segunda-feira, 6 de julho de 2020

VOLVO CE ESTENDE CAMPANHA DE ADESÃO AO ACTIVECARE DIRECT™ DURANTE PANDEMIA


A Volvo Construction Equipment está estendendo o prazo da campanha de adesão ao ActiveCare Direct, a solução de monitoramento proativo da frota de máquinas da marca. A medida vale até 31 de dezembro deste ano e foi tomada para se adequar ao período da pandemia do Coronavírus, que trouxe dificuldades para toda a economia.

Os clientes que adquirirem equipamentos Volvo de maior porte até o fim do ano não terão custos de assinatura se ativarem o ACD. O serviço de monitoramento é gratuito por 12 meses a partir da data da ativação. O ACD usa informações obtidas por meio do sistema de telemática CareTrack™ da Volvo CE. Com estes dados, os engenheiros e técnicos da marca e da rede de distribuidores informam os gestores das frotas de máquinas para que possam atingir o melhor desempenho possível no trabalho no campo.

"O ACD contribui para aumentar a rentabilidade dos negócios de nossos clientes. É um sistema muito importante, principalmente agora, durante o difícil período pelo qual passam as empresas, e em que o controle de custos se mostra ainda mais relevante", declara Samuel Albuquerque, gerente de marketing e venda de peças da Volvo CE Latin America. 

"É uma ferramenta que ajuda a evitar gastos desnecessários com eventuais falhas e quebras futuras de máquinas e a diminuir o consumo de combustível, entre muitos outros benefícios", complementa Samuel Albuquerque.

Mais economia e desempenho


Os números oficiais da Volvo mostram excelentes resultados: utilizando esta tecnologia, os clientes podem alcançar até 15% de economia de combustível, melhorar em até 10% a utilização do equipamento e reduzir em até 7% o tempo de marcha lenta da máquina."É uma performance atingida principalmente por meio da economia projetada com a prevenção de falhas e com a diminuição do consumo de diesel", informa Leonardo Zaia, responsável comercial por esta ferramenta.

"Queremos estimular a adoção desse serviço, justamente num momento em que melhorar a produtividade e o fluxo de caixa e reduzir os gastos são fundamentais para se manter um bom desempenho financeiro do negócio", destaca Zaia.

O ACD revela muitas situações que podem ser melhoradas ou evitadas durante a operação das máquinas: o uso excessivo da marcha lenta, deslocamento do equipamento em velocidade acima da recomendada, alta rotação do motor, escolha equivocada do modo de trabalho, desligamento em alta RPM e eventuais riscos de falhas. 
"É possível encontrar muitas oportunidades de melhoria, inclusive com o treinamento dos operadores", observa Leonardo Zaia.

"É muito importante os clientes serem proativos em qualquer circunstância, mas principalmente agora, numa época de baixa atividade produtiva e comercial", observa Albuquerque, acrescentando que o sistema é uma excelente ferramenta para prever e cortar custos desnecessários e aumentar a disponibilidade do equipamento, evitando paradas não planejadas.

Monitoramento remoto



No ACD, tudo funciona ​​de forma remota. Os usuários podem acompanhar o funcionamento, a integridade e o desempenho da máquina. Os relatórios indicam possibilidades para aumentar a produtividade e diminuir os custos operacionais. Alertam, por exemplo, sobre a necessidade de troca de alguma peça ou sobre algum problema recorrente, garantindo maior previsibilidade na manutenção. Assim, o cliente toma ações preventivas que evitem a quebra de componentes mais caros e o desembolso de um valor maior, o que normalmente ocorre em intervenções corretivas.

Os relatórios também permitem visualizar o percentual de utilização da máquina trabalhando em relação ao tempo ocioso, seja para a frota inteira ou somente para um equipamento, separando por modelo, tipo e aplicação. O sistema ainda gera e-mails para o distribuidor Volvo, orientando sobre o passo a passo para a solução dos problemas identificados via códigos de falha.

Grupo Volvo América Latina

Leia> Coisas de Agora

MARCOPOLO EXPORTA PRIMEIRO ÔNIBUS COM TECNOLOGIA BIOSAFE

A Marcopolo vai apresentar para clientes da Argentina o primeiro ônibus rodoviário destinado ao país com diferentes soluções Marcopolo BioSafe, plataforma que apresenta serviços e soluções desenvolvidas para tornar o transporte coletivo mais seguro contra contaminações de vírus, incluindo o da covid-19, e bactérias.



Com 14 metros de comprimento, o Paradiso New G7 1800 DD é equipado com luz UV-C para desinfecção do sanitário, cortinas antimicrobianas e dispensers de álcool em gel nas portas de acesso. O veículo tem capacidade para transportar 60 passageiros, sendo 48 poltronas semileito no piso superior e 12 leito no piso inferior, todas com entradas USB, controles individuais de iluminação e saídas de ar-condicionado.

“Nosso objetivo é apresentar o veículo para as agências sanitárias e de saúde, além de entidades responsáveis pelo transporte rodoviário de passageiros”, explica André Armaganijan, diretor de Estratégia e Negócios Internacionais da Marcopolo. Para isso, a fabricante brasileira vai contar com a parceria do Grupo Fênix, representante comercial da marca no país e um dos principais grupos empresariais do setor de transporte. “A parceria está alinhada com a estratégia da Marcopolo para oferecer aos clientes soluções de biossegurança, serviços de excelência e contribuir com a adoção das melhores práticas para reconquistar a confiança dos passageiros”, comenta o executivo.

O Grupo Fênix S.A. foi criado em 2003 e tem estrutura própria em Buenos Aires para atendimento de suporte comercial, administrativo, financeiro, de comércio exterior, assistência técnica, peças de reposição e desenvolvimento de fornecedores locais. A estrutura de atendimento conta com 3.000 m² de oficina coberta para pós-vendas, 1.500 m² de área semicoberta para serviços, 1.000 m² dedicados a peças de reposição e 400 m² de escritórios comerciais e administrativos.

Foto: Edypo Alaniz

DELIVERY 6.160 É A NOVA LOJA MÓVEL DA SWIFT


A família Delivery é uma das linhas de caminhões mais vendidas do Brasil nesse primeiro semestre, com mais de cinco mil unidades emplacadas. Parte desse sucesso se deve à alta versatilidade de seus modelos. Entre eles, o Delivery 6.160, que assume mais uma vocação: é a nova loja móvel da Swift, que opera como um verdadeiro mercado de proteínas congeladas, com a praticidade de que o cliente não precisa se deslocar do seu ambiente de trabalho ou até mesmo condomínios residenciais. Sobre seu chassi, geladeiras oferecem uma grande variedade de produtos da Swift como carnes, aves, peixes, cordeiros, suínos, frutos do mar, entre outros.

O modelo faz parte de uma frota de 11 unidades adquiridas pela JBS, da qual a Swift faz parte e que representa uma das líderes globais da indústria de alimentos. Os demais veículos rodam por diferentes pontos de São Paulo em serviços semelhantes. Para a decisão de compra, favoreceram o Delivery 6.160 sua alta confiabilidade e disponibilidade em operação, fatores especialmente cruciais para a garantia da qualidade pregada pela Swift. “Qualquer condomínio ou empresa pode solicitar a visita de nossa loja móvel através do e-mail lojamovel@swift.com.br”, acrescenta Marcos Carvalho, diretor de Marketing da JBS.


“Lançamos a nova família Delivery há três anos e, desde então, não paramos de surpreender o mercado: nossos produtos se comprovam ideais para as mais diferentes aplicações. E é isso que atestamos com esse negócio”, destaca Ricardo Alouche, vice-presidente de Vendas, Marketing e Pós-Vendas da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

Não faltam atributos a um dos modelos VW que têm a missão de ajudar a manter a marca Volkswagen no topo do ranking de caminhões mais vendidos do Brasil. Dirigibilidade e conforto com robustez de caminhão: eis a receita de sucesso do Delivery, sob medida para a operação nas cidades.

Com a melhor manobrabilidade da categoria, o modelo facilita o acesso da loja móvel da Swift dentro de condomínios residenciais ou empresas, graças ao maior ângulo de esterçamento e ganho na capacidade de realizar as manobras em vias estreitas.

Entre um ponto de atendimento e outro, o conforto é garantido ao motorista, com uma cabine ampla e outros itens para assegurar a maior comodidade, como o volante de múltiplas regulagens e menor diâmetro. A coluna de direção é ajustável em altura e profundidade, o que facilita a operação e proporciona ergonomia de carro de passeio.

A alta confiabilidade do veículo resulta também de seu trem de força. O modelo está equipado com motor Cummins  ISF de 2,8 litros, 2,8 litros, caixa ESO-4206 de seis velocidades. Sua potência chega a 160 cv, num torque máximo de 430 Nm. Com importantes vantagens operacionais em relação à concorrência, confere agilidade a toda prova para as entregas urbanas que demandam maiores volumes de carga, como esta operação da Swift.

Volkswagen Caminhões e Ônibus

Leia> Coisas de Agora

VOLKSWAGEN FOX 2021 CHEGA COM MAIS ITENS DE SEGURANÇA


O Fox 2021 está melhor do que nunca. Além do excelente custo-benefício e da oferta bem enxuta, o modelo conta agora com cinto de segurança de três pontos em todos os cinco assentos, que são acompanhados de apoios de cabeça individuais. Outra importante alteração é o sistema de fixação ISOFIX e Top Tether, itens fundamentais para a segurança das cadeirinhas de crianças no banco traseiro.

Já disponível na rede de concessionárias Volkswagen, o Fox 2021 é oferecido em duas versões, o Fox Connect e o Fox Xtreme, ambos com motorização 1.6 MSI de 104 cv e câmbio manual de 5 marchas. O Fox Connect possui, entre seus principais itens de série, retrovisores com ajuste elétrico e função tilt down no lado direito, sensores traseiros de estacionamento, controle automático de velocidade, rodas de liga leve de 15 polegadas e vidros dianteiros e traseiros com acionamento elétrico.

O Fox também já sai de linha com sistema de infotainment "Composition Touch" de 6,5 polegadas, APP-Connect (Android Auto e Apple CarPlay) e volante multifuncional com comandos do som. Como opcional, há rodas de aro 15 em tom escurecido, que harmonizam com os retrovisores externos pintados em Preto Ninja, os faróis com máscara escurecida e os tapetes adicionais em carpete - todos disponíveis dentro do pacote Dark II.

A versão Fox Xtreme vem com alguns acréscimos em relação à irmã. Além das conhecidas barras longitudinais pretas no teto, o carro possui câmera de ré, rodas de liga leve diamantadas de 16 polegadas, grade dianteira em "colmeia" e molduras nas laterais e nas caixas de rodas. Os faróis possuem máscara escurecida e seus auxiliares têm três funções: neblina, longo alcance e "cornering light". Ou seja, o Fox é completo, oferecendo uma das melhores relações custo-benefício do segmento de carros compactos no País.

A grande novidade do Fox ano/modelo 2021 está nos novos itens de segurança. O modelo traz de série agora cintos de três pontos e apoios de cabeça para todos os cinco ocupantes, oferecendo ainda mais segurança. Os encostos de cabeça também proporcionam muito conforto, associado ao excelente aproveitamento do espaço no banco traseiro, tanto para as pernas quanto para a cabeça. O Fox inaugurou uma nova tendência de hatches com o teto alto no mercado brasileiro.

Além disso, o modelo incorpora agora os sistemas de ISOFIX e Top Tether, para fixação de cadeirinhas infantis. O sistema ISOFIX fica posicionado na base dos assentos traseiros e possui ganchos presos diretamente à carroceira. Com isso, a fixação das cadeirinhas de criança é feita de maneira muito mais rápida e segura. Já os ganchos Top Tether ficam posicionados na parte de trás do encosto traseiro, permitindo que a cadeira infantil seja fixada, por meio de uma cinta, com mais firmeza, evitando o movimento de pêndulo para frente, em caso de uma frenagem de emergência ou mesmo em uma colisão frontal.

Ainda no interior, outros detalhes também saltam aos olhos, como o interior escurecido, as costuras vermelhas e o volante em couro e Black Piano, que conferem ao carro um ar de esportividade.

Os modelos estão disponíveis nas cores Branco Puro, Preto Ninja, Vermelho Tornado, Prata Sargas e Cinza Platinum. O Fox 2021 parte de R$ 54.060 (Connect), podendo ser acrescido de R$ 210,00 do Pacote Dark II, e chega a R$ 59.630 na versão Xtreme.

Gol, Voyage e Saveiro 2021


As versões ano/modelo 2021 dos modelos Gol, Voyage e Saveiro também já chegaram às concessionárias Volkswagen. Assim como no Fox, os modelos Gol e Voyage receberam importantes itens de segurança. O cinto traseiro central passa a ser automático de três pontos, igual aos cintos das demais posições, e o carro passa a ter apoio de cabeça para todos os passageiros e sistema ISOFIX e Top Tether para fixação de cadeirinhas infantis.

Com foco na simplificação da oferta de versões, Gol e Voyage estão disponíveis em versão única de acabamento. Assim, oferecem três opções de motor e duas de câmbio: 1.0 (84 cv) e 1.6 (104 cv) com transmissão manual de cinco marchas e 1.6 MSI (120 cv) com transmissão automática, o mesmo conjunto utilizado no Polo MSI e no Virtus MSI.

Inclusive as configurações com transmissão automática do Gol e do Voyage estão entre as mais acessíveis do mercado, atendendo plenamente a várias demandas de mercado, que vão desde clientes que procuram ótima relação custo-benefício e conforto a frotistas e pessoas com deficiência (PcD).

A grande novidade do Saveiro, que já possuía itens de segurança como cinto de três pontos e apoios de cabeça para todos os ocupantes na versão Cabine Dupla, é o Azul Biscay como nova opção de cor. Disponível para a versão Cross do modelo, a cor também é oferecida na linha esportiva GTS da Volkswagen, que estreou no país em março deste ano. A Saveiro também pode ser adquirida nas cores Prata Sirius, Branco Cristal, Preto Ninja e Vermelho Flash.

Além disso a Saveiro 2021 oferece uma estrutura de oferta bem racional e simplificada, com as opções Robust (Cabine Simples e Dupla), Trendline (Cabine Simples) e Cross (Cabine Dupla). As versões Robust e Trendline são equipadas com o consagrado motor 1.6 Total Flex, de até 104 cv (etanol), enquanto a versão Cross traz o motor 1.6 MSI de até 120 cv (etanol). Ambos os motores são produzidos na fábrica da Volkswagen em São Carlos (SP).

O Gol 2021 custa R$ 51.250 (1.0 Manual), R$ 57.600 (1.6 Manual) e R$ 62.600 (1.6 Automática). Já o Voyage 2021 parte de R$ 59.750 (1.0 Manual) e vai a R$ 64.350 (1.6 Manual) e a R$ 69.350 (1.6 Automática). A Saveiro 2021 começa em R$ 57.390 (Robust CS), chegando a R$ 94.300 na Saveiro Cross Cabine Dupla, com a nova cor azul Biscay.

Toda linha Gol, Voyage e Saveiro 2021 pode ser equipada com o sistema de infotainment "Composition Touch", que traz 4 alto-falantes, 2 tweeters e "I-System com Eco-Comfort" - computador de bordo e volante multifuncional com comando de sistema de som e do "I-System". O sistema vem também com entradas USB e para SD-card, conexão Bluetooth e permite conectividade por meio do App-connect (Android Auto e Apple CarPlay).

Volkswagen Caminhões e Ônibus

Leia> Coisas de Agora

GM AMÉRICA DO SUL REDUZ CONSUMO DE ENERGIA POR VEÍCULO PRODUZIDO EM 56% E GANHA PRÊMIOS INTERNACIONAIS

Empresa é a única do setor automotivo a receber a certificação Energy Star na América do Sul


A GM conseguiu reduzir em 56% o consumo médio de energia por unidade produzida em suas fábricas na América do Sul entre 2003 e 2019, e é a única empresa do setor automotivo reconhecida com o prêmio Energy Star Challenge for Industry na região. As fábricas de São José dos Campos, no Brasil, e de Rosario, na Argentina acabam de receber a premiação, unindo-se às unidades de Gravataí, São Caetano do Sul, Mogi das Cruzes e Equador, que já receberam o reconhecimento. A conquista é mais um passo dentre as iniciativas da companhia rumo a um futuro com zero acidente, zero emissão e zero congestionamento.

O Energy Star é um desafio organizado pelo US EPA (Agência de Proteção Ambiental dos EUA), que afere as métricas de consumo de energia e concede um selo de excelência às fábricas que conseguem reduzir seu gasto por unidade produzida em pelo menos 10% em até cinco anos.

A operação de Rosario reduziu seu consumo por unidade em 10,4% entre 2017 e 2019 e a fábrica de estamparia do Complexo Industrial de São José dos Campos diminuiu em 24,3% no mesmo período.

Entre as medidas que fizeram as operações conquistarem essa importante redução estão: a otimização dos processos produtivos; a substituição de iluminação antiga por LED; a eliminação contínua de desperdícios de ar comprimido; o desligamento eficiente dos equipamentos em horários não produtivos; a substituição de compressores e motores por máquinas mais eficientes e com variador de velocidade, e o treinamento e conscientização dos funcionários para o uso eficiente da energia e eliminação dos desperdícios.

"O consumo por unidade produzida está entre os principais indicadores de eficiência energética na indústria automotiva. A GM é a única empresa do setor que recebeu o prêmio Energy Star Challenge Award na América do Sul. Mais do que um orgulho para nós, isso representa o comprometimento que a GM tem com um futuro de zero acidente, zero emissão e zero acidente", comenta Glaucia Roveri, gerente de Energia e Utilidades da GM América do Sul.

Outro destaque na economia de energia na região é o segundo reconhecimento pela certificação ISO 50.001 recentemente conquistado pela fábrica do Equador. Este reconhecimento, o Energy Insight Award, concedido pelo Clean Energy Ministerial celebra a liderança no campo da gestão eficiente da energia. Esta certificação alinha as metas corporativas às metas ambientais de clima e consumo de energia de forma transparente. Além do Equador, as operações da GM no Brasil também já tiveram o reconhecimento do Clean Energy Ministerial, sendo que as unidades de São Caetano do Sul, Mogi das Cruzes, Gravataí e Rosario também possuem a certificação ISO 50.0001.

General Motors América do Sul

Leia> Coisas de Agora

sábado, 4 de julho de 2020

NOVOS BMW M3 SEDAN E M4 COUPÉ NA PISTA: SPRINT FINAL À PRIMEIRA LINHA DO GRID DE LARGADA

A BMW M GmbH prepara uma mudança de geração para os icônicos modelos esportivos. Com testes de desempenho realizados em condições de pista, o processo de desenvolvimento em série dos novos BMW M3 Sedan e BMW M4 Coupé entra em uma fase crucial.


BMW M3 Sedan

Com um aumento significativo no desempenho em relação aos modelos anteriores e uma suspensão específica M, os novos motores de seis cilindros mais uma vez estabelecem benchmarks nos segmentos premium de sedãs de alto desempenho e coupés médios.

Inovações nas áreas de tecnologia de tração, suspensão, molas, amortecedores e freios requerem ainda testes completos em vias públicas nos centros de testes do BMW Group em Miramas, sul da França, na cidade sueca de Arjeplog, e em várias outras diferentes pistas.

Tradicionalmente, a pista de Nordschleife, Nürburgring, proporciona a interação perfeita entre a tecnologia de tração e suspensão, em todas as situações. No entanto, como as características de performance de um BMW M precisam convencer em pistas com traçados e características das mais variadas, os engenheiros sempre expandem o programa de testes para incluir outros circuitos, como os atuais test drives em Sachsenring, com os protótipos camuflados do novo BMW M3 Sedan e novo BMW M4 Coupé.

BMW M4 Coupé

Poucos meses antes da estreia mundial, em meados de setembro de 2020, o potencial dinâmico dos novos BMW M3 Sedan e BMW M4 Coupé já é claramente perceptível. Agilidade inspiradora, dinâmica excepcional e manuseio precisamente controlável – mesmo em situações esportivas extremas – caracterizam seu comportamento de direção. O equilíbrio entre alto desempenho e versatilidade para o uso diário, típico de um M, atinge um novo nível. 

Com um programa de testes meticulosamente estruturado, os engenheiros da BMW M GmbH estão garantindo que os componentes de suspensão específicos do M sejam ajustados às características do motor a tal ponto que garantam aos modelos novos um lugar na primeira linha do grid no segmento. Os 3.670 metros de extensão do tradicional autódromo de Sachsenring – conhecido de longa data da série alemã de corridas de carros de turismo (DTM) – também oferece os pré-requisitos ideais para esse fim. Com seu perfil desafiador que inclui curvas extremamente fechadas, retas longas e a descida antes da tradicional curva de Queckenberg, é possível, volta após volta, alcançar o objetivo de otimizar as dinâmicas longitudinais e laterais de condução dos novos BMW M3 Sedan e BMW M4 Coupé.

Clique na telinha e assista o vídeo



BMW Group Brasil
Máquina Cohn & Wolfe

Leia> Coisas de Agora

BYD: 38 ÔNIBUS 100% ELÉTRICOS SÃO ENTREGUES NA NORUEGA

Nesta semana, a Noruega recebeu 38 ônibus 100% elétricos BYD que foram entregues a dois importantes operadores na cidade de Oslo e na cidade de Haugesund. 


A Vy Buss, o maior operador de ônibus da Escandinávia, começou a operar os primeiros 15 ônibus, sendo oito modelos 100% elétricos Padron BYD com 13 metros (foto) e sete unidades articuladas de 18 metros. 

Para a VY Buss, os 15 ônibus 100% elétricos BYD fazem parte de um importante programa de renovação de frota, que contará com 55 veículos 100% elétricos BYD. Os veículos entraram em operação imediatamente após a entrega, no centro da cidade de Haugesund, nas rotas 201 e 202.

A Vy Buss é o primeiro cliente da BYD a receber o novo modelo 100% elétrico Padron BYD com 13 metros. O novo ônibus possui uma bateria de maior alcance, com maior autonomia. As vantagens operacionais incluem ainda soluções flexíveis de carregamento, iluminação ambiente e o premiado layout interno "Home from Home" da BYD, que oferece alto nível de conforto para os passageiros. 

Complementando as características, destaca-se o eficiente sistema de ar condicionado, que reduz o consumo de energia principalmente em baixas temperaturas, diminuindo ainda mais as emissões nocivas. Já, o modelo articulado de 18 metros 100% elétrico da BYD destaca-se por sua capacidade total de passageiros e por seu impressionante giro em sua articulação, sendo ideal para vias estreitas.


A Unibuss introduziu no seu sistema 23 novos ônibus 100% elétricos BYD de 12 metros.

Ônibus elétrico articulado de 18 metros BYD



A entrega dos 23 ônibus para a Unibuss foi realizada dentro do prazo, apesar das restrições de bloqueio de coronavírus nos últimos meses. A nova frota também sinaliza o crescimento da Unibuss como um dos maiores operadores de  ônibus elétricos na região nórdica. Na capital norueguesa, a Unibuss opera mais da metade da frota de ônibus elétricos da cidade.

"O sistema de transporte público de Oslo está mudando para a mobilidade elétrica", disse o CEO da Unibuss, Øystein Svendsen, "e a Unibuss está na vanguarda da mudança. Essa frota mais recente de BYD vai proporcionar uma redução significativa em nossa pegada de carbono e vamos buscar introduzir energia elétrica em ainda mais rotas pela cidade no futuro. A frota da BYD de ônibus elétricos, "disse ele," oferece aos nossos passageiros um transporte seguro, silencioso, confortável e, é claro, 100% livre de emissões ".

Com o aumento da temperatura do verão na Europa, a BYD tem a oportunidade de demonstrar a eficiência operacional e confiabilidade do Gerenciamento Térmico de Bateria (BTMS). O sistema garante um ótimo desempenho da bateria, independentemente de temperaturas extremas desde o extremo sul, no sul da Espanha e Portugal e, também no extremo norte da Suécia, próximo ao círculo ártico.

A BYD possui agora quase 300 ônibus elétricos entregues ou encomendados a operadores de transporte público na Escandinávia e mais de 1.300 em toda a Europa. A busca da empresa por levar mobilidade elétrica a cidades vem ganhando popularidade com um número crescente de autoridades de transporte público em todo o continente.

BYD - gigante global da energia limpa


No Brasil, a BYD abriu sua primeira fábrica em 2015 para produção de chassis de ônibus elétricos e comercialização de veículos e empilhadeiras em Campinas, interior de São Paulo. Em abril de 2017, inaugurou sua segunda planta, para produção de módulos fotovoltaicos, consolidando-se como uma das líderes desse importante mercado no Brasil. A BYD também é responsável por dois projetos de SkyRail (monotrilho) no país: Em Salvador, com o VLT do Subúrbio, e na cidade de São Paulo, com a Linha 17 - Ouro. Ainda em 2020, a BYD vai inaugurar sua terceira planta fabril em Manaus, para a produção de baterias. A BYD Brasil emprega 365 funcionários nas cidades de Campinas, São Paulo, Salvador, Manaus, Vitória, Curitiba e Rio de Janeiro.

BYD
Fayal Comunicação
Assessoria de imprensa da BYD
tcfayal@gmail.com

Leia> Coisas de Agora

sexta-feira, 3 de julho de 2020

BMW GROUP COMEÇA A OPERAR NOVO CAMPUS DE TECNOLOGIA PARA IMPRESSÃO 3D NA ALEMANHA

Campus funciona como centro de produção, pesquisa e treinamento


O BMW Group inaugurou oficialmente seu novo Campus de Fabricação Aditiva em Munique, na Alemanha, que reúne a produção de protótipos e séries de peças em um único local. Em paralelo, o campus traz espaço para a pesquisa de novas tecnologias de impressão 3D e o treinamento para a implantação global de menos ferramentas envolvidas na produção. O investimento na infraestrutura foi de 15 milhões de euros e permitirá que o BMW Group desenvolva sua posição como líder em tecnologia na utilização de manufatura aditiva na indústria automotiva.

A manufatura aditiva já é parte integrante do sistema de produção do BMW Group mundialmente e, atualmente, está estabelecida em sua estratégia de digitalização. Futuramente, novas tecnologias como esta poderão reduzir ainda mais o tempo de produção e permitir aproveitar melhor o potencial da fabricação sem ferramentas. O objetivo do BMW Group é industrializar cada vez mais os métodos de impressão em 3D para a produção automotiva e implementar novos conceitos de automação na cadeia de processos. Ao mesmo tempo, auxiliar no reforço do desenvolvimento de veículos, produção de componentes, compras e rede de fornecedores, bem como a integração da tecnologia com várias outras áreas da empresa que podem utilizá-la sistematicamente de forma eficaz.

No ano passado, o BMW Group produziu cerca de 300 mil peças por manufatura aditiva. Atualmente, o Campus de Fabricação Aditiva emprega até 80 pessoas e opera cerca de 50 sistemas industriais que trabalham com metais e plásticos. Outros 50 sistemas estão em operação ao redor do mundo. O acesso às mais recentes tecnologias é obtido por meio de parcerias duradouras com as principais fabricantes e universidades, além da pesquisa bem sucedida de novos usuários do setor.

Em 2016, a BMW i investiu na empresa Carbon, com sede no Vale do Silício (EUA), cuja tecnologia DLS (Digital Light Synthesis) alcançou uma inovação em processos planares, usando um projetor de luz planar para permitir a super rápida produção de componentes. Outros investimentos foram feitos em 2017, quando o BMW Group se aliou à Desktop Metal, uma startup especializada na fabricação aditiva de componentes metálicos e no desenvolvimento de procedimentos de fabricação inovadores e altamente produtivos.

O investimento mais recente foi na startup alemã ELISE, que permite aos engenheiros produzir DNA de componentes contendo todos os requisitos técnicos da peça, desde requisitos de carga e restrições de fabricação até custos e possíveis parâmetros de otimização. A ELISE, então, usa esse DNA juntamente com as ferramentas de desenvolvimento estabelecidas para gerar automaticamente componentes ideais.

No campus de Fabricação Aditiva está sendo montada uma linha de produção que replica toda a cadeia de processos, desde a preparação da produção digital até a fabricação e o retrabalho dos componentes. A equipe está agora preparando-o para os requisitos específicos de produção em série, individual e de peças de reposição. As metas de produção confirmam o status desse empreendimento colaborativo como um projeto de vanguarda: a produção deve totalizar, pelo menos, 50 mil componentes em série por ano, com mais de 10 mil peças individuais e de reposição, todas produzidas em alta qualidade.

Além dos componentes de fabricação, a equipe do Campus oferece consultas pessoais e cursos de treinamento para funcionários de toda a empresa. O BMW Group iniciou a fabricação aditiva de peças de protótipo em 1991, para veículos-conceito. Em 2010, os processos que utilizavam plástico e metal estavam sendo implementados, inicialmente, em séries menores, para produzir itens como a roda da bomba de água de fabricação aditiva nos carros de corrida DTM. Outras aplicações de produção em série se seguiram a partir de 2012, com uma variedade de componentes para o Rolls-Royce Phantom, BMW i8 Roadster (2017) e MINI John Cooper Works GP (2020), que contém nada menos que quatro componentes impressos no padrão 3D.

BMW Group Brasil
Máquina Cohn & Wolfe

Leia> Coisas de Agora

MERCEDES-BENZ COMEMORA SEUS 126 ANOS DE AUTOMOBILISMO COM EMOÇÃO DENTRO E FORA DAS PISTAS

Há exatos 126 anos, acontecia, na França, a primeira corrida entre automóveis do mundo. Desde o primeiro capítulo da história deste esporte que hoje alimenta a paixão de fãs em todo o planeta, a Mercedes-Benz esteve presente e vem construindo uma trajetória que conta com grandes feitos e títulos inéditos no motorsport.



Muita coisa mudou desde a corrida entre Paris e Rouen, em 1894. As mudanças continuam existindo e a Mercedes-AMG PETRONAS se mantem ativa não apenas nos avanços tecnológicos que proporcionam cada vez mais performance e segurança nas competições, mas, também, às mudanças que a sociedade atravessa.

Neste mês de julho, a temporada 2020 da Fórmula 1 tem o seu retorno e este reinício promete mostrar mudanças profundas vividas em todo o mundo desde a última vez que as equipes se reuniram em Melbourne, no início de março, para a abertura oficial da temporada deste ano da competição. 

Nesta temporada, inaugurando uma nova fase, a Mercedes-AMG PETRONAS compete com seu tradicional Silver Arrows com uma base totalmente preta em apoio às manifestações observadas ao redor do mundo nas últimas semanas.

Nas pistas, o piloto inglês Lewis Hamilton compete para mais um campeonato inédito na sua carreira em busca da sétima vitória. A equipe Mercedes-AMG Petronas Motorsport irá, mais uma vez, competir com dois veículos e os pilotos e espera dar continuidade à sequência de vitórias ocorridas entre 2014 e 2019. Para atingir esses resultados, a equipe contará com o modelo F1 W11 EQ Performance.

Segurança com muito design


Nesta temporada da Fórmula 1, as etapas vão contar com o novo design do Safety Car. Simbolizando solidariedade, segurança e diversidade, o Mercedes- AMG GT R cumpre seu papel de guardião das pistas em um novo visual. O modelo apoiará de forma destacada a campanha de Fórmula 1 "WeRaceAsOne", trazendo esta identidade visual nas laterais e no capô do veículo. A arte simboliza o compromisso esportivo com a diversidade e a inclusão.

As exigências da FIA para o Safety Car são altas. Ele deve ser capaz de manter uma velocidade mínima alta para que os pneus e os freios dos carros de Fórmula 1 não percam muita temperatura e os motores não superaqueçam. Com uma velocidade máxima de 318 km por hora e 3,6 segundos para acelerar de zero a 100, essa é uma tarefa fácil para o Mercedes-AMG GT R.

Alta Performance das pistas para as ruas 


A trajetória de sucesso da Mercedes-AMG na Fórmula 1 reforça o compromisso da marca em desenvolver novas tecnologia e em manter o DNA das pistas presente nos seus veículos de passeio. No Brasil, três novos modelos foram lançados somente no primeiro semestre de 2020:

Mercedes-AMG GLE 53 4M+: o modelo une conforto, alto desempenho e esportividade para os apaixonados pela linha SUV da marca. Ele conta com sete lugares e se destaca por ser o primeiro SUV no mercado brasileiro a oferecer ajuste elétrico nos bancos da segunda fileira, proporcionando ainda mais conforto aos seus passageiros. Além disso, conta com a tecnologia EQ Boost, que garante mais eficiência e potência ao utilitário.

Mercedes-AMG A 35 4M SEDAN: a potência de um superesportivo somada a alta tecnologia trazem uma identidade única ao modelo. Ele é equipado com um novo motor de dois litros turbo e quatro cilindros fabricado em série, que entrega uma potência máxima de 306 cv e até 400 Nm de torque. Em seu interior, cockpit digital de 10” oferece conectividade e qualidade de materiais combinados com o sistema de multimídia MBUX, o conhecido “Hey, Mercedes”.

Mercedes-AMG GT 43: com o máximo da exclusividade e conforto oferecidos a apenas 20 clientes que já reservaram o modelo no Brasil, o superesportivo garante performance e potência trazendo 367 cv, combinando design único a engenharia das pistas com a aparência atlética de um coupé esportivo.

“Os lançamentos Mercedes-AMG ampliam o portfólio de esportivos da marca no País que, com 22 modelos, garante a mais completa gama neste segmento no Brasil, sendo a única a oferecer motores assinados por seus engenheiros. Esta enorme variedade de produtos fortalece a interação entre o automobilismo e os veículos de passeio, que a marca proporciona há mais de 50 anos”, conclui Holger Marquardt, Presidente da Mercedes-Benz Cars & Vans Brasil.

Mercedes-Benz do Brasil

Leia> Coisas de Agora

GRUPO RENAULT CRIA ELEXENT, PARA FACILITAR A RECARGA DE FROTAS DE VEÍCULOS ELÉTRICOS


O Grupo Renault, pioneiro e líder em veículos elétricos na Europa, anuncia a criação da Elexent. A nova organização oferece às empresas uma solução de simplificação e otimização de infraestruturas de recarga de suas frotas elétricas e híbridas recarregáveis.

“Depois dos custos e da autonomia dos veículos, a Elexent está derrubando outra grande barreira à eletrificação das frotas: a recarga. Ao facilitar os projetos de recarga para as empresas, o Grupo Renault está reforçando sua estratégia para acompanhar os profissionais em sua transição energética e democratizar a mobilidade elétrica”, explicou Gilles Normand, Diretor de Veículos Elétricos e Serviços de Mobilidades do Grupo Renault.

Simplificando e acelerando os projetos de recarga dos clientes profissionais


A Elexent ajuda as empresas a concretizar ou desenvolver seus projetos de frotas de veículos elétricos, fornecendo soluções de recarga prontas para o uso. Desde a consultoria até o projeto, instalação e operacionalização dos terminais, a Elexent atua em todas as etapas dos projetos de infraestruturas de recarga, integrando estratégias de otimização energética e a integração de energias renováveis. Graças a um profundo conhecimento das necessidades e uma capacidade de oferecer soluções que se inserem em sua estratégia, a Elexent está acelerando a transição energética dos clientes profissionais, contribuindo para o desenvolvimento de sua atividade.

Seguindo uma estratégia global, a Elexent desenvolve soluções sob medida adaptadas às necessidades e objetivos atuais e futuros de seus clientes, como o uso e a taxa de utilização dos veículos, objetivos financeiros, estratégia ambiental, etc. Seja qual for a dimensão e o nível de complexidade, a Elexent estuda todas as tecnologias existentes no mercado para cada proposta, para oferecer a solução ideal aos seus clientes. E para uma experiência ainda mais satisfatória, a Elexent se mantém como único interlocutor do cliente, durante todo o projeto.

Soluções para todos os clientes profissionais


As soluções oferecidas pela Elexent são compatíveis com todos os tipos e todas as marcas de veículos elétricos (duas rodas, veículos leves, utilitários ou pesados, equipamentos especiais, etc.). Assim, a empresa tem condições de atuar junto a empresas pequenas ou médias, bem como grandes grupos que operam frotas de veículos elétricos ou híbridos recarregáveis. A Elexent também trabalha com empresas de gestão de ativos, estacionamentos, shopping centers ou ainda órgãos públicos, que oferecem serviços de recarga aos seus clientes ou ao público em geral.

França: primeira etapa da implantação


Uma empresa do Grupo Renault, a Elexent está conduzindo a implantação estratégica da operação, coordenando os projetos em toda a Europa. E para ficar ainda mais próxima de seus clientes, a empresa está firmando parcerias locais com especialistas europeus. As estruturas criadas em cada país ficam a cargo do funcionamento operacional e dos contratos locais. Na Europa, a implantação está sendo iniciada pela França. A Elexent França se apoia em uma parceria entre o Grupo Renault e a Solstyce. Referência no mercado de mobilidade elétrica, há 10 anos a Solstyce acompanha e implementa projetos energéticos inovadores prontos para o uso para recarga de veículos elétricos, exploração de energia fotovoltaica e armazenagem de energia.

“Graças à parceria destes dois pioneiros em mobilidade elétrica, a Elexent França conta com uma expertise única e consolidada. As expertises em infraestruturas de recarga e em energias renováveis da Solstyce vêm completar a experiência do Grupo Renault em mobilidade elétrica e seu profundo conhecimento a respeito do uso dos veículos pelos clientes profissionais”, comentou Nicolas Schottey, Presidente da Elexent.

Até o fim do ano, a Elexent pretende atuar em seis mercados-chave para a mobilidade elétrica na Europa: França, Alemanha, Reino Unido, Suíça, Áustria e Holanda.

Grupo Renault


Montadora de automóveis desde 1898, o Grupo Renault é um grupo internacional presente em 134 países, tendo vendido quase 3,8 milhões de veículos em 2019. O Grupo emprega atualmente mais de 180.000 colaboradores, tem 40 unidades industriais e 12.700 pontos de venda espalhados pelo mundo.

Para responder aos grandes desafios tecnológicos do futuro e manter sua estratégia de crescimento rentável, o Grupo se apoia no desenvolvimento internacional, na complementariedade de suas 5 marcas (Renault, Dacia, Renault Samsung Motors, Alpine e Lada), nos veículos elétricos e em sua inigualável aliança com a Nissan e a Mitsubishi Motors.

Com uma escuderia 100% Renault participando do Campeonato Mundial de Fórmula 1 desde 2016, a marca faz do automobilismo esportivo um verdadeiro vetor de inovação e notoriedade.

Solstyce


Contando com 10 anos de experiência, a Solstyce oferece aos seus clientes um acompanhamento completo no projeto, construção e operacionalização de centrais fotovoltaicas. A Solstyce contribui para a integração da energia fotovoltaica nas cidades do amanhã, sendo reconhecida como referência em projetos energéticos inovadores, que integram a recarga de veículos elétricos e a armazenagem de energia. Em 2020, a Solstyce está acelerando o desenvolvimento em cada uma de suas expertises: energia fotovoltaica (Solstyce), mobilidade elétrica (Elexent, em conjunto com o Grupo Renault) e a gestão da pegada de carbono (PINK Strategy, uma empresa 100% de propriedade da Solstyce).

Renault do Brasil

Leia> Coisas de Agora

BMW GROUP APRIMORA A MOBILIDADE ELÉTRICA E INAUGURA CENTRO DE COMPETÊNCIA PARA INTENSIFICAR A PRODUÇÃO DE EDRIVES NA ALEMANHA

Na maior fábrica do BMW Group na Europa, situada em Dingolfing, na Alemanha, o BMW Group inaugurou nesta quinta-feira (2) o Centro de Competência para a produção de veículos elétricos. Até então, a planta de Dingolfing era responsável pela produção de componentes relacionados aos trens de força dos veículos da marca.



O Presidente do Conselho de Administração da BMW AG, Oliver Zipse (e), e o ministro-presidente da Bavaria, Markus Söder lançaram simbolicamente a produção integrada do novo BMW eDrive, que combina motor elétrico, transmissão e a eletrônica em um único local. A nova geração do BMW eDrive será usada pela primeira vez no novo BMW iX3, que entrará em produção na China no final do verão europeu.

No Centro de Competência em Dingolfing, o BMW Group produzirá componentes do trem de força elétrico, como módulos de bateria, baterias de alta tensão e motores elétricos em oito linhas de produção. Nos próximos anos, a empresa estabelecerá quatro linhas adicionais, o que aumentará significativamente a capacidade de produção do local.

 "Continuamos ampliando a mobilidade elétrica e estabelecendo padrões para a transformação de nossa indústria. Até 2022, somente em Dingolfing, poderemos produzir eDrives para mais de meio milhão de veículos eletrificados por ano", afirma Oliver Zipse. "Ao mesmo tempo, produziremos tanto veículos 100% elétricos quanto modelos híbridos plug-in e, também, veículos com motor a combustão, todos em uma mesma unidade fabril, para atender a  demanda de nossos clientes e poder oferecer a eles o poder de escolha. Isso mostra como preparamos o caminho para tornar a mudança em nosso setor uma verdadeira história de sucesso", completa Zipse.

Nos próximos anos, a área do Centro de Competência para produção de eDrives será ampliada em dez vezes, saindo dos 8 mil metros quadrados em 2015 para 80 mil. O número de funcionários também será aumentado.

Produção de baterias de alta tensão e motores elétricos



A projeção é de que um quarto dos veículos do BMW Group vendidos na Europa deva ter um trem de força elétrico até 2021; um terço em 2025 e metade em 2030. Até 2023, o BMW Group oferecerá a seus clientes nada menos que 25 modelos eletrificados - cerca de metade deles com um trem de força elétrico puro.

O BMW Group possui extensa experiência em toda a cadeia de valor. Tanto o novo eDrive quanto as novas baterias de alta tensão foram desenvolvidos internamente em estreita cooperação entre os departamentos de desenvolvimento e produção. A empresa está integrando sua experiência na produção, em larga escala, de trens de acionamento elétrico no Centro de Competência e, assim, garantindo uma produção eficiente que possa responder à demanda por trens de acionamento para veículos totalmente e parcialmente elétricos.

Dingolfing se transforma para a mobilidade elétrica



Hoje, cerca de 10% dos veículos produzidos em Dingolfing já estão eletrificados. Com o lançamento do BMW iNEXT em 2021, o local será capaz de produzir veículos totalmente elétricos, híbridos plug-in e modelos com um motor a combustão em uma única linha. "É assim que estamos implementando o "poder de escolha" na produção de carros", acrescentou Christoph Schröder, responsável pela planta.

A fábrica em Dingolfing possui anos de experiência na construção de componentes para veículos elétricos. As baterias de alta tensão produzidas em série para o BMW i3 estão saindo da linha desde 2013. Esse local também produz motores elétricos desde 2015. A maioria das baterias e motores elétricos de alta tensão para todos os veículos eletrificados do Grupo BMW vem do Centro de Competência.

Quinta geração da tecnologia BMW eDrive


No mesmo dia da abertura oficial, o Centro de Competência também iniciou a produção do trem de acionamento elétrico de quinta geração. Esse componente do trem de força elétrico altamente integrado combina o motor elétrico, a transmissão e a eletrônica de potência. O trem de força estará disponível com vários níveis de potência para diferentes modelos. O design altamente integrado do sistema aumenta significativamente a densidade de energia.

A tecnologia BMW eDrive de quinta geração apresenta novas e mais poderosas baterias de alta tensão. Graças ao seu design modular, elas podem ser usadas com flexibilidade na arquitetura do veículo e nos respectivos locais de produção. Atualmente, o Centro de Competência está se preparando para acelerar a produção dessas novas baterias de alta tensão.

Fornecimento sustentável de materiais


A sustentabilidade e a segurança dos suprimentos são fatores importantes na expansão da mobilidade elétrica. O BMW Group adquire as células necessárias para a produção de baterias de alta tensão junto dos principais fornecedores que fabricam estas células com as especificações exatas do BMW Group.

Para os especialistas em compras do BMW Group, a extração e o processamento destas matérias-primas, eticamente responsáveis, começam no início da cadeia de valor: eles têm um grande interesse nas cadeias de fornecimento de células de bateria - até as próprias minas. A conformidade com os padrões ambientais e o respeito aos direitos humanos são a prioridade.

Para as novas baterias elétricas de alta tensão da quinta geração, a empresa reestruturou suas cadeias de suprimentos e fornecerá cobalto e lítio para células diretamente a partir de 2020. Isso garante total transparência sobre a origem dessas duas importantes matérias-primas. Os contratos também garantem a segurança do fornecimento até 2025, e além. No futuro, o cobalto será obtido diretamente de minas na Austrália e Marrocos, enquanto o lítio virá da Austrália e de outros países.

BMW Group Brasil
Máquina Cohn & Wolfe

Leia> Coisas de Agora

CHEVROLET S10 CELEBRA 25 ANOS COM 1 MILHÃO DE UNIDADES PRODUZIDAS


A Chevrolet S10 está completando 25 anos de sucesso no Brasil. A primeira picape média nacional também está comemorando outro importante feito: a produção de 1 milhão de unidades no país.


Dessas, 750 mil unidades foram comercializadas no mercado local - isto faz da S10 a única picape do segmento a alcançar o expressivo volume. As 250 mil unidades restantes foram destinadas à exportação. Todas elas saíram do complexo industrial da GM em São Jose dos Campos (SP).

"A longa tradição da Chevrolet em picapes é um diferencial competitivo para a S10, que possui consumidores altamente satisfeitos e cada vez mais fieis. Reflexo do que a picape entrega, sempre com muita qualidade e confiabilidade. Além disso, o cliente pode contar com uma ampla rede de concessionários para suporte. Tudo isso é altamente relevante para quem utiliza o veículo como ferramenta de trabalho", destaca Hermann Mahnke, diretor de Marketing da GM América do Sul.

A S10 também se consagrou no mercado por seu desempenho como produto, oferecendo o melhor balanço entre robustez, dirigibilidade e conforto com muita força e tecnologia, tanto no asfalto quanto no fora-de-estrada.

Atualmente a S10 é oferecida em três opções de carroceria (cabine dupla, cabine simples e chassis cab), cinco níveis de acabamento (LS, Advantage, LT, LTZ e High Country), duas opções de motorização (2.5 Flex e 2.8 Turbo Diesel), assim como duas opções de transmissão (MT6 e AT6) e tração (4x2 e 4x4).

Ao todo são 12 configurações, para atender os mais variados tipos de negócio, seja no campo ou na cidade.

Além da ampla disponibilidade de itens tecnológicos, como acionamento remoto do motor, alerta de saída involuntária de faixa e direção elétrica capaz de compensar inclinação da via em longos percursos, a S10 se diferencia pela oferta de equipamentos exclusivos no segmento, entre eles o sistema de telemática OnStar e o CPA (Centrifugal Pendulum Absorber), que ajuda a reduzir os níveis de ruído e de vibração além do consumo de combustível.

Desde a chegada no país até os dias atuais, a S10 não parou de se transformar. Foram diversas evoluções estruturais, mecânicas, tecnológicas e de aparência. Confira as principais delas, por ano ou modelo:

Legado da S10 começou há 25 anos no Brasil



Derivada do modelo norte-americano, a S10 brasileira chegou em 1995 com design mais aerodinâmico e diversos itens de luxo para atender as preferências do consumidor local com uma proposta que unia conforto, praticidade e valentia.

A primeira picape média produzida no país estreou com um conjunto surpreendente para a época: cabine simples, motor 2.2 EFI de 106 cv, transmissão manual de cinco marchas e opção de freios ABS nas rodas traseiras.

Outra novidade que a S10 trouxe para o segmento foram as variações de carroceria e de motorização. 


Apenas um ano após o lançamento aproximadamente, surgia a versão cabine estendida, com 37 cm a mais de entre-eixo, suficientes para acomodar dois bancos traseiros, escamoteáveis.


Em relação à mecânica, a Chevrolet introduziu duas novas opções de motorização: o 2.5 Turbo Diesel HST (High Speed Turbo) de 95 cv, que ajudou a elevar a capacidade de carga do veículo para 1 tonelada, e o motor V6 Vortec, de impressionantes 180 cv e injeção eletrônica sequencial centralizada (SCPI).

A família S10 continuava crescendo, para atender um maior universo de consumidores


Em 1997, foi apresentada a S10 cabine dupla com quatro portas - exclusividade do modelo fabricado no Brasil. Nascia também a versão Executive, com acabamento mais refinado e itens exclusivos, como os bancos revestidos em material premium com ajustes elétricos para o do motorista.

No ano seguinte, o motor 2.2 a gasolina ganha injeção eletrônica multiponto sequencial (MPFI) para melhor eficiência energética e desempenho (113 cv). Também foi lançada a primeira série especial da picape, a Champ 98, em homenagem a Copa do Mundo de Futebol da França.

Outro ineditismo foi a tração 4x4 disponível para todas as versões. Afinal, produtividade e superação eram os novos mantras do agronegócio.

Primeira atualização


Para a linha 1999, a Chevrolet promoveu atualização no design da grade e do para-choque dianteiro da S10, ampliando as entradas de ar para refrigeração do motor e atualizando as luzes auxiliares. Mudanças nas lentes dos faróis e nas rodas ajudaram a deixar o visual ainda mais imponente, enquanto a segurança podia ser incrementada com o sistema de airbag para o condutor e os freios ABS nas quatro rodas, equipamentos então comuns apenas em carros mais sofisticados.

O motor 2.8 Turbo Diesel MWM com três válvulas por cilindro, 132 cv de potência e 34 kgfm de torque marcaria a entrada da S10 no novo milênio e sua ascensão para um patamar superior de desempenho dentro da categoria. A aceleração de 0 a 100 km/h da picape baixou da casa dos 15s para a dos 11s. Evolução semelhante foi registrada também no conforto, com a adoção em toda a linha da nova suspensão traseira com molas parabólicas em substituição às semielípticas.

Outra inovação da S10 foi a transmissão automática, inicialmente disponível para a configuração Executive V6 de cabine dupla. O equipamento acompanhava o controlador de velocidade de cruzeiro. Chamou a atenção tais itens, por serem incomuns até aquele momento em utilitários.

A predileção pelas picapes Chevrolet dentro do universo agro fez render a série Barretos - uma homenagem à cidade conhecida pela mais tradicional festa de peão boiadeiro do país.

Geração "Pitbull"



Quem foi ao Salão do Automóvel de São Paulo em outubro de 2000 pode conhecer de perto e em primeira mão a terceira geração da S10, depois apelidada de pitbull, por conta do animal que protagonizava o comercial do veículo na TV. Elementos como grade, faróis, lanternas e para-choque eram mais imponentes, enquanto as linhas do capô e para-lamas, mais retas, refletindo maior robustez.

Painel, quadro de instrumentos, console central, acabamentos de portas e revestimentos dos bancos também foram atualizados, assim como a lista de equipamentos, que adicionava, entre outros itens, o airbag para o carona como opcional. O motor 2.2 a gasolina teve sua cilindrada e potência elevadas, transformando-se num 2.4 de 128 cv.

Para a linha 2002, o motor V6 passou para os 192 cv. Além disso, a comodidade do ar-condicionado também foi incorporada nas configurações de entrada. O garoto-propaganda desta safra foi a série Sertões, comemorativa ao bicampeonato da S10 no Rally dos Sertões.

No ano seguinte mais novidades. A picape da Chevrolet atualizava a lente dos faróis, as rodas de alumínio aro 16, a estrutura dos bancos traseiros da versão cabine dupla, o grafismo do painel e acabamentos do modelo Executive, por exemplo. A versão, sinônimo de sofisticação, transformou-se em objeto de desejo em meio ao recorde de exportações pelo campo. Já os novos amortecedores proporcionavam maior conforto e dirigibilidade.

No fim de 2004, a Chevrolet renomeava as versões da S10: Advantage (entrada), Colina (intermediária) e Tornado (luxo). Apenas a Executive se manteve inalterada.

Depois foi a vez do motor 2.8 Turbo Diesel passar a usar três válvulas por cilindro e injeção direta; o acelerador se tornou eletrônico, e o diferencial, autoblocante.

Pioneirismo com o motor Flexpower



A alteração visual seguinte chegou para marcar o lançamento da linha 2006. Na frente, a grade cresceu e ganhou aletas em formato de cruz. Na lateral, surgiam molduras contornando os para-lamas. Na traseira, chamava a atenção um adesivo na tampa com o letreiro "Chevrolet", igual ao veículo dos Estados Unidos.

A tecnologia bicombustível crescia em relevância no Brasil e a S10 acompanhou este fenômeno para o modelo 2007. O motor 2.4 FlexPower entregava até 147 cv e fez as vendas dispararem. Assim, no ano seguinte, a picape batia mais um recorde de vendas.

Já na linha 2009, outra surpresa. Desta vez, a atualização visual tinha grade reestilizada, entrada de ar sobre o capô, apliques no para-choque frontal e na tampa traseira, adesivo preto na coluna A, novas lanternas, rack de teto, santo Antônio e estribos, quadro de instrumento com fundo azul além de padronagens inéditas para os bancos. Outra significante alteração foi a adoção da gravata Chevrolet na cor dourada, que passaria a ser a nova identidade global da marca.

Em 2010 foi lançada mais uma edição da S10 Rodeio, mas agora como uma versão regular e que duraria até o fim desta geração, em janeiro de 2012 




GPS e sensor de estacionamento eram alguns dos novos acessórios. Naquele ano, o modelo da Chevrolet alcançava a marca de 500 mil unidades produzidas, em sintonia com o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) do agronegócio.

As expectativas sobre o design da próxima geração da S10 aumentaram após a exibição de um protótipo no Salão de Buenos Aires, em 2011. A picape-conceito de aspecto futurista era maior e mesclava robustez de um veículo de expedição com o refinamento de um SUV. Foi o principal destaque da mostra para a região.

Nova S10



A mais impressionante evolução da S10 dava as caras em fevereiro de 2012. Uma picape completamente nova do ponto de vista de aparência, estrutura e dirigibilidade.

Alinhada com a "irmã" Colorado norte-americana, a S10 nacional progrediu em tamanho, chegando a 5,35 metros de comprimento, tornando o habitáculo e a caçamba ainda mais espaçosos - o veículo tinha a maior capacidade de carga da categoria (1,3 tonelada).

No novo painel, sobressaia o quadro de instrumentos, inspirado no do Camaro, e o seletor giratório da tração 4x4 no console central. A lista de equipamentos disponíveis ficava mais completa com itens como o ar-condicionado digital e o controle eletrônico de estabilidade e tração.

Estreava junto o motor 2.8 Turbo Diesel CTDi com duplo comando de válvulas e turbocompressor de geometria variável. A transmissão também era nova, tanto a manual de cinco marchas como a automática, agora de seis velocidades.

No ano seguinte, o motor turbo diesel teve aumento de potência, de 180 cv para 200 cv, e de torque, de 47,8 kgfm para 51 kgfm. Já a cabine passou a contar com o multimídia MyLink com leitor de CD e DVD e um navegador GPS incorporado ao sistema.

O ano de 2014 marcou a S10 pelo lançamento do motor 2.5 Ecotec Flex, o mais potente e moderno da categoria

 

Trabalhava em conjunto com uma nova transmissão manual, de seis marchas. A picape também passou por evoluções dinâmicas. Teve a suspensão dianteira e traseira recalibradas com o intuito de deixar o conjunto mais rígido, e a direção, mais direta.

No ano em que completava 20 anos na liderança do segmento, a S10 inaugura um novo patamar de sofisticação com o lançamento da versão High Country, que além de mais equipamentos de luxo, trazia faróis em cromo escurecido com projetor, aplique no para-choque dianteiro, estribos laterais, rodas aro 18 com superfície usinada, frisos cromados na base dos vidros das portas além de um robusto santo Antonio, especialmente projetado para integrar à caçamba. A peça acompanha uma inédita capota marítima.


A picape adiciona ainda mais três versões de acabamento: Advantage, Freeride e Chassis Cab, pronta para customizações.

Conectividade total



A S10 ganha em 2016 mais uma importante atualização. As linhas mais refinadas da nova dianteira e das rodas são acompanhadas por uma série de novos equipamentos tecnológicos, como alerta de colisão e de saída involuntária de faixa, faróis com LED, acionamento do motor por controle remoto, OnStar e multimídia MyLink com Android Auto e Apple CarPlay.

O utilitário da Chevrolet ainda passou por um "regime" para ficar mais leve e econômica. Também evoluiu dinamicamente, principalmente em uso urbano, com a adoção da direção elétrica inteligente e da nova suspensão.

No ano seguinte a Chevrolet promoveu três novidades de impacto para a S10




Em abril chegava a tão esperada versão Flex com câmbio automático. Em agosto foi a vez da versão turbo diesel receber uma tecnologia inédita no segmento: o sistema CPA, que ajudou a deixar o veículo até 13% mais econômico. Já em novembro foi apresentada a série limitada 100 Years, comerorativa ao centenário da produção da primeira picape Chevrolet no mundo. Foram apenas 450 unidades produzidas, a maioria adquirida por entusiastas e colecionadores.

Em 2018 desembarcava no Brasil a "grife" Midnight, com carroceria e acabamentos todos escurecidos




A S10 fez a estreia da versão que depois viria a se estender a outros modelos da marca. A Chevrolet apresenta na sequência as demais configurações da linha 2019 da picape. Entre as inovações estavam o sistema de controle eletrônico de estabilidade e de tração também para as versões de entrada, enquanto a topo de linha ganha airbags laterais e de cortina em adição ao duplo frontal.

A picape feita pra quem faz


Chevrolet S10 2019

O agronegócio passa por uma verdadeira revolução em termo de produtividade, potencializada pelo uso de novas tecnologias no campo, como a robótica e a inteligência artificial. É de olho na chamada agricultura 4.0 que a Chevrolet vem balizando as evoluções da picape S10, que recentemente reforçou a lista de itens de conectividade e segurança.

O agronegócio tem sido nestes últimos anos um dos principais alicerces e propulsores da economia do país. O setor responde por quase um quinto do PIB brasileiro e a expectativa é que ele seja ainda mais representativo, considerando o nível de impacto que a pandemia está afetando outros setores.

General Motors América do Sul

Leia> Coisas de Agora