segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

AUDI E AIRBUS LANÇAM SERVIÇO PREMIUM DE MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO.


Passageiros da Voom, empresa da Airbus, terão traslado gratuito entre helipontos e aeroporto de Guarulhos

A Audi e a Voom lançaram, em conjunto, um serviço de mobilidade urbana inédito em São Paulo, que oferece o transporte premium entre helipontos em São Paulo e terminais do Aeroporto Internacional de Guarulhos (GRU). A parceria entre as empresas vai permitir que clientes da Voom sejam transportados pelo modelo topo de linha entre os veículos SUVs da marca, o Audi Q7.

A missão da Voom é tornar as viagens urbanas aéreas acessíveis hoje. Nós fornecemos aos clientes em São Paulo - uma das cidades mais congestionadas do mundo - uma experiência de viagem perfeita e extremamente conveniente on demand. O serviço, em parceria com a Audi, está disponível para os passageiros da Voom nos voos partindo e chegando ao Aeroporto de Guarulhos. O transporte terrestre entre helipontos e os terminais do aeroporto é totalmente gratuito para todos os clientes da Voom.

A Audi e a Airbus estão comprometidas em desenvolver soluções inteligentes e inovadoras para a mobilidade urbana. Entre as novidades está o veículo de conceito autônomo modular Pop.Up Next, apresentado em março de 2018 no Salão de Genebra. Ele permite ser acoplado em módulos aéreos e terrestres e é totalmente elétrico, desenhado para a mobilidade automática horizontal e vertical.

“Nossa parceria com a Voom faz parte do plano da Audi de oferecer serviços modernos de mobilidade urbana. A Audi está empenhada em melhorar a mobilidade nas cidades, oferecendo soluções inteligentes e inovadoras através de seus veículos”, explica Johannes Roscheck, presidente da Audi no Brasil.

“Como sabemos, o mundo está se urbanizando rapidamente e a infraestrutura terrestre não pode atender sozinha às demandas futuras. Na Airbus, estamos comprometidos em construir o futuro do voo hoje. A Airbus e a Voom estão em parceria com a Audi para oferecer uma solução de transporte multimodal nas cidades mais congestionadas do mundo. Este é o primeiro de muitos marcos em nossa parceria com a Audi para enfrentar os desafios atuais e futuros da mobilidade urbana”, conta Eduardo Domingues-Puerta, chefe da divisão de UAM da Airbus.

“Há uma crise de mobilidade nas cidades mais congestionadas do mundo e novas soluções são necessárias para causar um impacto real e significativo. Estamos empolgados em trabalhar com a Audi para trazer essas soluções inovadoras para o mercado, começando em São Paulo”, disse Clement Monnet, CEO da Voom.

Os veículos utilizados no transporte do passageiro serão todos do modelo Audi Q7, o mais luxuoso e potente utilitário esportivo da marca vendido no Brasil. O interior do Q7 transmite sensação de espaço e elegância, com motor V6 de 333 cv, câmbio automático de oito marchas e tração integral permanente. Fundamental para quem precisa de espaço para viajar, o compartimento de carga tem acionamento automático e capacidade para 890 litros de bagagem na versão cinco lugares, com a última fileira de assento rebatida. Já com sete lugares, a capacidade passa para 295 litros de bagagem.

Mobilidade Urbana



Uma pesquisa do Ibope de 2016 mostra que o paulistano gasta em média um mês e meio preso no trânsito a cada ano, com motoristas gastando pouco mais do que três horas no trajeto por dia. Para melhorar esse cenário, a Voom oferece em São Paulo e na Cidade do México um serviço de helicóptero sob demanda com preços até 80% menores do que os serviços de táxi aéreo tradicionais, já que conta com uma plataforma desenvolvida pela própria empresa.

“A Voom foi fundada pela necessidade de melhorar a mobilidade urbana nas cidades mais congestionadas mundialmente. Assim, achamos muito positiva essa parceria com a Audi em São Paulo, que agrega muito valor ao nosso serviço e causará um impacto real e significativo na experiência. Esperamos que essa cooperação seja expandida e passe a atingir outras cidades ao redor do mundo”, explica Monnet.

Audi do Brasil
Departamento de Comunicação. 
Index Conectada.

Leia> Coisas de Agora.

BMW GROUP BRASIL PLANEJA OFENSIVA DE PRODUTOS NO BRASIL EM 2019

BMW Z4

Com foco total nos anseios do cliente, a empresa projeta mais de 20 lançamentos das marcas BMW, MINI, BMW Motorrad para o país em 2019. Entre eles, o novo BMW Série 3, já em pré-venda e que chega ainda no primeiro semestre ao nosso mercado com tecnologias inovadoras – entre elas um inédito assistente pessoal inteligente, desenvolvido para comunicação em português do Brasil pela engenharia nacional da empresa em conjunto com o time global, sediado em Munique, na Alemanha. O BMW Z4 será outra novidade da marca bávara confirmada para nosso mercado e terá seu lançamento ainda no primeiro semestre do ano.  Outro destaque é o BMW X5, já em pré-venda para os clientes do Brasil. “The Boss”, como é conhecido o SAV apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo, chega neste primeiro trimestre ao país. 

Visando ampliar as ofertas no mercado eletrificado do país, após lançar os plug-in híbridos MINI Cooper S E Countryman ALL4 PHEV e o BMW 530e e de conectar as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro por meio da rodovia eletrificada, o BMW Group confirma a chegada dos novos BMWi3 120 Ah, nas versões elétrico e com o extensor de autonomia, além do i8 Roadster este ano ao país. 

A BMW Motorrad terá seus lançamentos concentrados no final do ano. Dentre eles, as novas BMW R 1250 GS, R 1250 GS Adventure e S 1000 RR. Além disso, a marca pretende focar suas atividades em estratégias voltadas ao cliente e que possam gerar mais experiência com a marca, além de intensificar as atividades de test-rides. 

“O BMW Group trará seus principais lançamentos e tecnologias mundiais ao Brasil, focado nos anseios de nossos clientes, que estão sempre na vanguarda da tecnologia e design. Serão mais de 20 novos produtos e novidades em tecnologias e serviços que acompanham as transformações da indústria premium da mobilidade e o prazer de dirigir”, afirma o Presidente e CEO do BMW Group no Brasil, Aksel Krieger.  

Novos automóveis em produção nacional em Araquari (SC)


O BMW Group Brasil confirma a produção de novos modelos em sua fábrica de automóveis de Araquari (SC) para a produção dos novos BMW Série 3 e também do BMW X4. “Iniciamos a produção do novo BMW X4 com sucesso em Araquari e estamos preparando nossa unidade para receber o novo BMW Série 3 e suas tecnologias”, afirma Mathias Hofmann, Diretor geral da Fábrica do BMW Group de Araquari. “Temos o total comprometimento de todos os funcionários e colaboradores do BMW Group Brasil em proporcionar qualidade mundial para nossos clientes locais”, reforça o executivo. 

Motocicletas em foco na produção em Manaus (AM)


Nesse ano novas unidades serão produzidas na fábrica do BMW Group Brasil para a produção de motocicletas. “A qualidade e agilidade de produção em nossa fábrica própria nos permite ter a melhor e mais rápida resposta do mercado. Novas unidades serão introduzidas como a F 850 GS Adventure e, no último trimestre, começam a ser vendidas a R 1250 GS e a R 1250 GS Adventure e a nova S 1000 RR. “Será um ano de manete puxado e de alto giro”, afirma Alejandro Echeagaray, Presidente da fábrica do BMW Group em Manaus (AM). “A estratégia de ter a única fábrica exclusiva para produção de motocicletas do BMW Group fora da Alemanha será vital para nossos negócios no país nos próximos anos”, reforça Alejandro. 

Comunicação Corporativa
Assessoria de Imprensa do BMW Group Brasil 

Leia> Coisas de Agora.

NEW HOLLAND PARTICIPA DA ABERTURA DA COLHEITA DO ARROZ


A nova TC5090 Arroz, com sistema híbrido de duplo rotor e cilindro, é um dos destaques da marca no evento


Pioneira na produção de máquinas agrícolas para rizicultura, a New Holland Agriculture, marca da CNH Industrial, participa da 29ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz no Rio Grande do Sul, evento que acontece entre os dias 20 e 22 de fevereiro, em Capão do Leão, cidade localizada a 24 quilômetros de Pelotas.

No estande da marca estará em exposição a colheitadeira TC5090 Arroz, lançada em agosto do ano passado. A máquina dispõe de um sistema híbrido, formado por cilindro e duplo rotor, e tecnologia que a torna leve, com alta performance e resistente, aspectos fundamentais para enfrentar o ambiente alagadiço, de maior massa de palha e abrasivo, característicos da rizicultura.

A TC5090 Arroz tem potência nominal e máxima de 258 cv e 270 cv, respectivamente; capacidade de armazenamento de 7.200 litros; velocidade de descarga de 63 litros por segundo; plataforma de 20 ou 25 pés; 3,90 m de altura; e 3,40 m de distância entre os eixos. A abrasividade singular do arroz, que causa muito desgaste nos produtos devido à raspagem, também foi levada em consideração: todas as peças da máquina que têm contato com o arroz, foram reforçadas e tiveram um tratamento especial para entregar ao rizicultor uma melhor performance.

Por ser uma máquina híbrida, com cilindro e duplo rotor, a TC5090 Arroz tem o melhor das duas tecnologias. O cilindro característico da TC é responsável por fazer a debulha (retirada do grão da vagem) para que os rotores façam a separação do grão, que vai ao graneleiro, e da palha, que é expelida. Junto a essa capacidade de colheita está ainda o motor eletrônico da FPT Industrial (MAR-1/Tier 3), que acrescentou à máquina mais economia, força e estabilidade, ou seja, mesmo em condições adversas, o motor mantém a estabilidade do sistema industrial da máquina. A marca também leva ao estante os tratores da linhas T6 e T7.

Painel 


Ao longo dos três dias de evento haverá uma programação técnica para os produtores rurais. No dia 20 (quarta-feira), às 15h, o vice-presidente para a América Latina da New Holland Agriculture, Rafael Miotto, participa do painel “Segredos e Particularidades do Plantio na Várzea”.

O Rio Grande do Sul é responsável por quase 70% do grão produzido no país, com 12 mil produtores no estado. De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a safra deste ano será de 7,3 milhões de toneladas. “As nossas máquinas sempre foram referência e tiveram liderança no mercado de arroz, que têm características peculiares do plantio a colheita”, afirma Miotto.

O gerente comercial da New Holland, Jefferson Kohler, diz que a New Holland não poderia deixar de participar da Abertura Oficial da Colheita do Arroz, principal vitrine do setor no país. “Somos pioneiros na produção de máquinas agrícolas específicas para produtores do cereal”, complementa.

A Abertura Oficial da Colheita de Arroz será realizada de 20 a 22 de fevereiro, na Estação Experimental Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão. O evento é realizado pelo Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Embrapa e Federarroz.

IVECO REESTRUTURA REDE DE CONCESSIONÁRIAS E AMPLIA A CAPACIDADE DE ATENDIMENTO


Novas revendas e pontos assistenciais expandem os serviços de venda e pós-venda da marca na América do Sul.


As vendas de caminhões e ônibus no Brasil cresceram, respectivamente, cerca de 50% e 30% em 2018, segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA). Esse movimento positivo no setor traz desafios para as montadoras, como o atendimento ao cliente na venda e no pós-venda. A IVECO, marca da CNH Industrial, se preparou para o crescimento do mercado e planejou uma reestruturação na rede de concessionárias no Brasil e em países como Argentina, Equador e Paraguai. 

Marcelo Assis, responsável pela Rede da IVECO na América do Sul, afirma que novos grupos estão atuando sob a bandeira da montadora. "A marca tem uma ampla linha de produtos para o transporte de cargas e de passageiros que, assim como os serviços de pós-venda, proporciona qualidade, baixo custo de manutenção e maior disponibilidade dos veículos nas operações dos clientes." 

No ano passado, a IVECO inaugurou quatro concessionárias no Brasil: Turim, em Maringá (PR), Transfuturo, em Nova Iguaçu (RJ), Gallotti, em Salvador e em Feira de Santana (BA), e cinco pontos assistenciais: Turbokit, em Governador Valadares (MG), Auto Center Paraense, em Macapá (AP), Mercediesel, em Vilhena (RO), Rodomimo, em Luis Eduardo Magalhães (BA) e JBR, em Maceió (AL). A marca também ampliou suas unidades na América do Sul: Argentina - Concessionárias Fiorasi, em Bariloche, Beta, em Gualeguaychu e Rani, em Jujuy. Equador -  Autral, em Quito. Paraguai – Rodomaq, em Minga Guaçu. 

"Estamos muito mais fortes agora do que no início da crise, o que prova que o trabalho do time da IVECO deu resultado. Continuamos com um único objetivo: a satisfação total dos nossos clientes", diz Marcelo Assis. 

Atualmente, a IVECO tem no Brasil 16 pontos assistenciais e 57 concessionárias. Nos outros países da América do Sul, a marca tem 111 unidades de atendimento, entre concessionárias e pontos assistenciais. 

O executivo destaca ainda a presença da IVECO no mercado argentino, onde a marca é líder pelo nono ano consecutivo no segmento acima de 16 toneladas. "Na Argentina, nossa rede está consolidada e preparada para atender todas as necessidades dos clientes. Vamos utilizar essa expertise com o objetivo de ampliar a presença da marca em outros países das Américas." 

A expansão em 2019 continua. O objetivo da IVECO é contar com mais 16 unidades de atendimento em território brasileiro e mais quatro unidades em países vizinhos. "Em breve vamos ter novidades para apresentar ao mercado", completa o executivo. 


DAIMLER TRUCKS BATE RECORDE DE VENDAS EM 2018


A Daimler Trucks alcançou, em 2018, recorde de vendas em veículos comerciais. A divisão de caminhões do Grupo Daimler comercializou 517.300 veículos em todo o mundo, com aproximadamente 10% de aumento em relação a 2017 (470.700 unidades). Foram registradas taxas de crescimento de vendas de dois dígitos nos maiores mercados, como Brasil, região do NAFTA e Índia.

Com 38,3 bilhões de Euros, a receita também foi significativamente maior do que no ano anterior (2017: 35,8 bilhões de Euros). O EBIT da Daimler Trucks atingiu outro nível recorde, de 2.753 milhões de Euros em 2018, superando em 16% o resultado do ano anterior, de 2.383 milhões de Euros. Seu retorno sobre vendas foi de 7,2% (2017: 6,7%), com lucro de 1,4 bilhão de Euros. 

A número um da indústria de veículos comerciais está timidamente otimista para 2019. A Empresa prevê um aumento nas vendas, caso as condições gerais do mercado continuem favoráveis no mundo todo. Dessa forma, o Grupo busca alcançar um retorno sobre as vendas de 7% a 9% neste ano.

“2018 foi o ano de maior sucesso na história da Daimler Trucks. Aproveitamos os ventos favoráveis dos principais mercados e atingimos novos recordes de vendas, receita e lucro. Nossos resultados do ano passado provam que temos os produtos e serviços certos para os mais diversos mercados e regiões. Nossos clientes movimentam o mundo – e nossa tarefa compartilhada na Daimler Trucks e na Daimler Buses para 2019 será oferecer a eles o melhor suporte possível", afirma Martin Daum, membro do Conselho de Administração da Daimler AG, responsável pela Daimler Trucks & Daimler Buses.

Mundialmente bem posicionados para mais crescimento em 2019



A Daimler Trucks está preparada para atender os mercados e as regiões mais importantes do mundo em 2019. Na América do Norte, por exemplo, a empresa está prestes a lançar o novo Freightliner Cascadia, o primeiro caminhão de condução parcialmente autônoma produzido em série nos Estados Unidos.

No Brasil, a Mercedes-Benz foi novamente líder de mercado. Na Europa, a Mercedes-Benz Trucks irá fortalecer a sua posição de liderança com o lançamento do New Actros em junho de 2019.

Com a marca BharatBenz, a Daimler India Commercial Vehicles (DICV) é a única fabricante de atuação global a ter sucesso no mercado indiano. Desde o início da produção, em 2012, a DICV já entregou mais de 100.000 caminhões fabricados em Chennai. Um em cada cinco veículos foi para um dos 50 mercados de exportação. Com cerca de 22.500 unidades vendidas no ano passado, a Índia representou um dos cinco mercados mais importantes para a Daimler Trucks.

Já a Daimler Trucks Asia irá inaugurar o novo Centro de Design da FUSO em Tóquio no mês de março. Como suas marcas irmãs Mercedes-Benz e Freightliner, o FUSO Super Great poderá ser conduzido em modo parcialmente autônomo (Nível 2) a partir de novembro. Na China, o maior mercado de caminhões do mundo, a Daimler Trucks e sua parceira de joint venture Foton venderam mais de 100.000 caminhões Auman no ano passado.

O eActros dá início ao transporte livre de emissões


A Daimler Trucks é líder no campo da eletrificação de veículos comerciais há anos. Em parceria com seus clientes, está testando possíveis aplicações nas quais a mobilidade elétrica é economicamente viável e possível sem uma infraestrutura pública. Como exemplo, a Mercedes-Benz Trucks iniciará um teste prático nesta primavera com um eActros na estrada B462 na Alemanha, próxima a Rastatt (Baden-Württemberg), em parceria com a empresa de transporte Logistik Schmitt.

O modelo Mercedes-Benz de 25 toneladas rodará diariamente cerca de 168 km em operação com três turnos, silenciosamente e sem emissões. Depois disso, testes comparativos serão realizados com o eActros, como sendo um caminhão com semirreboque de maior tonelagem e alcance no projeto com rede aérea eWayBW, que deve começar na primavera de 2020, após a instalação da infraestrutura.

Para Stefan Buchner, chefe mundial da Mercedes-Benz Trucks, “tudo indica que estamos no rumo certo com o conceito do eActros. Estamos muito felizes com o fato de a Logistik Schmitt estar usando o eActros na área de Murgtal e esperamos receber outras notícias interessantes quanto à prática operacional também no que diz respeito a testes comparativos posteriores no projeto da rede aérea”. 

Caminhões elétricos de todos os segmentos em uso pelos clientes



A Daimler Trucks é a única fabricante global que oferece caminhões totalmente elétricos em todos os segmentos: o leve FUSO eCanter, o médio Freightliner eM2 e os modelos pesados eActros da Mercedes-Benz, eCascadia da Freightliner e E-FUSO Vision One.

Com o FUSO eCanter e o eActros da Mercedes-Benz, os veículos já estão sendo testados em operações de clientes nos Estados Unidos, Europa e Japão. Em dezembro de 2018, a Freightliner entregou o primeiro Freightliner eM2 para a Penske Truck Leasing Ltd. nos Estados Unidos.

Em junho de 2018, a Daimler Trucks colocou todas as suas atividades de eletrificação voltadas a caminhões e ônibus sob o teto do E-Mobility Group, que define a estratégia para todos os componentes e veículos elétricos completos das marcas e divisões do Grupo. Além disso, o EMG está desenvolvendo uma arquitetura globalmente uniforme, que poderá ser comparada com a estratégia de plataforma global bem-sucedida para sistemas de propulsão convencional e principais componentes.

Condução autônoma e conectada na produção em série 


A Daimler Trucks também levou a condução autônoma de caminhões a um nível mais alto no ano passado. Com o New Actros, ela apresentou as primeiras séries de caminhões com funções de condução semiautônoma (Nível 2) no IAA 2018, o Salão Internacional de Veículos Comerciais de Hannover, na Alemanha. Este Actros gera mais segurança para todos os usuários das estradas, aumenta a eficiência para os proprietários, graças à MirrorCam de série, e amplia significativamente o espaço de trabalho do motorista.

Outra estreia mundial ocorreu em janeiro de 2019, na feira de eletrônicos "Consumer Electronics Show - CES" de Las Vegas, nos EUA. Com o novo Cascadia da Freightliner, a Daimler Trucks North America está lançando o primeiro caminhão de produção em série parcialmente autônomo na América do Norte.

A partir deste ano, a Daimler Trucks também está disponibilizando a condução parcialmente autônoma a seus clientes da Ásia com o Super Great da FUSO. Depois da introdução da condução parcialmente autônoma (Nível 2), a empresa agora está focando no desenvolvimento de caminhões altamente autônomos (Nível 4). Nesse contexto, a Daimler Trucks anunciou na CES que vai investir 500 milhões de Euros (cerca de 570 milhões de dólares) no desenvolvimento de caminhões altamente autônomos (Nível 4) nos próximos anos.

Mercedes-Benz.
Comunicação Corporativa.

Leia> Coisas de Agora.

FORMULA E ENTRA EM UMA NOVA ERA COM A TECNOLOGIA DA SCHAEFFLER.


Duas vitórias no campeonato, 45 corridas resultando em 35 pódios e 94% de todas as voltas possíveis completas: há quatro anos a Audi, a ABT e a Schaeffler formam uma das maiores parcerias bem-sucedidas na Formula E. Com nova tecnologia, que vai desde um veículo completo até o motor, incluindo um sistema de bateria radicalmente modificado, juntamente com novas equipes, pilotos e locais, inicia-se uma nova era para a Formula E, uma era em que a Schaeffler visa continuar sua trajetória de sucesso. A quinta temporada, que começou em dezembro, envolve 13 corridas em cinco continentes.

"Para a Schaeffler, a Formula E tem sido a perfeita plataforma para demonstrar nossa experiência no pioneirismo de tecnologias e na exibição de nossas ideias para uma mobilidade sustentável do amanhã", diz o Prof. Peter Gutzmer, CTO da Schaeffler, que iniciou o projeto da Formula E cinco anos atrás e afirma: "Desde então, essa categoria se desenvolveu e se tornou a sensação do automobilismo mundial. A Fórmula E tem atraído fãs e a mídia, com vários fabricantes e empresas envolvidos, ela oferece um ambiente competitivo de classe mundial".

Na quarta temporada da série de corridas utilizando energia elétrica, que culminou no primeiro lugar da Audi Sport ABT Schaeffler na classificação geral por equipes em Nova York em julho de 2018, o Audi e-tron FE04 foi considerado o carro mais eficiente. Seu sucessor marca a evolução continuada desse modelo bem-sucedido, especialmente com relação ao aspecto principal do Audi e-tron FE05: o conjunto propulsor, que compreende o motor, o inversor, a transmissão, peças do eixo da roda traseira e o software de controle. A Audi e seu parceiro tecnológico, a Schaeffler, trabalharam em conjunto para desenvolver a unidade do motogerador, o Audi Schaeffler MGU03. O objetivo dos engenheiros era melhorar a eficiência e o desempenho do pacote inteiro. E conseguiram: 95% dos componentes do propulsor são novos e os engenheiros conseguiram reduzir o peso em 10%.

A Schaeffler tem sido responsável por desenvolver o conjunto propulsor desde a segunda temporada, primeiro em parceria com a ABT Sportsline, depois com a Audi. Nesta temporada, quatro pilotos usarão tecnologia da Schaeffler: além do carro pilotado pela própria equipe de fábrica, a Audi Sport fornecerá à Envision Virgin Racing o Audi e-tron FE05 e o conjunto propulsor recém desenvolvidos. Com seus pilotos, Sam Bird e Robin Frijns, a equipe de corrida britânica está entre os membros e os protagonistas fundadores da Fórmula E.

A nova temporada começou em dezembro em Ad Diriyah, seguindo para Marrakesh,  Santiago de Chile e México.  Agora, a Formula E está levando 11 equipes e 22 pilotos para Hong Kong, Sanya, Roma, Paris, Mônaco, Berlim, Zurique, encerrando em Nova York em julho. Um dos destaques será a corrida em casa na Alemanha no dia 25 de maio de 2019, que promete ter as arquibancadas lotadas por torcedores da equipe.

O Grupo Schaeffler é um fornecedor automotivo e industrial global. Alta qualidade, tecnologia de ponta, espírito excepcionalmente inovador configuram a base para o sucesso continuo da empresa. Ao fornecer componentes e sistemas de alta precisão em aplicações de motor, transmissão e chassis, bem como soluções de rolamento e guias deslizantes para um grande número de aplicações industriais, a Schaeffler está moldando a “Mobilidade para o amanhã” para um grau significativo. A empresa gerou um volume de vendas de aproximadamente 14 bilhões de euros em 2017. Com mais de 92 mil colaboradores, a Schaeffler é uma das maiores empresas de propriedade familiar do mundo e, com cerca de 170 plantas distribuídas em 50 países, possui uma rede mundial de locais de fabricação, pesquisa e desenvolvimento e escritórios de vendas. Schaeffler Brasil 60 anos. Somos a mobilidade para o amanhã.

domingo, 17 de fevereiro de 2019

THYSSENKRUPP INAUGURA LINHA DE PRODUÇÃO DE SISTEMAS DE DIREÇÃO ELÉTRICA NO BRASIL.


A thyssenkrupp está operando uma nova linha de produção de componentes para o setor automotivo. Instalada na planta situada em São José dos Pinhais (PR) – que, em 2019, celebra 20 anos – a linha faz a montagem de sistemas de direção elétrica, produto recém-incorporado ao portfólio da companhia no Brasil. O projeto absorveu, nesta primeira etapa, investimentos de R$ 4 milhões, mas o valor total deve chegar a R$ 50 milhões até o final deste ano, quando todos os equipamentos já estiverem operando.

“Estamos começando a operação com uma capacidade produtiva anual de 400 mil sistemas. Esse volume pode chegar a 1 milhão no decorrer dos próximos anos, de acordo com a demanda do mercado”, comenta Daniel da Rosa, CEO da unidade Steering da thyssenkrupp para o Brasil.

Ele destaca que o sistema de direção elétrica, também conhecido como EPS (Electronic Power-Assisted Steering), é um produto que oferece grandes oportunidades de mercado e crescimento, já que cada vez mais fabricantes de automóveis estão implementando essa tecnologia em veículos de médio e grande porte, com volume de vendas promissor. “A thyssenkrupp é uma das líderes mundiais em componentes e sistemas de direção. Mais de 20 milhões de veículos por ano saem das linhas de montagem em todo o mundo com o nosso produto”, acrescenta Rosa.

Os sistemas de direção elétrica são um pré-requisito para todos os sistemas de assistência eletrônica ao motorista, como estacionamento automatizado, assistência na mudança de faixas, aviso de distância e direção autônoma. Graças à perfeita interação entre hardware e software, a solução da thyssenkrupp proporciona variações de sensibilidade na direção que não só contribuem para melhorar a dirigibilidade do automóvel, como também o torna mais seguro e eficiente em termos de consumo de combustível.

“Em comparação com a direção hidráulica convencional, no sistema de direção elétrica os movimentos do motorista são suportados por um motor elétrico, que por sua vez é comandado por uma ECU. Isso aumenta a eficiência energética, pois esse motor só é ativado quando a unidade de controle avalia que o motorista realmente precisa do motor para ajudar na direção. A economia de combustível pode chegar a meio litro de combustível para cada 100 quilômetros percorridos”, detalha o executivo da thyssenkrupp, ao acrescentar que os sistemas de direção elétrica são compostos por mais de 400 peças e quase 300 mil linhas de código de software.

A solução EPS da thyssenkrupp é exclusiva; tanto hardware como software foram desenvolvidos pela companhia, que conta com um Centro de Desenvolvimento de Software para sistemas de direção em Budapeste, capital da Hungria. Lá trabalham mais de 600 engenheiros de programação, entre eles cerca de 20 brasileiros. Essa equipe já vem atuando em vários projetos relacionados a novas tecnologias de direção para veículos autônomos, como o sistema steer-by-wire, que não requer uma ligação mecânica direta entre o volante e as rodas do automóvel.

Indústria 4.0

Na nova linha de produção de sistemas de direção elétrica da thyssenkrupp, o mundo físico se funde às redes de dados para formar um sistema ciberfísico, no qual os produtos se comunicam com os sistemas de produção. É a Indústria 4.0, também chamada de 4ª Revolução Industrial, conceito que define um novo modelo industrial baseado em tecnologias de comunicação para digitalização dos processos produtivos.

Para que essa integração ocorra, todos os elementos da cadeia de produção possuem um nome, um histórico e uma interface para a rede, e todos os componentes produzidos carregam um código único com informações como número de série, número de desenho, número de peça e identificação do cliente. Dessa forma, é possível relacionar os sistemas físicos com as redes digitais de dados.

Esses códigos são checados automaticamente antes que qualquer passo do processo seja iniciado. Dessa forma, caso algum problema seja identificado, é possível interromper a etapa seguinte para, por exemplo, reparar e aprimorar o processo de fabricação ou descartar o produto. 

Além disso, a tecnologia permite uma rastreabilidade das condições de montagem de cada sistema de direção individualmente, já que as informações ficam armazenadas em um Big Data do qual é possível extrair uma imensa quantidade de dados gerados ao longo da cadeia produtiva – esses dados são capturados e monitorados por sensores e câmeras instalados em máquinas e robôs inteligentes. E uma só máquina possui pelo menos 300 parâmetros de monitoramento configurados. Com isso, ela é capaz de realizar uma determinada montagem, analisar a peça e tomar uma decisão sobre a sua condição em questão de poucos segundos. 

“A interconexão entre as etapas do processo, o monitoramento em tempo real e a automação envolvida proporcionam um alto nível de controle. Dessa forma, nos tornamos mais flexíveis e conseguimos nos adaptar mais rapidamente às mudanças nas demandas de mercado e dos clientes, ao mesmo tempo em que garantimos o máximo de qualidade”, diz o CEO da unidade Steering da thyssenkrupp, Daniel da Rosa.

A thyssenkrupp e a indústria automotiva

A thyssenkrupp é um dos maiores fornecedores globais de materiais e componentes para a indústria automotiva. Nove em cada dez veículos fabricados no Brasil são equipados com componentes produzidos pela empresa. Além disso, um em cada três caminhões possui componentes da thyssenkrupp.

O portfólio de produtos que a thyssenkrupp fornece à indústria automotiva inclui componentes para motor (eixos de comando de válvulas montados, módulos de cabeçote do cilindro e virabrequins), componentes de suspensão (sistemas de direção, amortecedores, molas e barras estabilizadoras) e serviços de montagem (módulos de eixo).

No Brasil, a companhia possui plantas automotivas em Ibirité, Poços de Caldas e Santa Luzia (MG); São José dos Pinhais (PR); Campo Limpo Paulista e São Paulo (SP).

As vendas globais da thyssenkrupp para o setor automotivo somaram mais de 11 bilhões de euros. Entre os clientes estão praticamente todas as grandes montadoras do mundo.

A thyssenkrupp é uma empresa industrial diversificada com ampla tradição no mercado de materiais e participação crescente no setor de bens de capital e serviços. Visando sempre o progresso sustentável, a empresa conta com mais de 161.000 colaboradores, em cerca de 80 países, que atuam com paixão e experiência tecnológica no desenvolvimento de produtos de alta qualidade, bem como em processos e serviços inteligentes para a indústria. Competência e comprometimento são a base de nosso sucesso. No ano fiscal de 2017/2018, a thyssenkrupp obteve o faturamento global de aproximadamente 42,7 bilhões de euros. Desenvolvendo negócios no Brasil desde 1837, a thyssenkrupp emprega mais de 8 mil colaboradores em todas as regiões do país nos segmentos automotivo, energia, infraestrutura, mineração, cimento, construção civil, química, petroquímica e defesa. 

sábado, 16 de fevereiro de 2019

AUDI CONSTRÓI PARQUE DE ENERGIA SOLAR NOS TELHADOS DE CENTROS DE LOGÍSTICA.


Projeto em conjunto entre Audi e E.ON resultará no maior sistema fotovoltaico instalado na cobertura da Audi Hungria


Juntamente com a E.ON, a Audi está construindo um parque de energia solar nos telhados dos dois centros de logística de sua fábrica em Győr, cobrindo cerca de 160.000 metros quadrados. Isso criará o maior sistema fotovoltaico da Europa instalado em um prédio na fábrica da Audi na Hungria em Győr. Ele terá um pico de produção de 12 megawatts. As obras começarão em agosto de 2019 e a geração de energia renovável começará no início do próximo ano.

"Estamos comprometidos com o uso econômico dos recursos e, portanto, queremos manter o impacto ambiental da nossa produção o mais baixo possível. Aproximadamente 70% da geração de calor da Audi Hungria já são cobertos por energia geotérmica climaticamente neutra. Nossa meta é ter uma operação completamente neutra em carbono no futuro. Com a construção de parques de células solares, estamos dando agora mais um passo para conseguir isso em termos de fornecimento de energia", disse Achim Heinfling, Presidente do Conselho de Administração da Audi Hungria Zrt.

Como parte do projeto com a E.ON Hungria, a Audi fornecerá as áreas de cobertura dos dois centros logísticos, cada um com cerca de 80.000 metros quadrados, para a construção de um parque de energia solar. Será o maior sistema fotovoltaico da Europa instalado em um telhado já construído. A E.ON colocará o parque em operação, composto por 35.000 painéis solares, e continuará a operá-lo, com uma produção anual de mais de 9,5 gigawatts-hora (GWh) de eletricidade. Isso corresponde às necessidades anuais de energia de 5.000 residências. Graças à eletricidade verde de fontes regenerativas, cerca de 6.000 toneladas a menos de dióxido de carbono serão liberadas na atmosfera.

"Estamos trabalhando consistentemente para uma maior sustentabilidade em toda a cadeia de valor", disse Peter Kössler, membro do Conselho de Administração de Produção e Logística da Audi AG. Até 2030, queremos que todos os nossos locais de produção sejam climaticamente neutros. O uso de energias renováveis ​​é uma alavanca importante para isso."

Karsten Wildberger, membro da diretoria da E.ON, acrescenta: "O gerenciamento inteligente de energia é indispensável para as companhias que desejam atingir suas metas de sustentabilidade. Ajudamos clientes como a Audi a combinar proteção climática com suas atividades empresariais e assim criar valor para seus clientes e para a sociedade. "

Além disso, a Audi AG, juntamente com seus parceiros, está comprometida em alimentar os recursos em ciclos fechados e reutilizá-los da forma mais completa possível. "Fomos o primeiro fabricante premium a ter a pegada de carbono medida e certificada em 2014. Desde então, temos trabalhado constantemente para reduzi-la ainda mais", disse Rüdiger Recknagel, Chefe de Proteção Ambiental da Audi AG. "Também estamos instalando novas tecnologias em todas as nossas fábricas para reduzir o consumo de água, evitar a poluição do ar e melhorar a reciclagem".

Audi do Brasil
Departamento de Comunicação. 
Index Conectada.

Leia> Coisas de Agora.

VOLKSWAGEN CAMINHÕES E ÔNIBUS EXPANDE SUA REDE INTERNACIONAL.


A Volkswagen Caminhões e Ônibus está com duas novas casas para atender seus clientes na América Latina. No último mês, o México inaugurou a concessionária Remasa, em Durango, enquanto na Argentina quem abriu as portas foi a Glazen, em Chavo. Ambos são pontos estratégicos nas rotas de veículos comerciais.

A Volkswagen Caminhões e Ônibus segue focada em seu plano de internacionalização para levar a marca a cada vez mais clientes com o mais alto padrão de produtos e serviços, oferecidos por seus representantes oficiais nas mais diversas localidades.

Remasa reforça atendimento a clientes na costa do Pacífico


A inauguração da Remasa, em Durango, está em linha com o plano de crescimento da operação local da Volkswagen Caminhões e Ônibus e representará também a marca MAN em vendas e pós-vendas.

Com instalações de quase 18 mil metros quadrados, 20 baias de serviços e 32 profissionais qualificados, o estabelecimento está numa localização privilegiada: uma zona de alto fluxo de caminhões já que é um ponto estratégico próximo ao Oceano Pacífico e também ligação entre o ocidente e o norte do país.

“Estamos convencidos de que será um sucesso na região e referência de qualidade e serviços em pós-vendas a nossos clientes. A incorporação da Remasa em nossa rede de concessionárias se alinha à nossa estratégia de crescimento para este ano”, afirma Leandro Radomile, diretor geral da operação da Volkswagen Caminhões e Ônibus no México.

Na Argentina, região também é chave para veículos comerciais


A Divisão de Caminhões e Ônibus da Volkswagen Argentina também segue ampliando sua rede no país. Desta vez, inaugura um novo ponto de vendas e pós-vendas em Chaco: a concessionária Glazen.

“A província de Chaco tem muito potencial com o cultivo de algodão e soja, além da criação de gado e cultivo de espécies florestais. A região chega a responder por 6% do mercado total de caminhões na Argentina. Por isso, buscamos essa expansão”, avalia Federico Ojanguren, gerente geral da Divisão de Caminhões e ônibus da Volkswagen Argentina.O novo concessionário ocupa uma área de cinco mil metros quadrados. A construção oferece uma oficina com capacidade para atender seis caminhões simultaneamente, o que permite realizar mensalmente mais de 140 intervenções de pós-vendas, principal negócio no segmento de pesados para a marca na região. Ao todo, são 13 colaboradores distribuídos nos diferentes atendimentos e expediente de rotina.

Volkswagen Caminhões e Ônibus.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

RANDON DAY TERÁ EDIÇÃO ESPECIAL EM COMEMORAÇÃO AOS 70 ANOS.


Cerca de 70 profissionais do mercado de capitais de todo Brasil serão recebidos para atualização sobre planos e perspectivas da Companhia.


Inovação, sustentabilidade e transparência são valores que a Randon S.A Implementos e Participações cultiva ao longo de seus 70 anos, completados em janeiro, como líder nos seus segmentos de atuação. Entre as ações comemorativas está o Randon Day, que acontece na próxima quarta-feira, 20 de fevereiro, em Caxias do Sul (RS). Na ocasião, a Companhia receberá a visita de cerca de 70 profissionais do mercado de capitais de todo Brasil para atualização sobre seus planos e perspectivas. 

“Este evento ganha enorme relevância, dentro da transparência, que é um de nossos princípios, quando compartilhamos com os especialistas do mercado de capitais nossas ações, projetos e conquistas”, afirma o diretor de Relações com Investidores das Empresas Randon, Geraldo Santa Catharina.

A Companhia já recebe analistas do mercado de capitais em suas instalações há mais de duas décadas, e considera este um canal de comunicação muito importante com seus stakeholders. Liderado pela área de relações com investidores, este evento proporciona a oportunidade de falar com Comitê Executivo e conhecer o parque fabril. Nesta edição especial, na véspera, dia 19, o grupo visitará, com exclusividade, o estande ocupado pela empresa na Festa da Uva, da qual é patrocinadora master.

Em diferentes datas e com públicos diferenciados, acontecem outros eventos, seguindo o mesmo objetivo da transparência. É o caso do Encontro de Clima Organizacional, que reúne grupos de colaboradores, onde as demandas são compiladas e levadas à gestão. Há, ainda, o Programa Portas Abertas ao Cliente (PAC) que recebe clientes na fábrica, os quais contribuem para a melhoria contínua dos produtos. Da mesma forma ocorre o Encontro de Fornecedores, vistos como parceiros estratégicos.

“Estes eventos somam-se ao conjunto de boas práticas de governança corporativa já adotados pela Randon e estão alinhados aos seus princípios e valores. Estas práticas integram a política de empresas que querem se perpetuar no mercado e que buscam, num sistema organizado, maior valor agregado ao negócio e satisfação dos seus stakeholders”, finaliza Geraldo Santa Catharina.