terça-feira, 13 de novembro de 2018

CONVERSA DE PISTA.
Por Wagner Gonzalez*

F-1 EM INTERLAGOS: O QUE MUDOU EM 47 ANOS?


Largada do GP em 1972, não válido para o campeonato: arquibancadas lotadas. Foto: Racing Online.

O primeiro GP sem brasileiros no grid e os novos bastidores


De arquibancadas lotadas à espaços reduzidos nos meios de comunicação e do controle-quase-censura à aceitação das redes sociais, muita coisa mudou nos 47 anos que a F-1 visita o Brasil anualmente. O País com oito títulos mundiais – quase nove se você considerar a temporada de 2008 –, hoje desenvolve uma relação com a categoria que reflete diretamente os valores que se praticam neste circo cada mais vez mais mundial e cada vez menos razão de viver de todo e qualquer piloto com expectativas de se tornar profissional. E é nesse contexto que a categoria segue crescendo e disputas mal resolvidas ainda caracterizem os mais novos façam relembrar nomes consagrados.

Bernie Ecclestone segue circulando no meio do circo que consolidou mundialmente. Foto: Getty Images/RBCP.

Falar da F-1 em números frios é algo politicamente correto demais para quem segue entendendo o automobilismo como esporte. Ns era de Bernie Ecclestone, que aparece na foto de abertura entre os dois comandantes da Red Bull, tudo girava estrita e cruelmente em faturamento. Por mais que os mandamentos do marketing e do show business  ganhem espaço na categoria, a aura de desafio e realizar manobras que beiram o inacreditável, tudo isso mesclado com uma boa pitada de aristocracia, ainda são características de uma atividade que movimenta milhões de qualquer moeda e gera milhares de empregos mundo afora há várias décadas.

Condecorado com o título de "Sir", Jackie Stewart é o exemplo de marketing na categoria. Foto: Rolex.

Um personagem que caracteriza isso muito bem é Jackie Stewart: aos 79 anos ele continua explorando muito bem a fama que construiu no período entre 1965 e 1973. Poucos se lembram do seu início na BRM, onde se impôs frente a Graham Hill, um dos playboys mais "família" e mais rápidos que a F-1 já conheceu, mas 50 anos depois disso ele segue cultivando a imagem de embaixador para diversas grifes, como a Rolex. E foi em uma recepção da marca que o escocês comentou como vê a categoria na era pós-Bernie:

"Você conhece o Bernie, sabe como ele controlava a F-1. A Liberty Media tem uma visão diferente, eu diria que mudou uns 50%. Em vez de fechar, eles querem se abrir para o mundo e em 2020 teremos uma corrida no Vietnam. A cultura dessa empresa vem do show business, música e do entretenimento, por isso estão abrindo possibilidades. Essa é a grande mudança."

Traçado urbano de Hanói será usado no GP do Vietnam de 2020 e tem reta de 1,5 km. Foto: F1.Com.

Uma das maiores mudanças da atualidade é a ampliação do campeonato, que este ano teve 21 etapas e, pela primeira vez na história, três delas disputadas em três fins de semana consecutivos (24/6, França; 1/7, Inglaterra e 8/7, Áustria), prática que foi reprovada pelas equipes. Se isso não se repetirá, a temporada de 2019 segue com 21 provas e é provável que em 2020 a lista chegue aos 22 com a inclusão de uma etapa em Hanói. Uma outra corrida no sudeste asiático e um segundo GP  nos Estados Unidos são outras possibilidades factíveis.

Nesse contexto o GP do Brasil parece seguro: em breve haverá uma nova reforma nas instalações do autódromo José Carlos Pace que, a partir de 2020 receberá também uma prova do Campeonato Mundial de Resistência, o WEC. Por um lado, isso afasta a possibilidade de Interlagos ser desativado, como queria o ex-prefeito João Dória Júnior, o que é bom. Por outro, levanta a questão da necessidade de tantas reformas no circuito sem nunca ter sido obtido um resultado satisfatório para os usuários nacionais, o que é ruim. Que as próximas mudanças sejam mais definitivas e funcionais e menos destino de alterações cosméticas passíveis de ensejar questionamentos é a vontade dos eleitores que usam Interlagos dentro do fim para o qual ele foi construído.

Sergio Sette Câmara será piloto de testes da McLaren e deve disputar a F-2 por mais um ano. Foto: Miguel Costa Jr.

Questionamento é o que não faltou no fim de semana de Interlagos, em particular dois temas: a ausência de pilotos brasileiros no grid e a manobra que tirou o holandês Max Verstappen da liderança da prova. No primeiro caso os anúncios de Sérgio Sette Camara e Pietro Fittipaldi como pilotos de teste para as equipes McLaren e Haas, respectivamente, abrem espaço para que em situações excepcionais ambos possam alinhar em uma corrida em 2019 ou, mais factível, disputar com chances reais uma vaga de titular em 2020. Na McLaren a aposta seria para substituir Carlos Sainz Jr: Lando Norris, o outro piloto do time para o ano que vem, é cria da casa e deverá ser mantido sem maiores questionamentos.

Pietro Fittipaldi faz seu primeiro teste pela Haas após o GP de Abu Dhabi, em duas semanas. Foto: Haas.

Já na Haas as chances de Fittipaldi parecem mais palpáveis e os motivos são claros: os pilotos atuais estão distantes de preencherem 100% das necessidades do time, a ligação de Pietro com o grupo Telmex pode significar um aporte financeiro importante para o time norte-americano e o chefe de equipe Gunther Steiner já sinalizou que espera preferência no programa de corridas do brasileiro nos próximos 12 meses. Mais do que isso deixou claro que sua contratação nada tem a ver com seu sobrenome: "Se quiséssemos fazer marketing teríamos chamado o Emerson..."

Já o segundo tema não teve o mesmo cenário de objetividade e fez renascer um assunto no qual é difícil separar paixão da razão e da frieza. Estebán Ocón e Max Verstappen já se estranharam na pista em várias oportunidades, particularmente quando disputaram a F-3, três temporadas atrás. Verstappen chegou mais cedo à F-1 por ter caído nas graças de Helmut Marko e, consequentemente, da Red Bull. Ocón teve um caminho mais longo e menos brilhante ao conseguir vaga na mais modesta Force India, onde não se intimidou com a presença do mais experiente Sérgio Pérez.

Na temporada de 2014 Ocón e Max dividiram o pódio em várias corridas, como em Pau, na França. Foto: FIA F3.

Tanto o franco-catalão quanto o holandês já se envolveram em inúmeras disputas de posição nem sempre indeléveis, a julgar pelas marcas deixadas em seus carros. As manobras de Verstappen ganharam proeminência por ele estar lutando por posições dianteiras; muitas artes de Ocón foram contra seu próprio companheiro de equipe e caracterizaram uma paridade de desempenho poucas vezes vista na categoria. O arrojo do piloto da Red Bull, no entanto, foi sempre mais pronunciado que o do rival da Force India.

Hora da pesagem em Interlagos lembrou cenas das grandes lutas de box. Foto: F1.com.

Verstappen lembra, em muitos aspectos, Ayrton Senna em início de carreira: chegou chegando, ignorou o status quo de nomes consagrados e sempre deixou claro que considera estar em vantagem em qualquer situação de corrida. Essa atitude funciona na maioria dos casos, mas cobra um preço alto: constrói a fama de irresponsável e temerário, pechas que serão diluídas apenas com a conquista de títulos mundiais. Senna venceu três títulos; Gilles Villeneuve, um dos mais arrojados de todos os tempos, é talvez o único que até hoje conquistou seu habeas corpus mesmo sem sagrar-se campeão. Importante lembrar que o canadense, pai de Jacques (campeão mundial de 1997), nunca foi acusado de ser desleal.

Ocón preparou o ataque a Verstappen no início da reta dos boxes. Foto: Getty Images/RBCP.

O episódio entre Ocón e Verstappen não teve início na freada para o S do Senna nem no momento em que seu carro recebeu pneus mais novos e de composto mais macio, o que lhe dava maior vantagem nas curvas. O começo dessa história está na antiga rivalidade entre ambos, na necessidade de o primeiro mostrar que não se intimida com o antigo rival, e na imaturidade do segundo. Verstappen tinha muito mais a perder naquela situação e perdeu uma vitória que parecia certa e que merecia, até então. De volta aos boxes, os dois se encontraram no box onde a FIA fez a pesagem dos pilotos e o holandês empurrou o rival três vezes. Mais maduro e com cinco títulos no currículo, Lewis Hamilton aproveitou a tragédia que aconteceu na e teve um dia de glória ao vencer em Interlagos e garantir à Mercedes o título de construtores, honrando a fleuma inglesa e a frieza teutônica.

Vitória de Lewis Hamilton assegurou título de Construtores para a Mercedes. Foto: Mercedes.

O resultado completo do GP do Brasil você encontra clicando aqui.





* Wagner Gonzalez é jornalista especializado em automobilismo de competição, acompanhou mais de 350 grandes prêmios de F-1 em quase duas décadas vivendo na Europa. Lá, trabalhou para a BBC World Service, O Estado de S. Paulo, Sport Nippon, Telefe TV, Zero Hora, além de ter atuado na Comissão de Imprensa da FIA. Atualmente é diretor de redação do site Motores ClássicosTwitter: @motclassicosFale com o Wagner Gonzalez: wagner@beepress.com.br.


Leia> Coisas de Agora.

NEOBUS FORNECE 18 MICROS THUNDER+ PARA O GRUPO RODAP, DE MINAS GERAIS.


A NEOBUS forneceu, no final de outubro, 18 novos micro-ônibus Thunder+ para as empresas Territorial e Gávea, pertencentes ao Grupo Rodap, com sede em Santa Luzia, Minas Gerais. A aquisição faz parte da renovação de frota das operadoras, tradicionais clientes da marca.

Os 18 micro-ônibus NEOBUS Thunder+ são totalmente acessíveis, com elevador para passageiros com dificuldade de locomoção e duas portas do lado direito. Possuem chassi Volkswagen 9.160, com 9.000 mm de comprimento total e capacidade para 21 passageiros sentados em poltronas estofadas, além de preparação para rádio e câmeras de vídeo, e três itinerários eletrônicos.

O NEOBUS Thunder+ se destaca pela robustez e versatilidade e tem como principais características maior espaço interno no salão de passageiros e a eficiência na operação. O modelo possui piso plano sem caixas de roda no salão, iluminação interna, faróis com máscara cromada, iluminação diurna e lanternas traseiras em LED.

Foto: Gelson Melo da Costa.

Secco Consultoria de Comunicação.

Leia> Coisas de Agora.

FUNDAÇÃO VOLKSWAGEN LANÇA O MOVEAÊ, SEU NOVO JOGO DE MOBILIDADE URBANA.


Game está disponível para computadores, celulares e tablets, além de versão de tabuleiro.


A Fundação Volkswagen acaba de lançar o Moveaê, jogo voltado à causa da mobilidade urbana. O game está disponível gratuitamente para computadores, celulares e tablets, com versões on-line e para download no Google Play e na App Store. Além disso, foi criado um formato analógico para impressão, que pode ser jogado como se fosse um tabuleiro. O Moveaê é voltado para adolescentes e educadores e pode ser acessado na área de materiais educativos do site da Fundação.

No game, o jogador comanda a evolução do sistema de mobilidade de uma cidade, tomando decisões que permeiam temas como segurança, cidadania, sustentabilidade, qualidade de vida e outros aspectos fundamentais para a sociedade contemporânea. O jogo estimula o pensamento crítico sobre o significado da mobilidade, baseado na maneira como os cidadãos se relacionam com o ir e vir. O objetivo é levar a reflexões a respeito da importância de se ter uma cidade acessível para todos.

“A mobilidade urbana é uma das causas de atuação da Fundação. Para nós, contribuir para tornar a mobilidade mais segura e sustentável é prioridade. Para isso, investimos em soluções lúdicas e interdisciplinares, a fim de incentivar o protagonismo dos alunos e de toda a comunidade escolar”, afirmou Daniela de Avilez Demôro, Superintendente da Fundação Volkswagen e Diretora de Assuntos Jurídicos da Volkswagen do Brasil.

Acesse a versão on-line do Moveaê ou faça download no Google Play e na App Store.

Movimento Paulista de Segurança no Trânsito


O Moveaê foi desenvolvido pela Virgo Game Studios e está sendo lançado em parceria com o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito. A Fundação Volkswagen faz parte do Movimento desde fevereiro de 2018. O programa é coordenado pela Secretaria de Governo do Estado de São Paulo e tem, como meta, reduzir pela metade os óbitos no trânsito no Estado até 2020. Outras nove secretarias integram a iniciativa, que também conta com o apoio de empresas e organizações do terceiro setor.

O Movimento Paulista de Segurança no Trânsito foi inspirado na Década de Ação pela Segurança no Trânsito, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o período de 2011 a 2020. Pela iniciativa, governos de todo o mundo se comprometeram a tomar medidas para prevenir acidentes. Além disso, a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que instituiu os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, incorporou a meta de reduzir pela metade as mortes e os ferimentos por acidentes em estradas até 2020. Pela parceria com o Movimento, a Fundação Volkswagen compartilha desse esforço global em benefício das pessoas e do planeta.

Desde 1979, a Fundação Volkswagen compartilha a vocação de mover pessoas. Movimentos que diminuem as distâncias e geram mudanças, transformando potenciais em realidade. Junto com parceiros técnicos, incentiva a construção de conhecimentos capazes de atrelar a teoria à prática. Atualmente, sua estratégia de investimento social está voltada a dois grandes pilares: educação e desenvolvimento de comunidades. Para isso, vem direcionando seus esforços para três causas principais: mobilidade urbana, mobilidade social e inclusão de pessoas com deficiência. Ao longo dos anos, mais de 3 milhões de brasileiros já foram beneficiados. Acesse o site www.fundacaovolkswagen.org.br e saiba mais sobre como o conhecimento move pessoas!

Fundação Volkswagen.

Leia> Coisas de Agora.      

METRA TESTA NOVO ÔNIBUS ARTICULADO NO CORREDOR DIADEMA-BROOKLIN.


A Metra, operadora exclusiva do corredor metropolitano ABD (São Mateus-Jabaquara) iniciou testes com um novo modelo de ônibus articulado na Linha 376, que faz o percurso entre Diadema e o bairro do Brooklin, em São Paulo. O objetivo é oferecer ainda mais conforto, qualidade e segurança para os clientes com um veículo acessível, com suspensão totalmente pneumática de controle eletrônico, e portas dos dois lados equipadas com sistema Door Brake (freio de portas).

De acordo com Maria Beatriz Setti Braga, diretora da Metra, o novo modelo de ônibus eleva ainda mais o padrão de conforto, modernidade e comodidade para os passageiros. "Escolhemos utilizar o novo veículo na Linha 376 em razão de ser uma das com maior demanda e que percorre um corredor compartilhado e sem gestão exclusiva da Metra", explica a executiva.

O novo ônibus tem carroceria Caio Millenium BRT, chassi articulado Volvo B340M 6X2 de 20,55 metros e capacidade para 110 passageiros entre sentados e em pé. Conta ainda com câmbio automático e os mais modernos e sofisticados equipamentos, como sistema de freios com EBS (Electronic Braking System), ABS e controle de tração, além de internet, Wi-Fi e tomadas com entrada USB 12 Volts para recarga. Para maior conforto térmico e acústico dos usuários do transporte coletivo urbano, vidros colados e sistema de ar-condicionado.

"A Metra, certificada recentemente pela Norma ISO 9001/2015 e ISO 14001/2015, possui o melhor serviço de transporte coletivo urbano de todo o Estado de São Paulo e conquistou o primeiro lugar em padrão de qualidade, de acordo com pesquisa realizada com os clientes, com 86,7% de aprovação entre os entrevistados no mais recente IQC – Índice de Qualidade pelo Cliente", enfatiza Maria Beatriz. Realizado no final do primeiro semestre de 2018, o levantamento faz parte do IQT – Índice de Qualidade do Transporte, cumprido este ano pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos.

HONDA RECEBE PRÊMIO DE MELHOR ESTANDE DO SALÃO DO AUTOMÓVEL 2018.


O estande da Honda no Salão do Automóvel 2018 foi eleito o melhor entre todas as marcas participantes do evento e garantiu à empresa o Prêmio Promoview - Melhor Ativação de Marca.


O reconhecimento superior avalia a comunicação e experiência com a marca em momentos chave, como Coletiva de Imprensa, Avant-Première e visitação pública, além de considerar critérios como projeto arquitetônico, construção, qualidade sonora, iluminação e ativações.

A pesquisa, conduzida pelo portal Promoview, especializado em marketing de promoção e ações de ativação de marca, leva em conta a opinião de jornalistas, convidados e visitantes.

A entrega do prêmio aconteceu no estande da marca e contou com a presença do vice-presidente da Honda South America, Roberto Akiyama, e da sócia diretora da agência Netza, Fabiana Schaeffer, responsável pelo projeto.

"Esse importante reconhecimento mostra que acertamos em criar um ambiente que comunica os valores da marca Honda e os atributos de nossa consagrada linha de produtos, presentes em terra, água e ar. Todo estande foi planejado e concebido para que o visitante perceba como nossas tecnologias podem agregar um novo valor à vida das pessoas, maximizando a experiência de mobilidade", afirma Roberto Akiyama.

O estande

Em seu estande interativo de 2.000 m², criado sob o tema "Expandindo a mobilidade e criando possibilidades", a empresa mostra que, impulsionada pelo espírito de desafio, busca criar soluções para expandir e melhorar o potencial de vida das pessoas. Os visitantes podem vivenciar esse conceito por meio de ativações em realidade virtual e aumentada, 3D e sistema de som direcional, que proporcionam experiências imersivas ao público. As atrações estão distribuídas em quatro áreas principais, que apresentam uma marca Vibrante, Divertida, Conectada e focada em Mobilidade.

Salão Internacional do Automóvel de São Paulo
Local: São Paulo Expo Imigrantes
Endereço: Rodovia dos Imigrantes, km 1,5
Água Funda - São Paulo-SP
De 08 a 17 de novembro, das 13h às 22h (com entrada até às 21h)
Domingo, 18 de novembro, das 11h às 19h (com entrada até às 17h).

ATÉ 2023, 1.600 CAMINHÕES ELÉTRICOS VOLKSWAGEN VÃO INTEGRAR A OPERAÇÃO DA FROTA DA CERVEJARIA AMBEV.


Cervejaria Ambev e Volkswagen completam fase piloto de testes do primeiro caminhão elétrico para transporte de bebidas. Durante 30 dias, veículo desenvolvido em parceria pelas duas empresas percorreu 900 km e realizou entregas pelas ruas de São Paulo.


O primeiro caminhão Volkswagen e-Delivery acaba de concluir com sucesso sua fase piloto de testes para poder integrar a frota que atende a Cervejaria Ambev. Fruto de uma parceria entre a companhia e a Volkswagen Caminhões e Ônibus, esse é o primeiro caminhão leve 100% elétrico e movido a energia limpa da América Latina, com zero emissão de carbono, micropartículas e NOX.

A primeira fase de testes do modelo do caminhão durou 30 dias e percorreu um total de 915 quilômetros, com emissão zero de partículas poluentes. Os testes reproduziram as rotas mais comuns feitas pelos caminhões na entrega e distribuição de bebidas da Cervejaria Ambev na cidade de São Paulo.

Foi observada redução de emissão de 0,7 toneladas de CO2 no período de testes, graças à particularidade da tecnologia do veículo e à utilização de uma matriz energética limpa. O caminhão elétrico VW e-Delivery que foi testado é recarregado com 100% de energia solar. A energia consumida totalizou 950 kWh, evitando que cerca de 200 litros de diesel fossem utilizados.


“Temos o sonho de construir um legado sustentável e de longo prazo, que permaneça para as próximas gerações, e investir em projetos socioambientais é um de nossos principais focos de atuação para atingir esse objetivo. A parceria com a Volkswagen Caminhões e Ônibus é um passo importante em direção ao mundo melhor que queremos construir, e saber que ambas as companhias partilham desse mesmo sonho é muito motivador. Afinal, sustentabilidade não faz parte do nosso negócio, sustentabilidade é o nosso negócio”, afirma Rodrigo Figueiredo, vice-presidente de Sustentabilidade e Suprimentos da Cervejaria Ambev.

Desenvolvidos no Brasil, os veículos contam com soluções de última geração para logística verde, o que envolve sistemas inteligentes para ajustar a demanda da bateria durante a operação e para recuperar a energia da frenagem. Os testes realizados mostraram que o sistema permitiu uma recuperação de cerca de 40% na energia.

“Desde o início de nossas operações, sempre nos preocupamos em nos manter na vanguarda do desenvolvimento de tecnologias e investir continuamente em novas soluções que contribuam para a operação do cliente e também o meio ambiente”, destaca Roberto Cortes, presidente e CEO da Volkswagen Caminhões e Ônibus e membro da Diretoria do Grupo TRATON.

A parceria entre Cervejaria Ambev e Volkswagen Caminhões e Ônibus prevê que, até 2023, 1.600 caminhões elétricos sejam utilizados para o transporte de bebidas. Com isso, cerca de 35% da frota que atende as operações da cervejaria será composta por veículos movidos a energia limpa, deixando de emitir mais de 30,4 mil toneladas de carbono por ano.

O início da operação do caminhão elétrico vem ao encontro da preocupação com o meio ambiente e com o desenvolvimento de práticas sustentáveis dividida pelas duas companhias. Só nos últimos cinco anos, a Cervejaria Ambev investiu cerca de R$ 1 bilhão em projetos voltados à sustentabilidade socioambiental. O montante contribuiu para a superação de seis das sete metas ambientais anunciadas em 2013 para serem atingidas em 2017.

Agora, em 2018, a cervejaria anunciou mais um passo importante nesse trabalho, assumindo novos compromissos para serem atingidos até 2025. As novas metas socioambientais da companhia são divididas em quatro pilares, sendo que uma delas se refere especificamente à redução das emissões de carbono em suas operações e à compra de eletricidade de fontes renováveis:

- Ações Climáticas: 100% da eletricidade comprada pela Cervejaria Ambev deve ser advinda de fontes renováveis. Além disso, a cervejaria vai reduzir em 25% as emissões de carbono ao longo da nossa cadeia de valor.
- Embalagem Circular: 100% dos produtos da Cervejaria Ambev devem estar em embalagens retornáveis ou que sejam majoritariamente feitas de conteúdo reciclado.
- Gestão de Água: melhorar de forma mensurável a disponibilidade e a qualidade da água para 100% das comunidades em áreas de alto estresse hídrico com as quais a cervejaria se relaciona.
- Agricultura Inteligente: 100% dos agricultores parceiros da cervejaria devem estar treinados, conectados e com estrutura financeira para desenvolver um plantio cada vez mais sustentável.
 

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

RENAULT E ITAIPU BINACIONAL FIRMAM PROTOCOLO DE INTENÇÕES PARA CENTRO DE TREINAMENTO EM VEÍCULOS ELÉTRICOS.

Líder no mercado de veículos 100% elétricos no Brasil, a Renault assinou protocolo de intenções com a Itaipu Binacional para a criação de um centro de treinamento para manutenção de veículos elétricos. Chamado Renault Academy, o centro vai operar no Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), sediado em Foz do Iguaçu, no Paraná. O local é referência no desenvolvimento tecnológico sustentável de meios de transporte movidos a eletricidade. O objetivo é a qualificação da mão de obra da rede Renault para atendimento a clientes dos veículos zero emissão da marca.

A assinatura do protocolo ocorreu em São Paulo, com a presença do diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Marcos Stamm; o diretor-superintendente do Parque Tecnológico Itaipu-Brasil, Jorge Callado; o diretor global do Programa Veículo Elétrico da Renault, Eric Feunteun; e o gerente geral de Pós-Venda da Renault do Brasil, Marcos Felippe.

e/d: Marcos Felippe, Eric Feunteun, Marcos Stamm e Jorge Callado

“Para a Renault, a mobilidade elétrica já é uma realidade. Por isso, estamos nos preparando desde já no treinamento de profissionais para o atendimento aos clientes de carros zero emissão. A Renault possui um centro de treinamento em Jundiaí (SP), que atende a necessidade de capacitação de nossa rede de concessionárias, e agora amplia cada vez mais o foco no veículo 100% elétrico. O protocolo de intenções com a Itaipu, um parceiro histórico e com forte know-how nessa área, reforça os nossos esforços nesse sentido”, disse Felippe.

 A Renault, que detém mais de 50% de participação de mercado no segmento dos carros 100% elétricos, anunciou nesta edição do Salão do Automóvel a venda ao público final do Renault Zoe.

“Para Itaipu, essa parceria com a Renault é a consagração de um trabalho de seis anos. A Renault tem demonstrado efetiva participação no mercado de elétricos. Buscarmos essas ações com o Renault Academy e com o PTI não é só importante para Itaipu, mas também para a região que estamos situados, para o Paraná e para o Brasil. Estamos falando de futuro. A Itaipu é uma geradora de energia, mas Itaipu tem um compromisso com a sustentabilidade, com os programas socioambientais, com o meio ambiente. Um compromisso grande com todos os brasileiros”, afirmou Stamm.

Renault do Brasil
Produzindo no Brasil desde 1998, a Renault passa pelo melhor momento de sua história no país em participação de mercado. Neste ano, a marca acumula 8,6% de market share de janeiro a outubro, um recorde. A Renault do Brasil possui quatro unidades industriais instaladas no Complexo Ayrton Senna, no Paraná, onde opera em três turnos e tem um total de 7.300 colaboradores.

Pioneira no segmento de veículo elétricos, a Renault é líder deste mercado no Brasil, com mais de 50% de participação. Os veículos zero emissão da marca circulam em várias cidades, como Curitiba, São Paulo, Foz do Iguaçu, Rio de Janeiro, Campinas, Belo Horizonte, Salvador e Fernando de Noronha. O Renault Zoe, disponível à venda para todos os clientes do país, é o veículo elétrico mais comercializado na Europa e tem mais de 100 mil unidades emplacadas em todo o mundo.

Renault do Brasil.

Leia> Coisas de Agora.

VW DELIVERY 13.180 ESTREIA NO MERCADO COM PEDIDO DE MAIS DE 100 VEÍCULOS.


Mais novo integrante da família de caminhões leves da VW, o Delivery 13.180 acaba de desembarcar no mercado brasileiro e suas primeiras unidades já têm destino certo. Foram encomendadas para operar na distribuição de bebidas pelo país. Equipado com terceiro eixo, o modelo é mais leve que sua versão anterior e tem a maior capacidade de carga de sua categoria.

“O Delivery 13.180 já chega ao mercado com vendas expressivas e isso é fruto do reconhecimento que a nova família conquistou dos clientes em seu primeiro ano no mercado. Assim como nos demais modelos, esse caminhão chega para ter o melhor custo total de operação (TCO) de seu segmento”, afirma Ricardo Yada, supervisor de Marketing de Produto da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

Com robustez e flexibilidade sob medida, o Delivery 13.180 tem peso bruto total (PBT) de 13,2 toneladas, tendo sido projetado de acordo com a legislação de circulação de Veículo Urbano de Carga (VUC) nas cidades onde há restrição de tráfego. Seu motor Cummins ISF, de 3,8 litros e tecnologia SCR, foi desenhado com robustez sob medida e entrega torque máximo de 600 Nm e 175 cv de potência.

No trem de força, o Delivery 13.180 conta ainda com a transmissão manual ESO-6206, com seis velocidades. Sua configuração permite um melhor escalonamento, mais economia de combustível e conforto para o condutor.

Diferenciais garantem vendas



Os caminhões foram “construídos em cima da balança”, procurando otimizar ao máximo sua carga útil, além de proporcionar maior economia de combustível e menor desgaste de componentes. Com rastro e padrão em todos os furos, o chassi tem como ponto alto a flexibilidade. Mantém a originalidade, facilita e torna mais rápido qualquer encarroçamento, como nesse primeiro lote em que as mais de 100 unidades vão receber carroceria específica para transporte de bebidas.

A estrutura da cabine é mais um destaque de toda a nova família Delivery. Além de ser referência como a mais espaçosa do mercado na categoria de leves, o habitáculo conta com o reforço dos aços de alta resistência, que a tornam mais segura e resistente, atendendo aos mais severos requisitos de segurança europeus (norma ECE R29).

Modelo com maior capacidade de carga da nova família, o Delivery também carrega os atributos que já consagram os demais veículos da linha. Ao entrar no caminhão o motorista já poderá sentir que o modelo é feito sob medida, volante de múltiplas regulagens e menor diâmetro.

A coluna de direção é ajustável em altura e profundidade, o que facilita a operação e proporciona ergonomia de carro de passeio. A manobrabilidade também se destaca como a melhor do mercado na categoria, graças ao maior ângulo de esterçamento e ganho na capacidade de realizar as manobras em vias estreitas.

Volkswagen Caminhões e Ônibus.
Comunicação MAN Latin America 

Leia> Coisas de Agora.

MARCOPOLO CONQUISTA PRÊMIO AUTODATA PELO 17º ANO.


A Marcopolo conquistou pela 17ª vez o Prêmio AutoData na categoria Produtor de Carroçarias e Implementos. do Prêmio AutoData 2018. A empresa se destacou pelo lançamento de novos produtos e pelas ações desenvolvidas para alcançar ganhos de eficiência, qualidade, produtividade e racionalização de custos. Nos primeiros nove meses deste ano, a fabricante ampliou em 45,5% sua receita liquida.

Em 19 edições, a Marcopolo é uma das companhias mais distinguidas, não somente como fabricante de carrocerias de ônibus, mas também como exportadora, em responsabilidade social, sustentabilidade e, por quatro anos (2000, 2001, 2002 e 2004), como a Empresa do Ano", recebendo o Tributo AutoData.

Para Francisco Gomes Neto, diretor-geral da Marcopolo, a premiação demonstra e reforça todos os esforços empreendidos pela empresa e seus colaboradores para superar a crise econômica brasileira, ganhar competitividade e eficiência, e crescer nos mercados brasileiro e internacional. "Temos grande satisfação em participar do prêmio e em sermos eleitos mais uma vez. Faço um agradecimento especial à Editora AutoData e a todos os profissionais da indústria automobilista que nos elegeram", enfatiza o executivo.

Promovido pela AutoData Editora, o prêmio é um reconhecimento às empresas, produtos e profissionais do setor que mais se destacaram ao longo do ano na busca de objetivos determinados, inovações, tecnologia e produtividade. Concorreram ao prêmio 72 cases e indicações, divididos em 18 categorias.

Secco Consultoria de Comunicação.

Leia> Coisas de Agora.

POLO AUTOMOTIVO JEEP ALCANÇA A MARCA DE 500 MIL VEÍCULOS PRODUZIDOS.

Mais de 13.600 pessoas trabalham nos três turnos de operação do Polo Jeep.
Em pouco mais de três anos de operação, o Polo Automotivo Jeep comemora a marca de 500 mil unidades produzidas em Pernambuco. Se em 2015, quando foi inaugurado, o Polo produzia o Jeep Renegade em dois turnos de trabalho, agora, é responsável pela produção também da picape Fiat Toro e do Jeep Compass, líder absoluto na categoria SUV, e opera em três turnos. O Polo já é responsável pelo emprego de cerca de mais de 13.600 pessoas e se consolida como um vetor de desenvolvimento regional. 

Com a presença do Presidente da FCA para América Latina Antonio Filosa, a empresa comemorou a marca com uma homenagem aos primeiros funcionários do Polo, que acompanharam o nascimento da Jeep em Pernambuco desde a fase de construção. Filosa agradeceu o comprometimento dos colaboradores e lembrou do importante e contínuo processo de capacitação do time do Polo.

Aferidor da área de qualidade, Adjair Fernando Soares não imaginava mudar de vida aos 45 anos, quando iniciou sua trajetória na Jeep, ainda na fase de projeto. Quase seis anos depois, o pernambucano natural de Recife se mostra orgulhoso por trabalhar num ambiente de tecnologia. “Trabalhava como mecânico e estava desempregado há um ano e meio quando fiquei sabendo que a montadora ia se instalar aqui. Mandei logo meu currículo e fiquei surpreso na seleção quando fui chamado diante de tantos jovens que também participavam”, lembra. Depois de passar mais de um ano fazendo capacitação no Polo Fiat, em Betim, Adjair se orgulha de ter ajudado a preparar a fábrica, desde a instalação dos equipamentos e testes, até a equipe com a qual trabalharia. “Fico feliz de ganhar esse reconhecimento e orgulhoso de estar aqui nesse momento de comemoração de 500 mil carros produzidos”.

Ao lado de Adjair, Cinthia Luis é a mulher mais antiga contratada pelo Polo. A técnica de segurança do trabalho acompanhou a construção da mais moderna fábrica do Grupo FCA no Mundo desde o início. “ Eu vi isso tudo crescer, no início foi um desafio grande pela quantidade de empresas e trabalhadores envolvidos na obra”, lembra do período de pico da obra em que mais 11 mil pessoas estavam no local. A moradora de Abreu e Lima, no entanto, destaca que foi uma época de grande aprendizado. “Nunca imaginei trabalhar com tantas pessoas de diferentes nacionalidades e participar de uma transformação tão importante, saindo da obra para a instalação dos equipamentos e das linhas e, em seguida, da operação”, diz ela que hoje é uma das responsáveis pela segurança do trabalho da área de funilaria do Polo Jeep. “A gente evoluiu junto com a empresa e continuamos avançando juntos. Fiquei muito feliz com a homenagem”.

A comemoração aconteceu no momento em que a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) confirma seu plano de investimentos superior a R$ 14 bilhões no Brasil entre 2018 e 2023, destinado ao desenvolvimento de novos veículos, modernização de modelos em linha, motores e tecnologias no Polo Automotivo Fiat, em Betim (MG), e no Polo Automotivo Jeep, em Goiana (PE). Ao todo, a empresa planeja 25 ações de produto, entre lançamento e atualização de modelos, até 2023.

Fiat Chrysler Automóveis.


Leia> Coisas de Agora.