engenharia de Materiais; Engenharia de Produção; Engenharia Elétrica; Engenharia Mecânica e Engenharia Mecânica com ênfase Automobilística; Engenharia Química e Engenharia de Robôs. Oferece ainda cursos de pós-graduação lato sensu nas áreas de Gestão, Engenharia e Tecnologia; mestrado em Administração, Engenharia Elétrica, Mecânica e Química; e doutorado em Administração e Engenharia Elétrica.

Grupo CDI - Comunicação e Marketing
N.R. Foto: Jornal Correio do Sul / EPTV
Leia> Coisas de Agora