sexta-feira, 20 de julho de 2018

MERITOR COMEMORA AUMENTO DA PRODUÇÃO NO PRIMEIRO SEMESTRE.


Com o bom resultado obtido até junho, empresa projeta crescimento de 25% para o fechamento do ano.


A Meritor, principal fornecedora de eixos e sistemas para drivetrain de veículos comerciais na América do Sul, comemora o fechamento do primeiro semestre deste ano com um resultado positivo: crescimento de 45,5% em seu volume de produção em relação a igual período do ano anterior. Essa expansão ocorreu por causa da recuperação no desempenho da indústria de caminhões e ônibus que apresentou avanço no primeiro semestre deste ano. De acordo com a Anfavea, associação que representa as fabricantes de veículos automotores, entre janeiro e junho, saíram das linhas de produção das montadoras 64,5 mil caminhões e ônibus, o que representa aumento de 40,3% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Outro importante fator que contribuiu para este cenário positivo para a Meritor foi a conquista de novos projetos que ocorreram devido ao empenho da empresa em estar cada vez mais próxima aos seus clientes. “A busca pela criação de soluções que estejam cada vez mais alinhadas com a necessidade do mercado e o seu aprimoramento constante são os principais pilares do desempenho satisfatório da empresa”, diz Adalberto Momi, diretor geral da Meritor para América do Sul.

Apesar das incertezas geradas pelas  eleições presidenciais que se aproximam, o recente impacto sofrido com a paralisação dos caminhoneiros e a desvalorização cambial, o cenário atual vem apresentando um crescimento sustentável do setor e, por isso, a Meritor revisou para cima sua projeção de crescimento para o fechamento de 2018.

“A retomada do mercado e a necessidade da renovação da frota de caminhões desenham um cenário bastante promissor. Com o resultado positivo do primeiro semestre, esperamos para o fechamento deste ano um crescimento de produção de 25%”, aponta Momi.

A Meritor ja sente os efeitos da recuperação do mercado de caminhões desde o segundo semestre de 2017. Por isso, tem se preparado para enfrentar esta nova realidade com a contratação de novos colaboradores. Até o mês de junho a empresa realizou 65 novas contratações para a área de manufatura.

Com sede em Troy, Michigan, nos Estados Unidos, a Meritor é um fornecedor global de amplo portfólio de sistemas integrados, módulos e componentes para fabricantes de equipamentos originais e aftermarket no segmento de transportes e industrial. A companhia atende produtores de caminhões, reboques, ônibus e veículos off-road, além da área de defesa. As ações da companhia são negociadas na Bolsa de Valores de Nova York, com a designação MTOR. As operações da Meritor na América do Sul estão centralizadas no Brasil. A companhia possui instalações em Osasco, SP, onde produz eixos, cardans e componentes para veículos comerciais e fora-de-estrada, e participa do Consórcio Modular e do Parque de Fornecedores da MAN, em Resende, RJ. A operação brasileira, que comemorou em 2016 seus 60 anos, conta com centro de engenharia, responsável pelo desenvolvimento de produtos, fornece componentes para o mercado de reposição e mantém no país a joint venture com a Randon, a Freios Master.

quinta-feira, 19 de julho de 2018

VOLKSWAGEN ACELERA NO SEGMENTO DE BEBIDAS COM VENDA DE 222 CAMINHÕES PARA CERVEJARIA IMPERIAL.

Dos leves aos pesados: modelos das famílias Delivery e Constellation compõem o lote de veículos

Os caminhões Volkswagen consolidam seu sucesso no segmento de entrega de bebidas, com representantes desde os leves, com a família Delivery, até os pesados, com modelos Constellation. Recentemente a empresa registrou a venda de 222 veículos para a Cervejaria Cidade Imperial Petropolis, que produz a cerveja Império.

Além do novo Delivery 11.180, os caminhões Constellation 17.230 e 25.420 foram adquiridos para o transporte das bebidas da marca, contando com carrocerias Facchini.

“Nossa parceria com a VW Caminhões é antiga. Como grupo, ficamos muito satisfeitos com os modelos adquiridos e a economia que proporcionam no dia a dia das operações. Além da vantagem no custo operacional, destaco a excelência na prestação de serviços, que nos mantém fiéis à marca”, afirma Cássio de Paula, diretor de Logística da Cervejaria Cidade Imperial Petropolis.

“A venda de caminhões para distribuição de bebidas está entre as que mais crescem nos últimos meses e é tradicionalmente uma das primeiras operações a se recuperar após um período de baixa, com renovações e ampliações. Trabalhamos continuamente pela excelência no atendimento a essa fatia tão importante de mercado”, comenta Ricardo Alouche, vice-presidente de Vendas, Marketing e Pós-Vendas da MAN Latin America. Historicamente a MAN Latin America detém cerca da metade da participação nas vendas do segmento. No ano passado, 70% dos veículos vendidos para transporte de bebidas foram Volkswagen e MAN.


A MAN Latin America foi a primeira montadora a desenvolver veículos vocacionais para a distribuição de bebidas, seguindo o conceito sob medida, para oferecer o melhor caminhão às mais diversas aplicações. Além dos veículos com configuração específica para a distribuição de bebidas, a VW Caminhões aposta também o pós-vendas, com contratos de manutenção sob medida para a aplicação, com o objetivo de proporcionar o melhor TCO, ou Custo Total de Operação, na tradução.

MAN Latin America.

Leia> Coisas de Agora.

SBCTRANS INCORPORA BIOMETRIA FACIAL EM SUA FROTA DE ÔNIBUS.


Recurso entrou em operação em cerca de 200 ônibus, em São Bernardo do Campo.


A SBCTrans, principal operadora de transporte urbano de São Bernardo do Campo e uma das mais importantes do ABC Paulista, inova mais uma vez e implanta em cerca de 200 ônibus da sua frota o reconhecimento de biometria facial. O objetivo é ampliar a segurança, diminuir o tempo de embarque e facilitar o acesso dos passageiros.

"A biometria facial é um moderno recurso disponível na tecnologia da informação, que pode identificar pessoas a partir das suas características genéticas. Nos testes de campo realizados o serviço mostrou-se eficiente e prático. Assim como fizemos com o lançamento do inédito aplicativo Partiu SBC, é importante introduzir modernizações que proporcionem conforto, segurança e confiabilidade para os passageiros", explica Milena Romano Braga, diretora-executiva da SBC Trans.

O serviço de biometria facial permite aumentar a segurança dos passageiros. "Como o conjunto de medições do rosto é único para cada pessoa, a precisão do reconhecimento facial é sempre muito alta, normalmente muito perto dos 100%. A pessoa é identificada, independentemente do corte de cabelo e do uso ou não de óculos", ressalta a executivo.

Ao se cadastrar, o beneficiário tira fotos e preenche uma ficha com informações que ficam armazenadas no cartão individual de cada pessoa. O cartão de transporte facilita e torna mais ágil o acesso do usuário nos ônibus que operam nas linhas da SBCTrans.

Ao aproximar o cartão dos validadores nos ônibus, as câmeras instaladas captam as imagens do rosto de quem passa pela catraca. Por meio de um software, elas são comparadas com as fotos cadastradas no banco de dados do sistema e armazenadas no chip do cartão.

Quando o programa detecta divergências, no qual identifica que as imagens não coincidem, o cartão é temporariamente bloqueado. Caso seja confirmada a irregularidade, o benefício é suspenso. Para que o cliente não seja lesado, nesses casos de divergências é aberto um processo administrativo para que seja esclarecido o ocorrido.

Para garantir total comodidade aos idosos, as pessoas que possuem o benefício definido na Constituição Federal (acima de 65 anos) poderão apresentar um documento pessoal para usar o transporte coletivo. O embarque é feito pela porta da frente para segurança do usuário. O condutor do veículo pode até auxiliar o usuário, no caso de dificuldade de locomoção, em razão da idade ou motivo que o limite na sua mobilidade. Recomenda-se que todos os usuários obtenham o cartão de acesso, pois assim, facilita a sua transposição pelo validador.

Foto: Gabriel Inamine

Secco Consultoria de Comunicação.

Leia> Coisas de Agora.

VENCEDORES E VENCIDOS.
Por Fernando Calmon*

O balanço de vendas por modelos do primeiro semestre traz novidades. O mercado brasileiro demonstra rápida mutação e assim a coluna reviu alguns critérios, embora mantendo 16 segmentos. Pela baixa procura as stations foram desconsideradas nessa classificação. Hatches médio-compactos também: os três principais modelos juntos só encontraram menos de 10.000 compradores nos primeiros seis meses de 2018.

Já os sedãs vêm se diversificando no segmento de compactos, ainda de longe o mais importante com 52% das vendas totais. Distância entre-eixos, principal critério em nosso ranking técnico, tem levado vários sedãs compactos a se afastarem dos hatches de mesma arquitetura. Então, criou-se segmentação especial para aqueles, tanto para compactos quanto médio-compactos.

SUVs compactos continuam a avançar. Representam agora 13% do mercado brasileiro, sem incluir hatches convencionais “aventureiros” travestidos de utilitários esporte. Todos os segmentos de SUVs já respondem por 20% das vendas totais e, tudo indica, continuarão a avançar nos próximos anos graças aos lançamentos. Seguem tendência do que acontece até mesmo na Europa.

No período considerado, há novos vencedores. Conforme previsão da coluna em janeiro último, Kwid assumiu a liderança entre subcompactos. Mustang arrebatou facilmente a posição entre esportivos (usam componentes de modelos de alta produção), enquanto os Porsche 718 Boxster/Cayman voltaram a liderar entre os carros esporte verdadeiros. Mercedes Classe E superou BMW Série 5 por apenas 3 unidades (1 p.p. à frente).

Base de pesquisa é o Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). Citados apenas os modelos mais representativos e pela importância do segmento. Compilação de Paulo Garbossa, da consultoria ADK.

Hatch subcompacto: Kwid, 45%; Mobi, 38%; up!, 15%. Como previsto, Kwid.

Hatch compacto: Onix, 24%; HB20, 14%; Ka, 13%; Polo, 9,3%; Gol, 8,9%; Argo, 8%; Sandero, 7%; Fox, 5%; Etios, 3%; Fiesta, 2,4%; March, 2%; Uno, 1,3%; 208, 1%. Líder inconteste.

Sedã Compacto: Prisma, 19%; Ka, 11%; Virtus, 10%; HB20, 9,2%; Voyage, 9,1%; Versa, 7,7%; Etios, 7,1%; Cronos, 6,6%; Logan, 6%; Grand Siena, 5%; Cobalt, 4,9%; City, 4%. Prisma com folga.

Sedã médio-compacto: Corolla, 43%; Civic, 20%; Cruze 15%; Focus, 3,6%; Jetta, 3,5%; C4 Lounge, 3%; Sentra, 2,7%; Cerato, 2,4%. Sem ameaças.

Sedã médio-grande: Mercedes Classe C, 29%; Fusion, 26%; BMW Séries 3/4, 21%. Classe C confirma.

Sedã grande: Mercedes Classe E/CLS, 37%; BMW Série 5/6, 36%; Panamera, 16%. Reação do Classe E.

Sedã de topo: Mercedes Classe S, 69%; BMW Série 7, 15%; A8, Jaguar XJ e Lexus LS500h, 4%. Empate triplo: 3º lugar.

Cupê esportivo: Mustang, 79%; Audi TT, 12%; Mercedes SLC, 6%. Mustang vira rei.

Cupê esporte: 718 Boxster/Cayman, 46%; 911, 35%; Mercedes-AMG GT, 5%. Domínio Porsche.

SUV compacto: HR-V, 16%; Kicks, 15%; Renegade, 14,8%. HR-V balança.

SUV médio-compacto: Compass, 52%; ix35/Tucson, 13%; Sportage, 5%. Liderança consolidada.

SUV médio-grande: SW4, 42%; Equinox, 16%; Discovery Sport, 12%. SW4 tranquilo.

SUV grande: Trailblazer, 28%; Mercedes GLC, 12%; XC90, 8%. Folga do líder diminuiu.

Monovolume: Fit/WR-V, 62%; Spin, 28%; C3 Aircross, 8%. Fit ainda avançou.

Picape pequena: Strada, 49%; Saveiro, 33%; Oroch, 10%. Strada, dona do pedaço.

Picape média: Toro, 31%; Hilux, 21%; S10, 18%. Toro viu e venceu.

ALTA RODA

VALORIZAÇÃO do dólar traz impactos agora e nos próximos meses. Custos internos de produção subiram (há componentes importados em todos os modelos nacionais), diminuirão os descontos e, em seguida, aumentos superiores à inflação nos preços sugeridos. Por outro lado, fornecedores aqui instalados serão beneficiados na procura por maior índice de localização de peças.

GREVE de caminhoneiros de maio último expôs a concentração do modal rodoviário no Brasil. Mas é bom lembrar que 11 dias de bloqueio de estradas e saídas de refinarias trariam o caos em qualquer país, mesmo onde ferrovias e hidrovias tenham papel relevante. Nenhuma multa aplicada, por ordem judicial, será cobrada. Isso é bem mais grave que o rodoviarismo em si.

HONDA CR-V, importado dos EUA, perdeu competitividade em preço, mas apresenta conjunto bem superior à geração anterior. Destaques: motor turbo de 190 cv, espaço interno (inclusive atrás, pelo assoalho plano), suspensão robusta, direção precisa e o essencial freio de imobilização elétrico (evita avanço lento em Drive). Câmbio automático CVT não empolga mesmo.

DICA para dias de inverno. Para alcançar rapidamente temperaturas confortáveis no interior do veículo deve-se deixar o ar-condicionado desligado e acionar apenas o aquecedor. Em três ou quatro minutos o motor atinge os 90 graus e melhora o ambiente no habitáculo. Se houver embaçamento dos vidros, aí sim se aciona o ar-condicionado: menos de um minuto basta.







* Fernando Calmon - fernando@calmon.jor.br - é jornalista especializado desde 1967. Engenheiro, palestrante e consultor em assuntos técnicos e de mercado nas áreas automobilística e de comunicação. Sua coluna Alta Roda começou em 1999. É publicada em O Brasil Sobre Rodas, WebMotors, Gazeta Mercantil e também em uma rede nacional de 52 jornais, sites e revistas. É, ainda, correspondente para a América do Sul do site Just-auto (Inglaterra).Siga: www.twitter.com/fernandocalmon  - www.facebook.com/fernando.calmon2.

INOVAÇÃO É PEÇA-CHAVE DA IVECO NO SEGMENTO DE TRANSPORTE.


Centro de Desenvolvimento de Produto, que completa 10 anos, é a base para o aprimoramento do portfólio da marca com qualidade e planejamento.

Em 20 anos de operação no Brasil, a IVECO, marca da CNH Industrial, apresentou ao mercado produtos que têm em seu DNA conceitos inovadores como destaque. Um bom exemplo disso é a recém-lançada Daily City 30S13, chassi cabine e furgão, que foi projetada para atender ao transporte de cargas fracionadas. 

"O modelo, assim como o desenvolvimento de outros caminhões, foi idealizado no Centro de Desenvolvimento de Produto (CDP), que completa uma década de existência neste ano. A área é fundamental no plano estratégico da marca para desenvolver e criar veículos pensando nas necessidades e nos diferencias de cada mercado em que a montadora atua", afirma Darwin Viegas, diretor de Engenharia de Desenvolvimento de Produto da IVECO. 

A estrutura, que abriga mais de 150 profissionais, entre  engenheiros, projetistas e técnicos, foi o primeiro centro desse tipo construído fora da Europa, e é responsável pelas inovações no portfólio comercializado na América Latina. Junto ao Campo de Provas, inaugurado em 2015 no Complexo Industrial da IVECO em Sete Lagoas (MG), o CDP, com 5.045 m2, é responsável pelo desenvolvimento de engenharia avançada, trem de força, chassis e testes com protótipos e de combustíveis alternativos. 


"A idade média da frota de caminhões no país é de 10 anos. Isso faz com que os principais componentes do veículo sejam projetados para 'sobreviver' sem maiores danos durante esse período, mesmo fora da garantia", afirma o executivo. 

Seja nas pesquisas para diminuir as emissões de poluentes, ou para o desenvolvimento de veículos mais econômicos e funcionais, o time de engenharia da montadora já assinou projetos como o protótipo Trakker Bi-fuel Etanol-Diesel, a linha Hi-Way e o Tector Auto-Shift. "A parceria com a  Sociedade de Engenheiros da Mobilidade (SAE Brasil), com universidades, entre outras entidades de ensino e pesquisa, fortalece nosso trabalho de, cada vez mais, aprimorar o que está bom e investir em novos lançamentos." 

Para continuar entre os maiores players do mercado, a IVECO está investindo US$ 120 milhões no desenvolvimento de produtos para o setor de transportes de cargas no país. Atualmente, o segmento tem um total de nove milhões de veículos comerciais, entre leves, médios e pesados, segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT). "O tamanho desse mercado e, por conseguinte, a forte concorrência refletem a necessidade de o transportador e o caminhoneiro terem produtos que proporcionem baixo custo operacional e alta tecnologia embarcada", finaliza Viegas. 

Mais inovadora do Brasil 


Complexo Industrial e Campo de Provas da Iveco instalados em Sete Lagoas - MG

Os projetos e os produtos da IVECO contribuíram diretamente para a CNH Industrial ser eleita, recentemente, como uma das empresas mais inovadoras do Brasil. A empresa foi condecorada na categoria Setor Automotivo e Veículos de Grande Porte. O reconhecimento foi concedido pela pesquisa Valor Inovação 2018, do jornal Valor Econômico, em parceria com a consultoria Strategy&. Além da liderança no seu segmento, o estudo classificou a companhia entre as 13 melhores de um ranking que analisou 216 empresas de 21 setores. 

Página 1 Comunicação.

Leia> Coisas de Agora.

ZF INCLUI FUNÇÃO DE MANUTENÇÃO PREDITIVA NA TRAXON.


A ZF está incluindo nova solução digital em sua linha de produtos para veículos comerciais. Mundialmente aplicado com grande êxito por inúmeras montadoras, a partir de 2019, o sistema de transmissão modular TraXon será equipado com uma função opcional de manutenção preditiva. Com esse recurso, os frotistas poderão monitorar em nuvem o estado de componentes críticos, como o óleo da transmissão e os discos da embreagem, o que possibilitará fazer o planejamento preditivo da manutenção, reduzir os tempos de parada do caminhão e evitar que o veículo fique inoperante. Tudo isso reduzirá os custos e prolongará a vida útil do componente.

Com a nova função de manutenção preditiva, a ZF prepara sua bem-sucedida transmissão modular TraXon para o futuro digital do segmento de veículos comerciais. A partir de 2019, montadoras e frotistas poderão utilizar a tecnologia em nuvem para fazer o planejamento preditivo das manutenções.

Instalados de fábrica nos veículos, a ZF recorre aos módulos que enviam informações sobre o estado da transmissão para a nuvem da montadora. A plataforma de dados da montadora fica em contato permanente com a nuvem da ZF, que, com base nos dados recebidos, elabora relatórios detalhados sobre a condição dos componentes da transmissão, que poderão ser acessados pela montadora e pelo frotista para fazer o planejamento preditivo das manutenções.

“Com a nossa nova função de manutenção preditiva, estamos ampliando a integração da transmissão TraXon. Montadoras e frotistas adquirem um verdadeiro valor agregado, já que com os relatórios de diagnóstico poderão contar com todo o nosso  know-how em matéria de transmissões e  nossa competência em digitalização. Dessa forma, a ZF atende à sua meta de fornecer sistemas mecânicos inteligentes completos”, afirma Winfried Gründler, Head da unidade de transmissões para caminhões e vans da Divisão de Tecnologia para Veículos Comerciais.

Em sua estratégia de manutenção preditiva, a ZF foca componentes individuais críticos e peças sujeitas ao desgaste, como o óleo da transmissão e os discos da embreagem. A grande vantagem é que a avaliação constante dos dados e a consequente possibilidade de trocar ou reparar os respectivos itens em tempo podem evitar panes com elevados custos. Os períodos de imobilização e inoperação dos veículos serão reduzidos ou até mesmo zerados e a vida útil da transmissão, prolongada. Sem contar que os frotistas não precisarão mais dos complexos planos de emergência que visam manter a cadeia de fornecimento em caso de avaria. Como resultado, o custo total de propriedade diminuirá consideravelmente.

Sinergias da empresa abrem o caminho para o futuro

No desenvolvimento do novo recurso da TraXon, a ZF alavancou sua experiência na área de tecnologia industrial, campo em que a empresa já oferece manutenção preditiva de transmissões para geradores de energia eólica. Além disso, a companhia mira o futuro do trânsito: se, no longo prazo, a condução autônoma também for implementada no segmento de veículos comerciais, a manutenção preditiva será um requisito fundamental para assegurar processos logísticos perfeitos no transporte de longa distância.

quarta-feira, 18 de julho de 2018

BMW GROUP BRASIL E EDP INAUGURAM O MAIOR CORREDOR ELÉTRICO DA AMÉRICA LATINA.

Iniciativa, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, oferece acesso à infraestrutura para o início da transformação do modelo de transporte no Brasil 

O maior corredor com postos de carregamento para carros elétricos da América Latina entra em funcionamento nesta segunda-feira (23), na Rodovia Presidente Dutra. Uma iniciativa do BMW Group Brasil e da EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico, com apoio da Ipiranga, as estações de recarga vão permitir, pela primeira vez, realizar uma viagem completa em veículo elétrico entre as capitais de São Paulo e Rio de Janeiro, as duas cidades mais populosas do Brasil. A iniciativa beneficia também os proprietários de veículos híbridos que optarem por rodar apenas no modo elétrico.

O projeto recebeu cerca de R$ 1 milhão em investimentos totais para a instalação de seis equipamentos de carregamento rápido localizados em postos de combustível Ipiranga, num trecho de aproximadamente 430 quilômetros entre as duas capitais. Com o objetivo de assegurar total autonomia aos veículos eletrificados, as estações de recarga rápida foram posicionadas a uma distância máxima de 122 quilômetros entre si. O tempo estimado para o abastecimento de um veículo com bateria de 22kWh é de 25 minutos para 80% da carga. O abastecimento poderá ser feito por até dois veículos ao mesmo tempo em cada estação. 

Para carregar, basta conectar o automóvel ou motocicleta, seja elétrico ou híbrido, e iniciar as operações no painel do carregador.

Os carregadores estão localizados nos seguintes postos

Razão Social
Endereço
Cidade
SAO JORGE DO PARATEI A P E SERV LTDA
Rod Pres Dutra S/N Km 179
Guararema (SP)
AUTO POSTO GAP SAO JOSE LTDA
Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 9500
São José dos Campos (SP)
POSTO CLUBE DOS 500 LTDA
Rod. Presidente Dutra, Km 60, S/N
Guaratinguetá (SP)
POSTO ESTRELA DA DUTRA LTDA
Rod. Pres. Dutra, Km 06, S/N
Queluz (SP)
COMERCIAL H KARL ALLERS LTDA (MAMAO)
Rod. Presidente Dutra, Km 74, S/N
Piraí (RJ)
P ABAST ALLERS LTDA (NACIONAL)
Rod. Pres. Dutra, Km 237
Piraí (RJ)


A BMW é pioneira na comercialização de veículos eletrificados no País, com o modelo elétrico BMW i3 e o híbrido BMW i8, disponíveis no mercado nacional desde 2014. A empresa também esteve à frente na instalação de infraestrutura para carregamento, sendo responsável, junto a parceiros estratégicos, por instalar 100 pontos de recarga no território nacional.
“O futuro da mobilidade premium é eletrificado, conectado, compartilhado e autônomo. Trazemos para o Brasil a realidade de tecnologia global em produtos e serviços para seguir na liderança do desenvolvimento de novas tecnologias. Esta ação, antecipa futuros produtos eletrificados do BMW Group, a serem lançados em breve, no Brasil”, diz Helder Boavida, Presidente e CEO do BMW Group Brasil.
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou recentemente uma regulação específica para o segmento, que prevê a possibilidade de livre negociação de preços de recarga. No caso do corredor instalado pelo BMW Group Brasil e EDP, o uso será gratuito nos primeiros meses de funcionamento. Custos e procedimentos ainda serão decididos entre as empresas participantes e aplicados somente a partir de 2019.
Como referência, na comparação com um automóvel abastecido com gasolina e consumo aproximado de 10 quilômetros por litro, em média, o custo de reabastecimento dos carros elétricos corresponde a aproximadamente um quinto do valor gasto com combustível para percorrer o mesmo trajeto.

Líder em inovação no setor energético, a EDP foi pioneira do mercado brasileiro na criação de projetos nas áreas de redes inteligentes, robotização do trabalho e gestão da geração solar distribuída por meio da tecnologia blockchain, além de ter desenvolvido o primeiro laboratório de Smart Grids da América Latina.

“Ligar as duas maiores metrópoles brasileiras com este corredor elétrico constitui um marco significativo na adoção de uma tecnologia que marcará o futuro da mobilidade. A EDP, eleita recentemente como uma das empresas mais inovadoras do setor elétrico brasileiro, interpreta esta parceria com a BMW como um movimento de liderança na transição para uma economia de baixo carbono”, afirma Miguel Setas, presidente da EDP Brasil.

A Ipiranga, uma das maiores distribuidoras de combustível do Brasil, incorpora a expansão dos pontos de recarga com o objetivo de reforçar o conceito da sua rede. “Os Postos Ipiranga são conhecidos por serem convenientes e práticos, com toda oferta de serviço que nossos clientes precisam ao se deslocar entre um ponto e outro. Esse novo serviço mostra que estamos evoluindo junto com a indústria de energia e reforça a completude de soluções que queremos proporcionar aos nossos clientes”, disse Jeronimo Santos, Diretor de Varejo da Ipiranga.

TECNOLOGIA DE LOCOMOTIVAS AUMENTA PRODUTIVIDADE NA OPERAÇÃO SUL DA RUMO.


Redução de Transit Time, queda de paradas para manutenção e muito mais eficiência e potência para transportar as cargas. Esses são os benefícios oferecido pelas 46 locomotivas ES43BBi adquiridas entre 2015 e 2017 e que compõem a frota da Rumo na Operação Sul, que compreende vias férreas no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.

Os reflexos no desempenho de transporte na Operação Sul são evidentes, e no primeiro trimestre deste ano registraram aumentos. A quantidade de produtos agrícolas (soja, farelo de soja e milho) subiu 21%, com um total de 2,1 milhões de TKU (Tonelada por Quilômetro Útil). Já a de produtos industriais cresceu 13,5% no mesmo período.

A capacidade de transporte da ES43BBi é 46% maior do que o modelo SD40 utilizado anteriormente. A mensuração de tonelada bruta transportada por cada HP do motor aumentou 45%: de 0,72 para 1,05 tonelada bruta por HP.

A redução de Transit Time (Tempo de Trânsito) entre o Norte do Paraná e o Porto de Paranaguá foi reduzida em 8,34% desde o início das operações com a ES43BBi no final de 2016. Paralelamente, as paradas causadas por mau funcionamento caíram 84,10%.

Com tecnologia de última geração adaptada à bitola métrica, utilizada na maior parte da malha ferroviária brasileira, a ES43BBi conta com um sistema de tração de corrente alternada que fornece 38% mais capacidade de tração em comparação a modelos anteriores.

As atuais locomotivas também são menos poluentes: o motor Evolution GEVO-12 utiliza melhor o combustível e possibilita uma redução de 26% em L/TKB (litros por tonelada bruta transportada) no consumo de diesel em relação às máquinas que operavam antes.

A ES43BBi é uma “locomotiva digital”, pois conta com um sistema operacional online integrado à General Electric (GE), fabricante das máquinas. Essa tecnologia faz um diagnóstico antecipado de anomalias, reduzindo o tempo que a locomotiva fica parada para eventuais diagnósticos. A confiabilidade da máquina levou os intervalos de manutenção preventiva a serem semestrais.

Hoje, a frota da Rumo conta com 46 modelos ES43BBi que circulam de Maringá e Londrina a Curitiba ou Rio Negro. Os trens operados hoje são de 105 vagões com duas locomotivas, enquanto que com outras frotas eram necessárias de três a quatro locomotivas para fazer a mesma viagem.

Além dos ganhos para o transporte, os maquinistas também são beneficiados: a BBi tem maior conforto interno na cabine, é mais ergonômica e mais silenciosa.

A Rumo é a maior operadora logística com base ferroviária independente do Brasil e América Latina. A Companhia tem mais de 12 mil quilômetros de trilhos formados por quatro concessões em seis estados: São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Com mil locomotivas e 25 mil vagões, a empresa oferece uma gama completa de serviços interligando centros de produção, polos consumidores e portos marítimos.

INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA AINDA PODE RESGATAR CERCA DE R$ 500 MILHÕES DO REINTEGRA.


Um levantamento realizado pela Becomex, consultoria especializada na área tributária e operações internacionais, indica que as empresas exportadoras da indústria automobilística ainda podem resgatar do Reintegra os créditos acumulados em cerca de R$ 500 milhões, referentes aos anos de 2016, 2017 e primeiro trimestre de 2018.

O Reintegra é um mecanismo criado pelo governo para devolver uma parcela dos impostos pagos na cadeia produtiva às empresas exportadoras de bens manufaturados no Brasil, que podem reaver parcial ou integralmente o resíduo tributário existente na sua cadeia de produção.

Desde 1º de junho, o governo federal cortou de 2% para 0,1% a alíquota do Reintegra para viabilizar a redução de R$ 0,46 do preço do litro do diesel e colocar fim à greve dos caminhoneiros. A nova regra aumenta as perdas das empresas exportadoras do Brasil.

Somando os demais setores da economia nacional, a indústria brasileira ainda pode recuperar cerca de R$ 9,5 bilhões acumulados no Reintegra, referentes aos cinco anos anteriores à nova decisão.

Segundo o vice-presidente da Becomex, Rogério Borili, as empresas exportadoras têm o prazo de cinco anos para requerer os créditos do benefício. "Esse corte na alíquota impacta na competitividade das empresas. Por isso, o setor não pode esquecer o passado e deve recuperar o saldo que ainda têm direito. Após o prazo, esse crédito volta para os cofres do governo e deixa de ser utilizado para investimentos dentro da empresa", afirma Borili.

Além disso, o executivo alerta que as empresas ainda podem acionar a Justiça para reaver os créditos do Reintegra com a alíquota integral. Isso porque, de acordo com o entendimento jurídico, a decisão de corte na alíquota e seus efeitos só poderia ficar válida a partir de 1º de janeiro de 2019.

"Já existem processos com ganho para o contribuinte nessa causa. A Constituição Federal veda o aumento de tributos no mesmo exercício financeiro em que tenha sido publicada a lei que os instituiu ou aumentou, bem como antes de decorridos 90 dias da data em que foi publicada a lei que os instituiu ou aumentou. Portanto, a alíquota de 2% para a apuração do REINTEGRA deveria ser mantida para todas as exportações realizadas até 31 de agosto de 2018", destaca o vice-presidente da Becomex.

Ainda segundo Borili, esse é o ponto que tem provocado uma corrida das exportadoras ao judiciário para que possam manter a alíquota de 2%. "Essa a hora de buscar os créditos de até cinco anos, ou seja, desde 2013", reforça.

Recentemente, a Becomex conseguiu recuperar cerca de R$ 20 milhões em créditos do Reintegra em apenas uma das empresas ligadas à indústria automobilística. Além desse total, essa mesma empresa ainda tem mais de R$50 milhões a resgatar, referentes aos anos de 2015, 2016 e 2018.

VOLKSWAGEN NOVO POLO MSI E VIRTUS MSI GANHAM OPÇÃO DE CÂMBIO AUTOMÁTICO DE SEIS MARCHAS.


Novidades que fazem parte dos 20 lançamentos até 2020 pela Nova Volkswagen, chegam para atender a várias demandas de mercado, incluindo pessoas com deficiência (PCD).


A Nova Volkswagen dá mais um importante passo rumo à liderança do mercado brasileiro.  A marca apresenta o Novo Polo e Virtus equipados com o motor 1.6 MSI com câmbio automático de seis marchas, passando a atuar em uma importante faixa de mercado.

Os modelos já estão chegando às cerca de 520 concessionárias como parte da linha 2019 do Novo Polo e do Virtus. Eles integram a lista de 20 lançamentos previstos até 2020, dentro do conceito da Nova Volkswagen e da maior ofensiva de produtos da história da empresa no Brasil, como resultado de investimentos de R$ 7 bilhões no País até 2020.

As novas opções do Novo Polo MSI e do Virtus MSI atendem a várias demandas de mercado, que vão desde clientes que procuram ótima relação custo-benefício e conforto a pessoas com deficiência (PCD).

A transmissão automática de seis marchas é associada ao motor 1.6l da família EA211, com até 117 cv. A novidade chega para complementar a oferta da linha. O Novo Polo passa a contar com cinco configurações: 1.0 MPI, 1.6 MSI, 1.6 MSI com transmissão automática, Comfortline 200TSI e Highline 200TSI. O Virtus agora é oferecido em quatro opções: MSI, MSI com transmissão automática, Comfortline 200TSI e Highline 200TSI.

As versões Comfortline e Highline do Novo Polo e do Virtus contam com o conjunto mecânico do motor TSI de até 128 cv e transmissão automática de seis velocidades.
Os modelos têm três anos de garantia de fábrica sem limite de quilometragem e são oferecidos em sete cores: Preto Ninja, Branco Cristal e Vermelho Tornado (sólidas) e Cinza Platinum, Azul Night, Prata Sirius e Prata Tungstênio (metálicas).

Transmissão com elevados níveis de conforto e robustez


A transmissão automática que equipa o Novo Polo e o Virtus com motor MSI possui como principais características alta robustez, rápidas trocas de marcha, elevado nível de conforto e boa eficiência energética. Denominada AQ160-6F, a transmissão automática traz relações de marcha e de diferencial específicas, especialmente definidas para essa aplicação.

Essa transmissão foi projetada para carros com motores transversais e possui engrenagens planetárias, com acoplamento por conversor de torque. Caracterizado pela suavidade nas arrancadas e trocas rápidas de velocidades, o câmbio AQ160-6F conta com bloqueio do conversor de torque em diversas condições de uso, o que evita o deslizamento interno do componente, reduzindo o consumo de combustível.

A transmissão oferece a opção de trocas manuais sequenciais Tiptronic – por meio da alavanca de câmbio ou pelas aletas atrás do volante multifuncional (item de série na linha 2019) – e também conta com o modo de acionamento esportivo (posição “S”), que altera os momentos das trocas de marchas para rotações mais elevadas, proporcionando aceleração mais rápida, para um comportamento mais dinâmico do veículo.

Motor 1.6 MSI: moderno e eficiente


O motor 1.6 MSI que compõe a oferta do Novo Polo e do Virtus (também combinada ao câmbio manual de 5 marchas) é da família EA211, com quatro cilindros e 16 válvulas (4 válvulas por cilindro). Total Flex, tem 1.598 cm³ de cilindrada e possui bloco e cabeçote feitos de alumínio, o que colabora para reduzir o peso do conjunto.

Com quatro válvulas por cilindro, sendo duas para admissão e duas para escape, o motor conta com duplo comando de válvulas integrado à tampa, com variação na admissão, proporcionando mais torque em baixa rotação e melhor desempenho.

O motor 1.6l MSI tem duplo circuito de arrefecimento, que permite temperaturas diferentes para o bloco e para o cabeçote – o sistema utiliza duas válvulas termostáticas. O coletor de escape forma uma peça única com o cabeçote. Resultado: vantagens de dirigibilidade na fase fria do motor e, consequentemente, menor consumo de combustível.

O sistema e-Flex de partida a frio, que dispensa a utilização do tanque auxiliar para gasolina, é outro destaque nessa motorização. Esse recurso oferece maior conforto e praticidade ao motorista, além de partidas mais rápidas nos dias de baixa temperatura.

A potência máxima é de 117 cv (86 kW) com etanol e 110 cv (81 kW) com gasolina a 5.750 rpm, com torque máximo de 162 Nm (16,5 kgfm) com etanol e 155 Nm (15,8 kgfm) com gasolina, ambos a 4.000 rpm.

Com esse motor e abastecido com etanol (E100), o Novo Polo MSI com transmissão automática acelera de 0 a 100 km/h em 10,5 segundos e atinge 188 km/h de velocidade máxima (etanol). O Virtus MSI com transmissão automática registra 10,8 segundos e 190 km/h, respectivamente.

Completos de série



Produzidos em São Bernardo do Campo (SP), Novo Polo e Virtus saem de fábrica muito bem equipados de série, com direção com assistência elétrica, ar-condicionado, vidros elétricos nas quatro portas (os dianteiros possuem função “um-toque” para fechamento e abertura), travas elétricas, faróis de dupla parábola e chave tipo “canivete” com controle remoto.

Também estão incluídos de série computador de bordo, para-sóis iluminados para motorista e passageiro, tomada de 12V no console central, suporte para celular no painel com entrada USB para carregamento, regulagem de altura para o banco do motorista, entre outros. Outro importante item de série no Novo Polo e no Virtus 1.6 MSI é o sistema Media Plus, que tem entradas USB e SD-card, conexão Bluetooth, rádio AM-FM e leitor de arquivos mp3.

Como opcional para o Novo Polo e o Virtus MSI estão disponíveis dois pacotes: o primeiro, “Interatividade”, inclui sistema de infotainment Composition Touch, "Park pilot" (sensores de estacionamento traseiros), roda de liga leve de 15” com pneus 195/65 R15 e retrovisores externos com ajuste elétrico e função “tilt down”.

Com tela colorida sensível ao toque de 6,5”, o sistema de infotainment Composition Touch traz entradas USB, para SD-card e conexão Bluetooth. Ele permite conectividade por meio do App-Connect (Android Auto, Apple CarPlay e Mirrorlink), comando por voz e acesso ao “Car Menu”, com ajustes do veículo por meio da tela.

O segundo pacote, “Safety”, traz o Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) e todos os recursos atrelados a ele, como Controle de tração (ASR), Bloqueio Eletrônico do Diferencial (EDS) e Assistente de Partida em subida/descida (HHC).

Estratégia Modular MQB



Com a Estratégia Modular MQB, a Volkswagen consegue reduzir o peso total do veículo ao mesmo tempo em que constrói o Novo Polo e o Virtus de maneira que eles estejam entre os modelos mais seguros do Brasil. Mais do que isso: a MQB garante elevado conforto de rodagem e grande desempenho dinâmico.

A combinação de baixo peso e segurança elevada só é possível com a adoção de tecnologias inovadoras de fabricação. A maior parte da estrutura da carroceria do Novo Polo e do Virtus é formada por aços especiais, de alta e ultra-alta resistência.

A estrutura do assoalho, na Estratégia Modular MQB, possui grande aplicação de aço conformado a quente, extremamente resistente – cerca de quatro vezes mais rígida que uma chapa de aço convencional – colabora para reduzir o peso do veículo, ao mesmo tempo em que melhora o desempenho do veículo em testes de colisão, aumentando a segurança na cabine. A coluna de direção deformável contribui adicionalmente para a segurança, reduzindo ainda mais o risco de ferimentos para o motorista.

Todas as versões do Novo Polo e do Virtus são equipadas com quatro airbags – dois dianteiros e dois laterais. De grandes dimensões, as bolsas laterais protegem para cabeça e tórax e restringem o movimento do corpo durante um impacto, elevando significativamente a segurança dos ocupantes.

Também fazem parte da lista de série os sistemas ISOFIX® e top-tether, que garantem mais segurança e facilidade para fixação de cadeirinhas infantis.

Nota máxima em segurança



O Volkswagen Novo Polo e o Virtus conquistaram classificação máxima nos testes realizados pelo Latin NCAP, que avalia carros novos vendidos na América Latina e Caribe. Com isso, os modelos estão entre os mais seguros automóveis à venda no Brasil, com 5 estrelas na proteção para adultos e crianças.

Os testes do Latin NCAP incluem análise de impacto frontal – a 64 km/h contra uma barreira deformável descentrada (40%) –, impacto lateral (contra uma barreira deformável montada em um trenó a 50 km/h contra o veículo) e impacto lateral contra poste – o veículo é lançado lateralmente a 29 km/h em direção a um poste.

A classificação da proteção infantil é oferecida por meio da avaliação do comportamento dinâmico dos sistemas de retenção infantil (as “cadeirinhas de criança") nos testes frontal e lateral, além da facilidade e segurança na instalação desses dispositivos.

Adicionalmente, o Latin NCAP atribuiu ao Novo Polo e ao Virtus o Advanced Award, destinado a veículos que atendem critérios de proteção a pedestres – os modelos Volkswagen foram os primeiros modelos comercializados no Brasil a receberem esse prêmio. A avaliação é feita com base em testes que simulam situações de acidentes envolvendo pedestres, conforme padrões estabelecidos por legislação europeia.

Os menores índices de reparabilidade



A Volkswagen é a marca com os melhores índices de reparabilidade do País, de acordo com o ranking Car Group 2018, do CESVI Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária). O Novo Polo e o Virtus são exemplos disso – os modelos têm o melhor índice geral de reparabilidade entre todos os veículos participantes, com classificação 10, a mesma do up! e do cross up!.

Quanto menor a pontuação (em uma escala que vai de 10 a 60), menor será o tempo e o custo de reparo do veículo. O Novo Polo mantém, dessa forma, o melhor resultado não apenas dentro da categoria, mas também entre todos os veículos de diferentes segmentos avaliados pelo CESVI Brasil (base junho de 2018).

Volkswagen do Brasil.
Assuntos Corporativos e Relações com a Imprensa.

Leia> Coisas de Agora.