sábado, 16 de fevereiro de 2019

AUDI CONSTRÓI PARQUE DE ENERGIA SOLAR NOS TELHADOS DE CENTROS DE LOGÍSTICA.


Projeto em conjunto entre Audi e E.ON resultará no maior sistema fotovoltaico instalado na cobertura da Audi Hungria


Juntamente com a E.ON, a Audi está construindo um parque de energia solar nos telhados dos dois centros de logística de sua fábrica em Győr, cobrindo cerca de 160.000 metros quadrados. Isso criará o maior sistema fotovoltaico da Europa instalado em um prédio na fábrica da Audi na Hungria em Győr. Ele terá um pico de produção de 12 megawatts. As obras começarão em agosto de 2019 e a geração de energia renovável começará no início do próximo ano.

"Estamos comprometidos com o uso econômico dos recursos e, portanto, queremos manter o impacto ambiental da nossa produção o mais baixo possível. Aproximadamente 70% da geração de calor da Audi Hungria já são cobertos por energia geotérmica climaticamente neutra. Nossa meta é ter uma operação completamente neutra em carbono no futuro. Com a construção de parques de células solares, estamos dando agora mais um passo para conseguir isso em termos de fornecimento de energia", disse Achim Heinfling, Presidente do Conselho de Administração da Audi Hungria Zrt.

Como parte do projeto com a E.ON Hungria, a Audi fornecerá as áreas de cobertura dos dois centros logísticos, cada um com cerca de 80.000 metros quadrados, para a construção de um parque de energia solar. Será o maior sistema fotovoltaico da Europa instalado em um telhado já construído. A E.ON colocará o parque em operação, composto por 35.000 painéis solares, e continuará a operá-lo, com uma produção anual de mais de 9,5 gigawatts-hora (GWh) de eletricidade. Isso corresponde às necessidades anuais de energia de 5.000 residências. Graças à eletricidade verde de fontes regenerativas, cerca de 6.000 toneladas a menos de dióxido de carbono serão liberadas na atmosfera.

"Estamos trabalhando consistentemente para uma maior sustentabilidade em toda a cadeia de valor", disse Peter Kössler, membro do Conselho de Administração de Produção e Logística da Audi AG. Até 2030, queremos que todos os nossos locais de produção sejam climaticamente neutros. O uso de energias renováveis ​​é uma alavanca importante para isso."

Karsten Wildberger, membro da diretoria da E.ON, acrescenta: "O gerenciamento inteligente de energia é indispensável para as companhias que desejam atingir suas metas de sustentabilidade. Ajudamos clientes como a Audi a combinar proteção climática com suas atividades empresariais e assim criar valor para seus clientes e para a sociedade. "

Além disso, a Audi AG, juntamente com seus parceiros, está comprometida em alimentar os recursos em ciclos fechados e reutilizá-los da forma mais completa possível. "Fomos o primeiro fabricante premium a ter a pegada de carbono medida e certificada em 2014. Desde então, temos trabalhado constantemente para reduzi-la ainda mais", disse Rüdiger Recknagel, Chefe de Proteção Ambiental da Audi AG. "Também estamos instalando novas tecnologias em todas as nossas fábricas para reduzir o consumo de água, evitar a poluição do ar e melhorar a reciclagem".

Audi do Brasil
Departamento de Comunicação. 
Index Conectada.

Leia> Coisas de Agora.

VOLKSWAGEN CAMINHÕES E ÔNIBUS EXPANDE SUA REDE INTERNACIONAL.


A Volkswagen Caminhões e Ônibus está com duas novas casas para atender seus clientes na América Latina. No último mês, o México inaugurou a concessionária Remasa, em Durango, enquanto na Argentina quem abriu as portas foi a Glazen, em Chavo. Ambos são pontos estratégicos nas rotas de veículos comerciais.

A Volkswagen Caminhões e Ônibus segue focada em seu plano de internacionalização para levar a marca a cada vez mais clientes com o mais alto padrão de produtos e serviços, oferecidos por seus representantes oficiais nas mais diversas localidades.

Remasa reforça atendimento a clientes na costa do Pacífico


A inauguração da Remasa, em Durango, está em linha com o plano de crescimento da operação local da Volkswagen Caminhões e Ônibus e representará também a marca MAN em vendas e pós-vendas.

Com instalações de quase 18 mil metros quadrados, 20 baias de serviços e 32 profissionais qualificados, o estabelecimento está numa localização privilegiada: uma zona de alto fluxo de caminhões já que é um ponto estratégico próximo ao Oceano Pacífico e também ligação entre o ocidente e o norte do país.

“Estamos convencidos de que será um sucesso na região e referência de qualidade e serviços em pós-vendas a nossos clientes. A incorporação da Remasa em nossa rede de concessionárias se alinha à nossa estratégia de crescimento para este ano”, afirma Leandro Radomile, diretor geral da operação da Volkswagen Caminhões e Ônibus no México.

Na Argentina, região também é chave para veículos comerciais


A Divisão de Caminhões e Ônibus da Volkswagen Argentina também segue ampliando sua rede no país. Desta vez, inaugura um novo ponto de vendas e pós-vendas em Chaco: a concessionária Glazen.

“A província de Chaco tem muito potencial com o cultivo de algodão e soja, além da criação de gado e cultivo de espécies florestais. A região chega a responder por 6% do mercado total de caminhões na Argentina. Por isso, buscamos essa expansão”, avalia Federico Ojanguren, gerente geral da Divisão de Caminhões e ônibus da Volkswagen Argentina.O novo concessionário ocupa uma área de cinco mil metros quadrados. A construção oferece uma oficina com capacidade para atender seis caminhões simultaneamente, o que permite realizar mensalmente mais de 140 intervenções de pós-vendas, principal negócio no segmento de pesados para a marca na região. Ao todo, são 13 colaboradores distribuídos nos diferentes atendimentos e expediente de rotina.

Volkswagen Caminhões e Ônibus.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

RANDON DAY TERÁ EDIÇÃO ESPECIAL EM COMEMORAÇÃO AOS 70 ANOS.


Cerca de 70 profissionais do mercado de capitais de todo Brasil serão recebidos para atualização sobre planos e perspectivas da Companhia.


Inovação, sustentabilidade e transparência são valores que a Randon S.A Implementos e Participações cultiva ao longo de seus 70 anos, completados em janeiro, como líder nos seus segmentos de atuação. Entre as ações comemorativas está o Randon Day, que acontece na próxima quarta-feira, 20 de fevereiro, em Caxias do Sul (RS). Na ocasião, a Companhia receberá a visita de cerca de 70 profissionais do mercado de capitais de todo Brasil para atualização sobre seus planos e perspectivas. 

“Este evento ganha enorme relevância, dentro da transparência, que é um de nossos princípios, quando compartilhamos com os especialistas do mercado de capitais nossas ações, projetos e conquistas”, afirma o diretor de Relações com Investidores das Empresas Randon, Geraldo Santa Catharina.

A Companhia já recebe analistas do mercado de capitais em suas instalações há mais de duas décadas, e considera este um canal de comunicação muito importante com seus stakeholders. Liderado pela área de relações com investidores, este evento proporciona a oportunidade de falar com Comitê Executivo e conhecer o parque fabril. Nesta edição especial, na véspera, dia 19, o grupo visitará, com exclusividade, o estande ocupado pela empresa na Festa da Uva, da qual é patrocinadora master.

Em diferentes datas e com públicos diferenciados, acontecem outros eventos, seguindo o mesmo objetivo da transparência. É o caso do Encontro de Clima Organizacional, que reúne grupos de colaboradores, onde as demandas são compiladas e levadas à gestão. Há, ainda, o Programa Portas Abertas ao Cliente (PAC) que recebe clientes na fábrica, os quais contribuem para a melhoria contínua dos produtos. Da mesma forma ocorre o Encontro de Fornecedores, vistos como parceiros estratégicos.

“Estes eventos somam-se ao conjunto de boas práticas de governança corporativa já adotados pela Randon e estão alinhados aos seus princípios e valores. Estas práticas integram a política de empresas que querem se perpetuar no mercado e que buscam, num sistema organizado, maior valor agregado ao negócio e satisfação dos seus stakeholders”, finaliza Geraldo Santa Catharina.

FIM DE RODÍZIO PARA CAMINHÕES VUCS DEVE AQUECER VENDAS DE IMPLEMENTOS.


Os transportadores da cidade de São Paulo ganharam uma importante injeção de ânimo logo no início de 2019, por meio de um decreto da Prefeitura que isenta os VUCs - Veículos Urbanos de Carga - de participarem do rodízio municipal.

Antes da isenção, apenas vans de PBT (peso bruto total) de até 3,5 toneladas eram permitidas de circular em áreas de rodízio. O decreto amplia tal liberação para os caminhões médios, com capacidade entre 4 toneladas e 9 toneladas.


Segundo o CEO da 4TRUCK, Osmar Oliveira, a demanda por implementos para este segmento (vans e caminhões da linha 3/4") representa aproximadamente 40% do volume total, sendo eles os grandes responsáveis pela distribuição de mercadorias nos grandes centros.


"Estamos confiantes de que o fim da restrição, que ampliará o tempo de circulação dos VUCs pela cidade, aquecerá as vendas dos veículos médios, que se tornarão mais versáteis para os gestores de frota", aponta Osmar Oliveira.

Ainda de acordo com Oliveira, a medida deve trazer impacto positivo em relação a alguns itens, como segurança no trânsito e diminuição do congestionamento, uma vez que a carga poderá ser transportada num número menor de veículos.

Mesmo com a boa notícia, a confirmação das projeções de crescimento nas vendas de implementos em 2019 dependerá também de outros fatores, como a retomada do mercado urbano, e alguns setores, como o da construção, além da confiança no novo governo, bons índices econômico/financeiros, plano de renovação de frota, taxas de financiamento razoáveis e disposição por parte dos empresários e empreendedores.


Fundada em 2012, a 4TRUCK é fornecedora de implementos rodoviários para o transporte de cargas (baús e carrocerias) e unidades móveis para toda linha de caminhões e vans sobre chassi. Em apenas sete anos, tornou-se uma das principais fabricantes de implementos rodoviários do país e agora é, também, referência em soluções sobre rodas para prover mobilidade em negócios diversos


4TRUCK
RS Press

Leia> Coisas de Agora.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

DÚVIDAS ELETRIZANTES.
Por Fernando Calmon*

Otimismo é a palavra de ordem quando se fala em futuro elétrico para os automóveis. Praticamente todas as fabricantes despejam agora bilhões de dólares em desenvolvimento, apresentam planos de uma linha completa de carros elétricos – dos pequenos, de entrada até SUVs de vários portes –, alguns países estabelecem prazos para “banir” veículos com motores a combustão, redes de abastecimento de recarga rápida e ultrarrápida vem sendo instaladas.

No entanto, existem muitos pontos, pouco esclarecidos, que precisam ser considerados. Não se trata aqui de torcer contra ou a favor, defender posições pessimistas, mas apenas uma boa dose de realidade. Deixemos de lado aspectos técnicos negativos e conhecidos como autonomia, peso, volume e tempo de recarga das baterias, rede de reciclagem após oito anos e valor de revenda. Custos de manutenção são baixos, um carro elétrico é fácil de projetar e construir, resolve o problema de emissões locais, mas não totalmente do CO2 e do efeito estufa, pois depende da fonte de geração de energia elétrica.

Entre as dúvidas eletrizantes, com perdão do trocadilho, estão o real desejo do consumidor em migrar do veículo convencional para um alternativo. Autonomia mínima “garantida” entre 400 e 500 km é uma das exigências. Recarga também. SUVs pesados recém-lançados, com baterias poderosas de 100 kWh, se não tiverem pontos de abastecimento ultrarrápidos por todos os lados, exigem três dias e meio em tomadas comuns de 110 V ou metade deste tempo com 220 V.

Preço é outro problema e talvez o mais sensível. Em recente pesquisa da McKinsey com consumidores da China, Alemanha e EUA, 60% responderam que não pagariam um valor extra por um automóvel elétrico. Neste grupo mais exigente, metade afirmou interesse apenas se os elétricos fossem mais baratos que os convencionais.

No site inglês Confused.com, de seguros automobilísticos, 59% dos pesquisados apontaram alto preço como fator mais desencorajador para opção elétrica. Mais de uma resposta era possível: 61% reclamaram da demora para recarregar e 72%, da rede pequena de estações.

A pesquisa mais recente da J.D. Power com compradores de veículos na Alemanha, mostrou certa apatia em relação ao interesse por elétricos. De um modo geral, 74% dizem considerar no futuro a compra de um elétrico a bateria ou por pilha a hidrogênio, híbrido ou híbrido plugável. 26% dos alemães, 60% dos americanos e apenas 4% dos chineses (incluídos na pesquisa) descartam essa possibilidade à frente.

Entretanto, impressionou a empresa pesquisadora o fato de o número de interessados ter parado de crescer na Alemanha, país com forte viés ambientalista e apesar de enorme publicidade espontânea em torno do assunto, que não sai de evidência na mídia e na cabeça dos políticos.
No final do relatório, destacou: “Consumidores céticos não compram tanto quanto aqueles que acreditam em um produto ou em sua proposta. Fabricantes têm um desafio ainda maior do que simplesmente construir os melhores veículos elétricos.”

Conclusão é que não basta ter oferta abundante, se a procura permanece discreta ou hesitante.

ALTA RODA

ANTONIO FILOSA, presidente da FCA para América Latina, confirmou que a picape média Ram1500, produzida nos EUA, chegará ao Brasil no fim do terceiro semestre deste ano. Empresa ainda não decidiu se será fabricada, mais adiante, aqui ou no México (de onde viria sem imposto de importação). Já o SUV italiano 500X depende da cotação do euro para definição de volumes.

GRANDE aposta da marca Fiat é o novo SUV na fábrica de Betim (MG) em 2021, enquanto a Jeep terá versão de sete lugares do Compass, em Goiana (PE). Fiola confia na virada econômica nos próximos anos. “Acredito que o Governo Federal deverá tirar a "bola de ferro" dos pés dos empresários para aumentar a competividade. Nunca sairemos do Brasil”, acrescentou Filosa.

FORTE queda das exportações para a Argentina (em geral responde por 70%) derrubou a produção no Brasil em 10%, quando comparados janeiro de 2019 e 2018. VW, por exemplo, não enviou nenhum veículo para lá, por mais de três meses. Anfavea admite que sua previsão negativa, para o mercado externo este ano, poderá ser revista para números ainda menores.

MERCEDES-AMG A35 4M (306 cv; tração integral) chega em breve: apresentado em evento social em São Paulo (SP). Britta Seeger, diretora mundial de vendas e marketing, confirmou que toda a linha da marca, inclusive híbridos plugáveis, estará disponível aqui se houver demanda sustentável. Estão previstos 20 lançamentos no Brasil, este ano, entre novos e versões.

LISTA das marcas automobilísticas centenárias cresce este ano com Bentley e Citroën. As demais: Alfa Romeo, Aston Martin, Audi, BMW, Buick, Cadillac, Chevrolet, Daihatsu, Dodge, Fiat, Ford, Lancia, Morgan, Mercedes-Benz, Mitsubishi, Opel, Peugeot, Renault, Rolls-Royce, Skoda e Vauxhall. Maserati tem 100 anos, mas produz autos há 80. Algumas pararam por períodos (Aston Martin, Audi, Bentley e Morgan).





* Fernando Calmon - fernando@calmon.jor.br - é jornalista especializado desde 1967. Engenheiro, palestrante e consultor em assuntos técnicos e de mercado nas áreas automobilística e de comunicação. Sua coluna Alta Roda começou em 1999. É publicada em O Brasil Sobre Rodas, WebMotors, Gazeta Mercantil e também em uma rede nacional de 52 jornais, sites e revistas. É, ainda, correspondente para a América do Sul do site Just-auto (Inglaterra).Siga: www.twitter.com/fernandocalmon  - www.facebook.com/fernando.calmon2.

LIBRELATO VENDE 22 CONJUNTOS DE IMPLEMENTOS PARA A TRANSPORTADORA PEREGRINA.


A Librelato, implementadora que cresceu 100% em 2018 em comparação ao ano anterior, fechou a venda de 22 conjuntos de implementos para a Transportadora Peregrina, cuja entrega está prevista para o primeiro semestre de 2019.

A Peregrina trabalha com o transporte de alimentos, produtos saneantes, maquinários, construção civil, além de fertilizantes e matéria-prima para cerâmicas nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste do País. A transportadora possui mais de 170 implementos, entre modelos graneleiro e sider, todos da marca Librelato.

A parceria entre as duas empresas – ambas de Santa Catarina e com sede no município de Içara, Sul do Estado – já dura uma década. Segundo o CEO da Peregrina, Jair Manoel Lima, “a qualidade dos produtos Librelato foi determinante para a opção da empresa em padronizar a frota com os implementos da marca”. 

“Como somos de Içara conhecemos de perto a seriedade do trabalho da Librelato e, especialmente, sua preocupação em ser uma empresa cidadã” afirma Jair Manoel Lima.

De acordo com José Carlos Sprícigo, CEO da Librelato, esse novo negócio demonstra claramente o otimismo do setor de transporte em relação à retomada econômica do Brasil e evidencia que produtos que aliam qualidade técnica com eficiência operacional passam a ganhar a preferência dos empresários. “A Peregrina fez uma aquisição prevendo crescimento da demanda logística neste ano e em um setor altamente competitivo. Com margens cada vez mais apertadas, a rentabilidade passa a ser definida com base nas qualidades técnicas do equipamento”.

Todos os anos a transportadora catarinense faz novas aquisições para ampliação e renovação de sua frota. Segundo Lima, a empresa prevê expansão de sua frota na ordem de 40% para 2019. “O mercado vem gradativamente retomando seu ciclo normal de crescimento e, certamente, sem as incertezas políticas de 2018, vamos crescer muito mais”.

FERROVIAS DEVEM ABSORVER O CRESCIMENTO DA SAFRA DE GRÃOS.


O modal ferroviário já realiza o transporte de mais de 40% dos granéis sólidos agrícolas que chegam aos portos, de acordo com dados da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF). O índice é ainda mais expressivo quando se trata de açúcar e ultrapassa 50% de representatividade.

O papel do setor deve ser ainda mais importante nos próximos anos. Isso porque, em menos de uma década, o Brasil deve produzir 68,6 milhões de toneladas a mais de grãos, saltando das estimadas 233,4 milhões de toneladas da safra atual para cerca de 302 milhões toneladas na safra 2027/2028, um aumento de quase 30% no total. A estimativa faz parte do estudo Projeções do Agronegócio, que contabiliza as safras anuais até 2027/28. A pesquisa foi produzida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e divulgada no ano passado.

Grãos nos trens

Com a renovação de cinco concessões, a ANTF espera investimentos de mais de R$ 25 bilhões, que impactarão no aumento da produtividade e, consequentemente, na elevação do volume de carga transportada. Além disso, o Programa de Parceria de Investimentos (PPI) do governo federal prevê que haverá leilões de três ferrovias: tramo central da Ferrovia Norte-Sul, Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) e da Ferrogrão. As três ferrovias devem transportar granéis agrícolas, com destaque para a Ferrogrão.

A EF-170, também chamada de Ferrogrão, visa consolidar o novo corredor ferroviário de exportação pelo Arco Norte do Brasil. No primeiro ano de operação, prevê-se que a demanda total de carga alocada da ferrovia alcance 13 milhões de toneladas, número que poderá chegar a 42 milhões de toneladas, em 2050. Levantamentos setoriais indicam que a estimativa dos empresários locais é de escoar até 20 milhões de toneladas de grãos do Mato Grosso pelos portos da Bacia Amazônica.

Nesse contexto de investimentos no setor ferroviário, a 21.ª NT Expo, principal encontro de negócios do setor de transporte metroferroviário da América Latina, será uma vitrine de fornecedores de produtos e serviços para as concessionárias. 

A Pandrol South America, por exemplo, apresentará, entre outros produtos, a solução Under Sleeper Pad (USP), que é uma palmilha de borracha aplicada sob os dormentes para fornecer maior e duradoura elasticidade da via enquanto aumenta a superfície de contato do dormente. Dessa maneira, é ampliada a vida útil do lastro, retardando a sua compactação, e por consequência a dos outros componentes da via, tanto em linhas de passageiros como de carga. Assim, as USPs ajudam a distribuir a carga de forma mais uniforme na via, o que influencia positivamente as compensações diferenciadas, as cargas de impactos e, portanto, promove o prolongamento do ciclo de vida da via.

"Teremos grandes projetos em 2019. Isso explica o grande interesse dos fornecedores na participação da 21.ª NT Expo, que será uma plataforma de negócios", destaca a gerente geral do portfólio de infraestrutura da Informa Exhibitions, organizadora do evento, Márcia Gonçalves. Segundo a executiva, desde dezembro, os espaços da feira estavam 100% comercializados.

Serviço
NT Expo - 21ª Negócios nos Trilhos
19 a 21 de março
Das 13h às 21h
São Paulo Expo - Rod. dos Imigrantes
Vila Água Funda, São Paulo - SP

Principal encontro de negócios do setor de transporte metroferroviário da América Latina, a NT Expo reúne os mais renomados fornecedores, formadores de opinião e players dos segmentos de carga e passageiro, nacionais e internacionais. O evento consolidou-se como plataforma de geração de negócios, networking e melhores práticas. A NT Expo é organizada pela Informa, que em junho de 2018 tornou-se o grupo líder em serviços de informação B2B e o maior organizador de eventos do B2B no mundo. Para saber mais e para as últimas notícias e informações, visite: www.informa.comA Informa Exhibitions, divisão de exposições globais da Informa PLC, permite que as comunidades em todo o mundo se engajem, experimentem e façam negócios, fornecendo-lhes plataformas poderosas para se conectarem a regiões-chave e mercados verticais. O conhecimento do setor, aliado a uma abordagem inovadora e centrada no cliente, oferece aos clientes e parceiros da Informa Exhibitions a oportunidade de criar vantagens comerciais e acessar os mercados, tanto digital quanto presencial, 365 dias por ano.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

BYD ASSINA CONTRATO PARA CONSTRUÇÃO DO VLT DO SUBÚRBIO, EM SALVADOR.

                                                                                                                                        Foto: Alberto Coutinho / Governo do Estado da Bahia

Os mais de 600 mil moradores do Subúrbio Ferroviário de Salvador serão os principais beneficiados com a implantação do VLT – Veículo Leve sobre Trilhos - que substituirá o atual sistema de trens que faz a linha da Estação da Calçada ao bairro de Paripe, no Subúrbio Ferroviário.

A assinatura do contrato ocorreu nesta quarta-feira (13), entre o governo do Estado e o consórcio vencedor da licitação, a Skyrail Bahia, composto pelas empresas Build Your Dreams - BYD Brasil, e Metrogreen, responsável pela implantação e operação do sistema. A obra será realizada por meio da modalidade de Parceria Público-Privada (PPP). O leilão foi realizado em maio do ano passado.

Com investimento total previsto em R$ 1,5 bilhão, o modal metropolitano, que ligará a região do Comércio de Salvador até a Ilha de São João, no município de Simões Filho, será do tipo monotrilho, movido à propulsão elétrica. O VLT terá cerca de 20 km de extensão, 22 estações e terá capacidade de transportar cerca de 150 mil usuários por dia.

O projeto ainda prevê uma ligação com mais quatro estações, entre a região de São Joaquim até o Acesso Norte, passando pela Via Expressa e fazendo, no Acesso Norte, a integração física com o metrô.

Após a assinatura formal do contrato, nesta quarta (13), serão realizados os serviços preliminares previstos no projeto, como o traçado da poligonal onde será implantado o VLT, a instalação do canteiro de obras, além de outros procedimentos. A previsão é que as obras sejam iniciadas 90 dias após a assinatura do contrato e a conclusão estimada em 24 meses.

O resultado da licitação foi divulgado no Diário Oficial do Estado (DOE) em 1º de agosto de 2018 e homologado no dia 10 do mesmo mês. A integração física do VLT com o sistema de metrô de Salvador se adequará à lógica de mobilidade do Governo do Estado, que viabiliza o funcionamento dos modais em um sistema de rede, por meio de serviços complementares. 

As atuais 10 estações dos trens do Subúrbio serão desativadas e reaproveitadas para prestação de outros serviços à comunidade, como postos da Polícia Militar e centros de atendimento.

Benefícios do VLT

O VLT proporciona menor impacto ambiental que outros transportes sobre trilho e traz a possibilidade de reurbanização associada ao projeto, gerando retorno em qualidade de vida para a população.  Os VLTs já existem há várias décadas em inúmeras cidades do mundo, principalmente na Europa e China, e comprovadamente produzem benefícios, como a ordenação do tráfego urbano, redução dos níveis de poluição e melhoria da mobilidade urbana.

Os VLTs também ajudam a reduzir os custos e o consumo de energia no longo prazo. Seu impacto ambiental local é mínimo devido à tração elétrica. Além disso, o VLT demanda uma faixa estreita na via, o que causa menor impacto urbano durante a operação.

A BYD abriu sua primeira fábrica no Brasil em 2015 para produção de ônibus elétricos e comercialização de veículos e empilhadeiras em Campinas, interior de São Paulo. Em abril de 2017, inaugurou sua planta de produção de módulos fotovoltaicos. A BYD Brasil já emprega mais de 300 funcionários nas cidades de Campinas e São Paulo.

BYD

Leia> Coisas de Agora.

UNIDAS LANÇA SERVIÇO INÉDITO PARA ALUGUEL MENSAL.

A Unidas, segunda maior locadora de automóveis do Brasil e líder no mercado de terceirização de frotas, lança inovador pacote de aluguel de carros mensal, o Unidas Mensal Mais. A grande novidade é a possibilidade de troca de veículos em qualquer loja de aluguel de carros em todo Brasil de forma ilimitada e sem custo adicional. A Unidas é a primeira locadora do mercado a oferecer mais essa comodidade.

Para Carlos Sarquis, Head de Rent a Car da Unidas, este produto é o mais adequado para a necessidade do brasileiro viajante, que precisa do máximo de flexibilidade com economia. Um cliente que mora em São Paulo, por exemplo, e vai fazer uma viagem para o Recife, pode devolver o carro em São Paulo antes de viajar, efetuar uma nova reserva e retirar um carro no Recife sob o mesmo contrato mensal.

"Nosso compromisso é trazer inovações que impactem de forma positiva o dia a dia dos nossos clientes. O objetivo do Unidas Mensal Mais é trazer mobilidade de forma simples, principalmente para quem viaja com frequência. Com este produto o cliente passa a ter um carro disponível em cada canto do País a todo momento, sem pagar um centavo a mais por isso. É um serviço prático, econômico e sem burocracia. Essa é mais uma novidade no nosso portfólio que mostra nossa busca incessante em prestar o melhor serviço aos nossos clientes", explica o executivo.

O Unidas Mensal Mais conta ainda com manutenção, assistência 24h, seguro do carro, IPVA e Licenciamento inclusos. Para alugar um veículo pelo programa, é necessário desembolsar a partir de R$ 1.300,00 dependendo do período de aluguel, grupo de carro e quilômetros rodados. Para fazer a reserva, basta acessar o site da Unidas, selecionar um período superior a 30 dias e a franquia com o limite de quilômetros que o cliente pretende rodar no mês (de 1 a 5 mil km).

O novo serviço está em linha com a expansão da Unidas para o varejo. A área de Rent a Car representa hoje 40% da companhia. Em 2019, a companhia espera aumentar a frota para 130 mil carros, com o mais completo portfólio de categorias do mercado.

BRIDGESTONE FORNECE EQUIPAMENTO ORIGINAL PARA CAMINHÕES E ÔNIBUS DA MERCEDES-BENZ


A Bridgestone, maior fabricante de pneus do mundo, fornece para a Mercedes-Benz soluções em pneus para veículos leves, semipesados, pesados e extrapesados e ônibus. Os produtos representam o compromisso da empresa com a tecnologia e inovação para proporcionar maior desempenho e menor custo por quilômetro rodado.

Elaborado para uso em eixos direcionais, livres e tração moderada, o pneu Bridgestone R268 equipa os veículos Actros e Axor do segmento de pesados e extrapesados na medida 295/80 R22.5 152/148M enquanto no tamanho 275/80 R22.5 149/146L o pneumático aparece no Atego, caminhão semipesado da montadora. O produto possui ombros com barras sólidas e planas, filete de proteção lateral e talão reforçado que ajudam a atingir um desgaste uniforme, conforto (baixo nível de ruído), além de apresentar um alto índice de recapabilidade e desempenho quilométrico.

Para os caminhões Actros e Axor, a Bridgestone também oferece o pneu radial M729. Desenvolvido para uso nos eixos de tração em rodovias pavimentadas de curta, média e longa distância, o modelo possui como principais características grande aderência e tração em diversas condições de piso, trazendo maior segurança ao usuário. 

O caminhão Axor 6x4, voltado para o segmento Fora de Estrada, recebe na medida 295/80 R22.5 152/148M dois modelos de pneus da Bridgestone, o M840S e o L320. Elaborado para uso em eixos direcionais, livres e de tração moderada, o M840S possui maior resistência a cortes, picotamentos e rachaduras, além de apresentar melhor absorção de impactos e menor retenção de pedras, características que ajudam a aumentar a durabilidade da carcaça. Já o L320 foi desenvolvido para uso nos eixos de tração com sulcos extralargos e blocos robustos, que permitem máxima tração em percursos mistos. 

Completando a lista de fornecimento de equipamento original para a Mercedes-Benz está o pneu M814, que na medida 215/75 R17.5 126/124M está disponível no Accelo e na medida 235/75 R17.5 132/130M no Accelo 1016. Para ônibus urbano, o fornecimento acontece na medida 275/80 R22.5 149/146J com o pneu R163, cuja tecnologia exclusiva “Cooling Fin” reduz a temperatura do talão, aumentando a durabilidade da carcaça e proporcionando maior recapabilidade ao produto.