segunda-feira, 25 de março de 2019

CAMINHÕES DAF GANHAM NOVIDADES NA VERSÃO 2019


Os caminhões DAF XF105 e CF85 ganham novidades em opcionais e itens de série nas versões 2019 


O XF105 2019 passa a trazer, de série, acendimento automático dos faróis ao dar a partida no motor. Como opcional, os dois caminhões podem receber também tomada de força de fábrica. 

Outra novidade é a quinta roda com placa polimérica, que elimina o uso de graxa sobre o bloco e o disco de fricção, reduzindo o tempo de parada e os custos de manutenção. O item é oferecido sob demanda para os caminhões XF105 e CF85.

Por fim, as versões 2019 ganham quinta roda mais baixa, com 150 mm, opcional nos dois modelos, disponível somente nas configurações 4x2. O benefício é maximizar o volume de carga do implemento.

“Estamos atualizando a linha de caminhões DAF atentos às demandas do mercado brasileiro e ao feedback de nossos clientes, elevando o conforto sem perder em qualidade e robustez, características já reconhecidas em nossos produtos. Também consideramos de extrema importância o baixo custo operacional dos caminhões, pilar que integra o DNA DAF e que impactou nas atualizações feitas nas versões 2019”, destaca Luis Gambim, Diretor Comercial da DAF Caminhões.

EMPRESA BRASILEIRA INVESTE EM IOT PARA RASTREAMENTO DE VEÍCULOS


Maxtrack usa tecnologia LoRa para monitorar frotas de seguradoras e companhias de proteção veicular


Com perspectiva de movimentar US$ 561 bilhões em 2022, segundo a consultoria MarketsandMarkets, a Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) mudou a configuração da indústria de rastreamento veicular. A soma de dispositivos de baixo custo, o uso da internet para envio constante de dados e a análise massiva dessas informações em tempo real criaram um cenário de compreensão avançada sobre os equipamentos e pessoas monitoradas.

A mineira Maxtrack (maxtrack.com.br), maior fabricante de rastreadores da América Latina, com mais de 3 milhões de dispositivos comercializados, se adiantou a essa tendência. Junto à coligada Denox, especializada em plataformas de conectividade e análise de dados, a empresa começou a desenvolver dispositivos inteligentes acessíveis ainda em 2017. Ao invés de apenas acompanhar a localização do automóvel, esses produtos permitem coletar um escopo maior de informações sobre veículo, região trafegada e condutor.

Por meio da LoRa (sigla em inglês para Long Range), uma tecnologia que garante a conexão mesmo em áreas onde há falha nas redes de internet, os produtos enviam informações sobre os veículos rastreados. Ao submeter esses dados a análises de big data e inteligência artificial, é possível detectar automaticamente furtos, roubos, colisões e falhas mecânicas, assim como comparar em tempo real determinada anomalia com o histórico de comportamento de um carro ou usuário.

"Antes, esses eventos eram identificados de forma passiva, a partir de chamados dos envolvidos", diz Gustavo Travassos, CEO da Maxtrack. A capacidade expandida de análise também ajuda no planejamento logístico dos clientes da empresa, com impactos na gestão de frotas e maior controle sobre prazos de entrega.

De acordo com Travassos, a solução já é usada pelas maiores seguradoras e empresas de proteção veicular brasileiras. Ao todo, foram instalados e conectados 350 mil dispositivos IoT da Maxtrack desde 2018, e as encomendas para 2019 superam um milhão de unidades.

Impulsionado pelas tecnologias IoT, o faturamento do grupo MXT, do qual a Maxtrack é parte, subiu de R$ 55 milhões em 2017 para R$ 88 milhões no ano passado, um salto de 47%. "Enquanto no mundo ainda são raros os casos de resultados financeiros robustos gerados a partir da Internet das Coisas, nós temos evidências que o Brasil tem lições importantes a ensinar nessa área", afirma o CEO.

Líder no Brasil em rastreamento veicular. Fundada em 1999, a Maxtrack integra dados do motorista, veículo, região e histórico para oferecer aos clientes um panorama compreensivo do deslocamento da sua frota, o que aumenta a capacidade de prever incidentes e criar planejamentos logísticos. 

domingo, 24 de março de 2019

VOLKSWAGEN DOMINA E VENCE NA COPA TRUCK.


Diante de 22 mil pessoas que compareceram na manhã de domingo no Autódromo de Goiânia, Beto Monteiro quebrou um jejum de vitórias que durava desde a primeira rodada da história da Copa Truck, em 2017, com estilo, faturando as duas provas do fim de semana em sua estreia com o Volkswagen da equipe RM. A rodada dupla que abriu a temporada deu uma amostra do que deve ser visto ao longo de 2019: disputas pela ponta entre pelo menos três montadoras diferentes.

Na primeira corrida do dia, o pole position Felipe Giaffone, em sua estreia no comando de um Iveco, largou forte e segurou a liderança nas primeiras voltas, até ser superado pelo Volks de Paulo Salustiano que, pouco depois, enfrentou problemas no motor e acabou abandonando a prova aos prantos, em uma cena comovente. A partir daí, Monteiro seguiu forte na ponta, segurando a forte pressão de Leandro Totti para vencer a primeira corrida do ano. Totti terminou em segundo e André Marques, que superou Giaffone nos minutos finais da corrida com seu Mercedes-Benz, foi o terceiro. Atual campeão da categoria, Roberval Andrade, largou em oitavo, fez boa corrida de recuperação e chegou a ocupar a quarta posição, mas cruzou a linha de chegada em quinto.

A segunda corrida do dia, no entanto, conseguiu ser melhor que a primeira. Largando em quinto após a inversão do grid, Felipe Giaffone acelerou forte para, em poucas voltas, saltar para a liderança. Mas os olhos do público goiano estavam focados em Rogério Castro, que largou da pole por conta da inversão de grid. Porém, com perda de rendimento, o piloto da casa foi caindo até receber a bandeirada em sexto.

Na briga pela ponta, Giaffone era perseguido de perto por Beto Monteiro, vencedor da corrida 1 e oitavo do grid. O campeão de 2017 segurou bem a pressão durante a maior parte da prova, mas acabou ultrapassado e perdeu a liderança para o pernambucano. A partir daí as posições não mudaram e Beto cruzou a linha de chegada para conquistar sua segunda do dia. Giaffone teve de se conformar com o segundo lugar, enquanto Luiz Carlos Zapellini, de volta às corridas de caminhão, somou um heroico terceiro lugar. Marques foi ao pódio novamente em quarto, enquanto Débora Rodrigues, em uma atuação maiúscula, chegou em quinto e somou seu primeiro pódio desde a etapa de abertura do ano passado, em Cascavel (PR).

Pódio da corrida 1: Beto Monteiro ladeado por Leandro Totti e André Marques 

“Estou muito feliz, principalmente depois das adversidades do fim de semana. Nessa equipe nova é tudo muito diferente do que a gente vinha usando. Viemos muito focados para tentar bons pontos para o campeonato e conseguir duas vitórias foi sensacional”, celebra Monteiro, líder isolado da primeira copa com 40 pontos, oito a mais que Giaffone. “Goiânia é uma das minhas pistas preferidas. Eu adoro vir para Goiânia e o povo de Goiânia, muito caloroso e receptivo. Que bom que começamos bem aqui!”

Giaffone, por sua vez, comemorou o resultado como uma vitória:  “Ontem a pole foi uma surpresa, acho que foi completamente fora do normal, não é a realidade do nosso caminhão, que é estar entre os cinco mais rápidos. Agora é começar a trabalhar. Não é o desenvolvimento que a gente queria, mas está muito melhor que a gente imaginava. O caminhão aguentou, pois o que eu mais queria era que o caminhão chegasse até o final, então é nota mil”

Já André Marques destacou a constância que foi sua marca registrada no ano passado – regularidade que o alçou ao terceiro posto no campeonato com 30 pontos. “Estou feliz, foi um final de semana muito bom para a equipe. Vamos para a briga de novo, tentar manter a regularidade e tentar chegar na frente para ganhar essas copas.”

Três pontos atrás de Marques, Totti sai de Goiânia em quarto na tabela de pontos, mesmo sofrendo com problemas nos freios  “Tivemos problemas nos treinos, conseguiram resolver para a corrida, mas acabei ficando sem freio na primeira corrida por causa do ritmo muito forte e conseguimos salvar um segundo lugar para a equipe PPD. Parabéns aos meninos, que me entregaram um belo caminhão. Com certeza temos condições de brigar pelo título com essa nova equipe.”

Extremamente emocionado, Zapellini, que sai de Goiânia em quinto na tabela, dedicou o pódio ao filho que faleceu há três anos – destacando que a perda o fez voltar a competir e somar um pódio logo de cara. “Eu fico muito feliz de poder subir no pódio nesse meu retorno. Eu ofereço essa vitória, muito emocionado, ao meu filho Rafael, que partiu há três anos e quatro meses e por ele eu volto à Copa Truck. Tenho certeza que ele estava do meu lado na boleia, porque o velhinho não aguenta tanto assim. É muito legal disputar corrida com Felipe Giaffone, Beto Monteiro e esses botas aí que não pararam e eu parei, mas já já eu pego eles. O Felipe já é meu freguês”

Única mulher do grid, Débora Rodrigues era só felicidade após mais um troféu em sua carreira: “Estou muito satisfeita e a minha palavra do fim de semana é gratidão, pelo Renato Martins, meu marido, à RM Competições, que me trouxe para o caminhão e ao André Marques, o famoso Bochecha. Foi demais. Não foi fácil, mas o caminhão aguentou. Não vou falar qual o problema, mas eu estava com um probleminha e eu só pedia a Jesus para deixar eu chegar porque essa torcida merece. Às vezes eu conseguia ouvir a gritaria de dentro do caminhão.”

Outros destaques da etapa foram as dificuldades dos sempre favoritos Wellington Cirino e Roberval Andrade. Enquanto o campeão do ano passado, com seu novo Mercedes, foi quinto na primeira corrida, Cirino não conseguiu completar nenhuma das duas – o que praticamente o eliminou da briga pela Primeira Copa, que terá sua conclusão no dia 14 de abril em Campo Grande (MS).

Resultados do fim de semana

Corrida 1
1) Beto Monteiro, (RM Motors/Volkswagen), 14 voltas em 26min02s248
2) Leandro Totti, (PPD Motorsport/Mercedes), a 0s695
3) André Marques, (AM Motorsport/Mercedes-Benz), a 25s513
4) Felipe Giaffone, (Usual Racing/Iveco), a 26s396
5) Roberval Andrade, (RVR/Mercedes), a 27s839
6) Adalberto Jardim, (AJ5 Sports/Ford), a 42s059
7) Luiz Carlos Zapellini, (RM Motors/Volkswagen), a 42s391
8) Rogério Castro, (PPD Motorsport/Mercedes-Benz), a 49s419
9) Debora Rodrigues, (AM Motorsport/Mercedes-Benz), a 59s649
10) Luiz Lopes, (Lucar Motorsport/Iveco), a 1min03s662
11) Clodoaldo Monteiro, (RM Motors/Volkswagen), a 1min17s304
12) Hiro Yano, (RM Motors/Volkswagen), a 1min21s804
13) Regis Boessio, (Boessio Competições/Volvo), a 1min22s225
14) Renato Martins, (RM Motors/Volkswagen), a 1 volta
15) Djalma Pivetta, (Usual Racing/Iveco), a 2 voltas
16) Jadson Zini, (Zini Dakar/Iveco), a 2 voltas
Não completaram 75% da prova
Djalma Fogaça, (DF-FF/Ford), a 5 voltas
Maikon Lauck, (PPD Motorsport/ Mercedes-Benz), a 9 voltas
Fabio Carvalho, (DF/FF/Ford), a 9 voltas
Wellington Cirino, (AM Motorsport/Mercedes-Benz), a 10 voltas
Paulo Salustiano, (RM Motors/Volkswagen), a 11 voltas
Melhor volta: Paulo Salustiano, 1min49s993

Corrida 2 
1) Beto Monteiro, (RM Motors/Volkswagen), 14 voltas em 26min26s377
2) Felipe Giaffone, (Usual Racing/Iveco), a 6s008
3) Luiz Carlos Zapellini, (RM Motors/Volkswagen), a 24s140
4) André Marques, (AM Motorsport/Mercedes-Benz), a 26s619
5) Debora Rodrigues, (AM Motorsport/Mercedes-Benz), a 34s682
6) Rogério Castro, (PPD Motorsport/Mercedes-Benz), a 41s409
7) Jaidson Zini, (Zini Dakar/Iveco), a 49s051
8) Clodoaldo Monteiro, (RM Motors/Volkswagen), a 1min10s790
9) Leandro Totti, (PPD Motorsport/Mercedes), a 1min29s766
10) Hiro Yano, (RM Motors/Volkswagen), a 1min36s049
11) Djalma Pivetta, (Usual Racing/Iveco), a 1min44s230
12) Luiz Lopes, (Lucar Motorsport/Iveco), a 3 voltas
13) Regis Boessio, (Boessio Competições/Volvo), a 4 voltas
Não completaram 75% da prova
Djalma Fogaça, (DF-FF/Ford), a 10 voltas
Roberval Andrade, (RVR/Mercedes), a 14 voltas
Wellington Cirino, (AM Motorsport/Mercedes-Benz), a 14 voltas
Adalberto Jardim, (AJ5 Sports/Ford) , a 14 voltas
Renato Martins, (RM Motors/Volkswagen) , a 14 voltas
Maikon Lauck, (PPD Motorsport/ Mercedes-Benz) , a 14 voltas
Fabio Carvalho, (DF/FF/Ford) , a 14 voltas
Paulo Salustiano, (RM Motors/Volkswagen) , a 14 voltas
Melhor volta: André Marques, 1min50s496

Clique na telinha e assista os melhores momentos da prova


Saiba mais no www.copatruck.com.br 

Copa Truck
Assessoria de Imprensa
Fotos: Vanderley Soares/Copa Truck

Leia> Coisas de Agora. 

sábado, 23 de março de 2019

BSS BLINDA SUPER SUV LAMBORGHINI URUS


A Via italia, importadora oficial da marca, lançou o Lamborghini Urus, primeiro Super Sport Utility Vehicle, segundo definição da própria Automobili Lamborghini, em novembro do ano passado, durante a 30ª edição do Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, para atuar no segmento de luxo com potência de benchmarking, desempenho, dinâmica de direção, design incomparável, luxo e usabilidade. Portanto, trata-se de um modelo muito recente em comercialização no mercado brasileiro. Ainda assim, a BSS já blindou duas unidades no primeiro bimestre do ano.

"Já temos os menores prazos de entrega de carros blindados porque a BSS trabalha com estoque de vidros balísticos e de mantas. Com a chegada do Lamborghini Urus no final do ano passado, lançamos o desafio também de desenvolver, com os nossos fornecedores, moldes de vidros e programa de corte CNC com ultra-frequência de mantas de Aramida e NeopreneR em tempo recorde, com peso da blindagem de 180kg", explica Mário Brandizzi Neto, CEO da BSS Blindagens.

O Lamborghini Urus possui um motor biturbo V8 de 4.0 litros que oferece 650 cv (478 kW) a 6.000 rpm, máximo de 6.800 rpm e 850 Nm de torque máximo já a 2.250 rpm. Com 162,7 hp/litro, a Urus apresenta uma das mais altas potências específicas de sua classe e a melhor relação peso/potência a 3,38 kg/hp.

O SUV acelera de 0-100 km/h em 3,6 segundos, 0-200 km / h em 12,8 segundos e com uma velocidade máxima de 305 km/h. É o SUV mais rápido disponível no mercado.

Fundada em junho de 2007, a BSS Blindagens já blindou mais de 10 mil unidades. Com esse número, a BSS é a maior blindadora do país, com cerca de 11% de marketshare. No segmento de automóveis Premium, a empresa detém mais de 30% de participação. A empresa produz, atualmente, tem capacidade produtiva de 220 veículos por mês. Emprega cerca de 200 colaboradores diretos e outros 200 indiretos.  

sexta-feira, 22 de março de 2019

BRASIL SEDIA SEMINÁRIO CONTINENTAL DE SERVIÇOS DA KIA MOTORS


A Kia Motors do Brasil sediará a edição de 2019 do “Central & South America Service Seminar”, evento anual que reúne as melhores práticas de serviços de pós-venda da Kia Motors nas Américas Central e do Sul. O seminário, que a cada edição acontece em um país diferente, será realizado nos dias 27 e 28 de março, em Foz do Iguaçu (PR).

O encontro reunirá mais de 40 diretores e gerentes de Serviços de diferentes distribuidores da Kia. Na programação do primeiro dia, representantes do Brasil, Chile, Colômbia, El Salvador, Equador, Guatemala, Honduras, Panamá, Paraguai, Peru e Porto Rico apresentarão cases de sucesso em satisfação e retenção de clientes, sempre alinhados à identidade de Serviços “Promise To Care”, aplicada pela Kia em todo o mundo. “É uma oportunidade valiosa para o compartilhamento de experiências. É muito interessante ter esse contato com práticas bem-sucedidas em outros países, inclusive para aperfeiçoarmos nossa atuação no mercado brasileiro”, destaca José Luiz Gandini, presidente da Kia Motors do Brasil. 

Kia Link


No segundo dia de programação, os participantes visitarão a concessionária Kia em Foz do Iguaçu, representada pelo Grupo Carelli. Na ocasião ocorrerá o lançamento e a demonstração prática do “Kia Link”, sendo o Brasil o primeiro país da América Latina a contar com a tecnologia, que atende às premissas de Conectividade e Digitalização do “Promise to Care” e que estará à disposição dos clientes brasileiros entre abril e maio deste ano.

Com o aplicativo “Kia Link”, compatível com os sistemas operacionais Android e iOS, os proprietários poderão consultar o histórico de revisões do veículo e programar agendamentos futuros pelos smartphones, garantindo o plano de manutenção periódica. Além disso, a tecnologia funcionará como um novo canal de comunicação entre clientes, concessionárias e Kia Motors, possibilitando a divulgação de ofertas especiais e ações de pós-venda.

Outro diferencial do “Kia Link” é que, por meio de um plugue conectado à porta OBD, o aplicativo ainda funcionará como um scanner, conectando-se à central de gerenciamento eletrônico do veículo e tendo acesso ao diagnóstico de vários componentes, como estado da bateria, do alternador, do sistema de escapamento e do nível dos pneus. Todas essas informações serão transmitidas ao smartphone via conexão Bluetooth e permitirão, por exemplo, que os concessionários sejam notificados em caso de verificação de códigos de falhas ou colisões.

Intercâmbio de conhecimento


A programação do seminário será finalizada com um passeio turístico às Cataratas do Iguaçu, um dos principais cartões-postais do Brasil, declarado Patrimônio Natural da Humanidade e uma das Sete Novas Maravilhas da Natureza. “É um privilégio poder receber em nosso país representantes da Kia de diversas nacionalidades. Trata-se de um intercâmbio de conhecimento, pois, além das informações técnicas, compartilharemos nossos valores culturais”, ressalta Gandini.

Além de contar com a presença da diretoria e da presidência da Kia Motors do Brasil, o seminário será prestigiado por executivos do alto escalão da Kia Motors Corporation, incluindo o presidente da sede regional da Kia nas Américas Central e do Sul, Mr. Kevin Kim.

IVECO PRONTA PARA ACELERAR FORTE NA COPA TRUCK 2019


Os brutos da IVECO, marca da CNH Industrial, já estão prontos para o início da Copa Truck 2019, que terá Goiânia (GO) como palco inicial da competição, em 24 de março. Os quatro caminhões da montadora, divididos em três equipes, serão comandados por pilotos experientes: Djalma Pivetta #21, Luiz Lopes #99, Jaidson Zini #25 e Felipe Giaffone #04, piloto com mais conquistas na categoria. 

Destaque para a nova equipe Usual IVECO Racing, formada por Djalma Pivetta e Felipe Giaffone, que estreia na Copa Truck 2019 com 1.200 cv de potência, por meio do motor Cursor 13 da FPT Industrial, para buscar o título. 

Ricardo Barion, diretor de Vendas e Marketing da IVECO para a América do Sul, ressalta que a Copa Truck, e outras competições automotores como o rali Dakar, são importantes laboratórios para a marca testar componentes dos caminhões pesados em alto desempenho. 

"Nosso cliente sabe que está dirigindo um caminhão que passou por uma série de avaliações, no Campo de Provas da IVECO, antes de o produto ser lançado no mercado. Na Copa Truck, temos a chance de colocar a prova futuros desenvolvimentos da marca", finaliza Barion.
   
Calendário da Copa Truck 2019 
1ª Etapa - 24/03 - Goiânia/GO 
2ª Etapa - 14/04 - Campo Grande/MS 
3ª Etapa - 02/06 - Londrina/PR 
4ª Etapa - 14/07 - Curvelo/MG 
5ª Etapa - 18/08 - Santa Cruz do Sul 
6ª Etapa - 01/09 - Rivera/Uruguai 
7ª Etapa - 06/10 - Tarumã* 
8ª Etapa - 27/10 - Curitiba/PR* 
9ª Etapa - 08/12 - São Paulo/SP* 
*Sujeito a confirmação.

Foto: Vinícius Silva.

IVECO

quinta-feira, 21 de março de 2019

VOLKSWAGEN DO BRASIL CELEBRA O DIA MUNDIAL DA ÁGUA

Estação de Tratamento de Efluentes da fábrica Anchieta
No mês em que é celebrado o Dia Mundial da Água, esta sexta-feira 22 de março, a Volkswagen do Brasil tem uma ótima conquista! A novidade é a estreia do Projeto de Reúso de Água Industrial na fábrica Anchieta, localizada em São Bernardo do Campo (SP), que prevê reutilizar mais de 20 milhões de litros de água industrial por mês.

Toda essa água, que seria descartada, agora é filtrada por membranas de osmose reversa, um processo que permite a separação e retirada das substâncias químicas. Em seguida, a água retorna para o processo produtivo.

“Pretendemos reutilizar 65% da água industrial que seria descartada. A filtragem proporciona água com qualidade excelente para abastecer a produção. Estamos aliando tecnologia, inovação e sustentabilidade”, disse o Plant Manager da fábrica Anchieta da Volkswagen do Brasil, Mario Rodrigues.

Fábrica de Taubaté já economizou 160 milhões de litros


Na fábrica da Volkswagen do Brasil em Taubaté (SP), o projeto de Água de Reúso já é um sucesso: economizou mais de 160 milhões de litros de água desde a sua implementação, em 2017. O processo de filtragem é semelhante ao da fábrica Anchieta.

Com ele, toda água usada na área de Pintura (banhos de pré-tratamento e limpeza das carrocerias) segue para a Estação de Tratamento da fábrica e retorna para os processos industriais da Pintura e sanitários.

“Adaptamos as instalações com tecnologias que nos permitem oferecer água tratada nos parâmetros de qualidade exigidos pela Pintura, a área que mais utiliza o insumo”, destacou o Plant Manager da Volkswagen do Brasil em Taubaté, Vilque Rojas.

Programa de sustentabilidade


A Volkswagen do Brasil reduziu em 30,44% o consumo de água por veículo produzido, comparando fevereiro de 2019 com a média mensal de 2010, ano de início do programa global de sustentabilidade da Marca Volkswagen “Think Blue. Factory.”

Alguns projetos de economia de água na VW do Brasil


Ação na Pintura economiza 845 mil litros 
Em uma ação inovadora, a Pintura da Anchieta implementou uma tecnologia no sistema de pré-tratamento de carrocerias que utiliza novos produtos na lavagem, eliminando a necessidade de um dos estágios. Essa mudança economiza 845 mil litros de água por ano, além de reduzir a quantidade de produtos no processo e o consumo de energia.

Com água reciclada e de chuva, fábrica de motores reduz consumo em 10% 
A fábrica de motores da Volkswagen do Brasil, em São Carlos (SP), ampliou em 3,2 milhões de litros sua capacidade de armazenagem de água de chuva e de água reciclada para o processo produtivo, possibilitando à unidade reduzir em 10% seu consumo de água por motor fabricado.

A melhoria ambiental ocorreu assim: o prédio onde são produzidos os motores da família EA111 teve sua capacidade de captação de água de chuva duplicada, para 20 mil litros. Com esse reaproveitamento, a fábrica de São Carlos tem a capacidade de economizar 2 milhões de litros de água por ano.

Já no prédio dos motores da família EA211 foram instalados dois reservatórios com capacidade de armazenamento de 20 mil litros cada, que possibilitam o reúso de toda água de dreno das torres de resfriamento, resultando no reaproveitamento de 1,2 milhão de litros ao ano.

Poços artesianos ajudam a economizar 
A fábrica da Volkswagen do Brasil em São José dos Pinhais (PR) conta com três poços artesianos para captar águas profundas e reduzir o consumo de água proveniente da rede pública. Esses três poços abastecem a fábrica com cerca de 7.000 m³ por mês, o que equivale a cerca de 46% do consumo da fábrica.

Pintura ecológica de Taubaté 
A Pintura da fábrica de Taubaté estabeleceu padrões inovadores de tecnologia e proteção ambiental, se tornando referência na indústria automobilística brasileira. As inovações da área tornaram o processo de pintura ecológico, reduzindo em cerca de 20% o consumo de água por veículo produzido e em 30% o consumo de energia, em comparação a uma pintura convencional. Aliada a equipamentos e processos de alto rendimento e baixo consumo energético, a unidade também utiliza tinta ecológica à base d'água.

Reúso de água nos testes das bombas de incêndio 
Na fábrica de São José dos Pinhais, a água utilizada para verificar preventivamente o funcionamento das bombas da rede de incêndio é reutilizada para resfriar equipamentos de áreas produtivas como alicates de solda e solda a laser, na Armação, e compressores no setor de Utilidades. A medida economiza aproximadamente 10 milhões de litros ao ano.  

Volkswagen do Brasil
Assuntos Corporativos e Relações com a Imprensa.

Leia> Coisas de Agora.  

EQUILÍBRIO ALCANÇADO.
Por Fernando Calmon*

O programa IncentivAuto do governo de São Paulo para estimular a produção de veículos no Estado pode parecer que se trata de uma guerra fiscal, mas não é. Afinal, além das contrapartidas obrigatórias, a intenção foi apenas se aproximar – não superá-las – das condições já oferecidas por outros Estados. Até o momento, infraestrutura de transporte e logística, mão de obra especializada e grande parque de fornecedores em São Paulo haviam sido suficientes para dispensar a renúncia de impostos.

Na grande maioria dos países, investimentos da indústria automobilística são altamente disputados. Quando marcas japonesas se instalaram nos EUA há mais de 30 anos, Estados do Centro e do Sul do país ofereceram vantagens financeiras fabulosas. Isso ajudou a desequilibrar a concorrência com as Três Grandes de Detroit (GM, Chrysler e Ford). Foi um dos motivos para as duas primeiras quebrarem financeiramente, na crise bancária de 2008/2009.

No Brasil, o cenário se repetiu. Nos anos 1970, sem o investimento do governo de Minas Gerais, a Fiat nunca teria vindo. Outros exemplos: GM, em Gravataí (RS), Ford, em Camaçari (BA) e FCA, em Goiana (PE). Estado do Rio de Janeiro também atraiu PSA Peugeot Citroën, Nissan e VW Caminhões. Goiás, a CAOA Hyundai e Mitsubishi. Paraná, a Volvo Caminhões, Renault e VW. Em todos os casos incluíram-se robustos incentivos fiscais. 

A GM foi a primeira a se enquadrar nas novas regras no programa paulista. Este exige criar um mínimo de 400 empregos diretos e 800 indiretos (pode parecer pouco, mas não é, porque automação da produção tornou-se irreversível no mundo todo) e em troca entra um desconto de 2,5% do ICMS para cada R$ 1 bilhão investido. Como a empresa desembolsará R$ 10 bilhões, terá direito ao crédito máximo de 25% de ICMS.

Outros Estados oferecem ou ofereceram descontos de até 100% do ICMS. Era o que tinham disponível para atrair empresas e mudar seu raquitismo econômico.

Sem dúvida, a marca americana agiu rapidamente, incluindo todos os envolvidos: concessionárias (menos 1 ponto percentual da margem líquida de venda), fornecedores (concordaram com reduções de preços e/ou sua manutenção pelos próximos dois anos) e o sindicato de São José dos Campos (SP) abriu mão de parte de vantagens salariais.

O governo paulista ficou por último nessa pretensa guerra fiscal, mas mostrou uma posição pragmática. Se nada fizesse, investimentos não viriam e muito menos os impostos. Quem iria piscar primeiro, olho no olho? Assim é no mundo todo: de pouco adianta espernear.

São Paulo, no entanto, abusou no capítulo dos impostos não compensados sobre veículos vendidos ao exterior. Exportar impostos é uma brincadeira que só existe aqui. Agora, promete equacionar o problema, como o Paraná já o fez.

Outro fato importante, Brasil e México concordaram em estabelecer livre comércio de veículos, sem taxas ou cotas, a partir deste mês. Mexicanos aceitaram aumentar o conteúdo de peças locais para 40% e vão incluir caminhões no acordo. Fabricantes aqui instalados temem perder investimentos – além do que já perderam.

Mas o jogo é assim mesmo: não dá para ganhar sempre, nem perder sempre. Há de existir um equilíbrio.

ALTA RODA

DOR DE CABEÇA com nova versão do sistema operacional Android 9 Pie para smartphones. Aplicativo Android Auto passa a não se comunicar com as centrais multimídia, mesmo as mais modernas, como a Ford Sync 3. Não é possível usar nem Waze e nem Google Maps. Recomendável procurar concessionárias de veículos para atualização ou desinstalar o Android Auto.

BMW SÉRIE 3, sétima geração, oferece mais espaço interno, em especial no banco traseiro, sem perder o mínimo de esportividade. Externamente conservou a tradição da grade do radiador (ligeiramente maior) e a elegância do desenho (evoluído) das colunas traseiras. Mantém pneus que rodam vazios por 80 km, mas há estepe temporário: menos 155 litros no porta-malas.

MOTOR 4-cilindros de 2 litros continua ponto alto do Série 3, agora com 258 cv e 40,8 kgfm, sendo este mais bem distribuído. O sedã ficou 60 kg mais leve; 0 a 100 km/h, 5,8 s. Sistema a bordo de inteligência artificial aprende com hábitos do motorista. Tela multimídia de 10,25 pol. e total de sete câmeras (externas e interna). Preços de R$ 219.950 (330i Sport) a R$ 269.950 (330i M Sport).

NOVO Chevrolet Camaro teve preço anunciado este mês. Cupê por R$ 315.000, cerca de 5% mais caro que o Mustang. Principais destaques, suavidade do motor, apesar do torque brutal de 62,9 kgfm, e câmbio automático de 10 marchas. Rodas de 20 pol. (pneus run flat) são bastante sensíveis a buracos. Visibilidade periférica exige adaptação cuidadosa do motorista.

MAU USO das redes sociais leva às falsas dicas, impulsionadas pela boa fé das pessoas. Faz quase um ano que se encaminha “recomendação” para utilizar óculos escuros em noites chuvosas para melhorar visibilidade noturna. Além de afrontar o bom senso, pode levar a uma situação de alto risco. Nunca deve se reenviar e, além disso, avisar ao remetente a falsidade.






* Fernando Calmon - fernando@calmon.jor.br - é jornalista especializado desde 1967. Engenheiro, palestrante e consultor em assuntos técnicos e de mercado nas áreas automobilística e de comunicação. Sua coluna Alta Roda começou em 1999. É publicada em O Brasil Sobre Rodas, WebMotors, Gazeta Mercantil e também em uma rede nacional de 52 jornais, sites e revistas. É, ainda, correspondente para a América do Sul do site Just-auto (Inglaterra).Siga: www.twitter.com/fernandocalmon  - www.facebook.com/fernando.calmon2.

EXÉRCITO BRASILEIRO PROSSEGUE COM OPERAÇÃO DE DUPLICAÇÃO DE MAIS DE 50 KM DA BR 116 NO RIO GRANDE DO SUL


Iniciada em 7 de janeiro de 2019, com a mobilização da 1ª Companhia de Engenharia de Construção, subunidade do 1º Batalhão Ferroviário (1º B Fv), para a região de Guaíba (RS), os trabalhos tiveram início, efetivamente, em 27 de fevereiro de 2019, com uma pista-escola de concreto asfáltico usinado a quente (CAUQ), para o adestramento dos quadros e ajuste de equipamentos.

A obra de duplicação da Rodovia BR 116, entre os municípios de Guaíba e Tapes, no Rio Grande do Sul, compreende um trecho de 50,8 quilômetros, com serviços de terraplenagem, pavimentação asfáltica, construção de obras de arte especiais, drenagem e sinalização.


Atualmente, estão sendo executados serviços de pavimentação entre os quilômetros 314 e 319, lote 1 da obra, que compreende uma plataforma de 10,7 metros de largura que receberá o concreto asfáltico usinado a quente. Estão em andamento, também, serviços de terraplenagem no lote 2 (km 325 a 351), com a remoção de solo mole, cortes e aterros e regularização da plataforma.


A duplicação da BR 116, representa, atualmente, a maior operação de Engenharia de Construção em andamento, executada pelo Exército Brasileiro, com um orçamento de 207 milhões, sendo de grande importância não só para a Engenharia Militar, que adestra seus quadros, mas também, para o Estado do Rio Grande do Sul, que se beneficiará com o incremento do escoamento de sua produção agrícola, até o porto de Rio Grande.

Fotos: Capitão Flavio Monteiro


FEIRÃO AUTO SHOW PROMOVE EVENTO GRATUITO DE CLÁSSICOS VW.


O Feirão Auto Show, maior evento do varejo automotivo do país, retoma sua programação mensal de encontros para fãs de carros antigos. Antecipando o lançamento da temporada 2019 do Auto Show Collection, o Feirão recebe no último domingo de março, 31, o Encontro de Clássicos Volkswagen, no estacionamento do Anhembi.

Realizado em uma área reservada dentro do Feirão e com acesso totalmente gratuito, o evento reunirá modelos clássicos com, no mínimo, 30 anos de fabricação. Estes modelos estarão equipados com motor refrigerado a ar, como o Fusca, Brasília, Kombi, Karman Ghia, Variant e SP2, e também motores refrigerados a água, como o Passat e o Santana, além de modelos importados.

“Este evento mensal abre espaço aos fãs de carros antigos da linha Volkswagen e traz para o universo do Feirão o conceito do Fun Car: um mercado constituído por apaixonados por carro que agora integramos ao nosso evento de domingo, retomando uma tradição lançada ainda na década de 1980” explica Eduardo Ribeiro dos Santos, diretor da Matel Produções.

O evento será realizado das 6h às 13h no estacionamento do Anhembi com acesso pelo portão 1. A entrada de veículos antigos com mais de 30 anos de fabricação da linha Volkswagen será gratuita. Para participar, deverá ser feito um cadastro do veículo no website do evento www.autoshowcollection.com.br.