segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

PROJETO DA MERCEDES-BENZ DE EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO ATINGE 40 MIL ALUNOS.

A Mercedes-Benz do Brasil, por meio do projeto de educação no trânsito Mobile Kids, já alcançou aproximadamente 40.000 alunos de mais de 100 escolas das redes públicas e particulares do Estado de São Paulo. A distribuição da cartilha pedagógica tem como objetivo ensinar crianças, entre 6 e 10 anos, sobre a importância de um trânsito seguro para motoristas e pedestres. 



A cartilha Mobile Kids, projeto original do Grupo Daimler, é composta por cartões, fichas, desenhos explicativos e jogos de cartas, que representam a realidade do trânsito e estimulam as crianças a aprender comportamentos seguros, incentivando-as a também compartilhar os conhecimentos com seus familiares.

“Os materiais didáticos do Mobile Kids são utilizados por todos os países que realizam a ação. É dessa forma que alcançamos muitas crianças, trazendo diversão e informação”, destaca Luiz Carlos Moraes, diretor de Comunicação Corporativa e Relações Institucionais da Mercedes-Benz do Brasil, e responsável pelo Comitê de Responsabilidade Social da Empresa. “A presença internacional da Daimler torna possível a adequação do projeto em diversas línguas, com o apoio de parceiros locais, como o Colégio Humboldt aqui no Brasil”.

De acordo com o executivo, a Empresa acredita que é importante educar as crianças a respeito das Leis de Trânsito desde cedo. “Nesse sentido, as escolas podem nos ajudar nesta ação, a fim de formar futuros cidadãos mais conscientes e com comportamentos seguros como usuários das vias públicas, seja na condição de pedestre, condutor ou passageiro”, diz ele. 

Mobile Kids conta com suporte de profissionais especializados


Implantado em 2001, o Mobile Kids é uma iniciativa global da Daimler que desenvolve, com a consultoria de profissionais especializados, materiais que abordam o trânsito mais seguro e a prevenção de acidentes.

O projeto foi elaborado na Alemanha, em parceria com a Universidade de Koblenz, visando estimular as crianças a compartilharem com seus pais e familiares conceitos importantes a respeito dos temas, para a formação de uma sociedade ainda mais consciente.

“O Mobile Kids é uma iniciativa que contribui não apenas para o presente, mas para o futuro da sociedade. E é com foco no longo prazo que as ações de conscientização e inclusão social são desenvolvidas diariamente na Mercedes-Benz”, diz Luiz Carlos Moraes. “Isso está alinhado a um dos pilares de Responsabilidade Social da nossa Empresa”.

Parceria com o Colégio Humboldt é ainda mais ampla


O Mobile Kids é um dos itens que compõem o programa AutoHumboldt, também apoiado pela Mercedes-Benz do Brasil e que promove a temática do trânsito responsável por meio de palestras, concursos de redação, caminhadas, eventos e outras ações. O projeto da Daimler complementa a iniciativa do colégio e, pela importância do tema, a instituição decidiu compartilhar os materiais didáticos com outras escolas de São Paulo, possibilitando a disseminação do conhecimento para crianças da rede pública e privada de ensino.

O Humboldt realizou a adequação dos materiais didáticos do Mobile Kids, de acordo com a realidade das ruas e estradas brasileiras, agregando adicionalmente atividades desenvolvidas por professores do Colégio.

Mercedes-Benz.
Comunicação Corporativa

Leia> Coisas de Agora.

PEÇAS E SERVIÇOS NA REDE VOLKSWAGEN CAMINHÕES E ÔNIBUS SÃO FINANCIADAS PELO BANCO DA MONTADORA.


Os clientes da Volkswagen Caminhões e Ônibus têm agora ainda mais facilidades para adquirir peças e serviços na rede de concessionárias da marca. Todo o portfólio da montadora agora pode ser financiado diretamente pelo Volkswagen Financial Services, numa parceria para o benefício dos clientes.

A modalidade concede condições específicas de acordo com a preferência de cada cliente. O financiamento pode ser de 6, 12, 18 e 24 meses, com ou sem juros. E os benefícios se estendem por toda a negociação.

O cliente tem 30 dias de carência para o pagamento da primeira parcela e não compromete o limite de seu cartão de crédito. Também a aprovação de crédito é acelerada para viabilizar o contrato.

“Satisfazer o cliente sob medida é nossa missão na Volkswagen Caminhões e Ônibus. Um pós-vendas bem feito nos rende também novas vendas. Por isso, investimos continuamente para inovar, seja em peças, serviços ou soluções de negócio, e nesse caminho, contamos sempre com bons parceiros como a Volkswagen Financial Services”, comenta Osmany Baptista, gerente executivo de Operações de Peças e Acessórios da VW Caminhões e Ônibus.

Excelência em estrutura para crescer


Além de oferecer um portfólio completo de pós-vendas, a montadora avança sempre rumo à melhoria contínua no tempo de entrega, qualidade e custo-benefício para tornar seus itens ainda mais competitivos para o mercado de reposição.

O setor de Peças e Acessórios é responsável por enviar e comercializar componentes de reposição para abastecer a rede de cerca de 140 concessionárias em todo o Brasil, além dos 30 países para os quais a empresa exporta seus veículos.

Antes de chegar à rede, cada componente de reposição segue um percurso estrategicamente estabelecido, que garante que a peça esteja no lugar e tempo certo para os veículos VW e MAN. “E, agora, com mais essa opção de pagamento flexível”, complementa Osmany.

MECÂNICA ONLINE®.
Por Tarcisio Dias*

EM 50 ANOS CARROS AUTÔNOMOS SERÃO COMUNS 



Que sorte a nossa não é verdade? Temos a oportunidade de dirigir, de acelerar um veículo, pois no futuro próximo parece que dirigir não vai ser muito comum não. Um novo estudo da Intel revela que, apesar dos receios e inseguranças, consumidores não veem a hora de ter um carro autônomo.

A pesquisa realizada com consumidores norte-americanos revela que apenas 21% dos entrevistados trocariam seus carros por um modelo autônomo hoje, apesar de 63% deles acreditarem que esse tipo de veículo será padrão daqui a 50 anos. Essa já foi uma visão de futuro compartilhada pela Intel anteriormente em que a empresa prevê um mercado de 7 trilhões de dólares.

"Ainda precisamos preencher a lacuna entre a aceitação atual pelas pessoas dos recursos de condução automatizada e a autonomia total. Atualmente, os passageiros precisam confiar cegamente nos critérios de segurança dos fabricantes. É importante que haja uma união entre a indústria e as decisões políticas em prol de um modelo de segurança transparente, que reforce a confiança entre homem e máquina", afirma Jack Weast, engenheiro sênior da Intel e vice-presidente da AV Standards na Mobileye.

O estudo Passenger Economy publicado pela Intel em 2017 aponta que os veículos autônomos terão potencial para salvar 585.000 vidas entre 2035 e 2045. Mas o novo estudo mostra que os consumidores ainda têm sentimentos conflitantes em relação a essa promessa.

Quase metade dos consumidores entrevistados (43%) não se sente segura em relação aos veículos autônomos (AV) - sendo que as mulheres têm mais receios do que os homens.

Ao mesmo tempo, mais da metade dos consumidores não vê a hora de não precisar mais dirigir e espera daqui a 50 anos poder usar o tempo gasto dentro do carro com entretenimento ou trabalho.

Quando perguntadas sobre o que esperam fazer dentro de um veículo autônomo dentro de 50 anos, as pessoas mostram empolgação por uma gama de atividades de trabalho, descanso e diversão:

- Entretenimento (58%)
- Socialização (57%)
- Trabalho (56%)
- Reuniões (33%)
- Cuidar da aparência (26%)
- Atividade física (14%)

O Departamento de Transportes dos Estados Unidos acredita que os veículos autônomos possam reduzir as mortes no trânsito em 94% ao eliminar os acidentes por falha humana.

Para ter sucesso será necessário ligar os pontos entre as tecnologias de assistência à condução automatizada de hoje e a autonomia total do futuro. A Intel acredita em uma abordagem de duas vias:

Ampliar disponibilidade, informações e aceitação dos sistemas avançados de assistência ao condutor (ADAS). Sem os aprendizados obtidos de usuários de ADAS em escala, é impossível esperar que as pessoas simplesmente saltem no abismo tecnológico e aceitem a autonomia total.

Criar um padrão de segurança universalmente aceitável e compreensível. Como ponto de partida, a Intel oferece seu modelo de Segurança Sensível à Responsabilidade.

O padrão proposto traduz o que significa ser um condutor seguro para uma equação matemática totalmente transparente e explicável. A Intel está convidando outros participantes do setor a se alinharem a esse tipo de padrão.

O recém-anunciado Instituto de Mobilidade Avançada no Arizona tem como objetivo resolver as implicações de responsabilidade, regulamentação e segurança de veículos automatizados e trabalhará para desenvolver padrões e melhores práticas a serem seguidos pela indústria.

A condução automatizada oferece muito mais do que benefícios sociais significativos (incluindo salvar vidas), como novas experiências para os passageiros. A mobilidade deixará de ser a única função dos carros, que terão potencial para se tornarem módulos de transporte experiencial.

O estudo Passenger Economy de 2017 foi encomendado pela Intel e conduzido pela Strategy Analytics.




* Tarcisio Dias é profissional e técnico em Mecânica, além de Engenheiro Mecânico com habilitação em Mecatrônica e Radialista, desenvolve o site Mecânica Online®  www.mecanicaonline.com.br que apresenta o único centro de treinamento online sobre mecânica na internet www.cursosmecanicaonline.com.br, uma oportunidade para entender como as novas tecnologias são úteis para os automóveis cada vez mais eficientes. 




sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

CAMPO DE PROVAS MERCEDES-BENZ É PREMIADO EM COMPETIÇÃO MUNDIAL DA DAIMLER TRUCKS.


Inaugurado este ano, empreendimento foi premiado na categoria Cadeia de Valor, pela integração entre as áreas de Desenvolvimento e benefícios aos clientes


O Campo de Provas da Mercedes-Benz do Brasil, inaugurado em maio de 2018, conquistou o 1º lugar em uma das categorias da premiação Global CI Cup - Campeonato Mundial de Melhoria Contínua, promovida pela Divisão de Caminhões e Ônibus do Grupo Daimler. A competição premia os melhores projetos voltados para a melhoria contínua de processos e produtos, que por consequência trazem benefícios para os clientes.

Todas as marcas da Daimler Trucks no mundo participaram da competição e, nesta edição, mais de 15 mil colaboradores em 34 países escolheram os melhores projetos, sendo a Mercedes-Benz do Brasil a unidade que mais conquistou prêmios nesta edição. “Dos 18 troféus entregues na Alemanha, nós conquistamos 9. Isso demonstra que o time brasileiro se destaca no desenvolvimento de seus projetos e sempre se diferencia em inovação”, afirma Marcus Kliewer, diretor de Desenvolvimento de Caminhões da Mercedes-Benz do Brasil.

À esquerda, Martin Daum, Chefe Mundial da Daimler Trucks & Buses, que entregou o troféu aos representantes do time do projeto do Campo de Provas Mercedes-Benz.

Para alcançar o primeiro lugar na categoria “Cadeia de Valor”, a equipe do Campo de Provas preparou o case: “Da fazenda de cana-de-açúcar ao eficiente Campo de Provas”, apresentando todos os benefícios trazidos com esse novo empreendimento, que transformou uma plantação de cana-de-açúcar no maior Campo de Provas do Hemisfério Sul.

Os demais prêmios conquistados pelo Brasil variam entre desenvolvimento de novos produtos e componentes, chegando até a mudança da cultura empresarial, como o projeto Lean Mindset, vencedor na categoria “Cultura Lean”. Esse case visa processos internos mais sustentáveis e, ao mesmo tempo, qualifica pessoas para tornar possível essa transformação. 

Martin Daum e os representantes do projeto vencedor Lean Mindset, da planta de São Bernardo do Campo - São Paulo.

“Conquistar esse prêmio reforça a importância de se investir numa mudança significativa de processos, que beneficiaram desde a linha de produção até as rotinas administrativas. Sem dúvidas, um importante reconhecimento para nossos colaboradores do Brasil”, afirma Carlos Santiago, vice-presidente de Operações da Mercedes-Benz do Brasil.

O maior campo de provas do Hemisfério Sul para veículos comerciais



Localizado em Iracemápolis, o Campo de Provas da Mercedes-Benz do Brasil foi construído no mesmo conceito das pistas de teste da Daimler em Wörth, na Alemanha, um dos mais modernos do segmento de caminhões e ônibus da Companhia e também do setor em todo o mundo. Com isso, podem ser realizados, aqui no Brasil, testes com o mesmo rigor e padrão técnico e métrico seguidos por outras unidades do Grupo.

O empreendimento conta com 16 pistas de testes, numa extensão total de 12 km. Essa unidade é um laboratório que simula, em condições reais, as características de robustez e durabilidade dos veículos que estarão em breve nas ruas e estradas do País.

Mercedes-Benz.
Comunicação Corporativa

Leia> Coisas de Agora.

NOVA FAMÍLIA VOLKSWAGEN DELIVERY ESTREIA NA COLÔMBIA COM VENDA RECORDE.


A nova família Volkswagen Delivery estreia na Colômbia com razões para se comemorar: com vendas antecipadas e pedidos fechados antes mesmo da apresentação oficial, realizada nesta quarta-feira (5), o modelo Delivery 11.180 é o líder em embarques de caminhões VW àquele país, o que impulsiona o sucesso internacional da linha. Os modelos já estão presentes em dez países e respondem por cerca de 30% das exportações de caminhões VW no acumulado deste ano.

A Porsche Colômbia, representante da VW Caminhões e Ônibus naquele país, realizou o lançamento em Bogotá. E além do 11.180, destaque antes mesmo da chegada às revendas, mostrou aos clientes colombianos e à imprensa local o Delivery 9.170, que também passa a estar disponível para vendas por lá.

“Os clientes colombianos já conhecem a robustez e a confiança dos produtos VW. E características dos novos Delivery, tais como design, espaço interno, ergonomia e motorização, têm sido muito bem recebidas e elogiadas naquele mercado. Com o lançamento do modelo 11.180, entramos num segmento em que ainda não participávamos e que atende sob medida às demandas da operação. Tudo isso favoreceu o excelente ingresso dessa novidade por lá, apresentada em conjunto com a Porsche Colômbia”, afirma Roberto Cortes, presidente e CEO da VW Caminhões e Ônibus.

O segmento de caminhões leves é um dos mais representativos da América Latina. E não à toa a nova linha de caminhões VW Delivery é sucesso no Brasil e novos lançamentos vão acontecer durante os próximos 12 meses, abrangendo todos os mercados externos da VW Caminhões e Ônibus.

Uma nova geração no transporte urbano de cargas


A nova família Delivery chega para revolucionar o transporte de cargas no segmento de caminhões leves. Desenvolvido e produzido na América Latina, o lançamento já atende a padrões internacionais para os mercados mais exigentes. Composta por modelos de 3,5 a 13 toneladas, está pronta para conquistar o mundo: nasceu a partir da receita de sucesso da primeira linha Delivery e da experiência dos clientes das mais de 100 mil unidades produzidas. Foi ouvindo o cliente que a Volkswagen Caminhões e Ônibus estreia uma gama de produtos sob medida para os dias de hoje.

Com o lançamento, fruto de um investimento de mais de R$ 1 bilhão, a marca apresenta um produto que reúne os atributos de um caminhão grande num veículo pequeno, tais como robustez com design moderno. Com o maior espaço interno da categoria, a cabine do novo Delivery reúne o que há de mais inovador em termos de ergonomia, conforto, espaço interno e robustez.


VOLKSWAGEN NOVO JETTA GANHA VERSÃO INÉDITA 250 TSI.


Sedã é equipado com o motor 1.4 TSI Total Flex (de até 150 cv e 250 Nm de torque) e transmissão automática de seis marchas.


A Volkswagen amplia a gama de seu sedã médio no mercado nacional e apresenta o Novo Jetta 250 TSI. Com o mesmo conjunto mecânico e todos os benefícios da Estratégia Modular MQB, a novidade já está chegando às mais de 500 concessionárias da marca com preço sugerido de R$ 99.990, trazendo mais competitividade ao modelo e oferecendo itens relevantes de conforto e conveniência para uma faixa ainda mais abrangente de mercado.

Produzido em Puebla, no México, o Novo Jetta 250 TSI complementa a oferta do modelo no Brasil, sendo posicionado abaixo das versões Comfortline 250 TSI e R-Line 250 TSI. Ele é equipado com o motor 1.4 TSI Total Flex (de até 150 cv e 250 Nm de torque) e a transmissão automática de seis marchas, mesmo conjunto mecânico das demais configurações.

A nova versão (assim como as demais) conta com três anos de garantia de fábrica, sem limite de quilometragem, e tem as três primeiras revisões gratuitas. O Novo Jetta é oferecido em cinco opções de cor: três sólidas (Branco Puro, Preto Ninja e Vermelho Tornado) e duas metálicas (Prata Snow e Cinza Platinum).

Excelente relação custo-benefício


O Novo Jetta 250 TSI chega com uma equação muito equilibrada entre nível de equipamentos e posicionamento de mercado. Com itens de série valorizados pelos consumidores do segmento de sedãs médios, o modelo chega para ser referência em relação custo-benefício.

A novidade sai de fábrica com faróis e lanternas de LED, ar-condicionado Climatronic com regulagem digital de temperatura para motorista e passageiro (duas zonas), sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, sensor de chuva, seis airbags (dois frontais, dois laterais e dois do tipo cortina), Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC), Bloqueio Eletrônico do Diferencial, sistema Start/Stop e Função de Frenagem de Manobra (RBF).

Complementam o conjunto freio de estacionamento eletromecânico (com acionamento por botão), assistente de partida em subidas, vidros, travas e retrovisores externos com acionamento elétrico, volante multifuncional e novas rodas de liga leve 16” com design “Sakado” e pneus 205/60 R16.

O sistema de infotainment “Composition Media” também é item de série. Com tela de 8 polegadas sensível ao toque (touchscreen) com resolução de 800 x 400 ppi, oferece comando de voz, Bluetooth, 2 entradas USB e tecnologia App Connect, que permite espelhamento com smartphones (Android Auto, Apple CarPlay e Mirrorlink).

Design global e funcional


O Novo Jetta é baseado na Estratégia Modular MQB, o que permitiu que os projetistas criassem um veículo totalmente diferente em comparação à geração anterior. Linhas dinâmicas e superfícies bem nítidas dão ao Novo Jetta uma aparência elegante e esportiva.

O Novo Jetta mede 4.702 milímetros (mm) de comprimento, 1.799 mm de largura (sem os espelhos retrovisores) e 1.474 mm de altura. O entre-eixos é de 2.688 mm. Traduzindo: o Novo Jetta oferece ótimo espaço interno para cinco adultos, com mais conforto para cabeças, joelhos e ombros. O porta-malas tem 510 litros de capacidade e é um dos maiores do segmento.

Dianteira - O design frontal traz traços nítidos, combinados com uma ampla grade frontal e o conjunto ótico de LED, proporcionam uma vista robusta e inovadora.

Lateral - A silhueta lateral é marcada por superfícies bem definidas e amplas janelas. Sob a linha de ombro, no nível das maçanetas, há um vinco marcante que se afunila na parte traseira, ligeiramente em forma de flecha. As caixas de roda também formam uma unidade bem imponente.

Traseira - O design traseiro é elegante e harmonioso, com lanternas de corpo-duplo de LED que conferem elegância ao Novo Jetta.

Interior - No Novo Jetta os instrumentos e o sistema de infotainment são orientados de forma horizontal e proporcionam fácil leitura. O acabamento do painel soft touch traz materiais de alta qualidade. Há esmero em cada detalhe. Na parte de trás, o capricho no acabamento segue o padrão dos modelos importados da marca, com destaque para a altura mais elevada das janelas, o que privilegia a privacidade no interior e, ao mesmo tempo, dá maior sensação de conforto aos ocupantes do veículo.

Tecnologia nacional e eficiente


O motor 1.4 TSI é produzido pela Volkswagen na Fábrica de São Carlos (SP) e desenvolve potência máxima de 150 cv (etanol ou gasolina) a 5.000 rpm. Seu torque máximo, de 250 Nm (25,5 kgfm), surge a apenas 1.400 rpm e se mantém plano até 3.500 rpm, com gasolina ou etanol. Com esse conjunto mecânico, o Novo Jetta 250 TSI acelera de 0 a 100 km/h em 8,9 segundos e tem velocidade máxima de 210 km/h, independentemente do combustível.

Vale ressaltar o sistema Start/Stop de série em todas as versões do modelo. Essa tecnologia desliga o motor durante a marcha lenta quando o pedal do freio é pressionado (por exemplo, quando se espera no sinal vermelho). Quando o pedal do freio é liberado, o motor reinicia sem problemas. Isso se traduz em maior economia de combustível, especialmente no trânsito urbano.

Manual Cognitivo – inteligência artificial para tirar dúvidas


Assim como o Virtus e o Tiguan Allspace, o Volkswagen Novo Jetta também é o primeiro modelo em seu segmento no Brasil a oferecer o “Manual Cognitivo” – que usa IBM Watson para responder aos motoristas questões sobre o veículo, incluindo informações contidas no manual do carro. Essa solução permite uma nova forma de interagir com o veículo e oferece uma nova experiência tecnológica.

Eventuais questões sobre o carro poderão ser respondidas por esse assistente inteligente, de forma simples e rápida. O aplicativo “Meu Volkswagen” conta com tecnologia do Watson para responder as questões em português e espanhol.

A exemplo dos sites de pesquisas na internet, o app Volkswagen tem campos para digitação e o microfone para que o usuário faça sua pergunta oralmente – a linguagem pode ser natural, como em uma conversa informal. O sistema reconhece sotaques e é capaz de aprender quanto mais se interage com ele.

Volkswagen do Brasil.
Assuntos Corporativos e Relações com a Imprensa.

Leia> Coisas de Agora.

ACTROS E AXOR CORRESPONDEM A 23% DAS VENDAS TOTAIS DE EXTRAPESADOS NO MERCADO BRASILEIRO.


Renovações de frota no agronegócio, transporte de combustíveis, logística, mineração e varejo puxam as vendas de extrapesados este ano.


A Mercedes-Benz emplacou 7.744 caminhões extrapesados das linhas Actros e Axor no Brasil em 2018, considerando o volume acumulado entre os meses de janeiro a novembro. São 4.094 unidades do Actros (216% de crescimento nas vendas em relação ao mesmo período do ano passado) e 3.650 unidades do Axor (73% a mais).

“Juntos, o Actros e o Axor correspondem por 23% das vendas totais de extrapesados no Brasil em 2018, levando em conta todas as marcas”, diz Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “Esse volume de emplacamentos também representa 43% das vendas de todos os caminhões da nossa marca no País, dos leves aos extrapesados, que chegou a 17.966 unidades até novembro”.

De acordo com o executivo, as vendas de extrapesados estão sendo puxadas pelas renovações de frotas nos setores do agronegócio, como transporte de grãos e de cana-de-açúcar, além da logística, transporte de combustíveis, mineração e varejo.

Liderança nas vendas de caminhões, com clientes renovando frotas


“A venda de extrapesados é a que mais reflete o aquecimento da atividade econômica no País”, ressalta Roberto Leoncini. “Por isso, o expressivo crescimento de participação do Actros e do Axor no mercado brasileiro aumenta nossa confiança na retomada do desenvolvimento, gerando oportunidades para todos”.

A Mercedes-Benz lidera as vendas de caminhões no Brasil este ano. No acumulado de janeiro a novembro, foram emplacadas 17.966 unidades, com a marca chegando a 27,8% de market share. O volume de vendas de 2018, até novembro, é 51% superior ao mesmo período de 2017, quando foram emplacados 11.883 caminhões Mercedes-Benz no País.

Além do agronegócio, logística, transporte de combustíveis, mineração e varejo, outras atividades vêm impulsionando as vendas de caminhões no ano, como transporte de bebidas e produtos frigorificados, principalmente nos segmentos de leves e médios.

Nesse contexto, em 2018, grandes empresas do transporte de cargas renovaram suas frotas com caminhões Mercedes-Benz. Entre elas: Ambev (228 Actros e Atego para distribuição de bebidas), Transpanorama (222 caminhões Axor e Atego para prestação de serviços ao Correios), Ouro Verde (140 Axor para produção de cana-de-açúcar e etanol) e Braspress (57 caminhões Mercedes-Benz, sendo 7 Axor 2041; 40 Axor 1933 e 10 Atego 1419), além de 250 caminhões para o segmento cegonheiro (200 Axor e 50 Actros).

Mercedes-Benz.
Comunicação Corporativa

Leia> Coisas de Agora.

CONVERGÊNCIA TECNOLÓGICA.
Por Fernando Calmon*

A maneira de comprar carros vem mudando no mundo e o Brasil acompanhará de perto esse cenário. Por isso, não foi surpresa que duas marcas tenham iniciado aqui, de forma quase simultânea, a introdução da assim chamada concessionária digital. Fiat e Volkswagen protagonizaram entre o final de novembro e este começo de dezembro uma espécie de corrida tecnológica para anunciar a primazia. No exterior, em particular na Europa, onde tudo começou há mais de dois anos, esse modelo de negócio se consolidou.

A Fiat saiu na frente com a concessionária Amazonas, na capital paulista. Ambiente foi especialmente projetado para incluir uma interação de forma digitalizada por meio de telões de alta definição, totens e tabletes. Mesmo que o comprador não seja especialista ou extremamente ligado em tecnologia, vai apreciar todas as opções que o sistema oferece. Óculos de realidade virtual complementam a nova experiência de compra ao simular a atmosfera interna do veículo e noção de dimensões. Este recurso, em particular, já vinha sendo utilizado aqui pela Audi em suas lojas.

Por outro lado, a Volkswagen atuará de forma mais ampla. Este mês o mesmo sistema estará disponível em 10 concessionárias em todo o País e no primeiro trimestre de 2019 até 30 outras serão abertas na América Latina. Mais do que demonstração de tecnologia, esses recursos permitem grande ganho de tempo e de qualidade de venda. As variedades de equipamentos e de acabamento podem se comparar de forma mais eficiente, no ritmo e disponibilidade do interessado.

Mesmo com a possibilidade de montar “ilhas” digitais em lojas já existentes, a vantagem mais expressiva é abertura de novos pontos de vendas a partir de 90 m², com apenas um ou dois carros em exposição e aumento de eficiência no atendimento. Nas grandes cidades ficou muito caro ou até mesmo impossível encontrar áreas bem localizadas para abrigar um arranjo tradicional de showroom.

A concessionária digital também se enquadra como complemento ideal ao chamado comércio eletrônico que avança no País. Iniciativas mais aprofundadas hoje existentes, da Renault e da Citroën, tendem a se expandir. É até possível um cliente dessas duas marcas completar todo o processo de pesquisa e compra pela internet e ter seu carro novo entregue em casa, mas são casos raros. O interessado estar limitado ao tamanho e resolução de uma tela de celular ou de computador agora deixa de existir. Ele poderá se integrar a uma loja física com todos os recursos modernos.

Sites independentes de compra e venda de veículos usados pela internet também anunciam a possibilidade de atender quem deseja comprar um zero-km a partir de 2019, encaminhando interessados às concessionárias. Esses clientes, digamos mais “tecnológicos”, vão apreciar um ponto de venda convergente com suas preferências.

ALTA RODA

NISSAN prepara uma surpresa para o SUV compacto Kicks. De olho no acirramento da concorrência com a chegada do T-Cross, terá opção e-Power que tornou o Note o carro mais vendido no Japão. Trata-se de versão elétrica de baixo custo: motor convencional atua apenas como gerador para uma bateria pequena. Sem problemas de autonomia e tempo de recarga.

SÃO onze os lançamentos anunciados para 2019 pela GM. Quatro já revelados: Bolt, Equinox Midnight e os Camaro cupê e conversível. Dos sete que faltam, probabilidades maiores são: novos Onix e Prisma, novos motores de três cilindros para estes dois compactos, Cruze hatch e sedã Midnight (ou versões esportivas RS) e estreia de internet 4G e Wi-Fi a bordo (no Cruze).

RENAULT comemora 20 anos da fábrica paranaense com meta de ampliar participação no mercado de 8,7% para 10% até 2022. Ao confirmar produção do SUV de teto baixo Arkana, o presidente da empresa Luiz Pedrucci previu a necessidade de outro SUV no segmento C. Esse produto (porte do Jeep Compass) ainda está sendo projetado. A Coluna estima lançamento em 2023.

DESTAQUES visuais do novo Camaro são frente, lanternas traseiras e rodas de 20 pol. Há ainda controle de largada (melhor combinação para aceleração máxima) , “aquecimento de pneus traseiros” (freia as rodas dianteiras e as traseiras patinam à vontade) e câmbio automático de 10 marchas. Retrovisor interno por câmera, herdado do Bolt, avanço notável.

FINALMENTE, Governo Federal desistiu de “enfeitar” as novas placas padrão Mercosul com bandeiras dos 26 Estados e brasões dos 5.570 municípios brasileiros. Esses penduricalhos obrigariam o motorista a comprar outro par de placas ao adquirir um veículo registrado antes em outra cidade. Haverá atraso na implantação do programa, mas no caso por boa causa.

APÓS comemorar cinco milhões de turbocompressores produzidos no Brasil, quase 80% para motores pesados a diesel, a BorgWarner espera que a sua linha mais recente para motores leves flex poderá ser impulsionada pelo programa Rota 2030, visando a diminuir consumo de combustível. Este é um dos objetivos centrais e exigirá grande esforço adicional em pesquisa.






* Fernando Calmon - fernando@calmon.jor.br - é jornalista especializado desde 1967. Engenheiro, palestrante e consultor em assuntos técnicos e de mercado nas áreas automobilística e de comunicação. Sua coluna Alta Roda começou em 1999. É publicada em O Brasil Sobre Rodas, WebMotors, Gazeta Mercantil e também em uma rede nacional de 52 jornais, sites e revistas. É, ainda, correspondente para a América do Sul do site Just-auto (Inglaterra).Siga: www.twitter.com/fernandocalmon  - www.facebook.com/fernando.calmon2.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

SPRINTER LIDERA AS VENDAS DA CATEGORIA EM NOVEMBRO.


Com a Linha Sprinter, a Mercedes-Benz foi a marca que mais vendeu furgões no mercado brasileiro em novembro, no segmento de veículos comerciais leves entre 3,5 a 5 ton de PBT (Large Vans). Foram 476 unidades emplacadas no mês, o que colocou a marca na liderança, com quase 40% de participação no total comercializado.

“As vendas de furgões Sprinter cresceram 60% este ano, no acumulado até novembro, com 3.455 unidades emplacadas, frente a 2.165 unidades do mesmo período de 2017”, informa Jefferson Ferrarez, diretor de Vendas e Marketing Vans da Mercedes-Benz do Brasil. 

De acordo com o executivo, o crescimento de vendas da Linha Sprinter também é significativo nas demais categorias. “Com 891 unidades emplacadas até novembro, a linha de chassis com cabina alcança um crescimento de vendas de aproximadamente 20%, também motivado por demandas da distribuição urbana e do e-commerce”, ressalta Jefferson Ferrarez. “Já em vans de passageiros, esse crescimento é de 17%, com 3.000 unidades emplacadas, atendendo principalmente ao transporte executivo e turismo”.

“Esse expressivo crescimento de venda vem sendo puxado por atividades como distribuição urbana, e-commerce e aplicação ambulância”, afirma Jefferson Ferrarez.

Mercedes-Benz mantém liderança


As vendas totais da Linha Sprinter cresceram 34% no acumulado de janeiro a novembro deste ano. Nesse período, foram emplacadas 7.347 unidades no País, frente a 5.482 unidades de 2017. Assim, a Mercedes-Benz permanece na liderança em Large Vans, com mais de 36% de participação de mercado. Os estados de São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul seguem sendo os maiores compradores da linha Sprinter no Brasil em 2018. 

Com 60 versões à escolha dos clientes, a linha Sprinter é formada pelos modelos 313 CDI Street (Peso Bruto Total - PBT de 3,50 t), 415 CDI (PBT de 3,88 t) e 515 CDI (PBT de 5 t). Eles são indicados para empresas de transporte, profissionais autônomos e empreendedores.

A Linha Sprinter se consolidou no País como referência em qualidade, tecnologia, segurança, conforto, agilidade e excelente custo operacional. Além disso, também é reconhecida por sua ótima relação custo/benefício e valor de revenda. Com isso, os clientes têm à disposição um portfólio de produtos com diversas versões para atender uma ampla diversidade de aplicações de transporte de cargas e de passageiros, o que reforça a imagem da Sprinter como o veículo mais desejado da categoria.

A Mercedes-Benz e sua Rede de Concessionários oferecem atendimento customizado aos clientes de comerciais leves, focado em um público-alvo cada vez mais exigente e profissional. Nesse sentido, a Rede conta hoje com o Van Center (estrutura totalmente dedicada para os modelos Sprinter e Vito, atualmente com sete pontos de atendimento: três no Rio de Janeiro, dois em Belo Horizonte, um em São Paulo e um em Curitiba) e Centros Especializados, além da comercialização dessas linhas de produtos em todos os concessionários de veículos comerciais no País.

Por meio da Rede de Concessionários, os clientes têm acesso a um amplo portfólio de peças e serviços, entre eles, os Planos de Manutenção do Mercedes-Benz Service Care, a Revisão Declarada com Preço Fixo, o Mercedes Service 24 Horas, três linhas de peças (genuínas, remanufaturadas e Alliance), opções atrativas de financiamento oferecidas pelo Banco Mercedes-Benz e os planos do Consórcio Mercedes-Benz.

Mercedes-Benz.
Comunicação Corporativa

Leia> Coisas de Agora.

VENDAS DE VEÍCULOS NOVOS CRESCEM 15% ATÉ NOVEMBRO.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Anfavea, divulgou nesta quinta-feira, 6, em São Paulo, SP o balanço da indústria automobilística em novembro. Os números mostram que 2,33 milhões de veículos foram comercializados este ano, o que significa crescimento de 15% sobre os 2,02 milhões licenciados no ano passado. 

Os dados mensais apontam para aumento de 13,1%: foram 230,9 mil unidades em novembro e 204,2 mil no mesmo período do ano passado. Em outubro deste ano, 254,7 mil unidades foram negociadas, o que representa baixa de 9,3%. 

Para o presidente da Anfavea, Antonio Megale, os resultados da indústria automobilística no acumulado do ano demostram que 2018 será o ano da retomada do setor.

Certamente fecharemos este ano com crescimento acima do que planejávamos. 2018 será o ano da retomada do setor e por isso estamos muito otimistas. Já esperávamos uma queda em novembro devido ao menor número de dias úteis em relação a outubro. O importante foi a manutenção da média diária em 11,5 mil unidades”.

As fábricas produziram no último mês 245,1 mil veículos, o que representa retração de 6,9% se comparado com as 263,2 mil de outubro e diminuição de 1,6% se defrontado com novembro do ano passado, com 249,1 mil unidades. No acumulado do ano 2,70 milhões de unidades deixaram as linhas de montagem: expansão de 8,8% frente ao mesmo período de 2017, que registrou 2,48 milhões de unidades.

As exportações em novembro foram de 34,4 mil unidades, queda de 11,3% contra as 38,7 mil de outubro e 53% menor frente a novembro do ano passado, quando 73,1 mil veículos deixaram o País. O setor exportou até novembro 597,4 mil unidades – baixa de 15,3% sobre as 704,9 mil do ano passado.

Caminhões e ônibus


As vendas de caminhões até novembro subiram 49%: foram 68,4 mil unidades em 2018 e 45,9 mil no ano passado. Somente em novembro 7,7 mil unidades foram vendidas, o que representa alta de 40,3% frente as 5,5 mil de novembro de 2017 e diminuição de 2,7% ante as 7,9 mil de outubro.

Em novembro 10 mil caminhões foram fabricados, aumento de 22,3% contra as 8,2 mil de novembro do ano passado e recuo de 8% na análise com as 10,9 mil de outubro. A produção no acumulado do ano apresentou elevação de 29,7% quando comparadas as 98,1 mil de unidades deste ano com as 75,6 mil de 2017.

As exportações de caminhões caíram 9,8% no acumulado do ano, com 23,5 mil unidades em 2018 e 26,1 mil do ano anterior. Somente no penúltimo mês deste ano 1,3 mil unidades deixaram as fronteiras brasileiras, o que significa baixa de 23,9% frente as 1,7 mil de outubro e de 42,7% com relação as 2,3 mil de novembro de 2017.

O licenciamento de ônibus no acumulado foi de 13,6 mil unidades, expansão de 29,3% ante as 10,5 mil do ano passado. As vendas em novembro foram menores em 13,1% com 1,5 mil unidades no mês e 1,7 mil em outubro. Na análise contra as 1,1 mil de novembro de 2017, a elevação é de 34,2%.

A produção ficou 10% inferior – foram 2,1 mil unidades em novembro e 2,3 mil em outubro. Ao defrontar o resultado com novembro do ano passado, quando foram produzidos 1,7 mil chassis para ônibus, houve alta de 24,9%. No acumulado o crescimento é de 42%: 27,4 mil este ano e 19,3 mil em 2017.

Até novembro 8,2 mil ônibus foram exportados, o que representa queda de 0,8% se comparado com as 8,3 mil de igual período do ano passado.

Máquinas agrícolas e rodoviárias


As vendas no segmento de máquinas agrícolas e rodoviárias em novembro ficaram menores em 25,5% em relação a outubro, com 3,8 mil e 5,0 mil unidades respectivamente.

No comparativo contra novembro do ano passado, com 2,9 mil unidades, foi registrado crescimento de 27,5%. No acumulado o aumento das vendas chegou a 11,9%, com 43,4 mil este ano e 38,8 mil no ano passado.

A produção no acumulado deste ano subiu 19,4% com 60,2 mil em 2018 e 50,4 mil no ano passado. Em novembro 6,6 mil unidades foram fabricadas, o que representa decréscimo de 11,1% ante outubro com 7,4 mil e elevação de 73,3% contra novembro do ano passado com 3,8 mil unidades.

As exportações de máquinas agrícolas e rodoviárias até novembro somam 11,8 mil unidades, baixa de 6,7% em relação as 12,7 mil do ano passado.

Clique na telinha e assista o comentário de Antonio Megale




Clique aqui e leia a Carta da Anfavea.

Anfavea
Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores
Diretoria de Assuntos Institucionais e Imprensa.