terça-feira, 22 de outubro de 2019

GENERAL MOTORS INAUGURA NOVA LINHA DE MOTORES EM JOINVILLE


Com investimento de R$ 1,9 bilhão em novas tecnologias e edificações, a nova linha de motores da fábrica da General Motors de Joinville (SC) foi inaugurada hoje, 22 de outubro, em cerimônia que também marcou a entrega da sexta edição do Prêmio GM de Sustentabilidade.

"A fábrica de Joinville, que já era uma das mais modernas e sustentáveis da região e do mundo, agora é uma das operações de sistemas de propulsão com maior nível de automação. Isto foi viabilizado com os investimentos recentes", revelou Marcos Munhoz, vice-presidente da GM América do Sul.

Muitos processos da nova linha de motores da fábrica de Joinville da GM possuem nível de automação da indústria 4.0.

"Temos, por exemplo, empilhadeiras autoguiadas realizando o abastecimento de componentes usinados e motores finalizados. Cerca de 20% da nossa frota de empilhadeiras são autônomas e as demais são equipadas com uso eficiente de energia limpa", comenta Luiz Fernando Duccini, gerente geral da fábrica de Joinville.

Além disso, os dispositivos de automação da linha de montagem e usinagem de componentes escaneiam o código de cada peça e selecionam automaticamente o programa correto para fabricar aquele tipo de motor e ajustam os parâmetros de manufatura quando necessário.

Entre os avanços tecnológicos implementados na fábrica está o monitoramento de consumo de utilidades de água, ar comprimido e energia por linha e processo produtivo, tanto no setor de usinagem de componentes, como na linha de montagem de motores.

"Esse controle tão preciso permite que consigamos nos tornar ainda mais eficientes ao medir os consumos de utilidades por unidade produzida e os impactos de cada processo, assim podemos atuar mais focados ainda também na sustentabilidade", afirmou Duccini.

A nova linha produz os inovadores motores 1.0 turbo e aspirado de três cilindros do Novo Onix e do Novo Onix Plus fabricados em Gravataí (RS).

A unidade de Joinville conta com 90 robôs operando um sistema integrado e inteligente onde todas as peças são monitoradas pelo seu número serial, permitindo registrar dados importantes de manufatura e qualidade.

"Isso significa que podemos realizar o rastreamento de todas as peças de qualquer motor em tempo real, o que garante muito mais qualidade e precisão ao processo de fabricação", explica o gerente geral da fábrica. Com a nova linha, a capacidade produtiva da fábrica passa de 174 mil motores por ano para 410 mil unidades.

Números da obra de expansão da fábrica da GM de Joinville
- Mais de 410 mil horas trabalhadas na instalação das máquinas
- Área construída: 46.800 m2, equivalente a nove campos de futebol
- 627 novos equipamentos instalados
- 90 robôs
- 512 containers recebidos de máquinas e equipamentos
- Fornecedores de 15 países diferentes

Sustentabilidade na fábrica de Joinville


A GM tem em Joinville (SC) uma das fábricas mais sustentáveis do mundo. A unidade foi a primeira a implantar um conjunto de sistemas pioneiros na área de eficiência energética e proteção ao meio ambiente, com destaque para a energia fotovoltaica - gerada a partir da luz do sol, reciclagem de água industrial por meio de osmose reversa e tratamento inédito de efluentes e esgotos por meio de jardins filtrantes.

A unidade também possui 100% dos resíduos industriais reciclados (zero aterro). Pelo programa "Zero Aterro" todos os resíduos do processo produtivo são reutilizados, reciclados ou coprocessados. Mesma prática foi adotada no recebimento de 512 containers de equipamentos, que compõem a nova linha de usinagem e montagem recém-inaugurada para a fabricação dos motores turbo e aspirado do Novo Onix e Novo Onix Plus.

Todas essas tecnologias foram ampliadas no processo de expansão da fábrica. Outras iniciativas, como a troca de torres de resfriamento, o melhor direcionamento da água pluvial e a substituição dos carregadores de bateria, fizeram com que a fábrica se tornasse ainda mais eficiente, gerando redução do consumo de água equivalente ao gasto de 43 residências no período de um ano e de energia elétrica na ordem de 106 residências por ano.

Prêmio GM de Sustentabilidade 2019


A General Motors anunciou nesta terça-feira, dia 22 de outubro de 2019, os vencedores do Prêmio GM de Sustentabilidade entregue para Concessionárias, Fornecedores e Empregados. A cerimônia foi realizada na Fábrica de Joinville, em Santa Catarina, uma das mais sustentáveis do mundo.

A premiação reconhece as melhores práticas sustentáveis, que contribuem para realizar a visão de futuro da GM de zero acidente, zero emissão e zero congestionamento ao trazer desenvolvimento econômico, preservando os recursos ambientais e gerando meios para que se promova um melhor equilíbrio no desenvolvimento social. Na sua sexta edição, o tema do prêmio deste ano foi a reciclagem.

A concessionária vencedora foi a Uvel, de Santa Catarina, o fornecedor foi a Cooper Standard e a empregada foi a Clarice Damião, líder de grupo da fábrica de Joinville. O júri é composto pelo Comitê de Sustentabilidade da General Motors, seguindo os critérios como inovação e relevância para o negócio.

"É uma honra para mim estar presente aqui em uma das fábricas mais sustentáveis do mundo para reconhecer iniciativas de sustentabilidade que estão presentes em toda a nossa cadeia: desde os fornecedores, passando pelos nossos empregados, até chegarmos ao cliente final nas concessionárias. O tema deste ano é muito importante porque a questão do lixo é cada vez mais relevante e está muito em linha com as nossas práticas. Todas as nossas fábricas no Brasil são Zero Aterro e estamos caminhando para termos todas as nossas instalações da GM no mundo com essa certificação muito em breve", comenta Marcos Munhoz, vice-presidente da GM América do Sul e Presidente do Comitê de Sustentabilidade.

CONCESSIONÁRIA - UVEL
A concessionária possui diversas iniciativas que visam diminuir seus impactos ambientais e também colaborar com o desenvolvimento social local. Entre os projetos estão a captação de água pluvial, uso de telhas translúcidas para privilegiar a iluminação natural, coleta seletiva de resíduos, reutilização de insumos químicos, qualificação da mão de obra, neutralização de resíduos contaminados, capacitação da comunidade em mecânica básica, entre outros.

FORNECEDOR – COOPER STANDARD
A empresa realiza a coleta seletiva, reciclagem e coprocessamento dos seus resíduos em busca do zero aterro, faz o tratamento de efluentes líquidos e gasosos, a gestão de energia e emissão de CO2 e do consumo de água, além de promover ações socioambientais com a comunidade.

EMPREGADA - CLARICE DAMIÃO
A empregada coordenou o Projeto Polinizadores, com um hotel de abelhas construído com madeira reciclada e jardins que utilizam pneus reutilizados.

A General Motors está comprometida em oferecer às pessoas meios de locomoção melhores, mais seguros e sustentáveis. A GM, suas subsidiárias e entidades de joint venture vendem veículos sob as marcas Chevrolet, Cadillac, Baojun, Buick, GMC, Holden, Jiefang e Wuling. Mais informações sobre a empresa e suas subsidiárias, incluindo a OnStar, líder mundial em segurança de veículos, serviços de segurança e informações, a Maven, sua marca de mobilidade pessoal, e a Cruise, sua empresa de veículos autônomos e car sharing, podem ser encontradas em www.gm.com.

CONVERSA DE PISTA.
Por Wagner Gonzalez*

BRASILEIRAS E BRASILEIROS A CAMINHO


Bruna Tomaselli, catarinense de 21 anos vai disputar a W Series em 2020. Foto: W Series.

Enquanto a F-1 se prepara para o GP do México na expectativa de ver Lewis Hamilton garantir seu sexto título mundial, boa parte da atual safra de pilotos brasileiros com potencial de se consagrar no cenário internacional começou a semana dando passos importantes para a temporada de 2020. A lista começa por Bruna Tomaselli, que foi confirmada para disputar a W Series, passando por Enzo Fittipaldi, Igor Fraga e João Vieira participando de testes que ajudarão a definir o grid da F-3 FIA e a confirmação de Fittipaldi e Felipe Drugovich na lista de inscritos para o Suncity Group Grand Prix of Macau, prova considerada como uma verdadeira copa mundial da F-3 Regional.

Vaga de Bruna foi disputada em três fases: peneira começou com 40 candidatas e terminou com seis. Foto: W Series.

A catarinense Bruna Tomaselli deu seus primeiros passos no kart, mais exatamente no circuito de São Miguel do Oeste quando tinha apenas sete anos de idade. O apoio da família contribuiu bastante para seu progresso nas pistas e nas últimas temporadas competiu na América do Norte, onde disputou duas temporadas da USF 2000, categoria de base do programa Road to Indy, que visa desenvolver o potencial de jovens valores com intenção de disputar a F-Indy.

No início do ano passado a catarinense de 21 anos participou da seletiva da primeira temporada da W Series, campeonato disputado este ano e aberto a mulheres, mas não foi selecionada. O equipamento padrão da categoria é o chassi Tatuus T-318 que utiliza o motor Alfa Romeo 1.750 de 270 cv de potência e o câmbio Sadev de seis marchas e pneus Hankook, especificações próximas da F-3 Regional. Este ano Bruna foi novamente convidada para disputar a seletiva para preencher as 20 vagas de 2020; doze delas estão reservadas para as 12 melhores do campeonato deste ano e duas serão usadas para wild-cards. No mês passado 40 meninas se inscreveram para disputar uma peneira de 18 nomes, das quais apenas seis foram aprovadas. O calendário terá seis etapas nos autódromos de Assen (Holanda), Brands Hatch (Inglaterra), Hockenheim e Norisring (Alemanha), Misano (Itália) e Zolder (Bélgica) em datas ainda a serem anunciadas.

Enzo Fittipaldi pretende disputar a F-3 FIA em 2020. Categoria tem etapas preliminares aos GPs de F-1. Foto: Prema.

Com o título de vice-campeão italiano da F-3 Regional (torneio conquistado pelo dinamarques Frederik Vesti), Enzo Fittipaldi marcou presença, ontem, de testes que poderão definir seu programa de 2020. O campeão foi Frederik Vesti. Pietro foi um dos três brasileiros que participaram dos treinos livres da F-3 FIA (antiga GP3), que aconteceu no circuito Ricardo Torno, em Valencia (Espanha); os outros dois foram Igor Fraga e João Vieira. Fittipaldi marcou o 12º tempo (1'22"084) no treino da tarde, quando o australiano Oscar Piastri, com outro carro da equipe Prema (a mesma de Enzo) foi o mais rápido com o tempo de 1'21"679.

Igor Fraga, consagrado no eGames, venceu duas provas em Monza. Foto: Divulgação.

Igor Fraga ficou em 24º (1'22"513) e João Vieira em 30º e último lugar (1'22"997). Enzo está confirmado na lista de inscritos para o GP de Macau, que acontece entre os dias 14 e 17 de novembro no Circuito da Guia, famoso por suas curvas fechas e pela pista estreita que serpenteia pelas ruas do antigo enclave português localizado na baía de Hong Kong. O paranaense Felipe Drugovich – que este ano disputou a F-3 -, também participa dessa prova considerada o campeonato mundial da categoria. O veterano Augusto Farfus está inscrito para disputar a prova de Turismo com um BMW M6 GT3 da equipe oficial da fábrica, o BMW Team Schinitzer.

Gianluca Petecov: vice- campeão italiano e quinto colocado no certame alemão da F-4. Foto: Prema.

No último fim de semana Igor Fraga venceu duas das três provas da rodada final da temporada de F-Regional Europa, evento que foi disputado em Monza. No mesmo traçado, o brasileiro Gianluca Petecof garantiu o vice-campeonato italiano da F-4; o campeão foi o noruegues Dennis Hauger. Assim como Enzo Fittipaldi, o piloto de Alphaville também faz parte da Ferrari Academy, programa apoiado pela Scuderia e focado no desenvolvimento de jovens pilotos.


* Wagner Gonzalez é jornalista especializado em automobilismo de competição, acompanhou mais de 350 grandes prêmios de F-1 em quase duas décadas vivendo na Europa. Lá, trabalhou para a BBC World Service, O Estado de S. Paulo, Sport Nippon, Telefe TV, Zero Hora, além de ter atuado na Comissão de Imprensa da FIA. Atualmente é diretor de redação do site Motores ClássicosTwitter: @motclassicosFale com o Wagner Gonzalez: wagner@beepress.com.br.

Leia> Coisas de Agora

MARCOPOLO JÁ ESTÁ PREPARADA PARA ATENDER RESOLUÇÃO DO CONTRAN 629/16


Nova legislação, obrigatória a partir de janeiro de 2020, eleva a segurança dos ônibus rodoviários e de fretamento.


Antecipando-se às mudanças que ocorrerão na legislação brasileira de trânsito em 2020, a Marcopolo já está preparada para atender a resolução do Contran número 629, de 30 de novembro de 2016, que entra em vigor a partir de janeiro. A resolução refere-se à simulação de tombamento de modelos rodoviários e de fretamento, de piso único, com acréscimo de peso similar a meia carga de passageiros.

A nova resolução do Contran, equivalente à norma internacional ECE R66.02, garantirá ainda mais segurança para os ônibus  que trafegam nas estradas brasileiras e coloca o País junto aos principais e mercados mundiais. A fabricante já possui, desde 2018, a certificação ECE R66.02 concedida pela agência britânica VCA - Vehicle Certification Agency e válida em mais de 30 países para homologar carrocerias através do seu próprio processo de desenvolvimento de produto e simulações computacionais para verificar a resistência de seus produtos.

Segundo Luciano Resner, diretor de Engenharia da Marcopolo, desde 2016, os ônibus produzidos no Brasil e exportados pela empresa, bem como os produzidos em fábricas do exterior, já atendem esta norma internacional. “Nossos produtos são homologados e reconhecidos pelo elevado padrão de qualidade e confiabilidade. A nova legislação nacional proporcionará ao cliente viajar em veículos tão avançados e seguros quanto os que rodam na Europa, por exemplo”, destaca Resner.

Para atender a nova norma que garante a segurança dos ocupantes do veículo em situações de capotamento, os ônibus produzidos a partir de janeiro de 2020 e comercializados no mercado nacional receberão alterações em conceitos construtivos da carroceria aumentando a resistência estrutural.  “A adequação à resolução consequentemente acarretará em um pequeno aumento de peso do veículo. Para que essa alteração seja a menor possível, trabalhamos com materiais nobres utilizados na indústria automobilística, contribuindo para representar menor custo operacional para os operadores e garantir segurança e conforto para o passageiro”, acrescenta.

Foto: Douglas de Souza Melo.

Marcopolo
Secco Consultoria de Comunicação

Leia> Coisas de Agora

domingo, 20 de outubro de 2019

CENTRO UNIVERSITÁRIO FEI ASSUME PAPEL DE DESTAQUE EM PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO SETOR AUTOMOTIVO

O Centro Universitário FEI participa de um programa do Governo Federal para desenvolver soluções para o setor automotivo nacional nas áreas de biocombustíveis, propulsão alternativa à combustão e segurança veicular. Essas soluções fazem parte do Programa Rota 2030, projeto que tem o objetivo de estimular o desenvolvimento da indústria automotiva por meio da redução de impostos e outros benefícios para projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D).

Neste momento, a FEI participa da Coordenação Técnica da Linha V dos programas prioritários do Rota 2030, que conta também com profissionais da Unicamp e da Universidade Estadual do Ceará. Toda a coordenação administrativa fica por conta da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), que encabeça o programa.

Os projetos com soluções sustentáveis e inovadoras para o desenvolvimento de biocombustíveis, segurança veicular e propulsões alternativas ainda serão desenvolvidos, já que o Rota 2030 foi pensado como política pública de longo prazo para 15 anos, divididos em três ciclos quinquenais. Mas os professores e pesquisadores envolvidos no comitê técnico já enxergam os benefícios do programa.

"Apesar de serem três áreas bastante distintas, estes objetivos são desafiadores do ponto de vista acadêmico e, por isso, podem render grandes avanços científicos", comenta Ronaldo Gonçalves, professor de Engenharia Química da FEI e membro do Comitê Técnico.

"Para os nossos alunos, esta será uma excelente oportunidade de entrar em contato com projetos de aplicação nacional, colocando em prática todo o conhecimento que adquirem na sala de aula e se preparando para os desafios do futuro", completa Gonçalves.

Centro Universitário FEI


Com 78 anos de tradição, o Centro Universitário FEI é referência entre as instituições universitárias no Brasil, nas áreas de Administração, Ciência da Computação e Engenharia. A Instituição, com campus em São Bernardo do Campo e na capital paulista, já formou mais de 50 mil profissionais, entre engenheiros, administradores de empresas e profissionais da área de Ciência da Computação, muitos ocupando posições de liderança nas principais empresas do País.

Mantido pela Fundação Educacional Inaciana Pe. Sabóia de Medeiros, o Centro Universitário FEI integra a Rede Jesuíta de Educação e agrega marcas históricas de instituições de ensino de São Paulo: Faculdade de Engenharia Industrial, Escola Superior de Administração de Negócios e Faculdade de Informática.

Os cursos oferecidos são Administração, Ciência da Computação e Engenharia -- habilitações em Engenharia Civil; Engenharia de Automação e Controle; Engenharia de Materiais; Engenharia de Produção; Engenharia Elétrica; Engenharia Mecânica e Engenharia Mecânica com ênfase Automobilística; Engenharia Química e Engenharia de Robôs. Oferece ainda cursos de pós-graduação lato sensu nas áreas de Tecnologia e de Administração, entre outros; mestrado em Administração, Engenharia Elétrica, Mecânica e Química; e doutorado em Administração e Engenharia Elétrica.

FOCADA NA EXPANSÃO INTERNACIONAL, VOLARE PARTICIPA DE FEIRA DE TRANSPORTES NA COSTA RICA


A Volare, empresa do Grupo Marcopolo, principal fabricante brasileira de veículos leves para o transporte de passageiros, participou da segunda edição da Expo Transporte Costa Rica, realizada recentemente, no Centro de Eventos Pedregal, na cidade de San José. A empresa, em parceria com o seu representante Pacyatlan, apresentou seus modelos das linhas Fly e Attack, voltados para o mercado costa-riquenho.

Segundo Rodrigo Bisi, gerente de Exportação da Volare, a marca vem trabalhando no desenvolvimento de novos mercados e os países da América Latina são muito importantes pela demanda por veículos diferenciados, sobretudo para as aplicações de turismo e fretamento. “Para melhor atender esses mercados, estamos comercializando os modelos do nosso portfólio, com características desenvolvidas especialmente para cada país”, destaca Bisi.

A Pacyatlan passou a ser representante Volare em 2017 com o objetivo de desenvolver o mercado de micro-ônibus voltado principalmente para segmento de turismo no país. A empresa já era representante Marcopolo desde 2014, quando iniciou um trabalho de reintrodução e reposicionamento da marca em todo o país.

A Expo Transporte Costa Rica é um evento voltado para a os segmentos de Transporte de Passageiros e Transporte de Cargas.

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

KIA MOTORS DO URUGUAI CHEGA A 28 MIL UNIDADES DO BONGO


Desde 2010, quando foi inaugurada a linha de produção na planta industrial da Nordex em Montevidéu, Uruguai, a Kia Motors chegou, este mês, à produção da 28.000ª unidade do Kia Bongo K2500, o veículo mais produzido na história da indústria automobilística uruguaia.

Com cerca de 200 funcionários da Nordex (dedicados exclusivamente nas linhas de produção do Bongo), dos quais 160 envolvidos diretamente na produção e outros 40 em logística, qualidade e processos, a linha de produção do Bongo está – atualmente - programada para fabricar 21 unidades por dia, ou cerca de 440 unidades por mês.

A linha final de produção do Kia Bongo conta com doze estações de trabalho, além da cabine de pintura e da linha de solda da cabine. O powertrain e a carroceria são importados da Coreia do Sul, em regime de CKD. As demais partes e componentes são do Brasil, Argentina e do Uruguai, este com maior participação em valor do índice de nacionalização do Mercosul, que passa dos 50%.

Ágil, prático e econômico, o Kia Bongo foi especialmente desenvolvido para atender às mais diversas necessidades de uso diário. Nos grandes centros urbanos do país, onde há restrições ao tráfego de caminhões grandes, o Bongo possui a considerável vantagem de poder circular por ser um VUC (Veículo Urbano de Carga), além de poder ser conduzido por quem tenha a CNH categoria B, a mesma dos veículos de passeio.

O Bongo, modelo 2020, traz motor de 2.5 litros turbo diesel intercooler com potência de 130,5 cv a 3.800 rpm, transmissão manual de seis velocidades e rodas aro 15’’. Em versão única, o K.782 (4x2 Cab. Simples + DH + Rodeiro Simples, sem carroçaria), seu preço sugerido, no Brasil, é de R$ 81.990,00.

O Bongo tem larga aceitação entre consumidores que buscam em um comercial leve de seu segmento atributos como resistência, durabilidade, baixo custo, força e desempenho. A capacidade de carga no chassis é de 1.812 kg. Outro atributo que destaca o Kia Bongo entre seus concorrentes é a garantia de 3 anos ou 100 mil km.

Kia Motors do Brasil.
Textofinal de Comunicação Integrada

Leia> Coisas de Agora

terça-feira, 15 de outubro de 2019

PRÊMIO AMERICAR ENTRA EM SUA FASE FINAL PARA ELEGER OS MELHORES VEÍCULOS DA AMÉRICA LATINA


Promovido pela Associação América Latina da Imprensa Automotiva, o Prêmio Americar 2020 define os três melhores classificados em cada categoria.


Apontada como uma das mais importantes premiações do mercado automotivo mundial, representando o bloco da América Latina, o Prêmio Americar define os três melhores classificados em cada uma de suas cinco categorias e entra em sua fase final para eleger os vencedores da edição 2020.

Nesta fase final, que se estenderá até o próximo dia 30 de outubro, os 58 jornalistas, representando 12 países da América Latina, vão eleger o melhor veículo do ano em cada categoria do Prêmio Americar 2020.

Finalistas do Prêmio Americar 2020 
Melhor Automóvel América Latina: Chevrolet Onix - Hyundai HB20 - Toyota Corolla
Melhor Importado: BMW Série 3 - Ford Edge - Volvo S60
Melhor Picape: Fiat Toro - Ford Ranger - Volkswagen Amarok
Melhor SUV: Caoa Chery Tiggo 5 -  Honda HR-V Touring - Volkswagen T-Cross
Melhor Design: Hyundai HB20X - Peugeot 2008 - Volkswagen Jetta GLI

Novo troféu
A grande novidade deste ano é o novo troféu, criado pelo artista plástico Omar Souto para simbolizar a integração entre as peças de um carro com as mãos de motorista, comandando os rumos e caminhos do setor.

CONVERSA DE PISTA.
Por Wagner Gonzalez*

BOTTAS VENCE COM UMA MÃOZINHA DA MERCEDES



Finlandês tem apoio para tentar o vice em ano de hexas.


Não faltou quem questionasse a decisão da equipe Mercedes em chamar Lewis Hamilton nas voltas finais do GP do Japão para uma troca de pneus que sempre parecerá ter sido desnecessária. Com um resultado que garantia o sexto título consecutivo de Construtores, Toto Wolff, chefe do time alemão, preferiu trabalhar em prol de Valtteri Bottas (foto de abertura/Mercedes) por razões óbvias: prolongou o show para expor sua marca por mais tempo.  A vitória do finlandês aumentou sua vantagem sobre o monegasco Charles Leclerc – seu principal concorrente na disputa pelo vice-campeonato -, e estendeu a escalada de Lewis Hamilton rumo ao seu sexto título. Quanto mais tempo Hamilton demorar para consolidar essa conquista, maior o retorno publicitário.

Lewis Hamilton liderava, mas troca de pneus o deslocou para o terceiro lugar. Foto: Mercedes.

Verdade que em números frios e calculistas somente Valtteri Bottas (que tem 274 pontos) ainda pode  superar Lewis Hamilton, cujo saldo após Suzuka é de 338 pontos. Ocorre que Charles Leclerc (221), Max Verstappen e Sebastian Vettel (ambos com 212), ainda têm chances de chegar ao vice-campeonato de 2019, já que com quatro corridas por disputar um deles poderia marcar 104 pontos e, portanto, superar o finlandês. A matemática para tal resultado leva em conta a combinação de vitória (25 pontos) e volta mais rápida (um ponto) em cada um dos quatro GPs restantes desta temporada: México, Estados Unidos, Brasil e Emirados Árabes Unidos. A pontuação por corrida é 25/18/15/12/10/8/6/4/2 e um ponto do primeiro ao décimo, mais um ponto pela volta mais rápida se ela for marcada por algum dos dez primeiros classificados.

Título de Construtores, sexto consecutivo, chega com quatro provas de antecipação. Foto: Mercedes.

Os resultados deste ano indicam que o sexto título de Hamilton será consolidado, no máximo, no GP do Brasil caso ele e o finlandês mantenham a pontuação média registrada nas 17 corridas disputadas até agora. O inglês pontuou em todas elas, equivalente a 19,4 pontos por GP enquanto o finlandês, por sua vez, só ficou fora dos top 10 na Alemanha, o que quer dizer 16,1 pontos por corrida. Como não há colocação que garanta esses pontos por prova é valido fazer um cálculo a partir da base que a Mercedes já venceu 12 das 17 corridas, oito delas com dobradinhas.

Sebastian Vettel alinhou na pole position, largou mal e terminou em segundo. Foto: Ferrari.

Um pódio mexicano com Hamilton em primeiro e Bottas em segundo aumentaria a diferença entre ambos dos atuais 64 pontos para 77 pontos, um ponto a mais ou a menos. Se o inglês fizer a volta mais rápida, o título estará consolidado graças ao ponto extra, mesmo que o finlandês vença e faça a melhor volta nas três etapas derradeiras. Neste caso ambos terminarão empatados em pontos, mas Hamilton levará vantagem por ter acumulado nove vitórias contra seis do adversário.


Charles Leclerc teve atuação nebulosa, prova que ainda está amadurecendo. Foto: Ferrari.

O histórico da Mercedes na pista mexicana, porém, não reflete os seis títulos de construtores que o time conquistou nas últimas seis temporadas: nas quatro edições do GP do México que aconteceram nesse período Hamilton tem uma vitória (2016) e um segundo lugar (2015), enquanto Bottas tem um segundo lugar (2017) e um terceiro (2015, com Williams). Juan Manuel Fangio, o penta-campeão argentino da década de 1950 consagrou a expressão "Carreras son carreras, nada mas que carreras..." (Corridas são corridas, nada mais que corridas...), uma forma de lembrar que o resultado só é conhecido quando elas terminam. Dentro de duas semanas os números acima, tão frios quanto calculistas, serão provados corretos ou simplesmente inúteis...


Para Juan Manuel Fangio, vencedor do GP da Holanda de 1955, "corridas são corridas..." Foto: Mercedes.

O resultado completo do Grande Prêmio do Japão você encontra aqui.


* Wagner Gonzalez é jornalista especializado em automobilismo de competição, acompanhou mais de 350 grandes prêmios de F-1 em quase duas décadas vivendo na Europa. Lá, trabalhou para a BBC World Service, O Estado de S. Paulo, Sport Nippon, Telefe TV, Zero Hora, além de ter atuado na Comissão de Imprensa da FIA. Atualmente é diretor de redação do site Motores ClássicosTwitter: @motclassicosFale com o Wagner Gonzalez: wagner@beepress.com.br.


Leia> Coisas de Agora

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

CUMMINS EXIBE NA FENATRAN MOTOR À COMBUSTÃO MAIS LIMPO DO MUNDO

A Cummins, líder global no fornecimento de motores a gás natural, exibe na Fenatran 2019 o Cummins L9N Near Zero, considerado o motor à combustão mais limpo do mundo. Ainda durante o principal evento do setor, a companhia divulga sua gama completa de produtos a gás, solução extremamente limpa e eficiente, desenvolvida e projetada para operar no Brasil.



O motor Cummins L9N Near Zero, de 320 cv e torque de 1.356 Nm, proporciona uma redução de 80% na emissão de partículas, 90% de óxidos de nitrogênio (NOx) e 70% de emissão dos gases de efeito estufa, contribuindo diretamente com a despoluição ambiental comparado aos modelos a Diesel. Graças à evolução contínua de motores a gás da companhia, o Cummins L9N Near Zero emite 90% menos emissões de NOx do que o exigido no atual padrão norte-americano da Agência de Proteção Ambiental (EPA). O motor emite 0,02 g / bhp-h, que é 90% abaixo do limite da legislação americana (EPA).

“Os motores movidos a gás natural são muito limpos e eficientes. O aumento da abundância de gás, uma tecnologia madura que requer investimentos em infraestrutura relativamente simples, faz com que esses motores sejam uma ótima solução para muitos clientes e mercados, inclusive na América Latina”, diz Luís Pasquotto, Vice-presidente da Cummins Inc. e Presidente da Cummins Brasil.

Além de ultra-limpo, o Cummins L9N Near Zero traz inovações como um novo módulo que fornece monitoramento e controle completos dos sensores do motor e dos sistemas de combustível e ignição, com um processamento mais rápido para suportar os requisitos de diagnóstico on-board pesados (taxa de transmissão de 500K). Também é equipado com telemetria e fornece diagnósticos e durabilidade aprimorados.

O sistema de diagnóstico (OBD) monitora continuamente o motor e o sistema de pós-tratamento, com capacidade para fornecer ao proprietário do veículo ou técnico de reparo acesso eletrônico ao status de vários subsistemas do veículo para fins de diagnóstico. Para oferecer desempenho constante de controle de emissões, o Cummins L9N Near Zero oferece catalisador de três vias que podem ser montados vertical ou horizontalmente no veículo.

O Cummins L9N Near Zero ainda conta com um novo módulo de controle de ignição (ICM) que oferece melhor desempenho e maior durabilidade da vela de ignição e da bobina, além de autodiagnóstico.

E ao mesmo tempo em que investe em novas tecnologias e inovações para redução de emissões dos motores a Diesel, a Cummins acredita no potencial dos motores a gás como alternativa de redução do impacto ambiental nos centros urbanos, onde há maior concentração da pessoas e consequentemente mais poluição.

No Chile - O motor Cummins L9N Near Zero será utilizado para mover um ônibus (com capacidade para até 101 passageiros) que vai circular por Santiago, capital chilena. É a primeira vez que este motor a gás natural é utilizado em uma aplicação fora dos Estados Unidos.

"Estamos orgulhosos de apresentar nosso motor a gás Cummins L9N no Chile, que contribuirá significativamente para reduzir gases de efeito estufa, entre outros poluentes. Nos esforçamos para oferecer aos nossos clientes as soluções de energia certas para o trabalho que eles precisam realizar. A solução encontrada no Chile está alinhada à nossa missão de melhorar a vida das pessoas, impulsionando um mundo mais próspero”, afirma Fábio Magrin, gerente geral da Cummins Chile.

Líder global em powertrain e no fornecimento de motores a gás e também na América Latina, a Cummins oferece soluções a gás natural confiáveis, limpos, duráveis e eficientes. São mais de 80 mil motores a gás natural atualmente em uso no mundo que oferecem desempenho confiável, além de baixas emissões, alta eficiência, baixos custos totais de combustível e dependência reduzida de petróleo importado.

Com 100 anos de experiência e liderança em tecnologia, a Cummins inova para um futuro com diversidade de energia e continuará a fornecer a tecnologia certa no momento certo para cada cliente.

Cummins Brasil
Textofinal de Comunicação Integrada

Leia> Coisas de Agora

NA BUSWORLD 2019, MARCOPOLO SE DESTACA COMO PARCEIRA GLOBAL EM SOLUÇÕES DE TRANSPORTE


A Marcopolo, principal fabricante brasileira de carrocerias de ônibus e uma das maiores do mundo, participa da Busworld Europa 2019, que acontece em Bruxelas, Bélgica, com o objetivo de ampliar sua presença global por intermédio de novos negócios e da presença em diferentes mercados para oferecer soluções de mobilidade e transporte. O foco da empresa é ser o parceiro ideal na oferta de soluções em mobilidade que possam ser aplicadas nos diversos mercados mundiais, que demandam diferentes tecnologias, desde a 100% elétrica por baterias, até a diesel Euro 6 (como possui no Chile), passando pela híbrida, gás natural e elétrica com alimentação de rede externa.

Neste contexto, a Marcopolo tem como diferenciais a elevada qualidade e capacidade produtiva, flexibilidade e a customização de produtos de acordo com a necessidade dos clientes e dos mercados onde atua, e está atenta às novas oportunidades que surgem no setor, sobretudo em razão da diversidade de modais de transporte para atender as demandas da mobilidade.

Com 70 anos de atividades, completados em agosto passado, a fabricante brasileira já produziu mais de 430 mil veículos e atua há quase 60 no mercado internacional. No ano passado, sua produção global consolidada aumentou 29,8% - 23.627 unidades, contra 18.202 unidades no ano anterior.

“Para isso, investimos fortemente em inovação, novas tecnologias e negócios para prover as melhores soluções de mobilidade e transporte de massa para cada mercado em potencial”, destaca André Armaganijan, diretor de Estratégia e Negócios Internacionais da Marcopolo. “O mercado está em contínua e acelerada transformação e a mobilidade dependerá da integração de diferentes modais e serviços, além do ônibus propriamente dito. Estamos atentos a todo esse movimento, como os veículos movidos a tecnologia elétrica, e buscamos atuar fortemente, com ou sem parceiros”, destaca.

Nas fábricas brasileiras foram produzidas em 2018, 13.958 unidades contra 8.633, em 2017, com crescimento de 61,7%. Parte desse volume de produção das unidades brasileiras foi exportada para cerca de 100 países de diferentes continentes: 3.938 unidades contra 3.271, em 2017, com crescimento de 20,4%. “Somos líderes de mercado no Brasil e na América Latina, com cerca de 45% de participação, e pretendemos continuar crescendo nos países nos quais já atuamos e ingressar nos que ainda não participamos”, destaca Rodrigo Pikussa, diretor do Negócio Ônibus da Marcopolo.

Inovação e novos modais de mobilidade


Um exemplo do foco da Marcopolo na inovação e no desenvolvimento de novas soluções de mobilidade é a recente criação da Marcopolo Rail, unidade de negócio focada no desenvolvimento de produtos para o segmento metroferroviário.

Com a criação da Marcopolo Rail, a fabricante visa integrar o know-how adquirido na produção de carrocerias de ônibus para o transporte de passageiros, como nos sistemas BRT, para fornecer produtos tanto para os modais de vias elevadas (People Movers e similares) como Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs).

“A Marcopolo Rail reforça o nosso foco em inovação e nas soluções completas de transportes. O futuro no transporte e na mobilidade urbana é cada dia mais múltiplo e focado na sustentabilidade e pluralidade de modais. As soluções nas quais os fabricantes estão trabalhando e desenvolvendo precisam contemplar diferentes e novos modais, como trens e os sistemas alimentadores, e serem completas, integrando infraestrutura e indústria digital, entre outras áreas”, explica André Armaganijan.

Busworld Europe 2019


Na Busworld Europe 2019, a Marcopolo destaca a força do seu footprint global. Com operações em nove países de quatro continentes, a empresa intensificou, ao longo dos últimos anos, sua atuação em alguns dos principais mercados mundiais, como Ásia, África, Américas e Oceania. Essa presença global permite oferecer um portfólio diversificado de produtos, com modelos de ônibus para diferentes mercados de atuação, desenvolvidos para atender as características de transporte e mobilidade de cada localidade.

Hoje, a Marcopolo emprega mais de 18 mil pessoas em todo o mundo. No Brasil, são perto de 12 mil colaboradores e capacidade para produzir 20 mil unidades por ano, em quatro plantas em três diferentes estados, duas em Caxias do Sul, no Estado do Rio Grande do Sul, uma no Rio de Janeiro e outra na cidade de São Mateus, no estado do Espírito Santo. É líder de mercado com cerca de 50% de participação, produzindo desde miniônibus com PBT de 5 toneladas até ônibus biarticulados, com 27 metros de comprimento e capacidade para 270 pessoas. As fábricas brasileiras também são responsáveis pelo fornecimento de carrocerias para clientes em todo o mundo, com destaque para as regiões da América Latina, África e Oriente Médio. Por ano, são quase 4 mil unidades exportadas.

Na América do Sul, a empresa também é líder no segmento e tem operações na Colômbia, na Grande Bogotá, com a Superpolo, joint-venture com o Grupo Fanalca, e na Argentina, com a fábrica da Metalsur, na Província de Santa Fé. Na Colômbia, a renovação de frota do sistema BRT Transmilenio fez a demanda crescer e, neste ano, a produção foi de 754 unidade no primeiro semestre, com elevação de 26,9% em relação ao primeiro semestre de 2018. Na Argentina a produção foi de pouco mais de 1.000 unidades em 2018.

Outro importante mercado para a Marcopolo é o México. Com operação local, desde 2000, por intermédio da Polomex, joint-venture com a Daimler, a empresa prevê crescer 30% este ano e atingir a produção de 1,4 mil unidades. Na fábrica de Monterrey, são produzidos veículos pequenos, ônibus urbanos convencionais e rodoviários de curto, médio e longo alcance. No primeiro semestre deste ano foram fabricadas 750 unidades, com crescimento de 90,8%.

Na Austrália, a Marcopolo é dona da Volgren, marca líder da fabricação de ônibus completos para atendimento do mercado da Oceania. Sediada em Melbourne, Austrália, a Volgren produziu 542 unidades em 2018 (403 unidades em 2017). Recentemente, a empresa assinou o maior acordo de fornecimento de sua história com a Autoridade de Transporte Público (PTA) da Austrália Ocidental, operadora estatal de transportes do governo, para fornecer 416 ônibus em cinco anos. O negócio está alinhado com a estratégia de expandir suas atividades em todo o mundo e o maior já firmado para a região da Ásia-Pacífico.

Na América do Norte, a Marcopolo está presente por intermédio de participação acionária de 10,5% na NFI Group Inc., principal fabricante de ônibus urbanos e rodoviários nos Estados Unidos e Canadá. Sediada em Winnipeg, Canadá, a companhia é líder em tecnologia e oferece a mais ampla linha de produtos, incluindo veículos movidos a diesel limpo, gás natural, híbrido diesel-eletricidade e elétrico.

Na China, a Marcopolo está presente desde 2001. Inicialmente, por intermédio de um contrato de transferência de tecnologia para produção local de carrocerias de ônibus e, desde 2005, com a abertura de um escritório para desenvolvimento de novos fornecedores e global sourcing e a produção de peças, componentes e carrocerias de ônibus desmontadas, bem como de produção de ônibus em PKD para a exportação para diferentes países da Ásia e região do Pacífico.

No continente africano, a companhia atua desde 1999, e possui fábrica em Johanesburgo, na África do Sul. A operação teve grande participação no fornecimento de veículos durante a Copa do Mundo de Futebol, em 2010, e continua atendendo toda a região sul e central da África. Em 2018, a unidade produziu 344 unidades, redução de 2,8% em relação à produção de 2017 (354 unidades). A Marcopolo também possui escritórios comerciais em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e em Kuala Lumpur, na Malásia, para ampliar as oportunidades de negócios, além de participação de 20% na GB Polo, fabricante de ônibus urbanos e rodoviários no Egito.

Veículos elétricos e com tecnologias sustentáveis


Há mais de uma década a Marcopolo participa em alguns dos mais relevantes projetos, no Brasil e no exterior, para desenvolvimento de ônibus com tecnologias sustentáveis e combustíveis de fontes renováveis, como 100% elétricos, híbridos (elétrico/diesel) e movidos a GNV e hidrogênio.

No Brasil, a empresa possui, há alguns anos, projetos para desenvolvimento local de modelos. Já foram produzidos diferentes veículos com motorização 100% elétrica, desde micro-ônibus de 10 toneladas de PBT até urbanos convencionais e articulados, que estão em aplicação em algumas das principais cidade brasileiras, como São Paulo, Campinas, Brasília, Santos, Curitiba, Florianópolis e Bauru, entre outras.

No México, também desenvolve um micro-ônibus 100% elétrico, já em testes. No Chile, forneceu no primeiro semestre deste ano, em parceria com a Mercedes-Benz e a Volvo, os primeiros modelos diesel Euro 6 daquele país para o sistema RED de mobilidade.

Marcopolo
Secco Consultoria de Comunicação

Leia> Coisas de Agora

JAC MOTORS OFERECE APP DE TELEMETRIA PARA TODA A LINHA DE MODELOS ELÉTRICOS E TÉRMICOS.

Disposta a investir firme na conectividade de seus modelos, a JAC Motors está finalizando o desenvolvimento de um projeto de telemetria, em parceria com a Scope Technology – empresa sul-africana presente em mais de 50 países e que possui mais de 1 milhão de automóveis "conectados" no mundo –, que incrementará ainda mais a experiência de uso dos modelos da marca. 


Durante 12 meses, o cliente JAC Motors terá esse serviço à disposição e não pagará nenhum centavo a mais por isso.

A lista de benefícios é enorme: o dispositivo utilizado pela Scope no projeto customizado para a JAC Motors é um OBD 2 com Bluetooth, conectado diretamente na tomada de diagnóstico do veículo. Isto é: a JAC Motors terá acesso remoto a eventuais falhas do veículo antes mesmo de o problema acontecer e poderá entrar em contato com o cliente para agendamento de manutenção. Revisões também serão notificadas ao dono do carro pelo aplicativo, bem como os agendamentos já serão feitos online.

Além das funcionalidades voltadas ao pós venda, o aplicativo JAC Connect abrirá diversas possibilidades de aprimoramento da condução de cada motorista. Em seu smartphone, além do resumo de viagens percorridas, trajetos, quilometragens, tempo consumido e até recomendação de rodízio dos pneus, o motorista poderá ter acesso a uma infinidade de dados que retratam seu próprio comportamento ao volante, recebendo dicas de direção defensiva para minimizar o risco de acidentes. Ele saberá quando tiver cometido frenagens bruscas, acelerações desnecessárias ou excessos de velocidade.

"Com essa parceria, a JAC Motors pretende intensificar a experiência de cada cliente, pois este aplicativo será um 'hub', unificando vários serviços ligados ao veículo, como pagamento de multas, acompanhamento da seguradora para envio de guinchos e até mesmo parceria de descontos em postos de combustível afiliados", explica Nicolas Habib, diretor Comercial do Grupo SHC e da JAC Motors Brasil.

De acordo com o executivo, o app dará feedback quase instantâneo de como o motorista está guiando e onde pode aprimorar seu modo de condução para aumentar a segurança e reduzir o consumo de combustível. "O aplicativo tem a missão de contribuir com um trânsito mais seguro", explica.

Quem ilustra o funcionamento com mais detalhes é o diretor da Scope Technology, Cassio Enrico Campos. "A plataforma telemática detecta o estilo de condução em tempo real e pode até alertar a montadora de que há uma condição potencial de acidente envolvendo o veículo da marca. A plataforma é tão poderosa que, caso ocorra, de fato, uma colisão, o app é capaz de gerar uma reconstrução do acidente em 3D, permitindo à JAC Motors ter uma visão exata da gravidade. Caso a marca queira ampliar futuramente o escopo do atendimento, essa será uma situação em que se poderá contatar o cliente e verificar se ele necessita de socorro mecânico ou guincho", esclarece.

E há mais benefícios. Além de aprender a guiar economicamente, o motorista terá a opção de compartilhar seus dados de dirigibilidade com a seguradora parceira da JAC Motors (Seguros Sura) e obter descontos de até 45% se for um condutor exemplar em segurança.

Grupo SHC
JAC Motors Brasil
Eduardo Pincigher
epincigher@gruposhc.com.br
(11) 3839-6248
(11) 994-649-356

Leia> Coisas de Agora

DANA APRESENTA NOVIDADES EM ELETROMOBILIDADE NA FENATRAN 2019


A Dana, um dos principais sistemistas globais da indústria automobilística, participa da Fenatran 2019 – 22º Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Carga, que será realizada de 14 a 18 de outubro, no São Paulo Expo, e apresenta no seu estande E284, novidades em eletromobilidade para veículos comerciais, além de destacar sua completa linha de componentes para o mercado de reposição com as tradicionais marcas Spicer, Albarus e Victor Reinz.

O principal destaque é o foco da Dana na eletrificação de veículos. A empresa que dá continuidade aos mais de 20 anos de investimentos em células de combustível, componentes eletrificados e mecatrônica com importantes aquisições nos últimos dois anos, que ampliam seu pacote de soluções e a posiciona de forma diferenciada, através de tecnologia e conhecimento, como líder em sistemas de eletrificação para veículos comerciais, leves e para os segmentos agrícola e de construção. As soluções da Dana já estão em operação ao redor do mundo, equipando mais de 15 mil veículos, sobretudo na China e nos Estados Unidos.

Segundo Ryan Laskey, vice-presidente da Divisão de Veículos Comerciais e Engenharia de Produtos de Transmissão na Dana, a empresa está atenta à evolução da indústria automotiva e acredita que, quanto à fonte de energia, para cada aplicação, região e condições de uso poderá haver uma tecnologia mais eficiente e adequada, com soluções de combustão, elétricas ou hibridas. “As primeiras aplicações para caminhões elétricos são nos setores de serviço leve e médio, geralmente em operações de distribuição, que possuem rotas previsíveis de baixa quilometragem”, analisa.

Na visão do executivo, as aplicações para veículos comerciais dependem dos ciclos de serviço do cliente, o que determinará que tipo de solução será mais adequada: “Para caminhões pesados que percorrem entre 500 e 800 quilômetros por dia e possuam rotas e cargas úteis variadas, a tecnologia híbrida continua a ser mais indicada”, disse ele.

Ryan Laskey será um dos palestrantes do Congresso SAE no painel de Veículos Elétricos e Híbridos, que será realizado no dia 16 de outubro, às 14h. O executivo falará sobre o futuro dos powertrains na eletrificação dos veículos comerciais.

No início de 2019 a Dana estabeleceu uma parceria estratégica com a Hyliion Inc. para expandir sua capacidade de oferecer sistemas híbridos diesel-elétricos completos. A Hyliion desenvolve arquiteturas híbridas elétricas para veículos comerciais pesados que podem ser instaladas em caminhões novos ou adaptadas em caminhões existentes, transformando essencialmente um caminhão 6x2 tradicional em um híbrido 6x4.

O portfólio elétrico da Dana inclui sistemas de acionamento direto Spicer Electrified, bem como eixos eletrônicos totalmente integrados, equipados com os motores, inversores e sistemas de controle TM4. A empresa também concluiu recentemente sua aquisição da Nordresa, que permite oferecer a frotas e clientes OEM soluções completas para veículos elétricos a bateria.

“A Dana está pronta para atender seus clientes e oferecer a solução mais eficiente e robusta, quer seja elétrica, híbrida ou a combustão, para quase todo tipo de veículo comercial, desde picapes e vans até caminhões e ônibus, passando por modelos fora de estrada”, destaca Raul Germany, presidente da Dana para o Brasil.

Produtos para eletrificação


Na Fenatran, a fabricante apresenta as tecnologias aplicadas no caminhão protótipo desenvolvido pela empresa nos Estados Unidos, o City Delivery Dana, com solução que combina um eixo traseiro e motor elétricos com inversor, movidos a bateria, mais leves e compactos, pois não utilizam o tradicional trem-de-força e nem componentes como tanque de combustível. O conjunto pode ser montado em qualquer chassi que utilize os modelos de eixo S110 e S130.

O produto tem autonomia de 161 quilômetros, consome 8% menos energia do que um veículo com motor centralizado e é cerca de 170 kg mais leve que os conjuntos convencionais de veículos a Diesel.

Outra novidade é o caminhão para aplicação urbana, como distribuição de bebidas, movido por um sistema de direção central, com motor elétrico e inversor, que substituem o conjunto de motor a combustão, transmissão e tanque de combustível. O resultado é a redução de 67% no consumo de energia e de 40% na emissão de poluentes, em comparação com o mesmo veículo movido a Diesel. A autonomia também é de 161 quilômetros.

A Dana é líder mundial no fornecimento de soluções de transporte de energia e gerenciamento de energia para veículos e máquinas. O portfólio da empresa melhora a eficiência, o desempenho e a sustentabilidade de veículos leves, veículos comerciais e equipamentos fora de estrada. Desde eixos, eixos de transmissão e transmissões até soluções eletrodinâmicas, térmicas, de vedação e digitais, a empresa facilita a propulsão de veículos convencionais, híbridos e movidos a eletricidade fornecendo a quase todos os fabricantes de veículos e motores do mundo. Fundada em 1904, a Dana emprega mais de 36.000 pessoas comprometidas em fornecer valor de longo prazo aos clientes. Com sede em Maumee, Ohio, EUA, e com locais em 33 países em seis continentes, a empresa registrou vendas de US$ 8,1 bilhões em 2018. Tendo estabelecido uma cultura dinâmica e de alto desempenho, a empresa foi reconhecida mundialmente como empregadora de primeira linha. Saiba mais em www.dana.com.

Na América do Sul, tem operações na Argentina, Brasil, Colômbia e Equador que empregam cerca de 3.800 pessoas, sendo que 3.000 destas estão no Brasil, onde está presente há mais de 70 anos. Tem operações em Gravataí (RS), Campinas, Jundiaí, Limeira e Sorocaba (SP). O endereço da Dana na internet é www.dana.com.br.

Dana
Secco Consultoria de Comunicação

Leia> Coisas de Agora