segunda-feira, 20 de agosto de 2018

COMEÇAR DE NOVO. MISSÃO DO CITROËN CACTUS. Por Roberto Nasser.

Cactus, aposta da PSA

PSA, holding das marcas Peugeot, Citroën, DS, das recém compradas Vauxhall, Opel e autopeças, iniciou produzir o novo Citroën C4 Cactus na fábrica de Porto Real, RJ. Em termos morfológicos lembra um Mercedes GLA, com bom conjunto mecânico, liderado por engenho L4, 1,6 litro, turbo, fazendo médios 170 cv.

Não é mais um ou apenas outro produto novo. O Groupe, como seus colaboradores o chamam, focou no Cactus o momento da virada da empresa, o ponto de inflexão à reconquista de espaço.

No Brasil ambas as marcas tiveram dias de vendas e glórias no mercado. Peugeot, por exemplo, monoproduto com o 206 representava 3% das vendas gerais. Citroën, com C3 Picasso, menos, mas ótimos resultados tratando-o como categoria Premium, acima dos Peugeot, líder dentre monovolumes, situação única no mundo. Depois, trapalhadas, economia besta, subtraindo o lançamento do 207 e transformando o 206 para ser tratado como novo produto, iniciou descer a ladeira das preferências. Mudanças, bons produtos não inverteram a mão do mercado, e as marcas pagaram caro pelas confusões, pelas elevadas contas cobradas pelos consertos nos concessionários, e as gestões por fugazes administradores. Há cinco anos o envio de Carlos Gomes, ex-Fiat Portugal, cooptado a peso de ouro, conseguiu um diagnóstico, fez mudanças, traçou parâmetros e, corajosamente fez incisão profunda no problema maior: mau conceito na assistência técnica, criando o maior pacote de proteção aos clientes. Ao mesmo tempo gestou processo de mudanças, incluindo centro de desenvolvimento e design, e conclusão: para mercado promissor, mas de uso áspero como o são as vias brasileiras, onde, a grosso modo, um sedã exige suspensão de utilitário esportivo, os produtos deveriam ser concebidos com especificações nacionais – e não europeias adaptadas. Abro espaço para comentar como as marcas de automóveis erram em olhar para a frente, sem prestar atenção no passado. Tivessem procurado os arquivos de uma das marcas sob sua tutela, teriam encontrado em sua fábrica de Poissy, onde era a sede da Simca, o árduo e bom trabalho realizado para dar resistência brasileira a um produto francês, como o foi o Chambord e seu pico de desenvolvimento local, o modelo Tufão.

Dentre as medidas, durante a gestão superior de Carlos Tavares, outro português, chamado a salvar a PSA, resolveu-se investir nas marcas no mercado sul americano, começando por passo mandatório: uso de plataforma comum. Definida, será base para os próximos produtos da marca, a começar pelo Cactus. Outros dela advirão: Gabriel Cordo Miranda, diretor da PSA na Argentina, há dias anunciou um sedã como produto a seguir o Cactus.

Na definição por este, em produção na Europa, estatuíram, o sucessor seria desenvolvido no Mercosul. Boa escolha, superou o original - e o substituiu.

Para fazer o Cactus, houve necessidade de grande mudança tecnológica na moderna fábrica da PSA no curioso e pouco conhecido município carioca de Porto Real – Pó Royalcomo pronunciam os franceses... – com reformulação, controles digitais, conceitos Indústria 4.0 e moderno sistema de conferência das medidas das carrocerias por laser. Dos 300 milhões de euros demandados, Tavares concedeu 1/3, e por sobrevivência a operação foi realizada com economia, negociação, sério corte de pessoal, cumplicidade com fornecedores. O produto surpreendeu. Ao final terão sido gastos R$ 580 M, pouco acima do teto definido. A puristas seria um hatch de 4 portas, mas os traços finais fazem-no visto como utilitário esportivo – é, no Brasil, classificação tão etérea quanto o termo jipinho aplicado por alguns jornalistas -, e a morfologia de maior crescimento no mercado. 2,65m de distância entre eixos oferece ótimo espaço interno a passageiros dianteiros e posteriores.

A PSA calcula sucesso ao apostar no formato de maior crescimento no mercado e nos acertos de estilo e composição mecânica. Na prática, projeta vender 2.500 unidades mensalmente, 1% do mercado doméstico. Em termos, pouco menos ante a soma dos números de venda obtidos em junho, 2.900 unidades: 1.600 Peugeots e 1.300 Citroëns.

Relativamente ao modelo anterior, europeu, o projeto sul americano, gestado na PSA em S Paulo, é muito superior em estilo e conforto, incluindo exigência dos consumidores sul americanos, de os vidros das janelas traseiras baixar totalmente.

Pablo Averame, argentino, muitos anos de Peugeot, vice presidente de produto, marketing, mobilidade e serviços conectados na América Latina, entende, o Novo SUV C4 Cactus ilustra perfeitamente a nova assinatura “Inspired By You” da Citroën, uma marca inspirada pela vida das pessoas e pela sua maneira de viver o automóvel. Um veículo muito moderno e seguro, desenvolvido em torno de três pilares: o design, a tecnologia e o conforto. Em design, destaca-se sua silhueta moderna e repleta de personalidade, que integra os novos códigos da marca, com múltiplas possibilidades de personalização. Em termos de tecnologia, o modelo será equipado com os novos sistemas de assistência ao motorista para uma condução mais fácil e tranquila, com destaque para o “Active Safety Brake” que, até um limite de velocidade, aciona automaticamente os freios em caso de colisão iminente. Já no pilar de conforto, fiel ao programa Citroën Advanced Comfort®, será uma referência em sua categoria, destacando-se aqui o seu isolamento acústico e o conforto da suspensão.

A implementação tecnológica aplicada em Porto Real permeará para aos produtos ali montados: Cactus, Peugeots 208 e 2008, Citroëns C3 e Aircross.

Roda-a-Roda


Quanto ganhas? – Pergunta pode parecer impertinente, mas tem fundo lógico. É para saber se você, apreciador de automóveis, cultor da história e da cultura, está apto a não se candidatar à aquisição de um dos 250 exemplares do livro Il fascino Ferrari.
? - Edição própria, primeiros 250 exemplares custarão aproximados US$ 30 mil – a grosso modo uns R$ 115 mil. Terá autógrafo do CEO recém desaparecido Sergio Marchionne, John Elkman, presidente, e Piero Ferrari, vice.
Mais – Virá num estojo de alumínio e terá mesinha inspirada num motor V12. Sei não ser o seu caso, mas haverá edição tipo mezza boca, os exemplares 251 a 1947, sem os agregados e assinado apenas por Piero Ferrari custarãm US$ 3 mil por 514 páginas, fotos e desenhos inéditos dos 71 anos de história da marca.

Mesa inspirada em motor V12 Ferrari. Acompanha o livro. A fim?

Eclipse Cross – Nome marcante, de esportivo surgido ao fim da década de ’90, preferido por jogadores de futebol e outros intelectuais, Eclipse foi aproveitado para marcar novo produto da mesma Mitsubishi. Desta vez nada de esportivo, mas na onda dos SUV e SAV, será o Eclipse Cross.
Como – Vertente do ASX, assemelhado em morfologia e uso, dele aproveita a plataforma, terá motor L4, 1,5 litro, turbo, 163 cv, transmissão CVT e tração nas 2 ou 4 rodas. É um ASX elegante, bem vestido, cheio de cromados. Setembro.
Muda – Jeep iniciou montar segunda geração do Renegade. Repete mudanças exibidas no modelo italiano: grade acompassada, para choques, faróis, lanternas traseiras, console, tela multimedia e infordiversão. Vendas em outubro

Novo Renegade. Aqui o modelo europeu.

Mais – Setembro VW iniciará vender Novo Jetta. Coisas do comércio internacional, é produzido no México, mas o motor L4, 1,4 litros, turbo, 150 cv, é brasileiro, feito em São Carlos, SP. Transmissões automática e mecânica com seis velocidades. Também versão 2.0 e 220 cv, automático, sete velocidades.
Mercado - É construído sobre a plataforma MQB, mesma do Golf, Tiguan, Polo e Virtus, e relativamente à versão antiga cresceu milímetros em comprimento, e poderosos 12 cm entre eixos. No mercado ficará entre os VW Virtus e Passat.

Novo Jetta - Vento para a América Latina. Foto: Autoblog.uy.

Toyota – Mudanças no picape HiLux: grade, para choques, tomadas de ar, grupo óptico frontal, capô. Internamente novo sistema de infodiversão mais responsivo, tela maior. Apenas versões de topo, para lazer e transporte individual em asfalto. Segundo ciclo da atual geração, terá apresentações regionais. Vendas imediatas.

HiLux mudará nas versões superiores, copiando tailandesa Rocco.

Ranch – FCA criou versão de topo para o líder Toro. É a Ranch, superior à Volcano. Tratamento automobilístico em decoração – couro marrom combinando com pintura prata –, faróis girando para curvas, acionamento do motor por controle remoto. A R$ 150 mil – conversáveis.

Toro, topo.

Festa – Renault festeja um ano do lançamento do Kwid com 56 mil unidades vendidas; 46% do segmento onde competia com Fiat Mobi e VW up!; exportação de 20 mil carros à América Latina. Superados os problemas iniciais de aclimatação do projeto indiano às condições nacionais, deve ascender no segundo ano.
Antigos – Sucesso a 3ª edição do Village Classic Cars promovido no Shopping Village Mall, Barra da Tijuca, RJ. Destaque para Mercedes 300 SL, o Asa-de-Gaivota, pintado em corajoso verde claro, completo com jogo de malas. Do colecionador paulistano Leo Steinbruch.
História – Não foi apenas bom encontro, atraindo público diversificado, mas corajoso resgatar do ânimo carioca. Organizado pelo Veteran Car Club RJ, mais antigo do país, a cada ano agrega novos expositores e interesse. Rio havia perdido eventos automobilísticos de porte.
… 2 - Organizadores do Encontro Paulista de Automóveis Antigos, em Águas de Lindóia, SP, aproveitam know how, estrutura e pesquisa de mercado: farão evento exclusivo a veículos esportivos. Mesma cidade, 24 a 26 de agosto. Informações sportcarsag@gmail.com
Gente – Viviane Mansi, comunicóloga, mudança. OOOO Deixou liderança de comunicação corporativa da Votorantim Cimentos, assumiu mesma área, na Toyota com amplitude para América do Sul. OOOO Ricardo Bastos passou a função e concentrar-se-á em Relações Governamentais. OOOO Brasil é base de comando continental. OOOO Carlos Ayala, mexicano, engenheiro, promoção. OOOO De Vice Presidente de Negócios a Presidente da DAF Brasil. OOOO Marca pouco conhecida, 3.500 unidades em circulação atuando no segmento acima de 40t, e é a primeira fábrica fora da Europa. OOOO Nicola Romeo, engenheiro, criador da Alfa Romeo, passou há 80 anos. OOOO Enzo Ferrari, engenheiro h.c., empreendedor em sua marca famosa, foi-se há três décadas. OOOO

Renegade baixa preços


Renegade básico baixou R$ 7 mil.

Surpresa no mercado pelo retorno à produção no mesmo Pernambuco onde fora montado no meio dos anos 60, o Jeep, em atualizada versão Renegade, cumpriu promessa aparentemente impossível, feita em sua apresentação ao Salão do Automóvel de 2014: seria líder de mercado. Foi. Ao primeiro ano de produção ultrapassou o Ford EcoSport e o Renault Logan, distanciando-se na liderança. Produto de sucesso, construído no Brasil, na Itália e na China, é um dos veículos responsáveis por transformar a marca na de maior faturamento e lucros na holding FCA – quando a Fiat assumiu a Chrysler, a Jeep foi uma das marcas recebidas, e a FCA soube aproveitar seu potencial.

Aproximando-se da importante referência de um quarto de milhão de unidades produzidas no Brasil, empresa reviu os preços de suas versões, reduzindo-os para não perder e incentivar vendas no período pré eleitoral, habitualmente redutor de negócios. Segundo o fabricante, não houve contração de conteúdo, mas apenas um ajuste sazonal.

O realinhamento minguou preços em até R$ 7 mil na versão de entrada, a Custom, motor flex 1,8 e câmbio manual de 5 marchas. Em julho encontrável por R$ 76.990, seu preço sugerido em tabela é de R$ 69.990. Em posição intermediária, a versão Sport 1,8 e câmbio manual sofreu corte de R$ 3.500, descendo a R$ 79.990. Com opção de câmbio automático, teve preço reduzido em R$ 2.500, chegando a R$ 86.490. Versão Longitude, superior, com transmissão automática, teve corte de R$ 3.500, atingindo R$ 90.490.







* Roberto Nasser, edita@rnasser.com.br, é advogado especializado em indústria automobilística, atua em Brasília (DF) onde redige há ininterruptos 50 anos a coluna De Carro Por Aí. Na Capital Federal dirige o Museu do Automóvel, dedicado à preservação da história da indústria automobilística brasileira.




Leia> Coisas de Agora.

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

VOLKSWAGEN PROMOVE AÇÃO ESPECIAL DE VENDAS DURANTE AGOSTO.


A Volkswagen está promovendo durante o mês de agosto uma ação especial de vendas nas linhas Novo Polo e Virtus. Além de oferecer condições especiais de financiamento, com planos com taxa 0% e saldo em até 24 meses, as versões Highline e Comfortline com os opcionais mais requisitados pelos clientes estão com preços promocionais. Os descontos chegam a R$ 1.220 e estão sendo praticados em toda a rede de concessionárias da marca.

Para o Novo Polo Highline os opcionais mais desejados estão com um ótimo desconto, o opcional Tech High está com um desconto de 16% sendo ofertado anteriormente por R$ 4.833 e agora por R$ 4.075, outro opcional muito procurado a rodas de liga leve de 17” teve desconto de 17%, com preço de R$ 1.247 por R$ 1.030, para proporcionar ainda mais conforto para a versão o pacote Native teve um desconto de 25%, com preço de R$ 830 por R$ 625. Como resultado desta grande oferta o Novo Polo Highline Completo passa a ser ofertado por R$ 78.980 (desconto de R$ 1.180 em relação ao preço anterior).

O mesmo ocorre para a versão Highline do modelo Virtus que seguindo a mesma proposta de oferta também está ofertando uma redução nos preços dos opcionais, sendo, o opcional Tech High com um desconto de 13%, com preço anteriormente por R$ 4.690 e agora por R$ 4.085, a rodas de liga leve de 17” com desconto de 27%, com o preço promocional de R$ 890 e o pacote Native tem com um desconto de 38%, sendo ofertado com excelente preço de R$ 495. O Virtus Highline completo passa a ser ofertado por R$ 85.460 (desconto de R$ 1.220 em relação ao preço anterior).

Além da oferta nos opcionais, ambos possuem uma condição de financiamento muito atrativa com taxa 0% e saldo em 24 parcelas.

O opcional Tech High traz itens muito desejados pelo consumidor como Kessy” (acesso ao veículo sem o uso da chave e botão para partida do motor), “Park Pilot” (sensor de estacionamento dianteiro),  câmera de ré traseira, volante multifuncional com “Shifts paddles”, além do instrumento combinado digital (Active Info Display) e o Sistema infotainment “Discover Media”, com tela sensível ao toque (touchscreen) de 8", Bluetooth, sensor de aproximação, navegação e App-Connect (espelhamento de smartphone).

Já na versão Comfortline o Novo Polo equipado com os pacotes Tech II e rodas de liga leve de 16” é oferecido por R$ 72.420 (desconto de R$ 605) e o Virtus Comfortline, com os mesmos opcionais, agora custa R$ 78.870 (abatimento de R$ 626). Assim como na versão Highline, também pode ser financiado em 24 prestações, taxa 0%.

O pacote Tech II agrega ao Novo Polo itens como “Kessy” (acesso ao veículo sem o uso da chave e botão para partida do motor), “Park Pilot” (sensor de estacionamento dianteiro), controle automático de velocidade, espelho retrovisor interno antiofuscante automático (eletrocrômico), sensores de chuva e crepuscular (luminosidade), volante multifuncional com “Shifts paddles”, ar-condicionado digital “Climatronic”, câmera traseira, detector de fadiga, indicador de pressão dos pneus, Post Collision Brake e porta-luvas refrigerado.

O Tiguan Allspace também está com taxas especiais. O modelo Comfortline, que tem preço sugerido de R$ 149.990, pode ser financiado sem juros e saldo em 18 parcelas.

Parcelas fixas de R$ 99

Após o sucesso da promoção realizada em abril desse ano, a Volkswagen volta a oferecer uma condição especial para aquisição dos carros da marca, como parte da estratégia da Nova Volkswagen. Durante todo o mês de agosto, qualquer modelo Volkswagen pode ser comprado com o primeiro ano de parcelas fixas de R$ 99 mensais.

E mais: lançados no final de julho, o Gol e o Voyage automáticos já podem ser adquiridos com a primeira parcela somente para 99 dias. Válida para toda a linha Volkswagen, a nova campanha de varejo prevê entrada de 60% e taxa de 1,49%, com as 12 primeiras parcelas mensais de R$ 99,00 + 36 meses com o saldo restante.

Volkswagen do Brasil.
Assuntos Corporativos e Relações com a Imprensa.

Leia> Coisas de Agora.

AUDI SPORT EXPERIENCE RETORNA NESTE ANO A 20 CIDADES BRASILEIRAS.


Em uma ação inovadora que ocorre pelo segundo ano consecutivo, o Audi Sport Experience (ASE) vem percorrendo desde junho concessionárias da marca em pontos estratégicos do país para oferecer test-drives de sua linha de esportivos. O evento contempla no total 20 cidades brasileiras nas quais a Audi está presente.

Seis modelos estarão disponíveis para que os clientes possam ter a experiência de dirigir os carros mais potentes da marca vendidos no Brasil: R8 Coupé V10 plus, RS 6 Avant performance, TT RS, RS 3 Sedan, RS Q3 e SQ5. Outros modelos da linha Audi Sport também deverão ser incorporados ao evento conforme forem lançados no Brasil, como o RS 4 Avant.

Cada cidade sedia o evento por três dias, e os test-drives são feitos por clientes e por convidados das concessionárias de cada localidade. As avaliações são acompanhadas por uma equipe oficial da empresa, que dá suporte para toda a operação.

"Nossa experiência com o Audi Sport Experience foi bastante positiva no ano passado e temos certeza que será um sucesso novamente. Os clientes podem sentir na pele toda a potência da nossa linha de superesportivos, que reúne não apenas um desempenho espetacular, mas ainda muito luxo, conforto e tecnologia, que são marcas registradas da Audi", afirma Johannes Roscheck, presidente e CEO da Audi do Brasil.

Neste final de semana, o Audi Sport Experience está sendo realizado na Audi Center Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. O evento já passou por Alphaville e Itaim, na capital paulista, Campinas e Rio de Janeiro. A caravana seguirá então para Porto Alegre, Caxias do Sul, Blumenau, Santos, São Jose do Rio Preto, Campo Grande, Cuiabá, Goiânia, Brasília, Juiz de Fora, Salvador, Recife, João Pessoa, Fortaleza, Teresina e o encerramento será em Manaus, em fevereiro de 2019. O evento já percorreu três cidades desde junho, quando passou por São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro.

O R8 Coupé V10 plus está entre os carros que participam da ação. O superesportivo tem desempenho de tirar o fôlego: é equipado com motor 5.2 V10 de 610 cv e acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3,2 segundos.  Já o RS 6 Avant performance tem motor 4.0 V8 TFSI com 605 cv de potência, e chega aos 100 km/h em apenas 3,7 segundos, considerado o station wagon mais rápido do mundo. Além destes modelos participam do roadshow o TT RS e o RS 3 Sedan, ambos equipados com o poderoso motor 2.5 de cinco cilindros com 400 cv, e os SUVs "apimentados" RS Q3 e SQ5 que, mesmo sendo carros familiares, entregam uma performance surpreendente.

O Audi Sport Experience é apoiado pela transportadora TransZero e pela Pirelli, marca dos pneus que equipam os esportivos nos eventos.

Cronograma do evento

2018
16 a 18/8 – Ribeirão Preto
23 a 25/8 – Porto Alegre
30/8 a 1/9 – Caxias do Sul
13 a 15/9 – Blumenau
20 a 22/9 – Santos
27 a 29/9 – São José do Rio Preto
4 a 6/10 – Campo Grande
1 a 3/11 – Cuiabá
8 a 10/11 – Goiânia
14 a 17/11 – Brasília
22 a 24/11 – Juiz de Fora
29/11 a 1/12 – Salvador 

2019
10 a 12/1 – Recife
17 a 19/1 – João Pessoa
24 a 26/1 – Fortaleza
31/1 a 2/2 – Teresina
21 a 23/2 – Manaus 

Audi do Brasil.
Departamento de Comunicação.

Index Assessoria.

Leia> Coisas de Agora.

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

FUNDAÇÃO TOYOTA PROMOVE DISCUSSÃO AMBIENTAL NA VIRADA SUSTENTÁVEL DE SÃO PAULO.


Na oitava edição da Virada Sustentável de São Paulo, que acontecerá entre os dias 23 e 26 de agosto, a Fundação Toyota do Brasil conta com duas atividades ambientais para o público paulistano. Uma delas é o fórum “Empresas e Meio Ambiente: muito além do próprio impacto” e a outra é um jogo interativo, que propõe uma Caça aos Tesouros do Brasil inspirado nos projetos apoiados pela entidade como o Arara Azul, Costa dos Corais, Águas da Mantiqueira. E também um jogo educativo em formato de quizz baseado no Ambientação.

O fórum “Empresas e o Meio Ambiente: muito além do próprio impacto” contará com as presenças de Percival Maiante, presidente da Fundação Toyota do Brasil; Rejane Pieratti, secretária de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental do Ministério do Meio Ambiente; Filipe Barolo, gerente de sustentabilidade ambiental da cervejaria AMBEV; Rodolfo Viana, diretor da Fundação Espaço ECO; Professora Doutora Sylmara Lopes, da USP e Marcia Hirota, diretoria executiva da Fundação SOS Mata Atlântica para discutir modelos de negócios baseados na sustentabilidade socioambiental. O debate será mediado pelo jornalista Dal Marcondes, da Agência Envolverde, no dia 24 (sexta-feira), na FEA/USP às 15h30. Os interessados deverão se inscrever usando o link goo.gl/nNCB52.

Jogo interativo


Um quizz baseado no projeto Ambientação vai questionar os visitantes sobre questões ambientais, como consumo consciente de água e energia elétrica e gerenciamento de resíduos. Além disso, os visitantes poderão explorar os demais projetos promovidos pela Fundação Toyota em uma expedição pelos tesouros do Brasil: o Projeto Toyota APA Costa dos Corais, que tem como principais objetivos preservar os recifes de corais e manguezais e preservar o habitat do peixe-boi-marinho, um dos mamíferos aquáticos mais ameaçados do País. O Projeto Arara Azul, que preserva a espécie e a biodiversidade do Pantanal, por meio do monitoramento de aves, ninhos e ações de preservação ambiental. E o Projeto Águas da Mantiqueira, que tem como objetivo preservar a biodiversidade da Serra da Mantiqueir a, maior província de água mineral do mundo, por meio de uma pesquisa territorial desenvolvida em Santo Antônio do Pinhal (SP). O jogo ficará disponível durante toda a edição da Virada Sustentável, de 23 a 26 de agosto, no Espaço Unibes Cultural (Rua Oscar Freire, 2500 – Sumaré/SP).

Serviço
8º edição da Virada Sustentável de São Paulo
Fundação Toyota do Brasil apresenta fórum: Empresas e Meio Ambiente: muito além do próprio impacto
Data: 24 de agosto (sexta-feira)
Horário: 15h30
Local: FEA/USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo) – Avenida Professor Luciano Gualberto, 908, Butantã – Rua Sala da Congregação.
Vagas limitadas.
Inscreva-se goo.gl/nNCB52.

Virada Sustentável


A Virada Sustentável é o maior festival de mobilização e educação para a sustentabilidade do Brasil, e envolve cocriação, articulação e participação direta de organizações da sociedade civil, órgãos públicos, escolas e universidades, empresas, coletivos e movimentos sociais. Teve sua primeira edição realizada em 2011, em São Paulo, e desde então vem ampliando seu escopo de atuação, promovendo edições em cidades como Sinop, Manaus, Salvador, Porto Alegre e Rio de Janeiro. Em 2017, a 67º edição da Virada Sustentável na capital paulista, reuniu cerca de um milhão de pessoas em mais de 500 atividades e atrações gratuitas espalhadas por mais de 120 lugares da cidade. Visite: www.viradasustentavel.org.br.

Printer Press Comunicação Corporativa.

Leia> Coisas de Agora.

MARCOPOLO MOSTRA TECNOLOGIA EM VEÍCULOS ELÉTRICOS NO FÓRUM DE GERAÇÃO DE ENERGIA COM FONTES RENOVÁVEIS.


A Marcopolo participou nesta quarta-feira (15), do II Fórum de Geração Distribuída de Energia com Fontes Renováveis no Rio Grande do Sul, e apresentou o seu expertise no projeto e desenvolvimento de tecnologia de carroceria para veículos elétricos e movidos por combustíveis de fontes renováveis. Organizado pela FIERGS, SENAI RS, SEBRAE RS e Governo do Estado do Rio Grande do Sul, o evento realizado na FIERGS, em Porto Alegre, teve como objetivo incentivar a ampliação de investimentos no setor elétrico gaúcho e debater novas formas de produção de energia.

O objetivo da empresa foi mostrar alguns dos trabalhos desenvolvidos com vários parceiros, entre eles as montadoras de chassi, na concepção de veículos para o transporte de passageiros, movidos por combustíveis de fontes renováveis para várias soluções de propulsão. Entre esses projetos destacam-se desde o tradicional até as mais modernas tecnologias, e envolvem a construção e industrialização desses veículos para obter a melhor e mais eficiente solução, oferecendo transporte seguro e confortável para as pessoas, no melhor custo operacional, com excelente desempenho, confiabilidade e durabilidade.

"A Marcopolo, em parceria com montadoras, fornecedores, centros de pesquisas e universidades,  tem atuado fortemente em soluções de energia limpa e renovável. Além de carrocerias  para veículos elétricos e híbridos, temos desenvolvido materiais recicláveis mais leves e eficientes que reduzem a energia utilizada nos processos produtivos e garantem maior durabilidade e performance para nossos clientes", comentou Luciano Resner, diretor de engenharia da Marcopolo.

A denominação de Geração Distribuída de Energia tem sido a forma como o mercado se refere ao uso cada vez mais intenso de tecnologias que permitem ao usuário produzir o próprio insumo. A geração de energia elétrica pelos consumidores é uma realidade e conta com tecnologias acessíveis e custo decrescente. A modalidade chamada Geração Distribuída de Energia com Fontes Renováveis pode ser considerada uma nova revolução nas relações entre sociedades e governos.

E isso já ocorre no Brasil e no Rio Grande do Sul há alguns anos. O Ministério de Minas e Energia prevê que, até o ano de 2030, 2,7 milhões de unidades consumidoras poderão gerar sua própria energia de forma total ou parcial. Isso pode representar que indústrias, residências, comércios e propriedades rurais produzam 23.500 megawatts de energia limpa e renovável, o equivalente à metade do que é gerado atualmente pela Usina Hidrelétrica de Itaipu.

O crescimento de iniciativas para implantação de projetos de geração distribuída de energia com diversas capacidades representa uma oportunidade para a indústria brasileira, pois potencializa o fornecimento de equipamentos, sistemas, partes e componentes. O fator logístico é outro importante elemento nesse contexto, considerando as distâncias entre os locais de produção e consumo, o que eleva os custos, especialmente de transmissão e distribuição. Por isso, as unidades de geração distribuída de energia aproximam a fonte de produção do local de consumo, reduzindo os custos.

Foto: Douglas de Souza Melo.

Secco Consultoria de Comunicação.

Leia> Coisas de Agora.

NOVO DELIVERY É DESTAQUE NA AGENDA CONFENAR 2018.


O Novo VW Delivery 6.160 é o grande atrativo da Volkswagen Caminhões e Ônibus na Agenda Confenar 2018, junto ao VW Constellation 17.230 Distributor. O evento organizado pela Confederação Nacional das Revendas Ambev e das Empresas de Logística da Distribuição acontece no Hotel Bourbon Cataratas na cidade de Foz do Iguaçu (PR), entre os dias 15 a 17 de agosto.

Com conforto de automóvel e robustez de caminhão, o Delivery 6.160 chega com a melhor manobrabilidade da categoria, cabine ampla e confortável, importantes vantagens operacionais em relação à concorrência e confere agilidade à toda prova para as entregas urbanas que demandam maiores volumes de carga.

O caminhão conta com caixa Eaton de seis velocidades e motorização Cummins ISF de 2,8l com solução SCR para o pós-tratamento de gases e potência que chega a 156 cv e torque máximo de 430 Nm. Com importantes vantagens operacionais em relação à concorrência, confere agilidade à toda prova para as entregas urbanas que demandam maiores volumes de carga.

O VW Constellation 17.230 Distributor exposto no evento é apresentado com pacote Robust, que se soma às já conhecidas linhas Trend e Prime. Disponível para a versão Constellation Cabine Estendida, traz a robustez necessária para quem precisa de um caminhão com durabilidade e baixo custo de investimento.

O modelo é o vocacional certo para distribuição de bebidas. Com tecnologia EGR de tratamento de emissões, que ao contrário do SCR não necessita de Arla 32,  representa uma vantagem tanto em termos operacionais quanto de economia.

Neste ano a Convenção Nacional tem como objetivo vencer os desafios de um mercado econômico desafiador através de Criatividade, Excelência Operacional, Gestão Eficiente de Custos e Ganhos de Produtividade constantes. E trará também, as estratégias que prepararão ações para o último quadrimestre do ano.

MAN Latin America.

Leia> Coisas de Agora.

REAPRENDER É PRECISO.
Por Fernando Calmon*

Relacionamento entre quem compra e vende veículos passa por grande transformação. A transição não será tão rápida, mas há necessidade de manter flexibilidade para evitar que o mundo digital se sobreponha de maneira fria ao contato pessoal. Este foi o lema do 28º Congresso da Fenabrave, realizado ao longo de dois dias em São Paulo (SP), semana passada, tendo como pano de fundo o segundo ano consecutivo de recuperação de vendas.

Duas reivindicações do setor de concessionárias ainda patinam, sai ano, entra ano, e interessam também aos compradores: renovação de frota e inspeção veicular. O País precisaria de recuperação econômica consistente para dar sustentação a esses dois programas. Para complicar o Renave (Registro Nacional de Veículos em Estoque), que traria mais segurança jurídica e menores custos nas transações de carros usados, depende de integração entre todos os Detrans do País. Passados dois anos, ainda patina, como lembrou Alarico Assumpção Jr., presidente da Fenabrave.

Miguel Fonseca, vice-presidente da Toyota, chamou a atenção sobre o avanço do compartilhamento ou cobrança pelo uso. Vão exigir custos maiores de manutenção, pois os veículos deverão rodar até quatro vezes mais do que hoje. Sobre o crescimento avassalador dessa modalidade há dúvidas, já lembradas por essa coluna. No exterior, pesquisas apontam certa insegurança dos usuários sobre a forma como o carro foi guiado ou “abusado” anteriormente. Se o carro é seu, você sabe tratá-lo. Um estranho teria o mesmo cuidado?

De qualquer modo, novas ferramentas de comercialização chegaram para ficar. De acordo com o diretor do Itaú Unibanco, Rodnei Bernardino, o assistente digital apresentado no evento e disponível agora em setembro é um exemplo. “Um robô interage com o cliente por meio de perguntas e respostas. Assim, consegue captar praticamente todos os seus desejos por meio do aplicativo no PC ou smartphone. Da cor do veículo às condições do financiamento, a qualquer hora, nos sete dias da semana. Facilita a vida do comprador e agiliza o trabalho do vendedor na loja”, explica.

Para o CEO da plataforma iCarros, Ricardo Bonzo Filho, nenhum cliente ficará desassistido mesmo quando transações totalmente on line tornarem-se corriqueiras. “O atendimento presencial nunca deverá ser negligenciado”, defende.

As mudanças atingem também quem prefere vender o veículo usado numa transação direta entre particulares, sem participação de lojistas ou concessionárias. A internet abriu novas possibilidades e impressiona o número de sites em que é possível anunciar ou procurar o modelo desejado. Apenas um deles, OLX, que nasceu na Argentina e hoje de propriedade do grupo sul-africano Naspers, afirma ter 20 milhões de usuários por mês no Brasil e responder por mais de 25% do total de carros seminovos e usados comercializados. Tamanha concentração, em poucos anos de atuação, chega a assustar.

O jeito é se render ao pensamento de Alvin Toffler, escritor e futurista americano, falecido há dois anos: “O analfabeto do século XXI não será aquele que não consegue ler e escrever, mas aquele que não consegue aprender, desaprender e reaprender.”

ALTA RODA


AGITAÇÃO nos EUA sobre carros elétricos. Apple contratou ex-engenheiro chefe da Tesla, Doug Field, o que levou a interpretações de volta ao interesse em produzir veículos. Embora a gigante de US$ 1 trilhão nunca tenha anunciado o projeto, continua a investir em tecnologia para autônomos. Quanto à Tesla, fechará seu capital. “Cansou” de expor vexaminosos prejuízos...

ANFAVEA e Secretaria Nacional do Consumidor ampliam o esforço para mais motoristas atenderem às campanhas de revocação (recall) e assim corrigir itens de segurança defeituosos. Índice atual é inferior a 50%, na média, e em alguns casos, abaixo de 40%. No site da entidade agora há um link para dados específicos e atualizados: www.anfavea.com.br/recall.html.

SEGUNDA geração de lâmpadas em LED da Philips abrange 80% da frota e sua durabilidade é quatro vezes superior às halógenas convencionais. Capacidade de iluminação é quase três vezes maior com um facho branco que descansa a vista. Custa aproximadamente o quádruplo de uma lâmpada convencional. Deve-se registrar a modificação no Detran.

MAIOR fabricante de rodas de aço e de liga leve do mundo é uma empresa multinacional brasileira. Iochpe-Maxion completa um século de fundação em novembro próximo. Empresa de origem gaúcha diversificou sua atuação ao longo do tempo, até se concentrar em rodas (adquiriu marcas consagradas no exterior), que representam 80%. Chassis e longarinas são 20%.

DIVERSIFICAR também é estratégico na Cummins, fabricante de motores pesados e geradores. Sabe-se que veículos comerciais serão os últimos a migrar para a eletrificação, embora ônibus e caminhões urbanos tendam a ser elétricos. Investe ainda em gás natural (transforma ciclo Diesel em ciclo Otto), biocombustíveis e produção de baterias. Marca americana completa 100 anos em 2019.







* Fernando Calmon - fernando@calmon.jor.br - é jornalista especializado desde 1967. Engenheiro, palestrante e consultor em assuntos técnicos e de mercado nas áreas automobilística e de comunicação. Sua coluna Alta Roda começou em 1999. É publicada em O Brasil Sobre Rodas, WebMotors, Gazeta Mercantil e também em uma rede nacional de 52 jornais, sites e revistas. É, ainda, correspondente para a América do Sul do site Just-auto (Inglaterra).Siga: www.twitter.com/fernandocalmon  - www.facebook.com/fernando.calmon2.

TOYOTA ABRE INSCRIÇÕES PARA PROGRAMA DE VISITAS NAS UNIDADES DE INDAIATUBA, SÃO BERNARDO E SOROCABA.

A Toyota do Brasil dá início ao programa de visitas em três de suas unidades industriais no território nacional: Indaiatuba e Sorocaba, ambas no interior paulista, e São Bernardo do Campo, na grande São Paulo.

Os interessados em fazer um tour e conhecer mais a respeito da história da companhia no País, bem como as práticas adotadas pela Toyota em suas linhas de montagem, podem inscrever-se pelo site: www.toyota.com.br/programa-de-visitas.

Como empresa cidadã, o programa de visitas da Toyota foi concebido para multiplicar as boas práticas operacionais e industriais, ao compartilhar valores intrínsecos em sua filosofia empresarial, mundialmente reconhecida pela eficiência e qualidade na produção e preocupação com o meio ambiente.

As visitas poderão ser realizadas de segunda a sexta-feira, no período da manhã e da tarde. Informações e a disponibilidade de agendamento podem ser consultadas pelo site do programa.

Resumo do que contempla a visita em cada uma das plantas


Fábrica de São Bernardo do Campo: Na cidade do ABC paulista está localizada a primeira fábrica da Toyota fora do Japão. Nela, os visitantes terão oportunidade de conhecer um pouco mais sobre os 60 anos de história da Toyota no Brasil, com acervo completo localizado no Centro de Visitas da empresa. Todos os públicos de interesse, com mais de 11 anos de idade, podem visitar essa unidade. A programação da planta são-bernardense da Toyota já faz parte, inclusive, da agenda de Turismo Industrial daquele município.

Fábrica de Indaiatuba: Na fábrica onde é produzido o Corolla, sedã médio líder no segmento, a visita tem foco técnico e é restrita a um público maior de 15 anos. O tour pela instalação, que em breve completará 20 anos, traz rico detalhe do funcionamento e visa demonstrar, na prática, a execução do Sistema de Produção Toyota (TPS) na linha de montagem.

Fábrica de Sorocaba: O plant tour pela unidade sorocabana, onde são feitos o compacto Etios e o recém-lançado Yaris, será aberto para turmas de crianças com idade superior a seis anos e adultos com mais de 15 anos. A proposta da visita é compartilhar com o público ações e boas práticas ambientais realizadas pela Toyota do Brasil e Fundação Toyota do Brasil por meio da filosofia Toyota Way, base da cultura corporativa da marca.   Essa planta foi construída totalmente sob o conceito Ecofactory, o mesmo utilizado pela matriz da empresa no Japão, com objetivo de reduzir a emissão de resíduos, compostos voláteis e emissões de CO2 nos processos industriais, além de reutilizar água da chuva e aprove itar energia solar.

Para a Toyota do Brasil, a iniciativa deixará um legado positivo para a sociedade e servirá como ferramenta para disseminar boas práticas industriais e ambientais realizadas pela companhia, com o fim de enaltecer os valores da cidadania e o respeito às pessoas.


Toyota do Brasil. 
Printer Press Comunicação Corporativa.

Leia> Coisas de Agora. 

RORAIMA PASSA A CONTAR COM CAMINHÕES IVECO TECTOR 170E28.


A Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM), por meio de verba parlamentar e de um convênio com o Ministério da Integração, está investindo na ampliação da frota que atende os municípios roraimenses. A área que será beneficiada é a de coleta de resíduos sólidos, com a compra de 15 unidades do IVECO Tector 170E28. 

Para Osmar Hirashiki, diretor Comercial da IVECO, os principais fatores que fizeram com que o Tector fosse escolhido são a robustez e a confiabilidade do produto, que pode ser implementado para diversas operações do transporte, como para a construção civil, para o transporte de grãos e para o transporte de bebidas. "Seja qual for o negócio, certamente, a montadora tem o caminhão adequado. O Tector é o semipesado mais moderno do mercado latino-americano." 

Potência, economia e produtividade são alguns dos destaques desse veículo. Com duas opções de câmbio, uma delas o automatizado Auto-Shift, e quatro opções diferentes de entre-eixos, que permitem um total de 16 versões, o IVECO Tector se destaca pela versatilidade. 

Os modelos utilizam os motores NEF, da FPT Industrial, com 4 ou 6 cilindros e potências máximas que vão de 210 até 300 cv, que atendem às normas de emissões Proconve P7 (equivalentes à Euro V) e se caracterizam pelo reduzido consumo de combustível, aliado ao ótimo desempenho. 

O conforto a bordo fica por conta da suspensão dianteira com molas parabólicas e amortecedores hidráulicos telescópicos. Cabine ampla, revestimentos de qualidade e comandos práticos, e de fácil acesso, são destaques. 
Para Renato Perrota, gerente de Vendas ao Governo da IVECO, a marca desenvolveu um produto sob medida, que atendeu aos anseios do cliente e confirmou a IVECO, mais uma vez, como vencedora de uma importante licitação pública. 

Página 1 Comunicação.

Leia> Coisas de Agora.