terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

CONVERSA DE PISTA.
Por Wagner Gonzalez*

MUDAR A DIREÇÃO PARA ANDAR MAIS


Sistema de direção do Mercedes W11 altera alinhamento das rodas nas curvas e nas retas. Foto: Mercedes.

Começa hoje a segunda e última fase de testes de pré-temporada de F-1 de 2020, mas um recurso criado pela Mercedes para alterar o sistema de direção parece ter feito seus adversários perderem o rumo antes mesmo do início do Campeonato Mundial de F-1, dia 15 de março, na Austrália. Ao deslocar longitudinalmente a posição do volante do W11, carro que Lewis Hamilton e Valtteri Bottas pilotarão este ano, muda-se o alinhamento das rodas dianteiras; esse recurso permitiu ao time alemão capitalizar os ganhos gerados por uma solução que reduz o desgaste dos pneus e melhora a velocidade nas retas e aumenta a aderência nas curvas. A maior novidade da categoria nos últimos tempos terá vida curta: já foi banida no regulamento técnico que entra em vigor em 2021. Mais, somente deixará de ser a referência deste ano se as demais nove equipes lograrem aparecer com alguma solução tão ou mais impactante.

Equipes adversárias podem virar coadjuvantes no Mundial de F-1 deste ano. Foto: Mercedes.

O sistema de eixo duplo de esterçamento (tradução livre de "Double Axis Steering", ou simplesmente DAS) basicamente altera o valores de "toe in"e "toe out", referência técnica que identifica a diferença da direção das rodas de um mesmo eixo. Quando paralelas elas melhoram a velocidade na reta, mas prejudicam o rendimento nas curvas e vice-versa; encontrar a regulagem ideal para um circuito é a resposta que será avaliada com o menor desgaste de pneus e melhor desempenho por volta.

Essa diferença decorre do fato que a roda interna de um automóvel descreve um raio menor que a externa, Regulagens equivocadas criam problemas e desgastam os pneus e aumentam  consumo de combustível. Uma forma de visualizar melhor os problemas gerados por um alinhamento errado é lembrar do que acontece quando você pega um carrinho de supermercado que exige maior força para ser empurrado, aqueles que geralmente têm uma roda que muda de direção e outra que segue na direção que você deseja.

Ao alterar o alinhamento das rodas dianteiras com o carro em movimento a solução da Mercedes gera ganhos em vários aspectos e pode-se enxergar que a combinação dos ganhos gerados pelo menor desgaste dos pneus e a maior velocidade nas retas vai além. Alterar o alinhamento nas curvas afeta para melhor o ângulo de derivação (o coeficiente que identifica o momento em que o pneu deixa de flexionar e passa a direcionar o automóvel na direção desejada pelo piloto) enquanto ao manter as rodas paralelas nas retas diminui o arrasto aerodinâmico. Trocando em miúdos:  o motor trabalha sob menor carga (portanto tem menor desgaste) e consome menos combustível (pode largar com menor carga de gasolina) e poderá fazer menos paradas para trocas de pneus.

Chaparral 2J, equipado com extrator de ar traseiro, lançou moda que foi proibida na F-1. Foto: Chaparral Classics.

Até agora pouco se sabe dos mecanismos que fazem o DAS funcionar e é fato consumado que Hamilton e Bottas só vão explorar todo o potencial do sistema no GP da Austrália. Fazer isso nos testes de Barcelona seria insuflar os ânimos da concorrência e criar uma situação embaraçosa para todos, por isso o inglês e o finlandês certamente foram instruídos para disfarçar o rendimento e acelerar a fundo apenas em alguns trechos. A avaliação dos resultados, no entanto, pode ser dissecada pelos dados de cronometragem que as equipes recebem ao final de cada treino: investigando os melhores tempos em cada trecho do circuito é possível identificar uma volta ideal. Tal recurso é uma tática velha conhecida e já foi usado em situações famosas como o duplo chassi do Lotus 88 e no Brabham BT46B equipado com ventilador traseiro, ideia, por sinal, copiada do Chaparral 2J.


* Wagner Gonzalez é jornalista especializado em automobilismo de competição, acompanhou mais de 350 grandes prêmios de F-1 em quase duas décadas vivendo na Europa. Lá, trabalhou para a BBC World Service, O Estado de S. Paulo, Sport Nippon, Telefe TV, Zero Hora, além de ter atuado na Comissão de Imprensa da FIA. Atualmente é diretor de redação do site Motores ClássicosTwitter: @motclassicosFale com o Wagner Gonzalez: wagner@beepress.com.br.

Leia> Coisas de Agora

AUDI INVESTIRÁ R$ 10 MILHÕES EM INFRAESTRUTURA DE RECARGA DE VEÍCULOS ELÉTRICOS NO BRASIL

Audi e-tron, SUV 100% elétrico, chega ao País na primeira quinzena de abril

A Audi do Brasil anunciou que investirá R$ 10 milhões em infraestrutura de recarga de veículos elétricos em todo o País até 2022. Ao todo serão 200 estações instaladas em parceria com a empresa ENGIE como parte da estratégia de eletrificação da Audi.

Na ocasião, o CEO e Presidente da Audi do Brasil, Johannes Roscheck, ainda confirmou a chegada no País do Audi e-tron, SUV 100% elétrico da empresa, na primeira quinzena de abril. "Em diversas pesquisas que realizamos sobre veículos elétricos, a infraestrutura de recarga sempre aparece como um dos pontos de maior preocupação dos potenciais consumidores. Este investimento está em linha com o objetivo de aumentar as opções de carregamento para a chegada do Audi e-tron, primeiro SUV 100% elétrico da marca, que terá as primeiras entregas aos clientes na primeira quinzena de abril", afirma o executivo.

O Diretor-Presidente da ENGIE Soluções, Leonardo Serpa, celebra essa parceria com a Audi. "Estamos trazendo para o Brasil toda a nossa experiência internacional em soluções de mobilidade elétrica. Possuímos o maior parque de carregadores elétricos do mundo, com 75 mil pontos de recarga na Europa e nas Américas. Sermos parceiros da Audi nesse projeto está em linha com a nossa ambição de promover o movimento de descarbonização no Brasil através de soluções energéticas e de infraestrutura".

Os 200 carregadores serão do tipo AC, com 22kW, e será a infraestrutura de recarga mais potente já instalada por uma montadora no Brasil. Todos os pontos serão equipados com o plug do tipo 2 (padrão europeu) e qualquer veículo com esse mesmo tipo poderá usufruir do equipamento.

O objetivo é instalar os 200 pontos em shoppings, academias, hotéis, clubes e restaurantes, ou seja, localidades que o cliente frequenta pode deixar o veículo carregando enquanto realiza outra atividade. Além disso, a Audi criou também um canal para que estabelecimentos indiquem interesse em receber a instalação de um ponto de recarga. Basta enviar um email para etron@audi.com.br com as informações do seu local para participar do processo de seleção, liderado pela própria Audi do Brasil.

A estratégia faz parte dos objetivos globais da marca de se tornar uma empresa neutra em carbono até 2050.

Concessionárias e-tron


A Audi anunciou também que, até o lançamento do primeiro SUV 100% da marca no País, 14 concessionárias terão a bandeira e-tron. Cada uma delas terá representantes especializados para oferecer a melhor experiência em toda a jornada do cliente, desde um atendimento personalizado com um especialista no produto até a manutenção necessária com equipe treinada pelos profissionais que desenvolveram o produto na Alemanha. Todas as concessionárias também terão pontos de carga rápida DC de 24 kW e pelo menos um veículo e-tron para test drive.

Os 14 Audi Centers habilitados estão localizados em Belo Horizonte, MG, Brasília, DF, Campo Grande, MS, Curitiba (Alto da XV) e Londrina, PR, Florianópolis, SC, Porto Alegre, RS, Recife, PE, Rio de Janeiro (Botafogo), RJ, Vitória, ES, e quatro em São Paulo (Jardins, Tatuapé, Lapa e Alphaville).

Para Daniel Rojas, Diretor de Vendas da Audi do Brasil, "um veículo 100% elétrico possui particularidades que demandam atenção específica desde o primeiro contato até o serviço no pós-vendas. Por isso cada concessionária receberá o treinamento necessário para oferecer o melhor atendimento, além de oferecer a possibilidade de um test drive para o cliente conhecer uma tecnologia totalmente nova".

Eletrizantemente divertido de dirigir: o Audi e-tron


Parado ou em movimento, o e-tron é eletrizante. O SUV elétrico livre de emissões é equipado com dois motores elétricos e realmente silenciosos. Uma nova geração da tração quattro – a tração elétrica nas quatro rodas – garante excelência em aderência e dinâmica. O sistema oferece uma regulagem contínua e variável da distribuição ideal de torque entre os dois eixos – dentro de uma fração de segundo.

Um fator-chave para a característica esportiva e a excelente dinâmica é a posição baixa e central na qual o sistema de baterias é instalado. Ele fornece ao veículo uma autonomia de 436 quilômetros (ciclo WLTP), ideal para o ambiente urbano e também para percorrer longos trajetos. Além disso, em estações de recarga rápida de 150 kW, é possível carregar até 80% da bateria em 30 minutos.

A aerodinâmica inteligentemente projetada também contribui bastante na eficiência. Um dos destaques desse conceito são os retrovisores externos virtuais – uma novidade mundial em modelos de produção em série. Eles não apenas reduzem o arrasto, mas também levam a digitalização do veículo a um nível totalmente novo. Os retrovisores externos virtuais também proporcionam melhor visualização durante a noite e imagem mais nítida com resolução em alta definição.

Dentre as tecnologias inseridas no Audi e-tron, freios regenerativos e suspensão a ar adaptativa são diferenciais. E com o Audi Drive Select é possível selecionar diferentes perfis de condução, incluindo o programa offroad, e receber ajustes de altura em relação ao solo durante a utilização.

O novo Audi e-tron é produzido na planta de Bruxelas, na Bélgica, e será ofertado no mercado brasileiro em duas versões: Performance e Performance Black. Com desembarque agendado para a primeira quinzena de abril de 2020, o modelo está em pré-venda no Brasil a partir de R$ 459.990,00 na modalidade Venda Direta.

No período de pré-venda os clientes que reservarem seu modelo terão acesso a um bônus de valorização do usado de até R$20.000,00 com garantia de quatro anos de fábrica para o veículo, oito anos para a bateria e quatro anos de revisão inclusos. O cliente também receberá um carregador adicional para utilização residencial.

Audi do Brasil

Leia> Coisas de Agora

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

KIA E HYUNDAI DESENVOLVEM O 1º SISTEMA CONNECTED SHIFT SYSTEM DO MUNDO


A Kia Motors Corporation e a Hyundai Motor Company anunciaram o desenvolvimento do primeiro sistema preditivo de tecnologia da informação e comunicação do mundo, o ICT Connected Shift System, permitindo que o veículo mude automaticamente para a marcha ideal, depois de identificar as condições de estrada e de tráfego. Durante o desenvolvimento do sistema, que deve ser aplicado em veículos das marcas no futuro, Kia e Hyundai registraram cerca de 40 principais patentes na Coreia do Sul e no exterior.

Enquanto as tecnologias utilizadas para mudanças automáticas dependem das preferências dos motoristas, como o Smart Drive Mode, disponível na maioria dos modelos atuais da Kia e da Hyundai, o ICT Connected Shift System é o primeiro a mudar a marcha automaticamente de acordo com as condições da estrada e do tráfego.

O ICT Connected Shift System utiliza um software inteligente na Unidade de Controle de Transmissão (TCU), que coleta e interpreta informações em tempo real por meio de tecnologias subjacentes, incluindo navegação 3D equipada com um mapa preciso da estrada, além de câmeras e radar para controle de cruzeiro inteligente. A entrada de navegação 3D inclui elevação, gradiente, curvatura e uma variedade de ocorrências na estrada, além das condições atuais do tráfego. O radar detecta a velocidade e a distância entre os veículos, e uma câmera prospectiva fornece informações sobre a pista.

Usando todos esses recursos, o TCU prevê o cenário de mudança ideal para situações de direção em tempo real, por meio de um algoritmo de inteligência artificial, e muda as marchas. Por exemplo, quando se espera uma desaceleração relativamente longa e o radar não detecta irregularidades de velocidade com o carro à frente, a embreagem da transmissão muda temporariamente para o modo neutro para melhorar a eficiência do combustível.

Quando a Hyundai e a Kia testaram um veículo com ICT Connected Shift System em uma estrada muito curva, a frequência de trocas nas curvas foi reduzida em aproximadamente 43% em comparação aos veículos sem o sistema. Consequentemente, o sistema também reduziu a frequência da operação do freio em aproximadamente 11%, minimizando a fadiga da direção e o desgaste do freio.

Quando era necessária uma aceleração rápida para entrar em uma rodovia, o modo de direção alternava automaticamente para o Modo Esporte, facilitando a adesão ao fluxo de tráfego. Depois, o veículo retornou automaticamente ao seu modo de condução original, permitindo uma condução segura e eficiente.

Além disso, os freios do motor foram aplicados automaticamente ao soltar o pedal do acelerador, determinando quedas de velocidade, declives e a localização da alteração do limite de velocidade na estrada. As mudanças na distância do carro à frente foram detectadas pelo radar dianteiro para ajustar automaticamente a transmissão apropriada, o que melhorou a qualidade da direção.

O sistema também está alinhado com a tecnologia autônoma, que está sendo desenvolvida diariamente. O sistema ICT Connected Shift System proporcionará eficiência energética e uma experiência de condução estável na era dos veículos autônomos, o que significa desempenho aprimorado em resposta às condições de tráfego e rodovias em tempo real.

A Kia e a Hyundai estão planejando desenvolver ainda mais o ICT Connected Shift System, de modo que possa se comunicar com sinais de tráfego baseados na comunicação LTE ou 5G, e identificar as tendências dos motoristas, resultando em um aprimoramento adicional do controle de mudança de marchas.

"Os veículos estão evoluindo para além de dispositivos de mobilidade simples para soluções de mobilidade inteligentes", disse Byeong Wook Jeon, chefe do Laboratório de Pesquisa em Controle de Transmissão Inteligente. "Mesmo uma área tradicional do automóvel, como o powertrain, está se tornando uma tecnologia elaborada para mobilidade inteligente, por meio de esforços para integrar as tecnologias de transmissão e inteligência artificial".


Kia Motors do Brasil
Textofinal de Comunicação Integrada

Leia> Coisas de Agora

MUNICÍPIOS PAULISTAS RECEBEM MAIS 120 ÔNIBUS ESCOLARES MERCEDES-BENZ


Um novo lote de 120 ônibus escolares Mercedes-Benz acaba de ser entregue a municípios paulistas para o transporte de estudantes nas zonas rurais. Os veículos foram adquiridos pelo Governo do Estado com recursos do programa Caminho da Escola do FNDE (Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação) e doados a 115 cidades.

“Somando-se às 180 unidades entregues em outubro do ano passado, cerca de 300 ônibus escolares da nossa marca foram doados pelo governo para prefeituras do Estado de São Paulo nos últimos meses”, diz Walter Barbosa, diretor de Vendas e Marketing de Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “Esse volume faz parte da licitação vencida por nossa Empresa em 2018 para fornecimento de 1.600 ônibus escolares para municípios de várias regiões do Brasil”.

“Os ônibus adquiridos pelo Estado de São Paulo asseguram elevado padrão de qualidade, conforto e segurança aos estudantes, que muitas vezes enfrentam percursos que intercalam trechos de terra e asfalto”, ressalta Walter Barbosa.

Todos os ônibus Mercedes-Benz LO 916 R dessa licitação são equipados com carroçaria Caio e atendem às especificações do modelo ORE 2 (Ônibus Rural Escolar – Categoria Médio) com 44 assentos, mais o banco do motorista. Estes chassis de micro-ônibus possuem suspensão dianteira e traseira para aplicação severa, bloqueio de diferencial automático, pneus mistos (terra/asfalto), para-choques elevados e itens de acessibilidade como porta larga e DPM (Dispositivo de Poltrona Móvel), o que permite acesso prático e seguro aos estudantes com dificuldade de locomoção.

Os ônibus também disponibilizam dois assentos reservados a alunos com deficiência física e os cintos de segurança têm quatro pontos. Além disso, a carroçaria dispõe de porta-pacotes vazados para acomodação de mochilas.

Como todo chassi de ônibus da marca, o LO 916 R se destaca no mercado pela acessibilidade, força, robustez e resistência para as mais variadas aplicações do transporte de passageiros em rodovias e situações off-road.

“A Mercedes-Benz é uma tradicional fornecedora de ônibus escolares, atendendo aos programas federais e dos governos estaduais e municipais”, explica Walter Barbosa. “Desde que a Empresa entrou para o Caminho da Escola, em 2013, já forneceu mais de 6.000 ônibus para o programa”.

Micro-ônibus ORE 2 foi desenvolvido para o Caminho da Escola

“Vocacionado para operações em estradas rurais e vias não pavimentadas, a versão R do LO 916 foi desenvolvida especificamente para o Caminho da Escola, atendendo às especificações do FNDE”, informa Gustavo Nogueira, Gerente de Vendas Governo.

Os balanços dianteiro e traseiro elevados facilitam a circulação em solos acidentados. Além disso, o LO 916 R oferece excelente manobrabilidade, característica notadamente importante em estradas e locais com reduzido espaço para a movimentação do veículo.

O bloqueio de diferencial melhora a tração em terrenos de baixa aderência, muito comum em estradas não asfaltadas. A atuação automática desse sistema facilita o dia a dia do motorista, que pode se concentrar ainda mais na condução do ônibus.

Os pneus de maior banda de rodagem (235/75 R 17,5) são específicos para uso misto em terra e asfalto. Além disso, o LO 916 R para aplicações rurais se destaca por itens como filtro de ar com elemento de segurança, limitador de velocidade de 70 km/h e tacógrafo digital.

O LO 916 R vem equipado com DPM (Dispositivo de Poltrona Móvel), que assegura um acesso prático e seguro aos alunos quem têm dificuldade de locomoção. Isso significa transporte acessível e seguro para todos.

Mercedes-Benz do Brasil

Leia> Coisas de Agora

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

CHEVROLET REVELA DETALHES DO NOVO TRACKER

Lançamento mais esperado do segmento dos SUVs chega às concessionárias ainda no primeiro trimestre


Mais uma vez, a Chevrolet vai promover uma importante revolução no mercado, desta vez entre os SUVs, segmento que mais cresce no Brasil. A novidade já tem nome: Novo Tracker, que chega às concessionárias da marca até o fim de março repleto de inovações tecnológicas relacionadas a segurança, conectividade e eficiência energética.

Os interessados em mais detalhes sobre o produto devem entrar no site da Chevrolet e se inscrever na página do lançamento.

"As primeiras imagens da página antecipam detalhes do sistema de iluminação do veículo. Na dianteira, os faróis contarão com uma tecnologia inovadora, enquanto, na traseira, as lanternas são de LED com efeito tridimensional", conta Hermann Mahnke, diretor de Marketing da GM América do Sul.

As fotos mostram ainda nuances do design atlético e do porte robusto do veículo, caracterizado pela carroceria esculpida com linhas esportivas e por acabamentos que remetem à sofisticação.

Na parte superior da imagem, o texto "Novo Chevrolet Tracker, o SUV em sua melhor fase está chegando" reforça a expectativa pelo produto, o primeiro dos sete lançamentos que a empresa irá promover ao longo de 2020.

General Motors América do Sul

Leia> Coisas de Agora

CHEVROLET APRESENTA ESPECIAL DE BRANDED CONTENT 'NA ESTRADA COM QUEM FAZ'


A Chevrolet apresenta a série 'Na Estrada com Quem Faz', projeto exclusivo produzido e desenvolvido em parceria com a Globo. A ação contará com um episódio semanal até o final de 2020, exibido aos domingos de manhã nos intervalos do 'Globo Rural'. Com a parceria também das agências WMcCann - com sua divisão e atendimento à marca Commonwealth//McCann - e Isobar, conta ainda com um HUB digital, mais um espaço para contar as histórias reais e desafios de homens e mulheres do campo em diferentes regiões do Brasil.

Na TV aberta, serão veiculados 52 episódios de um minuto cada, onde a Chevrolet S10, picape parceira das atividades no campo, percorre o Brasil com um apresentador. No HUB digital, disponível na Globo.com, serão disponibilizados episódios estendidos de até 3 minutos, além de informações, conteúdo inédito sobre os participantes da série e informações sobre a Chevrolet S10.

"A cada domingo, mostraremos um pouco da vida, das histórias reais e dos desafios de homens e mulheres do campo em diferentes regiões do Brasil. O empresário do campo busca uma picape que, além de força, capacidade de carga e robustez, ofereça o mesmo nível de sofisticação e inovação que se encontra em novos produtos ou serviços do agrobusiness. Um dos diferenciais competitivos da S10 está nas tecnologias de conectividade, além do sistema de telemática avançado OnStar, que permite ao usuário comandar diversas funções do veículo pelo smartphone.", explica Hermann Mahnke, diretor executivo de Marketing da GM para América do Sul.

Os primeiros episódios já estão no ar e podem ser acessados no link: globo.com/naestradacomquemfaz.

General Motors América do Sul

Leia> Coisas de Agora

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

ÔNIBUS 100% ELÉTRICO BYD "HOME FROM HOME" RECEBE PRÊMIO MUNDIAL DO RENOMEADO IF DESIGN AWARD


A BYD, principal fabricante de ônibus elétricos do mundo, obteve uma impressionante vitória no cobiçado prêmio iF DESIGN Award. A condecoração, na categoria transporte público, foi concedida ao modelo de 12 metros da BYD – o ônibus elétrico mais vendido da Europa – especificamente pelo seu inovador conceito de design 'Home from Home'.

O conceito "Home from Home" da BYD é resultado de uma cuidadosa avaliação sobre o futuro da eletrificação veicular, colocando-o como uma verdadeira experiência para os passageiros.  Um ponto crucial para os juízes do iF Design Award foi o design imaginativo que remete a uma sensação real de boas-vindas, prazer e inspiração.

A jornada rumo ao mais recente projeto do ônibus elétrico de 12 metros da BYD foi resultado da visão globalmente reconhecida no design de produtos; ápice de um trabalho de longo prazo, de diversas etapas. A equipe de design da BYD mergulhou em exposições de design, apresentações inspiradoras e trabalhou com a colaboração de especialistas em design de fora do mercado de fabricação de veículos para que eles pudessem colaborar com a construção dos blocos fundamentais do conceito Home from Home.

Nada menos que 70 especialistas em design individual de 20 países realizaram uma avaliação criteriosa do produto BYD, incluindo uma apresentação em janeiro de representantes de pesquisa e desenvolvimento da BYD para membros do júri em Hamburgo. Após o anúncio desta semana da vitória da BYD, a empresa aguarda pela cerimônia especial do IF DESIGN AWARD em maio.

7.300 participantes de 56 países entraram na competição de design – concebida pela primeira vez em 1953 e agora composta por uma enorme variedade de categorias de todas as esferas da vida – todas englobando as últimas tendências, inovações e a natureza do design moderno. O vencedor do IF DESIGN AWARD recebe um selo de aprovação altamente conceituado da IF; um símbolo de design excepcional.

Os juízes do IF DESIGN AWARD deliberaram sobre uma série de critérios de design, incluindo inovação, estética, funcionalidade, responsabilidade e posicionamento.

O teto liso remove equipamentos da vista para uma estética limpa, enquanto o vibrante laranja e o frio e calmo azul pastel criam um contraste dinâmico. No interior, as cores da cabine, acabamento de material sutil e iluminação ambiente criam uma atmosfera espaçosa e relaxante. Do ponto de vista tecnológico, o espelho digital e o novo painel são mais seguros e futuristas, enquanto a estrutura leve, o sistema de gerenciamento de baterias e o novo ar condicionado reduzem o consumo de energia.

Estou absolutamente empolgado com nossa equipe de design", disse Isbrand Ho, Diretor Administrativo da BYD Europa, "poucas pessoas percebem as restrições existentes no desenvolvimento do projeto de um veículo que transporta passageiros. A funcionalidade é primordial e a segurança é a principal preocupação ", disse ele. Além disso, "os juízes especialistas do iF DESIGN AWARD apreciaram todos os esforços que nossos projetistas fizeram na criação de uma experiência em "Home from Home" incorporada a um design de veículo incrivelmente atraente, que oferece uma presença marcante na estrada e um ambiente seguro, confortável e tranquilo para os passageiros." 

BYD - "Pioneira em soluções de energia limpa"

Gigante global pioneira em energia limpa, a BYD é a maior fabricante global de baterias de lítio-ferro e de veículos elétricos e plug-in (de 2015 a 2018). A empresa está presente nos seis continentes, com veículos operando em mais de 300 cidades de 50 países,  superando 240 mil funcionários distribuídos em 30 fábricas ao redor do globo (sendo 20 mil engenheiros pesquisadores que já desenvolveram acima de 24 mil patentes). A BYD é ainda a segunda maior fornecedora de componentes para celulares, tablets e laptops no mundo. Em 2019, a empresa alcançou a terceira posição entre as companhias que estão mudando o mundo para melhor, "Change The World", da Revista Fortune, e, em 2016, ganhou o prêmio Zero Emission Eco system da ONU, entre outros prêmios internacionais. 

No Brasil, a BYD abriu sua primeira fábrica em 2015 para produção de ônibus elétricos e comercialização de veículos e empilhadeiras em Campinas, interior de São Paulo. Em abril de 2017, inaugurou sua segunda planta para produção de módulos fotovoltaicos, consolidando-se como uma das líderes desse importante mercado no Brasil. Em março de 2020, abrirá sua terceira fábrica de baterias de lítio em Manaus. Ainda em fevereiro de 2019, a BYD Brasil assinou seu primeiro projeto de SkyRail (monotrilho) no país, numa Parceria Público Privada (PPP) de R$ 1,5 bilhão na cidade de Salvador. A BYD Brasil já emprega mais de 300 funcionários nas cidades de Campinas e São Paulo.

BYD

Fayal Comunicação
Assessoria de imprensa da BYD
Teresa Cristina Fayal
tcfayal@gmail.com
21 988-881-174

Leia> Coisas de Agora

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

MARCOPOLO REFORÇA PRESENÇA NO RENOVADO SISTEMA DE TRANSPORTE DE CURITIBA


A Marcopolo reforça presença no Paraná e entrega à Rede Integrada de Transporte Coletivo de Curitiba 199 novos ônibus. O lote é composto por unidades dos modelos Torino, com motorização traseira e dianteira, Torino Express (articulado) e Viale BRT biarticulado, configurados para a operação em diferentes categorias de linhas, divididas em Corredores Expressos, Integração Linha Direta, Integração Interbairros e Integração Alimentador. Os veículos, que juntos têm capacidade de transportar mais de 17 mil passageiros, atendem aos padrões de segurança e ambientais necessários e estabelecidos pela Urbanização de Curitiba S.A. (URBS), empresa responsável pela gestão do sistema de transporte da cidade.

Segundo Rodrigo Pikussa, diretor do Negócio Ônibus da Marcopolo, a longa e estreita parceria com as empresas de Curitiba e com a URBS, foi ainda mais fortalecida desde que a fabricante instalou, em julho do ano passado, uma filial própria no estado. "Alinhado com a nossa estratégia e posicionamento, ficamos mais próximos dos clientes para acompanhar a modernização e as inovações efetuadas no sistema de Curitiba e melhor atender as demandas de mobilidade", analisa o executivo. "Com a abertura da filial, conseguimos aprimorar a excelência na venda de carrocerias e no atendimento, com rapidez nos serviços e na entrega de peças genuínas", complementa.

Para Alexandre Cervelin, gerente comercial da filial Paraná, o fato de a Marcopolo fornecer a maioria dos novos ônibus demonstra o empenho da empresa e sua busca contínua pela satisfação dos clientes, além do reconhecimento de importantes atributos dos produtos Marcopolo. "Para nós, atender as necessidades dos operadores de Curitiba é motivo de satisfação, pois demonstra confiança na qualidade, tecnologia e desempenho dos nossos ônibus", destaca.

A Marcopolo foi a primeira fabricante de carrocerias de ônibus a participar e fornecer modelos diferenciados para o pioneiro sistema de transporte urbano no modelo BRT da cidade de Curitiba, ainda na década de 1970. Atualmente, o sistema de Curitiba é composto por cerca de 1.250 ônibus que transportam 1,23 milhão de passageiros por dia. As linhas realizam, em média, 14,1 mil viagens por dia e percorrem mais de 273 mil quilômetros. O sistema conta atualmente com 254 linhas urbanas operadas por três consórcios.

KIA MOTORS NÃO VAI AO SALÃO DO AUTOMÓVEL DE SÃO PAULO 2020


A Kia Motors do Brasil anunciou nesta terça-feira (18) que não participará da 31ª edição do Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, a ser realizado entre os dias 12 e 22 de novembro, no São Paulo Expo. Depois de expor em 14 edições consecutivas, a importadora decidiu, este ano, por adotar estratégias de Marketing mais próximas aos consumidores finais, por meio do crescimento e do fortalecimento da rede autorizada de concessionárias.

“2020 será um ano muito importante para a Kia Motors, que terá três lançamentos. O primeiro foi o hatch compacto Rio, no mês passado. Na sequência, apresentaremos o Niro Hybrid e, mais para o final do ano, um novo SUV compacto. Além disso, nossa prioridade é ampliar e fortalecer a rede de concessionárias, com mais quinze novos pontos de atendimento em todo o País. Diante dessa nova realidade, optamos por oferecer experiências práticas aos potenciais compradores de automóveis”, explica José Luiz Gandini, presidente da Kia Motors do Brasil.

Na avaliação de Gandini, “o Salão do Automóvel, por muitos anos, foi o evento automotivo mais importante do ano. No entanto, a realidade da comercialização de automóveis mudou radicalmente nos últimos anos. Os compradores passaram a conhecer os produtos por meio de plataformas digitais. Por isso, precisamos oferecer mais experiências, além de inovações tecnológicas, diante de um dos setores mais competitivos da economia”, para quem, porém, “a Kia Motors do Brasil não está fechando as portas ao Salão. Em novos formatos, a empresa pode reavaliar o evento, que foi o mais importante dos últimos 60 anos”.

Kia Motors do Brasil
Textofinal de Comunicação Integrada

Leia> Coisas de Agora

CONVERSA DE PISTA.
Por Wagner Gonzalez*

PENSANDO FORA DO BOX



Recriação das Mil Milhas incomoda e é bem-vinda


Prova mais tradicional do automobilismo brasileiro e criada na década de 1950 pelos saudosos Eloy Gogliano e Wilson Fittipaldi, as Mil Milhas Brasileiras tem uma história que faz jus à frase que decora o troféu da vitória: "Glória imortal aos vencedores". Recriada este ano pela promotora e organizadora Elione Queiroz, uma paulista há tempos radicada no Planalto Central, ela renasceu com novo nome e deixou claro uma outra mensagem: enquanto os praticantes do esporte não deixarem de olhar para o próprio umbigo e entenderem que há de se trabalhar na mesma direção, o renascimento do automobilismo nacional tem tudo para perecer em glória mortal.

Os vencedores, a partir da esquerda: Esio Vichiese, Renan Guerra e Stuart Turvey. Foto: Cláudio Kolodziej.

Bastante conhecida por seus serviços de logística e apoio a pilotos e equipes, Elione Queiroz enxergou em passado recente o que poucos viram e decidiu arrematar os direitos sobre nomes de provas tradicionais, como os 1.000 KM de Brasília, 12 Horas de Goiânia e a cereja desse bolo, as Mil Milhas Brasileiras. Todos eles estavam com seus direitos caducados e órfãos de algum proprietário. Isso provocou ciúmes em muitos, a começar pelo atual presidente do Centauro Motor Clube, José Roberto Beilstrein, um dos primeiros a ir contra a iniciativa de Queiroz. De certa forma o herdeiro do clube fundado por Gogliano nos anos 1950, Beilstrein há anos deixou de ter qualquer atividade relacionada com esse evento, mas insistiu que era o dono do nome e que ninguém, exceto ele, poderia organizar ou promover essa competição. Tornou-se folclórica, para não dizer lastimável, suas declarações regulares que as Mil Milhas Brasileiras voltariam a acontecer "este ano".

Elione Queiroz e o novo troféu da prova recriada com persistência. Foto: Cláudio Kolodziej.

Queiroz não se abalou, continuou trabalhando à sua maneira e há de se louvar sua resiliência e perseverança diante de obstáculos que enfrentou. Ao batalhar pelo renascimento de uma prova histórica ela foi obrigada a devotar sua energia em tantas frentes e, consequentemente, descuidando de outras a ponto de adotar um formato privilegiou muitos e convenceu poucos. Longe de critica-la por isso, deve-se entender esse inconveniente como fruto de sua pouca experiência como organizadora de eventos desse porte. Perto da realidade dos fatos, ela enfrentou a resistência nociva do circo do Campeonato Brasileiro de Endurance, para quem o regulamento da prova parece ter sido pensado, e que recusou participar do evento.

O Ginetta G55 dos vencedores foi protagonista durante as 11 horas de corrida. Foto: Julio D'Paula.

Pode parecer fácil refletir sobre o desenrolar do evento vencido pelo trio formado por Renan Guerra, Esio Vischiese e Stuart Turvey a bordo de um Ginetta G55. No entanto é claramente difícil entender a razão pela qual muitos que pediam pela volta das Mil Milhas não apoiaram a iniciativa. Culpa da exigência de se usar pneus slick, equipamento muito mais caro que os pneus radiais comuns? Abrir demasiadas categorias no intuito de premiar muitos vencedores? O saldo dessa empreitada é positivo quando se nota que há gente disposta a fazer algo pelo esporte dentro dos autódromos e fora de grupos ativos apenas em mídias sociais. Elione Queiroz merece parabéns pela coragem de enfrentar tantos adversários e aqueles que ainda acreditam no automobilismo brasileiro agradecem por tanta bravura. Juntos, já olham para janeiro de 2021, quando a Mil Milhas do Brasil volta a acontecer em Interlagos no dia 25 de janeiro.

* Foto de abertura: Julio D'Paula

* Wagner Gonzalez é jornalista especializado em automobilismo de competição, acompanhou mais de 350 grandes prêmios de F-1 em quase duas décadas vivendo na Europa. Lá, trabalhou para a BBC World Service, O Estado de S. Paulo, Sport Nippon, Telefe TV, Zero Hora, além de ter atuado na Comissão de Imprensa da FIA. Atualmente é diretor de redação do site Motores ClássicosTwitter: @motclassicosFale com o Wagner Gonzalez: wagner@beepress.com.br.

Leia> Coisas de Agora

IVECO ANUNCIA A PRODUÇÃO DO NIKOLA TRE EM ULM, NA ALEMANHA

A IVECO e a FPT Industrial, marcas da CNH Industrial, junto da Nikola Motor Company vão iniciar a fabricação do Nikola Tre, movido à bateria e célula de combustível, na unidade da IVECO em Ulm, Alemanha, por meio da joint venture europeia.



Essa parceria estratégica e exclusiva do setor de caminhões para serviços pesados fez a CNH Industrial adquirir uma participação de US$ 250 milhões na Nikola, como o principal investidor da Série D. O anúncio da parceria no Capital Markets Day da CNH Industrial, em setembro de 2019, foi seguido pela apresentação, em dezembro, do Nikola Tre, um caminhão elétrico com bateria (BEV) para serviços pesados, a primeira etapa em direção ao modelo elétrico com célula de combustível (FCEV).

Hoje, o espaço em Ulm é o núcleo de engenharia de chassi da IVECO estrategicamente posicionado no centro da região de Baden-Württemberg, que luta para se tornar um polo da mobilidade com célula de combustível, também graças aos trabalhadores e laboratórios de pesquisa especializados da empresa. A região dedicou investimentos substanciais para financiar projetos de pesquisa e desenvolvimento na área, que tem uma forte indústria automotiva e parcerias de projetos estratégicos. Isso significa que a fábrica vai se beneficiar da proximidade com os principais fornecedores.

Além disso, o governo federal alemão lançou recentemente a versão preliminar da Estratégia Nacional para o Hidrogênio, que tem o objetivo de expandir o papel de pioneirismo das empresas em relação às tecnologias de hidrogênio. Nesta estratégia, o país vai reservar um total de dois bilhões de euros para financiar programas de inovações de hidrogênio, que incluem o desenvolvimento da infraestrutura de distribuição necessária. “Nossa joint venture europeia com a Nikola, e o anúncio de hoje, são provas de que os transportes de longa distância com emissão zero estão se tornando uma realidade e resultando em benefícios ambientais tangíveis para os transportadores de longa distância e os cidadãos da Europa”, aponta Hubertus Mühlhäuser, CEO da CNH Industrial. “A decisão de fabricar o Nikola Tre em Ulm, um centro de excelência em engenharia de caminhões para serviços pesados, ressalta a localização estratégica no centro do polo tecnológico de células de combustível da Alemanha”.

No primeiro estágio do projeto, serão investidos €40 milhões pela empresa da joint venture para aprimorar as instalações de manufatura, que vão se concentrar na montagem final do veículo. A previsão é que o início da produção ocorra no primeiro trimestre de 2021, com as entregas do Nikola Tre começando no mesmo ano.

“O Nikola Tre está provando ser o caminhão articulado mais moderno do mundo e vai continuar definindo o padrão de veículos com emissão zero hoje e no futuro”, afirma Trevor Milton, CEO da Nikola Motor Company. “A decisão de produzir o Tre em grande volume na cidade de Ulm é um bom exemplo de como criar empregos, promover inovação, dar segurança a novos fornecedores de peças com emissão zero e servir de exemplo para outros fabricantes de equipamentos originais. O mundo está pronto para o transporte de cargas sem emissões e essa joint venture entre a Nikola e a IVECO será a primeira a oferecer isso”.

Os primeiros modelos a entrarem em produção serão os caminhões articulados elétricos a bateria 4x2 e 6x2. Os veículos têm baterias modulares e escalonáveis com capacidade para até 720 kWh e sistema de transmissão elétrico que fornece até 480 kW de energia contínua.

A instalação de Ulm vai receber o estoque de módulos das fábricas da IVECO em Valladolid e Madri, na Espanha, o que permitirá um reforço rápido para atender à demanda esperada dos consumidores. As versões elétricas com célula de combustível, montadas na mesma plataforma, serão testadas pelo projeto H2Haul, financiado pela UE, durante o ano de 2021. O lançamento no mercado é esperado para 2023. O Nikola Tre, que está em desenvolvimento atualmente, é baseado na nova plataforma IVECO S-WAY e integra a tecnologia de caminhões, os controles e o infotainment da Nikola. Espera-se que os testes comecem em meados de 2020, com a exibição de protótipos na exposição de veículos comerciais IAA 2020 na cidade de Hannover, Alemanha, em setembro.

“Aproveitando nossas fábricas de alto padrão em Madri e Valladolid, na Espanha, onde o IVECO S-Way é produzido, conseguimos acelerar a montagem final, a integração do sistema de transmissão e a personalização sofisticada do Nikola Tre para uma introdução oportuna no mercado, em 2021”, destaca Gerrit Marx, presidente comercial e de veículos especiais da CNH Industrial.

Essa joint venture faz parte de uma parceria mais ampla estabelecida com a Nikola para acelerar a transformação da indústria em busca da neutralidade de emissões de caminhões de Classe 8 para serviços pesados na América do Norte e Europa por meio da adoção da tecnologia de célula de combustível. O principal foco da colaboração é aproveitar a experiência de cada um dos parceiros para implantar com sucesso caminhões pesados com emissão zero e transformar o setor com um modelo de negócios totalmente novo.

IVECO
CNH Industrial
Rede Comunicação de Resultado

Leia> Coisas de Agora

domingo, 16 de fevereiro de 2020

SCANIA APOSTA NO GÁS E TRAZ PRODUÇÃO PARA O BRASIL

Como parte do propósito de liderar a mudança para um sistema de transporte mais sustentável, a Scania Latin America anuncia o início da produção local e inédita de caminhões movidos a gás, GNV - Gás Natural Veicular - e GNL - Gás Natural Liquefeito, em sua fábrica em São Bernardo do Campo - São Paulo



“Estamos no Brasil há 63 anos, aqui temos a segunda maior Operação Industrial fora da Suécia, contando com quase 4 mil colaboradores, e um Centro de Pesquisa e Desenvolvimento que nos permite oferecer ao mercado a melhor solução de transporte e continuar avançando na jornada da sustentabilidade”, diz Christopher Podgorski, Presidente e CEO da fabricante sueca.

A chegada dos caminhões a gás está incluída no plano de investimento de R$ 2.6 bilhões, compreendido entre o período de 2016 e 2020, que contempla o lançamento da Nova Geração de Caminhões da marca. “A industrialização dos veículos a gás complementa a Nova Geração de Caminhões Scania lançada em 2018, disponibilizada ao mercado com base no Sistema de Produção Global Scania”, pontua Podgorski.

“Outros R$ 1.4 bilhão serão investidos no período compreendido entre 2021 a 2024, sendo que esse novo montante nos permitirá avançar ainda mais em tecnologias em direção aos combustíveis alternativos e a descarbonização do setor de transporte e logística”, afirma. Segundo Podgorski, o gás é uma grande oportunidade devido à quantidade disponível no País, além de ser um passo importante na busca por um transporte mais sustentável, até chegar aos veículos híbridos, elétricos e autônomos.

A produção de caminhões a gás da Scania no Brasil segue os preceitos do já conhecido Sistema Modular Scania, que permite a fabricação de diferentes modelos a partir de um número limitado de componentes, de acordo com a aplicação do veículo. No caso dos veículos a gás, a diferença entres os modelos GNV e GNL está na instalação dos tanques, específico para o armazenamento conforme o estado físico do combustível: líquido por resfriamento (GNL) ou gasoso por pressurização (GNV). As vendas dos veículos começaram em outubro do ano passado durante a Fenatran e as primeiras entregas acontecem já a partir de abril.

A unidade de São Bernardo do Campo, também será responsável em conduzir o desenvolvimento global dos veículos a gás. “A área de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) irá liderar os futuros desenvolvimentos dessa tecnologia no grupo Scania”, confirma Podgorski. A equipe de P&D no Brasil conta com mais de 270 engenheiros que atuam em sinergia com a matriz na Suécia. “Esta decisão foi tomada dada a vocação do país para o gás e para a confiança no ‘choque de energia’ de baixo custo que vem sendo mencionado pelo governo como alavancador de desenvolvimento econômico”, completa o executivo.

A utilização de GNV ou GNL reduz em até 15% o nível de emissão de CO2 - Dióxido de Carbono. No caso do biometano, obtido a partir de resíduos orgânicos, a redução pode chegar a até 90%.

Aposta pelo gás


O mercado de gás no Brasil está em franca expansão. Segundo números da EPE - Empresa de Pesquisa Energética, estatal vinculada ao Ministério de Minas e Energia, até 2030, o Brasil deve quase triplicar a produção líquida de gás natural, saindo dos atuais 59 milhões para 147 milhões de metros cúbicos por dia.

De acordo com a ABiogás - Associação Brasileira de Biogás, o potencial de produção do biogás no Brasil chega a 50,4 bilhões de m³/ano, contabilizando todo o resíduo produzido pela agroindústria e saneamento, volume suficiente para suprir 70% da demanda de diesel no País.

A importância da Scania Latin America no Grupo Scania


Segunda maior fábrica dentro do Grupo Scania em capacidade produtiva, a planta de São Bernardo do Campo tem capacidade para fabricar 30 mil unidades ao ano. Em 2019, a Scania Latin America exportou 40% de sua produção, vendendo o restante para o mercado interno, cenário que mudou em relação aos outros anos, quando a empresa exportava cerca de 70% da produção. Ainda no ano passado, a Scania vendeu 12,7 mil caminhões pesados, alta de 57,8% em relação a 2018, um aumento de cerca de 9,1% em relação ao mercado, que cresceu 48,7%.

Scania Latin America

sábado, 15 de fevereiro de 2020

TAKAO LANÇA 49 PEÇAS DE REPOSIÇÃO PARA MOTORES DE CARROS RECÉM-LANÇADOS


Ágil, a marca faz um levantamento constante de novos motores e se empenha para desenvolver as respectivas peças de reposição


Todo início de ano, a Takao, marca 100% brasileira e com atuação no mercado de reposição para peças de motores há nove anos, faz um meticuloso estudo de mercado com o objetivo de manter seu portifólio atualizado, disponibilizando novos produtos. Inicia-se, então, o processo de desenvolvimento de novos componentes até atingir o início efetivo da produção e a distribuição a todo o país.

Geralmente, como as concessionárias não costumam ter todas as peças de reposição de motores em estoque e levam mais de um mês para dispor desses componentes, o reparador, na prática, não pode esperar todo esse tempo com o carro do cliente parado na oficina! E a Takao se transforma na única opção para que esse profissional possa realizar seu trabalho.

Não é à toa que a empresa, uma das mais lembradas pelos reparadores de acordo com o Ibope, em recente pesquisa, possui um portifólio que abrange 92% de toda a frota nacional. São mais de 16 mil itens distribuídos para 1.300 motores diferentes.

Com portifólio composto por pistões, anéis, bronzinas, juntas, comandos, válvulas e diversos outros componentes internos de motores, a Takao é a única empresa do mercado capaz de fornecer todos os itens de reposição para todos esses motores. 


Neste mês, a marca lança peças de reposição para os seguintes modelos de propulsores


· Bronzinas
o Renault 1.0L 3 cil (Logan, Kwid, Sandero / 2016 a 2019)
o Suzuki 1.4L Turbo (SX-4, S-Cross, Vitara / 2015 a 2019)

· Juntas
o Chevrolet 1.8L (Cobalt, Nova Spin / 2017 a 2019)
o Honda 2.0L (New Civic / 2016 a 2019)
o Honda 1.5L Turbo (New Civic, CR-V / 2016 a 2019)

· Pistões
o Chevrolet 1.0L (Onix, Novo Prisma / 2017 a 2019)
o Chevrolet 1.4L (Onix, Novo Prisma, Cobalt / 2017 a 2019)
o Chevrolet 1.4L Turbo (Cruze, Tracker / 2016 a 2019)
o Chevrolet 1.8L (Cobalt, Nova Spin / 2017 a 2019)
o Hyundai 1.6L (HB20 / 2016 a 2019)
o Renault 1.0L 3 cil (Logan, Kwid, Sandero / 2016 a 2019)
o Toyota 1.5L (Etios, Yaris / 2016 a 2019)
o VW 1.0L 3 cil. (Golf, Polo, T-Cross, Virtus / 2016 a 2019)

Fundada em 2011, a Takao iniciou suas atividades na zona norte de São Paulo, com foco em componentes internos para motores da linha automotiva e de empilhadeiras. Ao longo dessas últimas décadas, a marca aprimorou seu leque de oferta de produtos, destacando-se como uma das maiores marcas de peças internas de motores do país.

TAKAO
e-Pincigher Comunicação Corporativa
eduardopincigher@hotmail.com
+55 11 997-229-356

Leia> Coisas de Agora

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

SBCTRANS LANÇA SEGUNDA FASE DE SUA CAMPANHA “DEIXE O CARRO, VÁ DE ÔNIBUS” PARA A MOBILIDADE URBANA


Após o sucesso alcançado no ano passado com a campanha “Deixe o carro, vá de ônibus”, a SBCTrans, principal operadora de transporte público da cidade de São Bernardo do Campo, dá início à segunda fase da ação. O objetivo é promover e incentivar práticas sustentáveis e o bem-estar da sociedade, contribuindo para a melhora da mobilidade nos centros urbanos, diminuição dos congestionamentos e acidentes, do estresse dos cidadãos no trânsito, sobretudo em horários de pico, e da poluição ambiental.

“Para que as pessoas dos centros urbanos tenham mais qualidade de vida e um trânsito sustentável é necessário aderir ao transporte coletivo. Quanto mais pessoas utilizarem o transporte coletivo, melhor será o trânsito, a qualidade de vida e menor será o tempo para ir e vir”, explica a diretora executiva da SBCTrans, Milena Braga Romano.

A campanha está sendo veiculada em diversos busdoors dos ônibus da empresa e conta com quatro diferentes anúncios, com foco em atrair pessoas que não utilizam o transporte coletivo habitualmente.

É baseada em quatro pilares para mostrar que o transporte coletivo é viável e vantajoso: economia, o gasto mensal com transporte é muito menor do que outros modais, como o transporte individual; menos acidentes, o cliente e usuário está exposto a menores riscos de acidentes; menos estresse, por não estar ao volante, pode utilizar o tempo para outras atividades; e se beber, não dirija, para conscientização da conduta de não dirigir um veículo depois do consumo de álcool.

“Temos investido e trabalhado continuamente para oferecer, a cada dia, um transporte melhor, com mais conforto, pontualidade e segurança. Nesta segunda fase, serão cerca de 80 ônibus em circulação com os busdoors”, destaca a executiva.

SBCTrans
Secco Consultoria de Comunicação

Leia> Coisas de Agora